segunda-feira, 22 de junho de 2020

Operação policial infrutífera

EXCLUSIVO
Em áudio, policial do DF relata vergonha pela operação na chácara dos "extremistas"
Fernando de Castro·BrasilSemMedo

“Entramos todos na casa, pesadão, de fuzil, e tinham dois senhores, só. Não havia materialidade delituosa nenhuma na casa, foi vergonhoso”, disse

Depois de não encontrar nenhum indício de crime com os objetos apreendidos na manhã deste domingo (21), um agente da Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) relatou estar envergonhado com a operação que ordenou busca e apreensão numa chácara em Águas Claras (DF), apontada como “QG dos 300 do Brasil”. 

Havia a suspeita de que o imóvel abrigava armas de fogo, quantidades consideráveis de fogos de artifício, entre outros. No entanto, ao chegar no local, foram encontrados:

Bandeiras do Brasil;
Camisas em apoio ao armamento civil e outras escritas “Brasil acima de tudo, Deus acima de todos”;
Cartazes contra “a ditadura dos políticos profissionais”;
Uma máscara de ursinho feita de cartolina;
Uma faca sem ponta de uso rural;
Uma caixa com 12 fogos de artifício.

Cerca de 30 policiais da Coordenação Especial de Combate à Corrupção e ao Crime Organizado (Cecor), da Divisão de Operações Especiais (DOE) e da Divisão de Operações Aéreas (DOA) participaram da operação, que contou também com helicóptero a fim de fornecer apoio aéreo para os agentes.

Em áudio obtido com exclusividade pelo Brasil Sem Medo, um agente da PCDF relatou que a operação deste domingo foi “uma das situações mais vergonhosas da Polícia”

“Entramos todos na casa, pesadão, de fuzil, e tinham dois senhores, só. Não havia materialidade delituosa nenhuma na casa, foi vergonhoso”, afirmou. 

O policial disse que o delegado comunicou aos agentes que a operação poderia encontrar armamento pesado no imóvel.

“O delegado falou que estávamos indo lá porque era um grupo de extrema-direita, poderíamos encontrar explosivos, armas de fogo, fogos de artifício e não tinha nada”, disse. “Na imagem, colocaram aquelas camisas com as frases ‘Brasil acima de tudo, Deus acima de todos’, como se aquilo fosse a demonstração de algum crime ou associação criminosa”, completou. 

O agente finalizou dizendo que haveria uma reunião para verificar uma forma de parar de realizar esse tipo de operação, que sequer foi publicada no site institucional da PCDF

* O BSM optou por não divulgar o áudio para não identificar o policial autor dos comentários.

Nenhum comentário: