domingo, 30 de junho de 2019

Apoio a Moro e à Lava Jato em manifestação na capital paraibana.

Manifestantes fazem ato em favor de Moro e a Operação Lava Jato em João Pessoa. 
ClickCZ
Com camisas do Brasil e bandeirolas, manifestantes realizaram ato, na tarde deste domingo (30), em defesa ao ministro da Justiça Sérgio Moro e a Operação Lava Jato. O primeiro momento do grupo foi de adesivagem em veículos e logo seguiram para o Busto de Tamandaré.

Os adesivos colados nos veículos diziam: “Lava Jato, eu apoio”.O organizador do evento, Maurício Renato, informou que cerca de 300 pessoas participaram do ato na Epitácio Pessoa em direção ao Busto.

“Foi muito positivo, pois o brasileiro começa a observar, entender, viver e discutir a política, coisa que antes nós não víamos no Brasil”, disse Maurício, que vê a rua como um local para que a sociedade se expresse ‘de forma democrática e unida’.

A movimentação em apoio a operação surgiu após o site The Intercept Brasil divulgar uma série de mensagens privadas que teriam sido trocadas entre o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro e o procurador da Operação Lava Jato Lava Jato, Delta Dallagnol. A matéria questiona a parcialidade do então juiz, Moro, no julgamento dos casos.

“O maior benefício dessa manifestação com certeza é que a operação Lava-Jato e sua força tarefa não estão sozinhas, a população já tem a operação como um patrimônio moral do Brasil”, analisa o manifestante.

Ontem foi dia de comemorar o aniversário do meu grande amigo Pedrinho Cruz. Veja imagens.

Da esquerda para a direita: Zezito, Dirceu, Dona Irene Eastwood, Pedrinho, Dóia, Gilsinho e Eduardo Cabral.
Dirceu, Dona Irene e Pedrinho
Na abertura dos trabalhos, Dona Irene cantou o Hino Nacional e fez o discurso de parabéns para o aniversariante.

Mais uma fulgurante conquista na vida da Doutora Vanessa Rolim. Parabéns.

A médica Vanessa Rolim Barreto defendeu sua Tese de Doutorado, no último dia 17, na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo. Esse título, além de representar uma conquista acadêmica, profissional e pessoal, enobrece as Instituições de Ensino Médico presentes na cidade de Cajazeiras, que agora contam com uma Professora Doutora para ensinar Otorrinolaringologia aos discentes. 

A tese intitulada “Prevalência de zumbido e associação com radiação eletromagnética em Cajazeiras/PB” uniu a Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo à Universidade Federal de Campina Grande- campus Cajazeiras, integrou os ensinos presencial e à distância, aproximou Cajazeiras de São Paulo e levou a problemática do nosso notável Morro do Cristo Rei para ser discutido por eminentes intelectuais da maior metrópole do país.

A Professora Doutora Vanessa Rolim publicou, em sua rede social (instagram: @vanessarolimbarreto), sobre esse momento célebre:

"E hoje encerrei mais um ciclo em minha vida. Foram muitas subidas e descidas (literalmente - risos- os que leram minha tese entenderão), muito esforço, muito estudo e dedicação, muita estatística, muita física também. Houve turbulências, missões altruístas, percalços, golpes fortes, cruéis e traiçoeiros no caminho. Algumas vezes enjoei e também procrastinei! Eu quis muito receber ajuda dos universitários... Quanta inocência! Felizmente, as dificuldades costumam me fortalecer. Enfim, depositei minha tese, quando acreditei que ela estava digna, mas confesso que meu orientador me “sugeriu fortemente” parar de lê-la e de aprimorá-la (risos). Eu não sei se você já defendeu seu doutorado, mas o que sinto, neste momento, é nostalgia... E agora? Qual será o próximo projeto?”.

A cajazeirense foi aprovada com louvor, recebeu muitos elogios de uma banca examinadora extremamente capacitada e experiente e retorna a Cajazeiras detendo ainda mais conhecimento para auxiliar, com maestria, seus pacientes e alunos.

Titulares da Banca Examinadora: Prof. Dr. Fernando de Andrade Quintanilha Ribeiro (FCMSCSP); Profa. Dra. Melissa Ferreira Vianna (ISCMSP); Profa. Dra. Lucia Kazuko Nishino (ISCMSP); Prof. Dr. Rubens Vuono de Brito Neto (FMUSP).

Os destaques do Jornal do Commercio


No jornal Lance


sábado, 29 de junho de 2019

Sábado de sol, em Cajazeiras, é convite para uma cervejinha gelada. No Bar da Graxa, está só o filé. Vejam as imagens.

 
 
 
Geraldo Galvão toca o fino da música.
Pedro, o proprietário do Bar da Graxa, vem de uma família de grandes mecânicos de automóvel. Resolveu mudar de atividade. A antiga oficina virou um bar. E o nome? Tem algum mais sugestivo de que o 'Bar da Graxa'?
É graxa da boa!

sexta-feira, 28 de junho de 2019

A capa do jornal cajazeirense Gazeta do Alto Piranhas.


Uma noticia bem relevante.

Acordo Mercosul-UE vai aumentar exportações à Europa em quase US$ 100 bi nos próximos 15 anos
Isadora Duarte e Nicholas Shores, O Estado de S.Paulo

O acordo comercial concluído nesta sexta-feira, 28, entre Mercosul e União Europeia (UE) é o "mais amplo" do tipo já negociado pelo bloco de países sul-americanos e constituirá "uma das maiores áreas de livre-comércio do mundo", afirmaram em nota conjunta os ministérios das Relações Exteriores, da Economia e da Agricultura brasileiros. Entre os dispositivos do documento acertado está a eliminação de tarifas na exportação de 100% dos produtos industriais. 
O Porto de Santos é o principal polo de exportação do Brasil 

Segundo os órgãos do governo, o acordo permitirá ao País aumentar em quase US$ 100 bilhões as exportações para o bloco europeu. O Ministério da Economia afirmou, ainda, que o acordo representará um incremento de US$ 87,5 bilhões em 15 anos ao Produto Interno Bruto (PIB).

Esse incremento, ainda segundo a pasta comandada pelo ministro Paulo Guedes, pode chegar a US$ 125 bilhões se consideradas a redução das barreiras não tarifárias e o incremento esperado na produtividade total dos fatores de produção. Também se espera que o aumento de investimentos no País seja da ordem de US$ 113 bilhões.

Quanto aos produtos agrícolas brasileiros, suco de laranja, frutas e café solúvel terão suas tarifas eliminadas para exportação para o bloco europeu. "Os exportadores brasileiros obterão ampliação do acesso, por meio de quotas, para carnes, açúcar e etanol, entre outros", afirma a nota. Segundo os Ministérios, cachaças, queijos, vinhos e cafés do Brasil serão reconhecidos como distintivos.

Também será garantido acesso a segmentos do setor de serviços, como comunicação, construção, distribuição, turismo, transportes e serviços profissionais e financeiros, informa o comunicado. "Em compras públicas, empresas brasileiras obterão acesso ao mercado de licitações da UE, estimado em US$ 1,6 trilhão." 

Convite Missa de 30º Dia pela partida de nossa inesquecível educadora, Dona Lindalva Claudino, em Cajazeiras.


Sem desculpa! Na noite de São Pedro tem que tomar banho.


A jurisprudência de Gilmar Mendes

Gilmar considerou nulas provas acessadas em WhatsApp de acusado
RenovaMídia
Crítico de Moro e Deltan, o ministro do STF considerou nulas provas acessadas em WhatsApp de acusado por tráfico.

No último dia 11 de junho, o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes, votou pela concessão de habeas corpus para considerar nulas provas produzidas no processo e pelo encerramento de ação penal contra um homem acusado por tráfico de entorpecentes.

O motivo da decisão de Gilmar? Segundo o jornal Estadão, a polícia usou dados extraídos do aplicativo WhatsApp do suposto traficante sem autorização judicial.

A decisão que beneficiou o acusado por tráfico foi tomada por Gilmar dois dias depois da divulgação pelo site Intercept de diálogos atribuídos a procuradores da Operação Lava Jato e ao ex-juiz Sergio Moro.

No mesmo dia 11, questionado por jornalistas se as provas colhidas de forma ilícita de Moro e do procurador Deltan Dallagnol poderiam ser anuladas, Gilmar disse.

“Não necessariamente. Se amanhã alguém tiver sido alvo de uma condenação, por exemplo, por assassinato e aí se descobriu por alguma prova ilegal que ele não é o autor do crime, se diz em geral que essa prova é válida.”

Em resposta à matéria do Estadão, Gilmar declarou:

“Não há nenhuma incoerência, são situações diferentes. Temos uma jurisprudência farta sobre isso. Não tem contradição nenhuma nesse caso. […] Uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa. Uma coisa é o Ministério Público usando WathsApp de maneira indevida contra alguém para acusá-lo. Outra coisa é o sujeito tendo obtido prova ilícita dizer ‘olha, não sou autor desse crime.”

E você não conhece nossa Cajazeiras? Vá logo! E apresentada por Denise Vitória fica mais linda ainda!


Sugestão de Fátima Aquino

Lá também?


Odebrecht operou sistema de propina a partir dos Estados Unidos 
Executivos tinham vida de luxo
1ª vez que se nomeia delatores
Poder360 
Investigação internacional envolveu 50 jornalistas de 10 países

Em 2016, quando se soube que a Odebrecht também assinaria um acordo de leniência com o Departamento de Justiça americano, a pergunta era: mas houve corrupção da empresa em solo americano? Ou o acordo se devia apenas, conforme a empresa relatara, ao uso do sistema financeiro dos Estados Unidos para pagar propinas ou movimentar dinheiro ilegal, o que a faria cair nas malhas do Foreign Corrupt Practices Act, a rígida legislação americana de combate à corrupção?

A Odebrecht sustenta até hoje que nunca houve atos ilegais nos Estados Unidos, envolvendo autoridades americanas. Entretanto, dois executivos da empresa, Luiz Eduardo Soares e Fernando Migliaccio, não só moraram nos Estados Unidos, com uma vida de luxo em Miami, como de lá operaram o Drousys, um dos sistemas usados pela Odebrecht no Setor de Operações Estruturadas, o departamento criado para gerir os subornos pagos pela empresa. Documentos revelados agora permitem que sejam juntadas as peças do quebra-cabeças da operação americana da empresa e da atuação da dupla nos Estados Unidos, que permaneceu incógnita em meio à avalanche causada pela Lava Jato no Brasil.

Política pública séria é outra coisa...


Saiu o resultado dos ganhadores do sorteio da Polícia Civil. Parabéns aos envolvidos contemplados.

No jornal Lance


As manchetes de jornais brasileiros nesta sexta-feira

FolhadeSãoPaulo: PF prende três por elo com caso dos laranjas do PSL

Globo: Para incentivar crédito, Guedes promete R$ 100 bilhões

- Estadão: Guedes reage a Congresso e faz planos para reanimar economia

Extra: PMs formavam milícia particular de Guarabu

ValorEconômico: BNDES cobra multa para aceitar quitação antecipada

ZeroHora:  Após as mortes, o cerco

EstadodeMinas: Governador Romeu Zema: "Dá para consertar Minas em quatro anos"

CorreioBraziliense: O dia em que o real tornou o Brasil um país sério

CorreiodaBahia: Shoppings estimam R$ 80 milhões de prejuízo com feriados

DiáriodePernambuco: Estado terá Hub de transporte de cargas

DiáriodoNordeste: Deputados aprovam regalia para o TCM

-CorreiodaParaíba: Câmara redivide pré-sal com Estados

quinta-feira, 27 de junho de 2019

Rafael Holanda se despede de Juscelino Palmeira.

Adeus, Juscelino Palmeira 
Rafael Holanda 

Aqui ficam meus sentimentos de tristezas extensivos a toda família, pela perda do amigo e conterrâneo das cercanias da pedra do Antero. 

Juscelino era mais novo, mas por laços de amizades aos seus irmãos tínhamos guardados a mais singela amizade, que foi ressuscitada através das redes sociais na última batalha presidencial.

Era um homem feliz neste mundo e com certeza será feliz no outro; era um homem bom e com certeza será feliz no outro e se sentirá feliz e alegre por visualizar todo bem que aqui deixou.

Parentes e amigos estarão satisfeitos com sua chegada, pois o homem retorna a seu verdadeiro lar, após ficar ausente por longo tempo.

A vida na realidade é um grande passatempo, porém a morada do outro mundo é de uma luminosidade sem igual aos que observaram os deveres para com Deus, e disto tenho convicção.

Foi para um mundo diferente, onde não há comidas, bebidas, transações comerciais, não há inveja, ódio ou maldade; mas os justos que estão assentados no trono e desfrutando do brilho e esplendor divino,
A alegria maior era mostrar filhos e os netos europeus, tão bem ilustrados nos seus momentos de felicidade. 

Fica aqui à família Palmeira a minha lágrima de saudade, e com certeza já em festa atravessará a pequena ponte entre a vida e morte e do outro lado estarão Letícia, Zé Palmeira, Jairo, Elias, Maria, Zé e outros que me fogem a memória para recebê-lo com jubilo.

Rafael Holanda e família.

O nosso mais dolorido adeus ao amigo Juscelino de Zé Palmeira e Dona Letícia.

Vocês se lembram de Zé Palmeira e do seu filho, Juscelino?

Por Dirceu Galvão
Até já contei esta estória por aqui, no nosso Sete Candeeiros Cajá. mas sem ilustração. Agora vamos relembrar com fotos e reafirmar a nossa intensa tristeza pela morte do meu amigo Juscelino Palmeira. Vamos lá.

Todo mundo se lembra que o grande Zé Palmeira, em Cajazeiras, era um sujeito de fino espírito e língua ferina. Quando conheci sua família, ele já era dono de uma tarimba de carne no Açougue Público de Cajazeiras, ali na Praça Nossa Senhora de Fátima
Seu caminho constante era do Açougue para sua casa, que fica no fim da Rua Barão do Rio Branco, vizinho ao baldo, no beiço do açude grande.

Na época não tinha, ainda, o canal do sangradouro do Açude Grande e em em frente à casa de Tantino Cartaxo havia um campinho de areia, onde fazíamos a nossa farra futebolística.

Eram peladeiros de todo jeito (lembro de Caramelo, Dona de Saul, Maciel, Nilsinho, Eraldo 'Bambanca' Moésia...). Como visto, todos eram garotos e pequenos (coisa que o tempo não alterou com muita sabedoria...).
Juscelino de Zé Palmeira aos 20 anos
Mas havia Juscelino de Zé Palmeira. E ele destoava dos demais garotos, porque já era grandão no meio dos pequenos. Às vezes, também, jogávamos no estreito por trás da trave do estádio Higino Pires. Ali, havia grama...

Juscelino era grandão, valente e raçudo (só que raçudo, para nós, era sinônimo de 'grosso'). O tamanho dele se destacava no meio dos bem pequenos. Ele na zaga assustava o adversário. Às vezes, também, não acertava a bola e dava a famosa 'cheirada'. Jogávamos descalços...e a gente ria muito dizendo que cada 'cheirada' que Juscelino dava arrancava - entre os dois dedos maiores do pé esquerdo - um metro quadrado do mato do campinho! Era mais eficiente que o jumento de Aranha que fazia o acerto do gramado do Higino Pires...
Foto de 2012, com Juscelino e a irmã. A cara de Sara é de gaiata profissional.
Bom que certa vez, no fio do meio dia, com o sol batendo forte, nós estávamos no melhor da pelada na frente da casa de Tantino... E lá vinha Zé Palmeira do açougue a caminho de casa.  Na passagem, se aproxima do que seria a linha lateral do campinho, bota a mão cobrindo os olhos da sobrancelha pra cima e fica parado olhando prá nossa pelada, mas virando a cabeça de lado a lado como se procurasse ver algo especial.

Juscelino - bem grandão no meio dos meninos - já sabendo que o pai devia estar fazendo alguma presepada, começou a perguntar, com voz grossa e abusada"- O que é pai? O que é que o senhor tá procurando aqui?"

Zé Palmeira só respondeu"- Ai, meu fí tava aí? Quase que não lhe via no meio desses meninos!"

E continuou no caminho para casa.

E nós, pra variar, caímos na risada, que é o modo cajazeirense de ser feliz.

Droga em avião da FAB.

Governo busca elos de militar que levou droga em jato da FAB
DiáriodePernambuco
Um militar da equipe de apoio à comitiva do presidente Jair Bolsonaro foi preso com 39 kg de cocaína em Sevilha, na Espanha, na terça (25).

O episódio submeteu o governo a constrangimento internacional, provocou desconforto no Planalto e pôs em dúvida o aparato de segurança de viagens do presidente.

O segundo-sargento da Aeronáutica Manoel Silva Rodrigues, 38, foi detido durante uma escala do avião que levava parte dos militares que dão suporte à missão presidencial no encontro do G-20, em Osaka, no Japão.

Após a prisão, a escala da aeronave de Bolsonaro, programada para a cidade espanhola, foi transferida para Lisboa nesta quarta (25). Em mensagem em rede social, o presidente disse ser "inaceitável" o comportamento do militar.

A detenção do sargento se deu após ele deixar o avião, quando passava pelo controle aduaneiro do aeroporto, segundo a imprensa espanhola.

O jornal El País afirmou que Rodrigues levava um porta-terno e uma mala pequena com 37 pacotes sem camuflagem. Cada um continha pouco mais de 1 kg da droga.

Ele responderá por crime contra a saúde pública, tipo penal que engloba os casos de narcotráfico na Espanha. As autoridades do país apuram agora o destino da droga. Suspeita-se que o sargento faria a entrega para uma máfia dentro do país.

O vice-presidente Hamilton Mourão, que exerce interinamente as funções de Bolsonaro, chamou o sargento de "mula qualificada". Segundo ele, o militar era taifeiro (prestador de serviços de copa) e atuaria no avião com Bolsonaro no trecho de retorno entre Sevilha e o Brasil, previsto para o fim de semana, após a cúpula.

"É óbvio que, pela quantidade de droga que o cara estava levando, ele não comprou na esquina e levou, né? Ele estava trabalhando como mula. Uma mula qualificada, vamos colocar assim", disse Mourão.

O vice-presidente afirmou que as Forças Armadas não estão imunes a crimes desse tipo. "A legislação vai cumprir o seu papel. Esse elemento vai ser julgado por tráfico internacional de drogas e vai ter uma punição bem pesada", declarou.

Ele ressaltou ser necessário apurar as conexões do sargento. "Uma atitude dessa natureza não brotou da cabeça dele." Horas depois, contudo, Mourão recuou e disse que o sargento não embarcaria no voo do presidente para o Brasil.

Em nota no fim da tarde, o Ministério da Defesa disse que o sargento partiu do Brasil em missão de apoio à viagem presidencial como parte apenas da tripulação que ficaria em Sevilha.

"O militar em questão não integraria, em nenhum momento, a tripulação da aeronave presidencial, uma vez que o retorno da aeronave que transporta o presidente da República não passará por Sevilha, mas por Seattle, Estados Unidos", diz o texto.

A Aeronáutica, por sua vez, emitiu nota na qual "reitera que repudia atos dessa natureza, que dá prioridade para a elucidação do caso e aplicação dos regulamentos cabíveis, bem como colabora com as autoridades". Um inquérito policial militar foi aberto.

O episódio da prisão provocou mal-estar entre auxiliares de Bolsonaro, incluindo o setor inteligência. Para eles, o caso prejudica a imagem do país no exterior e demonstra que tem havido falha na fiscalização das aeronaves de apoio à comitiva presidencial.

Os aviões são de responsabilidade da Força Aérea Brasileira, vinculada à Defesa.

Segundo relatos de integrantes do governo, raramente a tripulação de suporte é submetida a revista policial ou a detectores de metais antes do embarque no Brasil.

Após o ocorrido, auxiliares palacianos têm defendido que as Forças Armadas adotem um procedimento de segurança mais rigoroso.

A cúpula militar aventa que o sargento teria sido pago para levar a droga à Espanha para uma facção criminosa. Sevilha é porta conhecida para a entrada de droga na Europa.

"Apesar de não ter relação com minha equipe, o episódio de ontem, ocorrido na Espanha, é inaceitável. Exigi investigação imediata e punição severa ao responsável pelo material entorpecente encontrado no avião da FAB. Não toleraremos tamanho desrespeito ao nosso país!", afirmou Bolsonaro, em rede social.

Sargento fez 29 viagens com 3 presidentes

O sargento Manoel Silva Rodrigues atuava como comissário em voos presidenciais e de ministros há vários anos. Fez ao menos 29 viagens no Brasil e no exterior entre 2011 e 2019. Acompanhou os três mandatários do período – Dilma Rousseff (PT), Michel Temer (MDB) e Jair Bolsonaro (PSL).

Ele recebe salário bruto de R$ 7.298, segundo o Portal da Transparência, que lista o histórico das viagens.

Em 27 de fevereiro deste ano, estava no séquito de Bolsonaro em viagem de Brasília a São Paulo para exames médicos. Em 24 de maio, fez bate-volta da capital a Recife, acompanhando o presidente.

Ele cumpriu 14 roteiros a serviço do Planalto de 2016 a 2018, sob Temer – incluindo a viagem à Suíça para o Fórum Econômico Mundial, em janeiro de 2018 – e ao menos quatro sob Dilma (um deles, a viagem a Juazeiro do Norte (CE) e Cabrobró (PE) para visitar as obras de transposição do São Francisco).

Em fevereiro deste ano, o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), filho do presidente, criticou o tráfico de drogas em aviões do governo. "Essa prática é muito recorrente na Venezuela, que é um dos países que o PT sempre apoiou. Portanto, não ficaria surpreso se nós verificarmos aqui no Brasil que essa prática também ocorria aqui", disse, em rede social.

Quem é o militar preso com cocaína que integrava a equipe de viagem do presidente Bolsonaro?

Manoel Silva Rodrigues, 38, é segundo-sargento da Força Aérea Brasileira (FAB). Ele fazia parte da comitiva de 21 militares que dá suporte à viagem do presidente Jair Bolsonaro, em deslocamento rumo a Tóquio, no Japão, para participar da reunião do G20. 

Como e onde o militar foi preso?

A detenção do sargento ocorreu na terça-feira (25) durante um controle aduaneiro de rotina realizado no aeroporto de Sevilha, no sul da Espanha. Ele estava no avião da FAB, um Embraer 190, do Grupo Especial de Transporte da FAB, que fez uma escala na cidade espanhola.

A droga foi localizada no mesmo avião que transportava o presidente Jair Bolsonaro?

Não. O presidente, que embarcou na noite de terça, não estava na mesma aeronave do sargento.

Como a droga foi localizada?

Segundo a Guarda Civil, força de segurança responsável pelo controle alfandegário na Espanha, os 39 kg de cocaína estavam divididos em 37 pacotes numa maleta. Após a localização da droga, o militar ficou detido no prédio da Guarda, e os demais militares seguiram viagem ao Japão. O caso seria levado à Justiça local nesta quarta (26).

O militar vai responder na Justiça por qual crime?

O sargento deve responder pelo crime de tráfico de drogas. O Código Penal espanhol descreve o delito como crime contra a saúde pública.

O que a polícia espanhola diz sobre o destino da droga?

Investigadores disseram à imprensa espanhola que o destino final da cocaína seria mesmo a Espanha. Ainda não se sabe quem receberia a droga.

A detenção do militar afetou a viagem do presidente Jair Bolsonaro?

Após a prisão do segundo-sargento, o avião do presidente Jair Bolsonaro mudou sua rota de viagem. Ele decolaria de Brasília rumo a Sevilha para, na sequência, seguir viagem ao Japão. No final da noite de terça, a agenda oficial do presidente divulgada no site do Planalto passou a mostra Lisboa, a capital de Portugal, como novo local de escala. A assessoria do presidente não explicou se a mudança da rota ocorreu devido à prisão do militar brasileiro.

Como o presidente Jair Bolsonaro se manifestou sobre o caso?

No Twitter, Bolsonaro disse que foi informado da detenção e determinou ao ministro da Defesa, general de Exército Fernando Azevedo e Silva, "imediata colaboração com a Polícia Espanhola na pronta elucidação dos fatos, cooperando em todas as fases da investigação, bem como instauração de inquérito policial militar".

Bolsonaro disse ainda que as Forças Armadas têm em seu contingente "cerca de 300 mil homens e mulheres formados nos íntegros princípios da ética e da moralidade" e que, caso o envolvimento do militar venha a ser comprovado, que ele seja "julgado e condenado na forma da lei".

Qual o valor de mercado da droga apreendida com o militar?

Segundo dados do Escritório da ONU para Drogas e Crime, 1 kg de cocaína na Espanha, no atacado, custava cerca de US$ 38.600 (R$ 148 mil), o que faria com que o valor dos 39 kg apreendidos fosse de aproximadamente US$ 1,5 milhão (R$ 5,8 milhões).

O que o presidente interino Hamilton Mourão disse?

Hamilton Mourão afirmou que as Forças Armadas não estão imunes ao tráfico de drogas e que o militar preso receberá uma "punição bem pesada". "Agora, o mais importante é ver as conexões que ele [militar] poderia ter, porque uma atitude dessa natureza não brotou da cabeça dele. Com certeza existem conexões nisso aí", ressaltou.

Segundo Mourão, o problema de consumo de drogas entre jovens militares é uma "preocupação constante", o que leva as Forças Armadas a fazer um trabalho de conscientização.

Outros militares já foram presos por tráfico de drogas para a Europa usando aviões da FAB?

Sim. Em 2011, um coronel da reserva foi penalizado com a perda do posto e da patente pelo Superior Tribunal Militar pelo tráfico de cocaína em aviões da Força Aérea Brasileira (FAB). Antes, ele já havia sido condenado pela Justiça Federal a 17 anos de prisão.

Outros dois oficiais da Aeronáutica envolvidos no caso foram condenados a 16 anos de reclusão, cada um. Segundo os autos, o coronel integrava uma quadrilha especializada em tráfico internacional de drogas para a Europa, mediante a utilização de aeronaves da FAB.

O militar foi preso, em flagrante, no dia 19 de abril de 1999, com 32 kg de cocaína, escondidos em malas de viagem, com destino a Las Palmas, nas Ilhas Canárias.

As manchetes do Jornal do Commercio


Na capa d'O Globo


Os destaques do jornal O Estado de São Paulo


quarta-feira, 26 de junho de 2019

Sete Candeeiros Cajá Saúde

Resultado de imagem para diabetes
9 Sintomas iniciais do diabetes importantes para o diagnóstico
Incrível Clube

O diabetes é uma doença que afeta a capacidade corporal de produzir ou responder à insulina, resultando no aumento do nível de açúcar no sangue. Os primeiros sintomas podem ser tão sutis que muita gente pode ignorá-los, achando que são insignificantes. Caso não tratado a tempo, o diabetes não apenas compromete a qualidade quanto também pode reduzir a expectativa de vida. É por isso que um diagnóstico precoce é crucial para o tratamento eficaz.

O Incrível.club preparou uma lista do sintomas do diabetes que costumam se manifestar logo no início da doença.

Se você ou alguém que você conhece apresenta qualquer dos sintomas aqui abordados, ou uma combinação dele, procure um médico o quanto antes.

1. Aumento da sede e da micção
O aumento da sede e a micção frequente são os sintomas mais comuns do diabetes. Nos diabético, os rins não conseguem absorver todo o excesso de açúcar, e esse açúcar acaba na urina. E isso faz com que a pessoa vá mais ao banheiro, provocando a sensação de desidratação. Para satisfazer a sede, o paciente ingere mais líquido, aumentando a vontade de urinar.

Em média, o ser humano urina de 6 a 7 vezes por dia. Qualquer outra quantidade entre 4 e 10 vezes por dia também é normal, desde que o número de visitas ao banheiro tenha sido sempre assim.

2. Aumento da fome
A fome excessiva (polifagia) junto com o aumento da sede e da micção, como mencionamos acima, são os 3 maiores sinais do diabetes. Se seu corpo produz insulina em quantidade insuficiente ou caso seu organismo não responda de forma normal, é porque está incapaz de transformar a comida em glicose, que seria usada pelas células como fonte de energia. E isso leva a um aumento na sensação de fome, que permanece mesmo após comer. Na verdade, comer só leva o nível de açúcar no sangue a aumentar ainda mais.

Sente que a sensação de fome continua mesmo depois de comer? Então procure um médico, ainda que não tenha outros sintomas do diabetes.

3. Fadiga
Outro sintoma comum do diabetes é uma constante fadiga. As pessoas diabéticas se sentem cansadas e com sono o tempo todo, e isso acontece pelo mesmo motivo que leva à fome “eterna”: as células ficam sem glicose suficiente para ser transformada em energia. A desidratação causada pela micção constante também contribui para a sensação de cansaço e esgotamento.

A fadiga pode indicar a presença de muitas outras condições, sendo que algumas delas nem são médicas (dieta com muito carboidrato, cafeína demais e envelhecimento). Mas, combinada com outros sintomas da lista, pode revelar que a pessoa é diabética.

4. Visão borrada
Se a visão borrada não for sinal de um problema de visão, pode ser um sintoma precoce de diabetes. Isso acontece devido aos fluidos que causam uma inflamação, que acaba mudando de forma e afetando a capacidade de focar corretamente, tornando a vista embaçada.

Essas mudanças no olho geralmente são reversíveis, e a visão costuma voltar à normalidade assim que os níveis de açúcar no sangue são equilibrados com o tratamento adequado. No entanto, quando o diabetes não é tratado, essas alterações podem avançar e provocar cegueira.

5. Perder peso inexplicavelmente
A perda inexplicável de peso significa emagrecer sem fazer dieta nem exercícios intensos. Acontece quando o corpo não consegue usar a glicose como fonte de energia. Com o diabetes, o organismo passar a queimar gordura e músculos para obter energia, levando a uma perda de peso extremamente rápida. A desidratação também contribui para isso, já que o corpo usa todos os fluidos na produção de urina.

A perda inesperada de peso é um sinal comum entre os primeiros sintomas do diabetes tipo 1, mas também é notada em alguns pacientes com o tipo 2 da doença.

6. Coceira na pele
Como mencionamos acima, quando existe um excesso de açúcar sendo expelido pela urina, esta utiliza os fluidos de outros tecidos, incluindo a pele (o maior órgão do corpo!).

A pele ressecada pode provocar coceira e o contato com a sujeira das unhas possibilita o surgimento de infecções. Outra razão para a coceira na pele pode ser uma infecção por fungos, o que é muito comum nos diabéticos.

Se tiver diabetes, aprenda sobre alguns cuidados básicos com a pele, além de dicas para manter a pele saudável.

7. Cicatrização lenta
Cortes e feridas que demoram para cicatrizar podem indicar a presença do diabetes. A grande quantidade de açúcar no sangue não apenas aumenta a inflamação na pele, mas também provoca problemas de circulação de sangue, que demora a chegar às áreas afetadas da pele. Isso afeta sobretudo os pés, e é relativamente comum ver diabéticos com feridas nessa região que podem levar a problemas mais graves.

Caso tenha notado feridas que não cicatrizam, não deixe de procurar um médico.

8. Manchas escuras na pele
A acantosis nigricans é uma condição dermatológica que se apresenta na forma de manchas escuras e com textura aveludada na pele. Elas surgem geralmente nas áreas de dobra, como pescoço, axilas, região inguinal, cotovelos, atrás dos joelhos e das articulações dos dedos.

Embora afete também pessoas saudáveis, o problema é um sintoma frequente de pré-diabetes ou de diabetes, e deve ser examinado pelo médico.

9. Dormência ou formigamento nos pés ou mãos
A dormência, o formigamento ou dores nas mãos e pés são sinais frequentes do diabetes. Como já alertamos acima, os altos níveis de açúcar no sangue levam ao comprometimento da circulação sanguínea, o que, por sua vez, prejudica os nervos. Mãos e pés são as áreas do corpo mais distantes do coração, por isso são as primeiras a sofrer.

Como acontece com vários outros sintomas desta lista, esse problema é facilmente controlado com o equilíbrio de açúcar no organismo, o que melhora a circulação.

O diabetes é uma doença crônica que pode levar a graves consequências caso não seja tratada adequadamente. Quanto antes o problema for detectado, mas fácil será receber o tratamento correto, garantindo ao paciente maior qualidade de vida.

Outra boa fonte de informação sobre o tema — inclusive em relação à alimentação — é este site. Fique atento e, se tiver a doença, comece a se cuidar o quanto antes!

Ilustradora Alena Sofronova exclusivo para Incrivel.club 

É a 'bufunfa' em todo lugar...

Odebrecht admitiu nos EUA R$ 3 bi em propinas para obras de 12 países
Dados estão em acordo com os EUA
R$1,3 bilhão foi pago no Brasil
LETÍCIA ALVES - Poder360

A Odebrecht admitiu que, de 2001 até 2016, realizou pagamentos ilegais no valor de US$788 milhões, o equivalente a mais de R$3 bilhões, em 12 países, incluindo o Brasil. As propinas foram pagas em troca de benefícios à construtora na participação em pelo menos 100 projetos e obras públicas.

As informações são do acordo (íntegra) fechado entre a empreiteira e a Justiça dos Estados Unidos e da Suíça em dezembro de 2016. Desse total, quase a metade –US$349 milhões– foi negociada no Brasil de 2003 a 2016. Segundo o documento, o dinheiro foi usado para subornar funcionários públicos do governo, executivos da Petrobras, partidos políticos e intermediários (lobistas, banqueiros e empresários).

Essa apuração faz parte do especial “Bribery Division” (Divisão de Propina), uma nova investigação liderada pelo ICIJ (Consórcio Internacional de Jornalistas Investigativos), que revela que a operação de compra de contratos da Odebrecht era ainda maior do que a empresa assumiu perante a Justiça e envolveu personalidades proeminentes e grandes projetos de obras públicas não mencionados nos processos criminais ou outros inquéritos oficiais até hoje.

Os destaques do jornal Valor Econômico


No jornal Lance