quarta-feira, 20 de fevereiro de 2019

Vá devagar...

Presidente da Famup alerta municípios sobre FPM: ‘é preciso manter cautela’

A Federação das Associações de Municípios da Paraíba (Famup) emitiu alerta, nesta quarta-feira (20), aos gestores municipais para manterem cautela diante dos crescimentos dos repasses do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) durante o mês de fevereiro. Segundo o presidente George Coelho, é preciso manter a precaução já que, apesar de ser o melhor mês financeiro de repasse, o crescimento não é significativo diante da inflação, do piso salarial dos professores e do novo salário dos agentes comunitários de saúde, além das despesas correntes líquidas dos últimos anos.

“É preciso manter a cautela diante desses repasses durante o mês de fevereiro. Temos que lembrar das obrigações que aumentaram para os gestores como o aumento do salário mínimo já em janeiro e também dos pisos salariais de algumas categorias”, disse.

De acordo com George Coelho, os municípios tiveram grandes perdas e acumularam prejuízos durante o ano. “Esse aumento não vai garantir a saída da crise. Vou apenas citar um exemplo que aconteceu hoje dia 20 de fevereiro com todos os prefeitos da Paraíba, quem não fez caixa, não paga o duodécimo da câmara municipal, o repasse foi inferior em todos os níveis municipais” afirmou o presidente da Famup.

Dados da Confederação Nacional de Municípios (CNM) mostram que as prefeituras da Paraíba estão recebendo nesta quarta-feira o repasse de R$ 22.649.360,52 sem a retenção do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb). O valor líquido é de R$ 14.495.590,73. Já o valor bruto repassado no mesmo período de 2018 foi de R$ 20.619.910,75.

Para o 2º decêndio, a base de cálculo utilizada é a dos dias 01 a 10 do mês corrente. De acordo com os dados da Secretaria do Tesouro Nacional (STN), o valor apresenta crescimento de 13,74% comparado ao mesmo decêndio do ano de 2018, sem considerar os efeitos da inflação. Já o acumulado do mês, em relação ao mesmo período do ano anterior, teve queda de 1,13%.

Nenhum comentário: