terça-feira, 30 de abril de 2019

Imagens raras do bando de Lampião. Vale ver.


 Imagens raras do bando de Lampião | Benjamin Abrahão

As imagens foram realizadas entre 1936 e 1937 pelo sírio-libanês Benjamin Abrahão, com o objetivo de registrar a rotina dos cangaceiros. Tudo foi permitido pelo líder cangaceiro Lampião. Para uns eram considerados bandidos, para outros foram heróis.

Freio de arrumação?

Dia amanhece com exonerações no Estado e nova fase da Calvário
Heron Cid
O governador João Azevedo promoveu mudanças no governo. O Diário Oficial do Estado traz, hoje; as exonerações, à pedido, de Waldson Souza, da Secretaria de Planejamento, Orçamento e Gestão do Estado, e Gilberto Carneiro, da Procuradoria Geral do Estado: Cláudia Veras remanejada da Saúde para Secretaria Executiva de Articulação Municipal.

Ao mesmo tempo, o Gaeco anunciou nesta manhã a deflagração de nova fase da Operação Calvário. Com o apoio da Polícia Rodoviária, o Ministério Público cumpre 18 mandados de busca e apreensão em endereços ainda não divulgados.

A aurora desta terça foi diferente. Previsão do dia: tempo quente!

As manchetes de jornais brasileiros brasileiros nesta terça-feira

FolhadeSãoPaulo: Bolsonaro desmente secretário e diz que não criará imposto

Globo: Bolsonaro não quer prisão para quem atirar em invasor

- Estadão: Universidade que promover 'balbúrdia' terá verba cortada

Extra: Servidor estadual terá que declarar seus bens

ValorEconômico:  Déficit externo da indústria aumentou 60% no trimestre

ZeroHora: Dia do Trabalho: sem dinheiro, centrais fazem evento enxuto

EstadodeMinas: Epidemia nos hospitais e nas ruas de Minas

CorreioBraziliense: Uma nova vida para Lis e Mel

CorreiodaBahia: Feira tem 33 presos por reconhecimento facial

DiáriodePernambuco: Recife investirá R$ 90 milhões em mobilidade

DiáriodoNordeste: Ceará gasta R$ 1,4 bilhão com cooperativas

-CorreiodaParaíba: [Bolsonaro] "Produtor rural tem direito de defesa"

A Polícia Federal nas ruas de João Pessoa

Atualização: Nova fase da Operação Calvário cumpre 18 mandados de busca e apreensão; uma prisão será cumprida
Blog do Janildo Silva

O Ministério Público do Estado da Paraíba (MPPB) em conjunção de esforços com a Polícia Rodoviária Federal, desencadearam no dia de hoje (30.04.2019) mais uma fase da operação, a fim de cumprir 18 (dezoito) mandados de busca e apreensão e mandado de prisao de preventiva, deferidos pelo Exmo Sr. Desembargador Ricardo Vital.

A Operação Calvário, no Estado da Paraíba, investiga núcleos de uma organização criminosa comandada por Daniel Gomes da Silva, que é responsável por desvio de recursos públicos, corrupção, lavagem de dinheiro e peculato, através de contratos firmados junto a unidades de saúde do Estado, com valores chegando a R$ 1,1 bilhão, possuindo atuação em outras unidades da federação, e exemplo do Rio de Janeiro.

Os Bairros, de João Pessoa, onde estão sendo realizadas buscas e apreensões, são:

Portal do Sol

José Américo

Água Fria

Manaíra

Aeroclube

Distrito Industrial

Mangabeira

Cuiá

Costa e Silva

Jaguaribe

Operação policial em andamento


AGORA: Polícia Rodoviária Federal chega à residência do ex-Procurador Geral do Estado da Paraíba, Gilberto Carneiro
Por ThiagoMoraes - ParaíbaRadioBlog

Alvo da Operação Calvário, a Polícia Rodoviária Federal acaba de chegar à residência do ex-procurador Gilberto Carneiro.

Gilberto Carneiro mora em um condomínio residencial – Bosque das Orquídeas – no bairro do Altiplano, onde também mora o ex-governador Ricardo Coutinho (PSB).

A informação foi divulgada em primeira mão pelo programa Correio Manhã, com Nilvan Ferreira.

segunda-feira, 29 de abril de 2019

Incêndio em shopping de Natal

Incêndio atinge maior shopping de Natal
Fogo foi registrado na tarde desta segunda-feira (29) no Midway Mall, em Natal.
Por G1 RN
Um incêndio atingiu o Midway Mall, no bairro Tirol, Zona Leste de Natal, na tarde desta segunda-feira (29). O caso foi confirmado pelo Corpo de Bombeiros. Não houve feridos.

Segundo a assessoria de imprensa do shopping, as chamas começaram na casa de máquinas, que fica em uma área anexa ao estabelecimento, e o fogo não atingiu a área interna, onde ficam as lojas. De acordo com o Corpo de Bombeiros, o fogo foi considerado controlado às 17h10, mas os militares continuaram no local fazendo o resfriamento da área.
Incêndio atingiu maior shopping da capital potiguar — Foto: Redes sociais

O shopping precisou ser evacuado porque o sistema de ar-condicionado foi atingido pelas chamas.

O trânsito foi interditado nas proximidades do shopping. A Secretaria de Mobilidade Urbana (STTU) solicitou que os motoristas evitassem a região. Fiscais de trânsito também foram enviados ao local para controlar o tráfego as imediações do shopping.

O que se sabe até agora

O incêndio começou na área da casa de máquinas do shopping
O Corpo de Bombeiros enviou dois carros de combate a incêndio ao local
Não há feridos
Seguranças orientaram a evacuação de clientes e lojas fecharam, após o fogo atingir o sistema de ar-condicionado.
Segundo o shopping, o fogo não atingiu a área interna do estabelecimento
O fogo foi considerado controlado às 17h10 e os bombeiros começaram o resfriamento do local.

Relatos

A universitária Amanda Melo, de 21 anos, estava na academia que fica dentro do shopping quando o incêndio começou. Ela contou que viu funcionários da academia correndo e sem saber o que estava acontecendo foi em direção a saída da academia.

“Quando eu saí que eu vi aquela fumaça toda eu achei que era um incêndio no G6, o andar da academia. Aí desci correndo pelas escadas e saí pela porta principal da Salgado Filho. Meu carro está lá ainda, estacionado no G4, mas eu fiquei com medo de tentar sair com o carro e acabei deixando lá pra pegar depois”, disse.
Incêndio atingiu shopping de Natal — Foto: Redes Sociais

O comerciante Alex Richelly, de 31 anos, também estava no Midway Mall na hora do incêndio. Ele contou que soube através de um funcionário de sua empresa que havia fogo no local. Como soube com certa rapidez do fato, Alex conseguiu sair de maneira tranquila do shopping, mas não deixou de se assustar. "Impressiona porque a intensidade da fumaça foi muito grande. E fogo é sempre um risco, não tem como não se assustar", disse.

Ele explica que no momento em que estava de saída, não houve tumulto, nem correria. "Não teve tumulto, foi bem calma a saída. Eles orientaram o pessoal a sair pela avenida Salgado Filho. Não teve nenhum pânico. Eu só me antecipei para sair porque logicamente a gente vê fumaça e pensa que é algo grave, mas o pessoal daqui segurou a onda legal", contou.
Foto mostra clientes deixando shopping pelas escadas, durante incêndio em Natal — Foto: Felipe Galdino/Inter TV Cabugi
Incêndio Shopping Natal — Foto: Norton Rafael/Inter TV Cabugi
Incêndio Shooping Natal — Foto: Redes Sociais
Incêndio Shopping Natal — Foto: Redes Sociais

E a 'bufunfa'?

O raio do papel
J.R. Guzzo
Veja
Deu um nó. Está sempre dando, na política brasileira, porque é mesmo da natureza da política produzir complicação, aqui e no resto do mundo. Mas desta vez parece que se formou entre governo, Congresso, partidos e o resto da nebulosa que compõe a vida pública brasileira um nó de escota duplo, ou um lais de guia holandês, ou algum outro dos muitos enigmas criados pela ciência dos marinheiros — desses que você olha, mexe, olha de novo, e não tem a menor ideia de como desfazer. É fácil para os marinheiros — mas só para eles. Como, no presente momento, não há ninguém com experiência prévia a respeito da desmontagem dos nós que apareceram desde que Jair Bolsonaro formou o seu governo, o mundo político está com um problema sério. Como se sabe, é a primeira vez na história recente do Brasil que o time inteiro de cima foi montado sem ninguém pedir licença aos políticos, ou sequer perguntar a sua opinião — e menos ainda comprar seu apoio com a entrega de cargos na administração. Há muito técnico, muito general etc. Mas não há, como a ciência política considera indispensável, nada de “engenharia política”. Isso quer dizer, na prática, que ficou difícil fazer a turma da situação votar a favor do governo — pois a maior parte dela passa mal se tiver de votar alguma coisa por princípio, ou seja, de graça. É esse o nó que não desata. Por causa dele, dizem que o governo está “paralisado há 100 dias”.

Vejam, para citar o exemplo mais indecente do momento, a reforma da Previdência. Nada mais natural que o PT, seus auxiliares e o resto da esquerda fiquem contra. Têm mesmo de ficar: a única escolha que faz sentido para a oposição, hoje, é ser 100% contra qualquer ideia que tenha a mínima chance de melhorar o Brasil em alguma coisa. Isso seria, em seu raciocínio, ajudar o governo Bolsona­ro a ser bem-sucedido — e um governo Bolsonaro medianamente bem-­sucedido é um desastre mortal para o consórcio Lula-PT. Que futuro vai ter essa gente na vida, a não ser que o governo acabe em naufrágio? Nenhum. É compreensível, assim, que a oposição não aprove nada que possa dar certo. Mas PT, PSOL e PCdoB, somados, não chegam a 15% da Câmara dos Deputados. E o resto: por que eles demoram tanto para votar a reforma? Mesmo descontando outras facções antigoverno, daria para aprovar. Resposta: demoram porque querem cargos na máquina e não estão levando.

É isso: o sujeito quer uma diretoria, uma superintendência, uma vice-­presidência — uma boquinha gorda qualquer, Santo Deus — e não tem a quem pedir. Falam em “agilização” das nomeações. Mas nomeação, que é bom, não sai. Chegou-se a falar num “Banco de Talentos”, para onde a politicalha mandaria os nomes que quer empregar — e onde as escolhas seriam feitas segundo “critérios técnicos”. Também não rolou. Um deputado especialmente desesperado com a demora, Felipe Francischini, chutou o balde e pediu um emprego na estatal Itaipu para a própria madrasta. Outro, um Elmar Nascimento, do liberalíssimo DEM, disse que não quer saber de “talentos”; quer emprego mesmo, e dos bons. “Não vamos nos contentar só com marmita”, ameaçou ele. Histórias como essa encheriam a revista inteira; não vale a pena ficar repetindo a mesma ladainha. O certo é que a manada quer os empregos, não está conseguindo e, pior que tudo, não sabe com quem falar para descolar a nomeação. Não adianta falar “no governo”, ou “no palácio”. Tem de ser com o sujeito de carne e osso que manda assinar o raio do papel que vai para o Diário Oficial. E quem é que chega até ele?

A Caixa Econômica Federal, para dar um exemplo só, trocou todos os vice-presidentes, 38 dos quarenta diretores e 75% dos 84 diretores regionais — tudo propriedade privada dos políticos. Mais: quer cortar em dois anos 3,5 bilhões de reais em despesas como aluguéis ou “prestação de serviços”. Só na Avenida Paulista, a CEF ocupa hoje sete prédios — nenhum outro banco do mundo chegou perto disso, mesmo na época em que bancos tinham milhares de agências. Em Brasília é pior: são quinze prédios, um deles só para tratar da admissão de funcionários, como se a Caixa tivesse de admitir funcionários todos os dias. Até uma criança de 10 anos sabe que mexer nisso é mexer diretamente no interesse material dos políticos. Eles perderam esses cargos; querem todos de volta, desesperadamente. Na CEF, no serviço contra as secas, nos portos, nos aeroportos, nos armazéns de atacado, no Oiapoque e no Chuí.

O Fies renegociado.

Governo federal abre prazo para renegociar dívida com Fies
Folhapress
O governo federal abriu nesta segunda-feira (29) período para renegociação de dívidas do Fies (Financiamento Estudantil). O prazo vai até 29 de junho.

Mais de 500 mil contratos estão inadimplentes há pelo menos três meses. No total, o saldo devedor do programa alcança R$ 11,2 bilhões, segundo o FNDE (Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação), órgão do Ministério da Educação que gerencia o Fies.

Pelo Fies, os alunos fazem a faculdade em uma instituição privada, e a União paga as mensalidades. O estudante tem de começar a quitar as prestações um ano e meio depois de formado.

A renegociação é voltada para estudantes que contrataram o financiamento até 2017, que não sejam alvo de ações judiciais e estejam com atrasos acima de 90 dias.

As regras de renegociação foram firmadas em novembro de 2018, ainda no governo Michel Temer (MDB).

Os interessados devem pagar uma entrada de 10% do valor da dívida ou R$ 1.000 (o que for maior). A dívida vencida, acrescida de juros e demais encargos, poderá ser paga em dois anos. A parcela mínima mensal está estipulada em R$ 200.

Os interessados deverão solicitar a renegociação no Banco do Brasil ou na Caixa Econômica Federal, por meio dos canais de atendimento que serão disponibilizados por cada agente financeiro.

Ô Mané Emídio, não tem com gastar uma coisinha de nada lá em Cajazeiras, não? Ou tu acordou todo mijado?

Imagem relacionada
DOCE SONHO
Manoel Emídio

Ontem tive um sonho incrível, desses que a gente não quer parar de sonhar. Sonhei que eu acertava sozinho a loteria Mega Millions, dos EUA, a maior do mundo, e de uma hora para outra me tornava bilionário, dono de quase 10 bilhões de reais. Os números sorteados foram 04-08-19-20-27-55. A partir daí me transformei no maior mandachuva do Estado, com poder até de botar e tirar governador. Mas eu não fiz isso. Não impus a minha vontade política, não me exibi em carrões importados e nem tampouco apareci ao lado de mulheres hollywoodianas. Apenas usei parte dessa dinheirama para transformar o perfil do sertão paraibano, especialmente o de Sousa.

Como eu fiz isso? Fácil. Primeiro “influenciei” o Congresso para criar uma Zona Franca aqui em Sousa. Depois pedi que liberassem também o funcionamento de cassinos. A partir daí os olhos do Brasil se voltaram para aqui e Sousa começou a fervilhar. Construí dois grandes cassinos-hotéis, o Cactos Resort e o Macambira Games, cada um com mais de mil quartos. Construí também um grande shopping, com mais de 300 lojas luxuosas, com a maior loja da Apple do mundo e a terceira maior loja da Louis Vuitton. Esse shopping e os dois cassinos viviam cheios, dia e noite. Eles ficavam à margem direita da PB-391, a que liga Sousa a Uiraúna. Em frente, do outro lado da estrada, vizinho ao Vale dos Dinossauros, construí o maior parque aquático do Brasil, duas vezes maior do que o Beach Park, de Fortaleza.

Para esse sucesso todo acontecer foi preciso eu chamar antes o sr. Kunakara, dono da maior empresa de trens-bala do mundo, para convencê-lo a investir aqui. A princípio ele não topou, achou que a região não tinha potencial. Mas depois que eu falei que iria construir o shopping, os dois cassinos, o balneário e um aeroporto para pouso de Boeings, que essa região seria o novo Eldorado, melhor mesmo do que Las Vegas. Aí Kunakara apertou mais ainda os olhos, contraiu a pequena boca cheia de pregas, fazendo um “O”, de modo que ficou um verdadeiro “cara de cu”, e, depois de instantes de silencio, ele disse: “Tá bem, eu topo! Mas vamos fazer três grandes linhas. Uma Fortaleza-Mossoró-Sousa-Juazeiro do Norte. Outra Sousa-Patos-Campina Grande-João Pessoa e outra Natal-João-Pessoa-Recife, de modo que todas convirjam para Sousa.

O sr Kunakara ficou tão empolgado que trouxe um parente, o sr Kuketo, para também investir aqui, construindo a Kiku, a primeira montadora de carros autônomos, ou seja, sem motoristas, do mundo. Depois vieram a Faculdade de Medicina, a de Eletrônica e a de Gestor de Desenvolvimento de Negócios de Inteligência Artificial. Todas de fama mundial, iguais à Havard, Cambridge ou Oxford. Já no primeiro ano de funcionamento Sousa ganhou dois Nobel. Um de medicina, com a descoberta da cura do câncer, e outro de Ciências, com a descoberta do tele transporte molecular.

Quando eu presidia uma reunião para implantação de uma grande Rede de Televisão e de uma Rádio aqui em Sousa, acordei. Mas eu não queria acordar, então tentei dormir para continuar sonhando. Mas não consegui. Fiquei sonhando, só que agora de olhos abertos, com aquele mundo fantástico até pouco tempo real. E o sonho continuou, até eu olhar para o relógio. Eram 08h55, de hoje, 27/04/2019. Juntei os números e deram 04-08-27 e 55. Pensei nos números da Mega Millions e faltavam só 19 e 20. Aí me lembrei que se eu separasse 2019 em duas dezenas daria 20 e 19. Da cozinha vinha o som do rádio, que tocava a música O Milionário, dos Incríveis. Nesse momento eu me arrepiei todo, dei um salto da cama e corri para a loteca, ainda me abotoando.

Criatividade aos montes! Dia de visitas é dia de festa...

Banana, chinelo e pasta de dente são esconderijos de drogas na Papuda
Apenas nos primeiros três meses deste ano, 48 pessoas foram presas tentando, de diversas formas, entrar com drogas nos presídios do DF
Metrópoles
Circular pelos pátios das unidades prisionais, no Complexo Penitenciário da Papuda, com pequenas porções de droga gera respeito e poder de barganha aos detentos. Vendidas a peso de ouro, trouxinhas de maconha e cocaína são constantemente apreendidas em operações contra o tráfico nas cadeias. Por isso, criminosos usam de muita criatividade para bolar engenhosos esconderijos a fim de entrar com os entorpecentes nas cadeias e repassá-los a seus comparsas.

Apenas nos primeiros três meses deste ano, 48 pessoas foram presas enquanto tentavam passar com drogas escondidas. No ano passado, 201 visitantes foram levados para a delegacia após serem flagrados com porções dentro dos objetos mais inusitados. Vale tudo para tentar enganar a revista, como embalar e acondicionar as trouxinhas dentro de bananas, sem que as frutas aparentem ter sido abertas, ou mesmo cortar e colar meticulosamente solados de chinelos de borracha para esconder os produtos ilícitos.

Objetos de uso pessoais e de higiene, como pastas de dente, também são usados. Em alguns casos identificados pela polícia, os tubos são abertos e a cocaína, inserida. Depois, o recipiente é cuidadosamente fechado e lacrado. Os flagrantes são realizados por agentes de atividades penitenciárias durante os procedimentos de revista. Os entorpecentes são localizados com a ajuda de scanners corporais.

Além das drogas encontradas nos objetos, os agentes também costumam flagrar o esforço de visitantes para entrarem com grandes quantidades de dinheiro. Somente é permitido entrar com valores pré-determinados a serem entregues ao detento para consumo no interior da cadeia, mas é proibido sair com qualquer valor monetário do local.

Após a realização de um flagrante, o visitante infrator é conduzido ao Instituto Médico Legal (IML). Nos casos em que há droga escondida dentro do corpo, ele pode ser levado à rede hospitalar, com escolta policial. Há casos de pessoas que ficam dois ou três dias internadas para a retirada dos entorpecentes. Em seguida, o suspeito é levado à 30ª Delegacia de Polícia (São Sebastião) para o registro da ocorrência policial e a realização do auto de prisão em flagrante.
As bananas costumam entrar no sistema com porções de maconha e cocaína
Todos os visitantes flagrados pelos agentes são levados para a delegacia
Os flagrantes ocorrem em dia de visitas, sempre às quartas e quintas-feirasReprodução
Agentes costumam encontrar cocaína inserida em tubos de pasta de dente Reprodução
Chinelos são cortados meticulosamente para esconder os entorpecentes
Frutas também são usadas para esconder droga 

As bananas costumam entrar no sistema com porções de maconha e cocaína
De acordo com o subsecretário do Sistema Penitenciário (Sesipe), delegado Adval Cardoso, as apreensões são constantes nos dias de visita. “Nosso principal alvo é reduzir ao máximo a entrada de drogas nas unidades prisionais da Papuda. Os entorpecentes provocam instabilidade dentro do sistema e vamos evitar isso”, disse.

Cardoso explicou que, ao longo de 2018, também foram realizadas buscas periódicas de celulares em todas as cadeias do DF. No período, não foi localizado nenhum aparelho nos estabelecimentos penais de regime fechado.

A população pode ajudar por meio da realização de denúncias anônimas pelo site da Sesipe (www.sesipe.ssp.df.gov.br), na opção “Denúncia Anônima Online”.

Só para lembrar: já declarou o seu imposto de renda? Sem multa, só até amanhã, dia 30 de abril.


Os destaques de capa do jornal Correio do Povo


No jornal Lance: grande vitória do Palmeiras


As manchetes do jornal Valor Econômico


domingo, 28 de abril de 2019

Cajazeirense arrebata título internacional de beleza teen, no Caribe. Veja as imagens.

Denise Vitória, de Cajazeiras, vence concurso Miss Beleza Milênio Internacional 2019, realizado no Caribe
Nova Opinião
A estudante Denise Vitória Rolim Gonçalves, 17 anos, de Cajazeiras (PB), venceu O Miss Beleza do Milênio Internacional, na categoria Teen. O concurso foi realizado na República Dominicana, no Caribe, envolvendo participantes de 80 países.

Antes da etapa internacional, Denise venceu, no Brasil, duas etapas bastante disputadas. Primeiro, ela foi escolhida Missa Teen Paraíba. Em seguida, Denise representou o estado no Miss Continente Brasil Teen 2018. O prêmio foi uma viagem com tudo pago ao Caribe.

Modelo desde os 14 anos de idade, Denise encarou com profissionalismo mais um desafio da carreira. Ela é filha do sargento da Polícia Militar Valdemir Gonçalves, lotado no 6°BPM, e da administradora Vanessa Rolim.

Ainda durante o concurso, Denise também ganhou o título de Miss Popularidade do Festival Internacional da Beleza do Milênio, através do seu engajamento nas redes sociais.

A vítima sabia o que ele fez na serenata passada...

Sertanejo aparece na TV, é reconhecido por vítima de roubo e preso
Os militares foram até a emissora e encontraram o homem saindo do local, em Maringá (PR). Ele ainda tentou correr, mas acabou preso
MIRELLE PINHEIRO - Metrópoles

A apresentação de uma dupla sertaneja na TV virou caso de polícia em Maringá (PA). O cantor Vanerson Henrique Barbosa, 24 anos, da dupla Henrique e Ednei, foi reconhecido por um comerciante que foi vítima de roubo.

O empresário acionou a Polícia Militar. Os policiais constataram que o músico estava com um mandado de prisão em aberto em 2013 e era considerado foragido da Justiça.

Os militares foram até a emissora, na sexta-feira (26/04/2019), e encontraram o artista saindo do local. Ele ainda tentou correr, mas acabou preso a algumas quadras de distância. Confira a apresentação da dupla neste link.
Caso Geo: “falhas” apontadas por procurador geram novo debate
Blog Heron Cid
Renan Paes Félix, procurador e irmão de um dos condenados

O desabafo do procurador Renan Paes Félix, em uma rede social, contra a condenação de Rayanderson Félix, seu irmão de criação, no Caso Geo, e repercutido aqui no Blog, gera desdobramentos no Ministério Público

Os dados de supostos equívocos da apuração dos fatos, como a informação de que Ray, como é mais conhecido, sequer estudava no período da tarde, quando aconteciam os abusos, mereceram anúncio de verificação da Corregedoria Geral do MP, além de providências sobre a quebra de sigilo, entre outras falhas. Uma sindicância será aberta. Por outro lado, associação de promotores e juízes reagiram. Em nota, refutam erro no processo, proteção de um dos acusados, e prestaram solidariedade ao juiz Luiz Eduardo Souto Cantalice e às promotoras Ivete Leônia Soares de Oliveira Arruda e Doris Ayalla Anacleto Duarte “indevidamente atacados por suas atuações funcionais”. 

Se antes o debate era somente sobre justiça, agora há no ar uma dúvida sobre injustiça. O caso parece longe do fim.

Na capa d'O Globo


No jornal Lance: um grande jogo no Maracanã (Flamengo 3 x 1 Cruzeiro)


Os destaques do Jornal do Commercio


sábado, 27 de abril de 2019

Sem alternativas para o equilíbrio fiscal

Governadores do Sul e Sudeste defendem Reforma da Previdência
Agência Brasil
Os governos de sete estados do Sul e Sudeste do país assinaram documento em defesa da aprovação do projeto de Reforma da Previdência que tramita no Congresso. O anúncio ocorreu hoje (27) durante a segunda reunião de governadores do Consórcio de Integração Sul e Sudeste (Cosud), no Palácio dos Bandeirantes, sede do governo paulista.

Participaram os governadores João Doria (São Paulo), Romeu Zema (Minas Gerais), Renato Casagrande (Espírito Santo), Carlos Moisés (Santa Catarina), Eduardo Leite (Rio Grande do Sul), além do vice-governador do Rio de Janeiro, Cláudio Castro e o vice-governador do Paraná, Darci Piana. Juntos, os estados respondem por 70% da economia do país.

Para Doria, a proposta traz uma condição fiscal melhor para estados e municípios.

“A reforma confere, sobretudo, a oportunidade da geração de novos investimentos, que em cada estado, de acordo com suas características, vai se traduzir em mais emprego, oportunidades e desenvolvimento”, afirmou.

O governador do Espírito Santo, Renato Casagrande, apoia a reforma, mas com ressalvas.

“Sou favorável, mas manifesto minha contrariedade a quatro pontos. A alteração do beneficio da prestação continuada, a alteração da aposentadoria rural, a desconstitucionalização de matérias da previdência, que coloca em risco as conquistas das últimas décadas, e o modelo de capitalização”, disse.

Equilíbrio fiscal

Os governadores discutiram ainda o Programa de Equilíbrio Fiscal (PEF) a ser aprovado no Congresso Nacional, que prevê a concessão de empréstimos, com garantia da União, em torno de R$ 10 bilhões por ano a estados com dificuldades financeiras, mas com baixo endividamento.

O vice-governador do Rio de Janeiro, Cláudio Castro, estado que passa por crise financeira, declarou que o regime de recuperação foi fundamental para o Rio de Janeiro.

“Mas ele não pode simplesmente ser só uma moratória, tem que vir acompanhado de um programa sério de recuperação do estado”, disse. “Se não tiverem ações estruturantes, um esforço enorme na contenção de gastos e novos investimentos, ele [regime de recuperação] só vai trazer um fôlego momentâneo e a previsão é ficar pior assim que o regime acabe”, completou.

Já Casagrande disse concordar que medidas de austeridade devem ser tomadas.

“Não dá para nós, estados, ficarmos esperando somente a votação e pendurarmos todas as nossas esperanças na Reforma da Previdência. Sabemos que ela é primordial, fundamental. Temos que, ao mesmo tempo, andar paralelo à pauta federativa”, ressaltou.

O governador Romeu Zema disse que Minas Gerais sofre reflexo de falta de medidas corretivas nas finanças durante os últimos anos.

Estamos enxugando gastos, o mato estava muito alto em Minas. E está longe de resolver, mas o início da solução foi dada. Vai depender de muitos outros andamentos ainda.”

Nosso adeus dolorido ao grande João Cassiano. À família, as nossas preces, pêsames e solidariedade

Adeus, João Cassiano
Por Dirceu Galvão

Seu nome de batismo era João Batista Freire, mas o que incorporou na vida, na família e entre amigos e comunidade foi o nome de Cassiano. Virou João Cassiano, um bom homem, de fino humor, de riso fácil, dono de um coração enorme e cercado pelo amor e carinho dos seus filhos, netos e suas duas bisnetas.
João Cassiano nasceu em Milagres-CE e, cedo, migrou para Sousa e, depois, para Cajazeiras. Na cidade vizinha, ele e a inesquecível Dona Olívia tiveram dois filhos (Zuleide e Bá) e os demais nasceram em Cajazeiras, nesta ordem: Péta (meu querido compadre, já falecido), Chimba, Zeneide, Zuleika, Biriu e Peleca.

João Cassiano teve duas profissões principais, na vida: foi carpinteiro e músico. Todos nos lembramos do seu serviço de carpintaria, na Praça João Pessoa e na Rua Epifânio Sobreira. Além disso, como o seu trombone de vara, participou de inúmeras orquestras em nossa cidade, especialmente a Manaíra, de Mozart Assis, fazendo carnavais nos clubes locais.

Depois, por motivos vários e determinantes, João Cassiano levou sua família para Fortaleza (me lembro da Rua Delmiro de Farias, onde o meu amigo me acolhia (como acolheu outras pessoas), sempre com muita boa vontade e satisfação). E lá conseguiu o que todo pai almeja: ver seus filhos encaminhados na vida, cada um alcançando sua independência material, cada um deles, sem exceção, vivendo do trabalho e com muita dignidade.
João Cassiano se aposentou da carpintaria, não teve mais fôlego para soar o seu trombone, e passou a viver em plena felicidade recebendo o carinho e o reconhecimento dos seus queridos filhos.
 
E viveu quase um século de uma vida plena. Em 13 de fevereiro passado, acabara de completar 99 anos. Estava a um passo para um glorioso centenário. E isto fazia parte dos seus planos mais próximos.

Infelizmente, no último dia 13 de abril, um sábado, alinhou-se para o casamento de uma neta (a médica Tereza, filha de Peleka). Foi à missa e estava bem. Na recepção do casamento, à tarde, sentiu-se incomodado e foi levado para sua residência. Na manhã do domingo, foi levado para o hospital e daí para a UTI até o dia de hoje. Dias antes, tivera uma pequena melhora e o levaram para o quarto, mas lá não ficou nem uma hora. E voltou para a UTI até a sua morte. Teve pneumonia e falência múltipla de órgãos. Era o chamado de Deus.

Enquanto esteve na UTI, na maior parte do tempo, manteve-se lúcido. Na breve saída para o quarto, brincava com todos (especialmente, com as enfermeiras) e já convidava todo mundo para a festa vindoira do seu centenário de vida.
Mas não seria João Cassiano se não tivesse uma piada para contar e alegrar as pessoas. O seu filho Chimba nos contou que, na cerimônia religiosa do casamento de sua neta, estavam todos os seus filhos. Durante a missa Chimba ficou cantando as músicas perto do pai. Depois, Ba Freyre, o grande artista da família, cantou uma música na cerimônia. João Cassiano confidenciou no ouvido de Chimba: "- Meu filho, você é mais afinado que Bá...". Chimba caiu na risada. Fazia parte do show de Cassiano a palavra amiga, carinhosa, de estímulo.

A família nos informa que, neste momento, ocorre o velório no Cemitério Parque da Paz e o sepultamento será amanhã às 9:00h.

Nós sentimos, profundamente, a passagem do nosso velho Cassiano de fé e luta. Sempre que estávamos juntos, as conversas desenterravam lembranças cajazeirenses diversas. Todas terminavam sob risos largos e confortantes. Ele era muito generoso com a memória do meu pai, Dirceu Galvão. Era muito generoso com todas as pessoas que o cercavam.

Sua história de vida e o seu humor ficarão para sempre nos nossos corações. Para nossa imensa tristeza, Cassiano não logrou alcançar o seu centenário. Seria um festão! Seria a consagração de um grande homem de bem, que, agora, deixa em todos a marca indelével de uma incontida saudade.

Fica com Deus, Cassiano.

O garoto joga muito.

Português de 19 anos é chamado de ‘novo Cristiano Ronaldo’ no país
O jovem de 19 anos, que assim como Ronaldo também ostenta o número sete no uniforme, foi decisivo na recente conquista portuguesa na Eurocopa sub-19
Reuters

Um dos destaques do time que garantiu a vitória de Portugal na Eurocopa sub-19 - conquistada neste fim de semana na Finlândia - o atacante João Filipe, mais conhecido simplesmente como Jota, tem sido apontado em seu país como "o novo Cristiano Ronaldo" em diversas reportagens. O jovem de 19 anos, que assim como Ronaldo também ostenta o número sete no uniforme, foi decisivo na recente conquista portuguesa.

Dividindo a artilharia da competição com seu companheiro de seleção Francisco Trincão, ambos com cinco gols, Jota teve uma atuação consistente ao longo do europeu. O destaque certamente foi na semifinal, quando marcou dois gols em dois minutos, deixando registrado seu nome na goleada de 5 a 0 sobre a Ucrânia.

Apesar de não esconder a admiração por Cristiano Ronaldo, em entrevista na chegada ao aeroporto de Lisboa após a conquista da Eurocopa, onde o time foi recebido com festa por dezenas de torcedores, Jota tentou se distanciar das comparações:

"Quero atingir o meu patamar. Os meus ídolos são Ronaldo, Messi e Neymar, mas eu sou o Jota, não sou outro", disse.Após curtir alguns dias de folga, o craque deve se reapresentar na próxima semana ao Benfica, clube de Lisboa onde ainda defende a divisão de base. Nas redes sociais, já há muitos torcedores pedindo uma "promoção" de Jota ao time principal.

Só o filé!

Supremo banquete
Lagostas e pratos à base de camarões e bacalhau, acompanhados de champagnes, vinhos especiais e whiskies 18 anos vão compor o novo cardápio do STF. Gastos somam R$ 1 milhão
Wilson Lima - IstoÉ
REGALIAS Os ministros do Supremo estão na contramão da austeridade exigida em tempos de vacas magras na economia 

Em tempos de ajuste fiscal, quando se cobram sacrifícios de toda a sociedade para a redução de gastos públicos, o Supremo Tribunal Federal (STF) não tem sido um dos melhores exemplos de austeridade. Em meio à crise que levou-o a impor censura à imprensa, o tribunal presidido pelo ministro Dias Toffoli decidiu abrir nesta sexta-feira 26 uma licitação que agrava ainda mais sua combalida imagem: vai contratar uma empresa que sirva banquetes aos ilustres ministros togados e seus comensais. Na farra gastronômica serão gastos R$ 1,1 milhão, dinheiro que será bancado pelo cidadão comum que paga exorbitantes impostos. Os banquetes serão realizados nos amplos e luxuosos salões do próprio STF.

O processo de contratação do buffet prevê o fornecimento de pelo menos 2,8 mil refeições (almoços ou jantares), 180 cafés da manhã, outros 180 brunchs (cafés mais reforçados) e três tipos de coqueteis para 1.600 pessoas. Na lista de exigências do contrato, previsto para durar 12 meses, prorrogáveis por mais 60 meses, estão pratos dignos dos melhores restaurantes do mundo, comparados aos badalados cinco estrelas do guia Michelin. No menu do Supremo, a empresa está obrigada a disponibilizar pratos com medalhões de lagosta com molho de manteiga queimada, bobó de camarão, camarão à baiana, bacalhau à Gomes de Sá, arroz de pato, pato assado com molho de laranja, galinha d’Angola assada, vitela assada, codornas, carré de cordeiro, medalhões de filé, tournedos de filé com molho de mostarda, pimenta, castanha de caju com gengibre, entre outros.

Glamour

Obviamente que para um menu desse nível seriam necessárias bebidas perfeitas para harmonizar degustações com tanto glamour. Afinal de contas, um medalhão de lagosta não pode ser servido com um vinho qualquer. E qual foi a solução adotada pelo Supremo para resolver essa delicada questão culinária? Simples. A licitação prevê que as “bebidas deverão ser perfeitamente harmonizadas com os alimentos” servidos. Justamente por isso, na lista de bebidas exigidas estão dois tipos de espumantes (brut e extra brut), que precisam ser produzidos pelo método champenoise e “que tenham ganhado ao menos quatro premiações internacionais”. Para quem não sabe, o método champenoise é o chamado “método tradicional”, cuja produção do espumante é quase artesanal e de qualidade superior ao método Charmat, mais simples e barato. Ainda sobre os espumantes, na lista do Supremo o champagne precisa ter pelo menos 12 meses de maturação. O extra brut deve ter no mínimo 30 meses.

Além dessa sofisticação etílica, o STF exige que em seus banquetes a empresa vencedora da licitação disponibilize vinhos de seis uvas de variedades diferentes: Tannat, Assemblage, Cabernet Sauvignon, Merlot, Chardonnay e Sauvignon Blanc. Nos casos dos Tannat, Assemblage e Cabernet Sauvignon, o vinho precisa ser obrigatoriamente de safra igual ou posterior a 2010. Outras características singulares determinadas no edital: todos os vinhos precisam ter pelo menos quatro premiações internacionais. No caso do Tannat ou Assemblage, o STF exige que tenham sido envelhecidos em “barril de carvalho francês, americano ou ambos, de primeiro uso”. A exigência por essa característica é simples. Barris de carvalho franceses são considerados pelos especialistas como “complexos, elegantes e que geram taninos suaves na bebida”. Além disso, quando o carvalho é de primeiro uso proporciona uma bebida com maior influência do barril no processo de maturação.

Sobre os vinhos brancos, Chardonnay e Sauvignon Blanc, o procedimento licitatório apresenta aspectos, no mínimo, curiosos. As uvas para as duas bebidas precisam, necessariamente, ser colhidas à mão. E se isso não fosse o suficiente, uma última, mas não menos importante exigência do Supremo: os uísques de puro malte, precisam ser envelhecidos por 12, 15 ou 18 anos. Já as cachaças para as caipirinhas devem ganhar idade em “barris de madeira nobre” por um, dois ou três anos. A empresa responsável por esse serviço de buffet será responsável por disponibilizar, em cada evento, um garçom para cada seis pessoas. Nos eventos menores, deverá haver um garçom para cada dez convidados.

A deputada federal Bia Kicis (PSL-DF), que constantemente tem criticado o Supremo por suas atitudes pouco transparentes, condenou a lista de compras do STF. “O presidente Bolsonaro exonerou uma diretora de um hospital que iria dar um jantar de R$ 280 mil. Isso deveria servir de exemplo para todos nesta nação”, declarou a parlamentar. “A licitação é uma vergonha e mais um abuso diante da crise que estamos vivendo. O Congresso tentando aprovar a reforma da Previdência para reduzir gastos, enquanto o Supremo investe em mordomias”, complementou o senador Alessandro Vieira (Cidadania-ES), autor dos dois requerimentos de investigação no Senado sobre as ações do Poder Judiciário, a chamada CPI da Lava Toga. De fato, o STF mostra que está totalmente divorciado da realidade brasileira.

Posicionamento STF

O edital da licitação do serviço de refeições institucionais em elaboração pelo STF reproduz as especificações e características de contrato semelhante firmado pelo Ministério das Relações Exteriores (que faz o cerimonial da Presidência da República) já analisado e validado pelo Tribunal de Contas da União, mas com redução de escopo: dos 21 itens contratados pelo ministério, 15 são objeto da licitação do STF.

Cabe destacar que o valor de R$ 1,1 milhão é uma referência, que será submetida à disputa de preços entre as participantes do pregão. Além disso, o contrato prevê que o STF pagará apenas pelo que for efetivamente demandado e consumido, tendo o valor global do contrato como um teto.