terça-feira, 16 de junho de 2020

Boa notícia é coisa boa!

Dexametasona reduz mortalidade no tratamento de pacientes com COVID-19 e é tratada como “conclusão histórica”
Estudo da Universidade de Oxford mostrou que a redução da mortalidade girou em 33% em pacientes que utilizavam ventilação mecânica
Focus
Dexametasona. 

O anti-inflamatório dexametasona pode ter certa efetividade no tratamento de pacientes graves da COVID-19. É o que revela um estudo conduzido pela Universidade de Oxford. A pesquisa foi comemorada pela Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI).

“Temos o primeiro tratamento farmacológico para COVID-19 que mostrou impacto em reduzir a mortalidade! Finalmente temos uma boa nova”, declarou a entidade.

No estudo de Oxford, os resultados preliminares apontam que os pacientes que receberam uma dose de 6 mg de dexametasona (via oral ou endovenosa) uma vez por dia, em prazo de dez dias tiveram:

1) redução de mortalidade (em 28 dias) de 1/3 (33,3%) nos pacientes com COVID-19 em ventilação mecânica (VM);

2) redução de mortalidade (em 28 dias) de 1/5 (20%) nos pacientes necessitando de oxigênio e que não estão em VM;

3) não houve diferença nos pacientes que não necessitam de oxigênio.

Conclusão: “todo paciente com COVID-19 em ventilação mecânica e os que necessitam de oxigênio fora da UTI devem receber dexametasona via oral ou endovenosa 6 mg 1x/dia por dez dias. Medicação barata e de acesso universal”.

Nenhum comentário: