quarta-feira, 18 de março de 2020

Apoio, em dinheiro, para os informais, também.

Voucher para informal será de cerca R$ 190 e será pago por três meses
Extra
Segundo analistas, o cadastro que reúne beneficiários do Bolsa Família é a maneira mais rápida de fazer dinheiro chegar a quem mais precisa 

BRASÍLIA — O valor do voucher para trabalhadores informais que o governo vai distribuir para combater a crise do coronavírus será próximo ao pago a beneficiários do Bolsa Família. Hoje, o programa voltado a famílias pobres distribui, em média, R$ 190,70 a cada uma das 13 milhões de famílias inscritas, segundo dados do Ministério da Cidadania. Os detalhes do programa ainda estão sendo desenhados.

A informação de que a equipe econômica estudava criar um voucher foi antecipada nesta quarta-feira pelo GLOBO e, mais tarde, confirmada pelo presidente Jair Bolsonaro.

De acordo com fontes da equipe econômica, haverá um desenho para que o novo benefício seja voltado apenas a pessoas de baixa renda.

A expectativa, segundo essa fonte, é que o pagamento seja feito durante três meses. Esse é o período planejado para quase todas as medidas emergenciais anunciadas até agora pela equipe econômica, por ser justamente a estimativa para o período crítico de propagação da Covid-19, com base no que ocorreu na China.

Na segunda-feira, o Ministério da Economia anunciou R$ 147,3 bilhões em medidas para mitigar o impacto da pandemia na atividade econômica. As medidas, no entanto, foram mais voltadas para trabalhadores com carteira assinada e empresários.

Ainda não há uma estimativa sobre o impacto fiscal do novo programa de auxílio. O governo pediu ao Congresso que reconheça estado de calamidade pública, o que desobriga o cumprimento das metas fiscais.

Ou seja, a expectativa é que os gastos extras façam com que o rombo deste ano supere o déficit de R$ 124,1 bilhões autorizados pela Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO).

Nenhum comentário: