domingo, 11 de abril de 2021

Pois é

EUA criticam China por falta de transparência no início da Covid
Para secretário de Estado americano, falta de informações em tempo real contribuiu para a rápida disseminação do vírus
Pleno.News 
Antony Blinken, secretário de Estado norte-americano 

O Secretário de Estado americano, Antony Blinken, criticou neste domingo (11) a falta de transparência da China no início da pandemia da Covid-19, que ele disse ter contribuído para a rápida disseminação do coronavírus.

– Acho que a China sabe que nos estágios iniciais da Covid-19, não fez o que precisava fazer, que era, em tempo real, dar acesso a especialistas internacionais, compartilhar informações em tempo real e proporcionar verdadeira transparência – declarou Blinken em uma entrevista à emissora de televisão NBC.

O diplomata norte-americano prosseguiu:

Um dos resultados desse fracasso foi que o vírus se descontrolou mais rapidamente e com, acredito eu, resultados muito mais atrozes do que teria acontecido de outra forma.

É por isso que Blinken insistiu no fortalecimento do sistema de saúde global, incluindo a reforma da Organização Mundial da Saúde (OMS) para evitar outra situação do tipo. Os Estados Unidos são o país mais afetado pela pandemia em números absolutos, com mais de 560 mil mortes.

Entretanto, nas últimas semanas, o processo de vacinação acelerou, com mais de 3 milhões de doses por dia, e espera-se que 90% da população esteja imunizada até junho. Atualmente, os EUA têm mais de 70 milhões de pessoas inoculadas ao menos com uma dose, ou seja, 21,5% dos habitantes.

Uma equipe de epidemiologistas da OMS foi a Wuhan, na China central em janeiro para investigar a origem do novo coronavírus. A Covid-19 já causou mais de 135 milhões de infecções e mais de 2,9 milhões de mortes em todo o mundo.

Nenhum comentário: