quinta-feira, 9 de julho de 2020

Agora vai!

Câmara Municipal de Cajazeiras quer adquirir 15 motos: uma para cada vereador
Licitação deverá ser publicada nos próximos dias.
Christiano Moura - Coisas de Cajazeiras
O presidente da Câmara Municipal Cajazeiras, vereador José Gonçalves de Albuquerque, o Delzinho da Arara (PSB) comunicou a realização de uma licitação para a aquisição de 15 motocicletas para atender aos gabinetes de todos os parlamentares.

Após adquirir um picape e uma motocicleta para a realização dos serviços da Casa Otacílio Jurema, Delzinho tomou gosto e pretende ampliar a frota. A licitação deverá ser publicada nos próximos dias.

Imagens fantásticas! Veja no vídeo.

A lua surgindo atrás do farol de Byron Bay, Austrália!!! - YouTube
Nascimento da lua filmado no farol de Byron Bay, no extremo norte de New South Wales, na Austrália, o ponto mais oriental do continente. Coloque o telefone na horizontal para melhor visualização.

Aproveite o show!! Se puder coloque fone e aumente o volume. Fantástico!
  
 A sugestão é do meu amigo Galego BillyGancho

Defender ou não defender a liberdade de expressão?

Extrema imprensa | Missão Política
EXTREMA-IMPRENSA
Há cinco anos, a grande mídia protestava contra leis de controle da internet; hoje apoia a censura
Fábio Gonçalves·- BrasilSemMedo

O que mudou?

Absolutamente assustador”. “Um golpe na democracia”. “É inacreditável”. Foi com essas palavras de espanto e horror que Maria Beltrão, apresentadora do Estúdio I, programa vespertino da Globonews, se referiu, em 2015, ao Projeto de Lei 1589, o avô do PL das Fake News.

Elaborado pela deputada Soraya Santos (MDB, à época PMDB), o projeto de 2015, apoiado pelo então presidente da Câmara Eduardo Cunha, falava em punir severamente, com pena de até 6 anos de cana, quem, se utilizando de perfis fakes, fizesse críticas mais duras a políticos e espalhasse ódio nas redes sociais — sim, essas palavrinhas mágicas, fake e ódio, já circulavam nas rodas de conversa dos iluminados.

Na ocasião, o colunista da Folha de São Paulo Ronaldo Lemos, convidado do Estúdio I para comentar os meandros daquele projeto ditatorial, ironizou: “O que dá a entender é que os políticos têm um medo danado da internet”. [Não parece um extremista de direita segundo os critérios atuais da Globonews?]

Mas, se é verdadeiro o adágio de Heráclito de Éfeso, segundo o qual não é possível nos banharmos duas vezes no mesmo rio, posto que a realidade esteja em permanente transformação, a regra deve se aplicar também às opiniões dos jornalistas profissionais e aos seus conceitos do que seja “absolutamente assustador”, do que signifique um “golpe na democracia”, do que pareça “inacreditável”. Tudo muda. Tudo é devir.

Isto porque, cinco anos depois, agora em junho de 2020, a mesma Maria Beltrão e o mesmíssimo Ronaldo Lemos, no mesmo Estúdio I, não fizeram as mesmas caretas de indignação ou os mesmos discursos grandiloquentes em defesa da liberdade diante da escalada de censura que temos vivenciado.

Comentando a nova Lei da Censura, Ronaldo Lemos, a despeito de algumas críticas ao texto do senador Alessandro Vieira, endossou a narrativa conspiracionista de que haja grandes redes patrocinadas para disseminar, na internet, o ódio e as fake news — seja lá o que essas signifiquem — e que isso, o que ele chama de “profissionalização do ódio”, deve, sim, ser combatido pelo Estado.

Alegando-se preocupados com essas tais redes de desinformação, políticos e juristas brasileiros procuram há mais de um ano, sem o mínimo sucesso, essas gangues virtuais. Tudo o que se apresentou até agora na CPMI das Fake News ou no Inquérito das Fake News foram ilações, disse-me-disse e mentiras para malbaratar desafetos políticos.

Ainda assim, com base apenas nessas meras alegações, indivíduos — todos de direita — cuja participação em qualquer esquema criminoso jamais ficou comprovada estão sendo presos e amplamente censurados. [E a Beltrão, obediente à dialética de Heráclito, agora não acha assustador, antidemocrático, inacreditável].

Resta claro que toda essa conversa fiada contra notícias falsas e redes de desinformação é a nova desculpa da classe política para calar a boca de seus críticos mais aplicados. A diferença é que agora, diferente de 2015, a grande imprensa, bastante prejudicada pelo sucesso dos meios de informação que vicejam na internet, em defesa dos próprios interesses, se tornou importante aliada dos censores.

Assista aos dois vídeos:

O primeiro, de setembro de 2015, que tem sido compartilhado nos últimos dias, sumiu da plataforma da GloboPlay. Encontramos no YouTube, publicado em maio de 2016.
 
O segundo, de junho deste ano, está disponível aqui.

O politicamente correto sendo questionado

O perfeito imbecil politicamente incorreto - Socialista Morena

É verdade!

Imagem

Recorde no YouTube

Sem Globo, Fla-Flu bate recorde de audiência no YouTube
3,59 milhões de telespectadores
Partida supera Marília Mendonça
Emissora não transmitiu o jogo
Poder360
Transmissão de final entre Fluminense e Flamengo foi feita pela FluTV

A final da Taça Rio (o 2º turno do Campeonato Carioca), disputada entre Fluminense e Flamengo, tornou-se nesta 4ª feira (9.jul.2020) a transmissão ao vivo com maior audiência da história do YouTube. Durante a disputa nos pênaltis, que culminou na vitória do Fluminense, a live chegou a ter 3,59 milhões de telespectadores.

A marca faz o FluTV, canal do Fluminense na plataforma, passar a ser o detentor da maior audiência durante uma transmissão ao vivo no YouTube. O clube desbanca a cantora sertaneja Marília Mendonça, que até então detinha o recorde mundial com 3,31 milhões de pessoas sintonizadas em show feito de sua casa, em 8 de abril.

O principal motivo da enorme audiência do clube carioca é o fato de o jogo de futebol não ter sido exibido na televisão –nem aberta e nem por assinatura. Isso porque a emissora que detinha os direitos de transmissão do Campeonato Carioca, a TV Globo, decidiu rescindir o contrato com a Ferj (Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro).

O rompimento entre a Globo e a Federação foi anunciado em 2 de julho porque, na noite anterior, o Flamengo transmitiu o jogo contra o Boa Vista em seu canal no YouTube. O clube rubro-negro se baseou na Medida Provisória 984/2020, apelidada de MP do Flamengo. O texto, assinado pelo presidente Jair Bolsonaro, passa 100% dos direitos de transmissão para o clube mandante das partidas. Antes, a lei estabelecia que os direitos de venda eram dos 2 times.

A Globo viu no ato desrespeito ao acordo de exclusividade. A Ferj recorreu e a emissora se viu obrigada pela Justiça a transmitir o jogo entre Botafogo e Fluminense, no último domingo (5.jul). Uma vez que a Globo não tinha contrato com o Flamengo, a obrigatoriedade não se estendeu para a partida desta 4ª feira (9.jul). O Fluminense, detentor do mando de campo, chegou a consultar a emissora sobre a transmissão em seu canal do YouTube e obteve o sinal verde da Globo.

Governo suspende até setembro recadastramento de aposentados

Governo suspende até setembro recadastramento de aposentados
Tiago Netto - ConexãoPolítica
Foi publicada no Diário Oficial da União desta quarta-feira (8) a suspensão até 20 de setembro do recadastramento anual obrigatório de aposentados, pensionistas e anistiados políticos civis.

A medida é do Ministério da Economia.

A ação visa evitar aglomerações e exposição de pessoas do grupo de risco à covid-19, esse público não precisará ir ao INSS (Instituto Nacional de Seguridade Social) fazer a prova de vida.

A instrução normativa estabelece que a suspensão não afeta o pagamento de proventos ou pensões aos beneficiários.

Na capa do jornal Extra

Capa do jornal Extra 09/07/2020

Os destaques do jornal Correio Braziliense

Capa do jornal Correio Braziliense 09/07/2020

quarta-feira, 8 de julho de 2020

Segunda-feira começa outra fase da flexibilização na Capital

Prefeitura de João Pessoa abre na próxima segunda-feira comércio, shoppings e orla da capital
A Prefeitura inicia a terceira fase do Plano de Estratégico de Flexibilização.
RepercutePB
O comércio, os shoppings e a orla marítima de João Pessoa devem ser abertos a partir da próxima segunda-feira (13), quando a Prefeitura inicia a terceira fase do Plano de Estratégico de Flexibilização

O plano apresentado pela prefeitura prevê novos protocolos nessa terceira fase para os estabelecimentos de varejo; shopping centers e centros comerciais; atividades religiosas; transporte público; serviços públicos não essenciais; praias, praças e parques; feiras livres e ambulantes.

Veja plano abaixo:

Estados Unidos fora da OMS

Estados Unidos começam a se retirar formalmente da OMS
Presidente Donald Trump tomou decisão em maio por causa da falta de transparência da entidade na correlação entre a China e o coronavírus
Roberta Ramos - RevistaOeste
Trump inicia retirada dos Estados Unidos da OMS 

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, deu início, nesta terça-feira, à retirada do país da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Ele informou que começou o processo ao Congresso americano e à Organização das Nações Unidas (ONU). A saída total deve se dar em 6 de julho de 2021.

A ONU confirmou que recebeu o documento sobre a retirada.

Ainda em 29 de maio, Trump aunciou que cortaria os investimentos à OMS e redirecionaria os recursos a outras iniciativas.

A decisão se deu devido à fata de transparência do órgão de saúde da ONU, que, de acordo com Trump, levou o mundo a “direcionamentos errados” com relação ao coronavírus por não responsabilizar a China como deveria no início da pandemia.

“O mundo está sofrendo agora como resultado dos malfeitos do governo chinês”, comentou o americano.

Anteriormente, em abril, o chefe do Executivo americano já havia suspendido o financiamento à OMS e questionado o fato de a China influir na instituição, mesmo não investindo tanto quanto os Estados Unidos.

A extrema imprensa sob análise de Rodrigo Constantino

Mídia militante segue ladeira abaixo em perda de credibilidade
Por Rodrigo Constantino - GazetadoPovo
Não sou jornalista de formação, ao contrário de Oswaldo Eustáquio. Sou economista. Na minha área original, temos o Corecon. É o Conselho Regional que, na prática, nada mais é do que um antro da extrema esquerda que faz proselitismo socialista com meu dinheiro.

Imagino que a Associação Brasileira de Imprensa seja algo similar para os jornalistas. Criada em 7 de abril de 1908, seu principal objetivo era assegurar à classe jornalística os direitos assistenciais. Segundo Gustavo de Lacerda, seu criador, a associação deveria ser um campo neutro em que se pudessem abrigar todos os trabalhadores da imprensa.

O que vemos hoje, porém, é um antro de extrema esquerda fazendo proselitismo ideológico. E faz isso em nome da imprensa. O silêncio deve significar consentimento, e não seria espantoso, uma vez que o Congresso em Foco sempre expõe as preferências ideológicas dos jornalistas, encantados com o PSOL.

A ABI já entrou até com pedido de impeachment contra Bolsonaro, com base em... nada. Nesta terça, resolveu denunciar o "crime" do presidente: receber jornalistas para uma entrevista, estando contaminado com o coronavírus. Dar entrevista, eis o crime!

A mídia militante agoniza, eis a triste realidade. Incapaz de aceitar a perda do monopólio da narrativa, a imprensa partidária sofre com o avanço das redes sociais, que furaram a bolha "progressista" e expuseram a farsa do "jornalismo plural" de antes, que tinha hegemonia esquerdista.

Esses veículos de comunicação deram destaque para o fato de o presidente ter tirado a máscara durante a entrevista. A manchete do UOL, por exemplo, era apenas isso. Só quem entrasse para ler na íntegra descobriria que o presidente retirou a máscara quando estava longe dos jornalistas. Com meias verdades e muita distorção se conta grandes mentiras. Mas hoje elas não passam despercebidas:
 
Na era das redes sociais, o povo pode ver os fatos e comparar com as narrativas. E é aí que a credibilidade da mídia tradicional vai para o buraco. Afinal, o que resta para essa imprensa é basicamente isso: narrativas, narrativas ideológicas, torcida partidária!

O duplo padrão salta aos olhos, especialmente quando vemos o sepulcral silêncio dos pares jornalistas diante do desejo de morte do presidente pelo "respeitado" Helio Schwartsman, colunista da "prestigiada" Folha de SP, da qual já foi editor. Como aponta o professor de economia especializado em Escola Austríaca:
Oswaldo Eustáquio é perseguido, preso, humilhado, calado. ABI e “press” em silêncio absoluto. Hélio Schwartsman publica um artigo desumano desejando a morte de um ser humano. ABI e “press” em silêncio absoluto. Canalhas, descarados, ratos podres, biltres. O povo está vendo.

Seu desabafo duro é compreensível. Oswaldo foi tratado por toda essa ala da imprensa como "blogueiro", e praticamente ninguém saiu em sua defesa. Ele pode ser jornalista, mas apoia o governo Bolsonaro, e eis o seu grande crime! O militante de extrema esquerda Glenn Greenwald foi protegido mesmo quando recebeu material roubado por hackers e divulgou a conta gotas, em doses homeopáticas e sem aceitar perícia. Ele é da "patota", afinal.

Vejam esse outro exemplo. O grupo que fez uma reportagem sobre a cloroquina durante o surto da zika, recomendando que seu uso era seguro até para mulheres grávidas, agora sequer pode mencionar o nome do remédio na chamada, e destaca a falta de "comprovação científica" mesmo com inúmeros médicos o recomendando por estarmos numa pandemia, o que permite relaxar certos protocolos:
Em vez de enxergar o lado positivo de um presidente que exala otimismo e confiança mesmo contaminado, o jornal prefere trata-lo como irresponsável, pois a única postura aceitável é a histeria dos apavorados isolacionistas, a turma da Seita da Terra Parada, como ironiza Guilherme Fiuza.

E não pensem que aqui nos Estados Unidos é muito diferente, pois não é! A mídia mainstream faz campanha contra Trump desde o primeiro dia, e destila todo seu viés em cada "reportagem". Quando Mike Pence apareceu, sozinho, sem máscara, foi uma celeuma. Já Alexandra Ocasio-Cortez, a queridinha dos democratas, uma radical socialista, solta germes na cara de uma criança, isso é "fofo" ou deve ser ignorado. Não nas redes sociais, porém: