sexta-feira, 17 de maio de 2019

Parece um poço sem fundo, mas não é...


O orçamento dos ministérios foi calculado na gestão Temer considerando uma previsão de arrecadação que não deve se cumprir este ano, portanto é preciso readequar os orçamentos.

Os ministérios terão de gastar menos.

O primeiro Artigo da Lei da Responsabilidade Fiscal diz o seguinte: "A responsabilidade na gestão fiscal pressupõe a ação planejada e transparente, em que se previnem riscos e corrigem desvios capazes de afetar o equilíbrio das contas públicas, mediante o cumprimento de metas de resultados entre receitas e despesas e a obediência a limites e condições no que tange a renúncia de receita, geração de despesas com pessoal, da seguridade social e outras, dívidas consolidada e mobiliária, operações de crédito, inclusive por antecipação de receita, concessão de garantia e inscrição em Restos a Pagar."

Tanto Lula como Dilma tiveram de fazer cortes e contingenciamentos em seus governos.

Só o MEC, por exemplo, carregou para 2019 R$ 32 bilhões de restos a pagar de despesas que foram empenhadas em anos anteriores e que não foram liquidadas.

Se não houver cortes e contingenciamento em TODAS AS ÁREAS, Jair Bolsonaro terá de se ver com o que está publicado aqui: http://www.tesouro.fazenda.gov.br/-/infracoes-da-lei-de-res…

Todo mundo sabia que era preciso botar o pé no freio. Todo mundo sabia que viriam cortes. Todo mundo sabia que era preciso uma revisão completa nas despesas da máquina pública. Mas parece que ninguém sabia que ia doer. Achavam que iam cortar "nos outros".

Se não houver uma reforma que poupe dinheiro em algumas áreas (a principal é reforma da previdência), o contingenciamento vai virar corte mesmo.

Não dá pra comer o bolo e ficar com o bolo.

E é vergonhoso ter de explicar isso pra gente que sabe ler.

Um comentário:

Anônimo disse...

Ótima descrição/análise sobre o Sistema de Previdência.
Sobre a foto/imagem acima do texto:
“Cuba lança racionamento de produtos básicos perante crise económica” em 11/5/2019, fonte: https://observador.pt