segunda-feira, 30 de abril de 2018

E ainda tem esse trunfo?!!

URGENTE: PGR DENUNCIA LULA, PALOCCI E GLEISI POR CORRUPÇÃO E LAVAGEM
O Antagonista

Raquel Dodge acaba de denunciar ao STF o ex-presidente Lula, o ex-ministro Antonio Palocci e a senadora Gleisi Hoffmann, além de seu marido Paulo Bernardo, pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro.

Também foi denunciado Leones Dall Adnol, chefe de gabinete da petista.

A denúncia foi feita a partir de delação da Odebrecht sobre a alocação para o PT de US$ 40 milhões, em troca de decisões de interesse do grupo, como o aumento da linha de crédito à exportação para Angola.

A medida foi viabilizada pela assinatura, em junho de 2010, do Protocolo de Entendimento entre Brasil e Angola. Posteriormente, o termo foi referendado pelo Conselho de Ministros da Câmara de Comércio Exterior (Camex), órgão que tinha Paulo Bernardo entre os integrantes.

Na condição de exportadora de serviços, a Odebrecht recebeu do governo angolano parte dos valores conseguidos com financiamentos liberados pelo banco estatal brasileiro. O país africano teve o limite de crédito ampliado para R$ 1 bilhão, graças à interferência dos envolvidos.

Delações, como a de Emílio Odebrecht, foram corroboradas com planilhas, e-mails e quebras de sigilo telefônico dos investigados.

Meu amigo Waltinho Muniz e sua Francisquinha comemoram 40 anos de vida comum. Não é para todo mundo, não! Parabéns! Vejam imagens.


Hoje é um dia muito especial em nossas vidas! 

Há 40 Anos, Deus nos unia, através do Pe. Jácome, na Igreja Matriz de Nossa Senhora do Rosário. 
Hoje, com o coração alegre e cheio do Espírito Santo, agradecemos por tudo que passamos juntos, tudo mesmo! 

Agradecemos pelos nossos três filhos, Bruno, Frankie e Mariana, que nos deram oito netas e três netos lindos e saudáveis. 
Pela esposa maravilhosa, que tem Flor até no nome, pelo amor que sempre nos uniu

É tão fácil ser feliz, quando se tem amor, compreensão, carinho e, acima de tudo, quando se coloca ELE em tudo! 

Casamento a três! Obrigado meu grande amor. EU TE AMO! Obrigado, Deus!
 
 
 

Joaquim, não queime o seu filme...

‘Socialismo criativo’… ou PT 2.0?
O Antagonista

Animado com a possibilidade de candidatura de Joaquim Barbosa, o PSB lançou hoje um site para divulgar o que está chamando de “socialismo criativo.

O objetivo, diz o texto de abertura, é “fornecer à militância, aos dirigentes e aos representantes políticos do PSB, um novo repertório capaz de despertar, principalmente na juventude, o interesse político através da discussão sobre a moderna economia do conhecimento e suas repercussões no trabalho, na formação da mais-valia, de novas classes sociais e na própria divisão social do trabalho”.

O partido afirma, também, que é preciso “levar em conta as várias formas com que foram implantadas sociedades ou politicas socialistas, inclusive as experiências dos países nórdicos (Suécia, Dinamarca, Noruega e Finlândia)”.

Eles não se cansam de usar o velho mito do socialismo escandinavo para ludibriar o eleitor? O PSB é só mais um caminho para o PT voltar ao poder.

'Eu mermo não!'..

Todo mundo mente
Quando questionadas por suas preferências, as pessoas querem parecer inteligentes
Luiz Felipe Pondé - Folha de São Paulo

“Todo mundo mente” é a tradução de uma frase famosa do personagem Dr. House da série homônima. Ele dizia: “Everybody lies”. E é também um livro singular com o mesmo nome, escrito pelo ex-engenheiro do Google Seth Stephens-Davidowitz (HarperCollins, 2017).

Trata-se de um daqueles trabalhos escritos a partir de pesquisa em cima do Big Data, essa gigantesca plataforma de dados, cada vez mais processada por algoritmos sofisticadíssimos (“bots”, para os íntimos). Davidowitz é um “data scientist” (cientista de dados).

A chamada “física social”, disciplina criada pelo também “data scientist” do MIT Alex Pentland, autor de um clássico de 2014 na área, “Social Physics”, se constitui numa ciência social a partir dos rastros deixados por nós na rede. O “físico”, aqui, seria esse rastro que pode ser organizado como qualquer outro dado concreto de uma “hard science” (“ciência dura”, e não vaga, como as “humanas”).

Enquanto Pentland é um claro “integrado” à ideia de que isso tudo fará o mundo melhor, Davidowitz é mais dialético na sua abordagem.

A ideia central do livro é que “everybody lies”. E a razão desta mentira generalizada é que queremos parecer melhor do que somos no Face (nada que santo Agostinho, vivendo entre os séculos 4 e 5, não soubesse, sem o suporte, claro, da “data science” pra provar). A outra razão da mentira é o marketing do bem, que resolveu construir uma grande mentira a serviço da ideia de que o bem é algo que se cria numa start-up cheia de millennials livres do mal.

A comparação entre, por exemplo, o que se posta no Face (fruto de nossa intenção de parecer ótimos, felizes, inteligentes e engajados) e o material que, de fato, “googamos”, em busca de respostas ou, pelo menos, de mais dados sobre o tema que nos interessa, revela que todos mentimos. Os dois conteúdos não batem.

Como alguém, por exemplo, que diz que o marido é ótimo e a ama apaixonadamente no Face, pode, no Google, se perguntar tanto “como saber se meu marido é gay?” ou “o que fazer se meu marido não quer fazer sexo comigo?”. Sim, essas são duas das maiores questões que atormentam as mulheres. O homens, por sua vez, postam que estão “evoluídos”, principalmente os mais jovens, mas continuam atormentados por questões como “ela está tendo um caso?” ou “como aumentar meu pênis?”.

Fala-se muito de empoderamento feminino, e as mulheres mais jovens ficam cada vez mais fálicas (e sozinhas, diante de homens jovens amedrontados). Mas, se olharmos para as buscas delas no Google, o que vemos é o desejo de ver material erótico em que mulheres são violentadas, humilhadas, tratadas como vadias e similares. Enquanto a histeria do assédio toma conta de Hollywood e do mundo da mídia, muitas mulheres ficam vendo vídeos em que mulheres são assediadas e acabam gozando.

A Netflix aprendeu uma dura lição. Quando buscou fazer os menus de seus consumidores a partir da lista que estes informavam, jogou dinheiro no lixo. Quando questionadas por suas preferências, as pessoas elencavam filmes inteligentes, europeus, iranianos, alternativos, documentários. Mas, na verdade, ninguém usava o menu.

Enquanto projetavam um perfil de amantes de filmes inteligentes, na verdade, viam filmes de terror, crimes, romances, comédias idiotas e super-heróis bobos. A Netflix resolveu então perguntar ao algoritmo, nosso oráculo. O algoritmo sabe de mim mais do que eu sei de mim mesmo. Outra vez, santo Agostinho. Só que, para este, era Deus quem sabia mais de mim do que eu sabia de mim mesmo.

E aí chegou ao que precisava. Nós mentimos, o algoritmo não. Rastreando os tipos de filmes realmente vistos, a Netflix chegou à solução: não pergunte para as pessoas do que elas gostam, porque elas mentem (provavelmente, para si mesmas), olhe para o que elas fazem de fato. De novo, nada que a filosofia moral já não soubesse.

Quer mais? Apesar de as pessoas afirmarem que são contra julgar os outros (está na moda amar todo mundo), na verdade, o que os rastros dizem é que muita gente adora julgar os amigos, os colegas de trabalho, e falar mal deles. 

Apesar de dizerem que querem ser informadas e, por isso, veem noticias de manhã, na verdade, as pessoas adoram acompanhar fofocas sobre celebridades transando fora do casamento. 

Apesar de se condenar, veementemente, a violência, as pessoas adoram assistir a filmes de caras ricos fazendo sexo violento com alunas da faculdade. O mundo nunca foi uma farsa maior do que é hoje.

Luiz Felipe Pondé
Pernambucano, é escritor, filósofo e ensaísta. Doutor em filosofia pela USP, é professor da PUC e da Faap.

Convite Missa 30º Dia em memória de Nelma Figueiredo.

Hoje, às 17 horas, será celebrada na igreja Santa Julia, no Bairro da Torre, em João Pessoa, a missa de 30º dia em memória da jornalista Nelma Figueiredo. A família e amigos convidam e agradecem, de logo, àqueles que comparecerem a este ato de solidariedade e fé cristãs.

Vai vendo...

Sugestão de Manoel Emídio de Sousa Neto

Vai tu!

Gênio forte, saúde, família: o que explica a indecisão de Joaquim Barbosa
Presidenciável do PSB disse que ainda precisa convencer a si mesmo sobre candidatura ao Palácio do Planalto
Débora Álvares - GazetadoPovo
O ex-ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Joaquim Barbosa pode ser uma peça fundamental nas eleições deste ano. Bem colocado nas pesquisas e conhecido pelo combate à corrupção, tem sido visto pelos adversários como uma possível ameaça, que pode atrair votos de todos os lados.

Possível, porque ainda não bateu o martelo sobre a candidatura. “Não estou pessoalmente convencido”, afirmou em conversa com a imprensa semana passada. Ele filiou-se ao PSB no último dia da janela partidária, em 6 de abril, com toda a discrição. Não avisou jornalistas, nem fez um grande evento para a ocasião.

A entrada no PSB veio após quase um ano de conversa com o presidente do partido, Carlos Siqueira, e outros nomes da legenda, como o deputado Júlio Delgado (MG).

A primeira reunião com caciques do PSB ocorreu semana passada. E serviu como uma oportunidade para Barbosa se apresentar a muitos deles que só conheciam o advogado, personalidade jurídica, relator do mensalão.

A cúpula do PSB diz não ter pressa para que Barbosa se decida. O prazo de registro de candidaturas termina só em agosto. Sabem, contudo, que se deixarem conforme a vontade dele, a decisão pode sair perto da data limite. Por isso, o trabalho interno na legenda é para que o ex-ministro tome uma decisão até o fim de maio. Avalia-se que a indefinição prejudica, não apenas a formação de alianças, mas a arrecadação para a campanha.

Conheça fatores que influenciam na indecisão de Joaquim Barbosa:

1) Pessoal

Na primeira vez que apareceu publicamente após se filiar ao PSB, Joaquim Barbosa foi questionado sobre a opinião de sua família a respeito de sua candidatura. Respondeu: “Não é a favor”. Familiares de Barbosa procuram não se intrometer na decisão dele. Mas se preocupam com a saúde do ex-ministro.

Ele sofre de sacroileíte, uma inflamação na base da coluna, que se agravava durante os longos julgamentos no Supremo. Era comum ver que ele intercalava momentos em pé e sentado ao longo das sessões do STF. Aposentado desde 2014, com mais tempo para se dedicar à saúde, as dores praticamente diminuíram.

A privacidade também é cara a Barbosa. No auge do processo do mensalão, relatado por ele, olhos e câmeras estavam sempre atentos aos movimentos do então ministro, o que lhe incomodava visivelmente.

2) Personalidade

“Dono de personalidade forte”. É assim que a maioria das pessoas que já conviveram com Joaquim Barbosa o definem. Em seus 11 anos de passagem pelo STF, travou diversos embates com os demais ministros e também com jornalistas.

Demonstração também da sua personalidade, Barbosa ficou conhecido internamente no Supremo por não receber advogados. Não raro os ministros recebem os defensores, que costumam apresentar subsídios para as decisões dos magistrados.

Barbosa se justificava dizendo considerar esse tipo de prática de “conluio indecoroso”. Acostumado a dizer o que pensa, Barbosa, porém, acredita que pode ser uma alternativa para renovar a política.

3) Inexperiência política

Quando deixou o STF, em 2014, Joaquim Barbosa foi assediado por diversas siglas. Seu nome chegou até a entrar em algumas pesquisas de opinião, que o cogitavam como candidato naquela eleição. Conversou com a Rede, de Marina Silva. E até com alguns integrantes do PT, partido que mais saiu prejudicado do processo do mensalão.

Apesar disso, o ex-ministro nunca participou da política. Ao contrário, já se declarou avesso a questões político-partidárias, essenciais, por sua vez, a quem se elege presidente.

Esse é um dos receios de quem ainda não se convenceu por seu nome dentro do PSB. E o exemplo claro para tratar a questão como essencial é dado sem meias palavras: Dilma Rousseff, que sofreu um processo de impeachment em 2016.

4) Vida confortável

Após deixar o STF, Barbosa passou a ter uma vida tranquila, dedicada, no campo profissional, a seu escritório e a consultorias. Ele mora no Leblon, no Rio de Janeiro. Mas mantém um apartamento nos Jardins, em São Paulo e um escritório no Itaim, zona Sul da capital paulista, e no Lago Sul, em Brasília.

O que já era praticamente um hábito de Joaquim Barbosa quando ministro do STF, as visitas aos Estados Unidos se tornaram mais frequentes. Passeios, bares, restaurantes. Parte de atitudes, que entraram na vida do ex-ministro com a aposentadoria, podem não combinar com o cargo de presidente da República.

5) Resistência interna no PSB

A direção do PSB insiste na candidatura de Joaquim Barbosa. E não poderia ser diferente, já que ele apareceu com 10% das intenções de voto na última pesquisa Datafolha. Após convencê-lo a se filiar, o partido, tido como de porte médio, não quer perder o potencial que o ex-ministro tem de alavancar a legenda. Contudo, sobram receios.

A ala nordestina do PSB, que inclusive é a mais expressiva, conheceu Barbosa pessoalmente na última semana. Embora polidos no encontro que ocorreu na sede do partido, em Brasília, correligionários temem a falta de familiaridade dele com a política.
O FREIO MORAL DO MEDO
DiáriodoPoder

O medo é um freio moral decisivo para a coexistência dos seres humanos. Sem ele, as pessoas seriam capazes de buscar satisfazer, sem regras e pudores, os instintos mais primitivos.

Há dois tipos de medo: do castigo divino, observado pelos que acreditam na existência de Deus ou de uma força superior aos seres humanos que nos cobrará pelos atos praticados na vida terrena; da punição legal, através das leis e das autoridades que as aplicam, e da censura e reprovabilidade social.

Ocorre que parcelas numerosas da sociedade não temem mais o castigo divino, simplesmente porque, convencidas pela Ciência, pelo menos até onde esta conseguiu alcançar, ou pelo ceticismo filosófico de um Friedrich Nietzsche,acham que Deus está morto.

O receio de ser alcançado pelas sanções legais tem diminuído a cada ano, com o desrespeito aos direitos alheios grassando na sociedade, diante de uma legislação elaborada para enganar os tolos: penas altas e severas com processo e execução penais frouxos, repletos de regalias, progressões rápidas de regime, saidões, visitas íntimas, penas alternativas e cestas básicas desmoralizantes.

“Dá nada”, respondem os menores infratores quando a autoridade policial os adverte sobre a gravidade de suas condutas. Eles sabem da leniência das regras estabelecidas no Estatuto da Criança e do Adolescente, pelas quais, mesmo que o infrator mate 100 pessoas, nenhum adolescente ficará internado por mais de três anos.

Quando as pessoas fazem de conta que não sabem o que está acontecendo e ficam se perguntando por que são assassinados 61 mil brasileiros anualmente, morrem 45 mil no trânsito, 40% das ocorrências criminais são de violência doméstica e os tribunais estão abarrotados de processos mentirosos e alienações parentais, eu respondo que a principal razão é a falta do temor a Deus, porque o temor à aplicação das leis já desapareceu há muito tempo.

Miguel Lucena é Delegado de Polícia Civil do DF, paraibano, jornalista e escritor,

Já, já, vai ter uma comissão de senadores pra visitar o presídio, também...

Prostituição nos presídios: agentes auxiliam entradas de 'giriquitas'
A ilegalidade na entrada das mulheres nos equipamentos do Estado do Ceará também envolve documentos falsos para emissão da carteira de visitação e agenciadores que lucram com a exploração sexual
Emanoela Campelo de Melo - Repórter - DiáriodoNordeste
"O número de ocorrências é bem sazonal. A gente sabe da permissividade de alguns agentes penitenciários”, disse Luís Bezerra

"Aquilo é um mundo à parte". A fala, de uma autoridade ligada à Justiça do Estado do Ceará, sintetiza o que há dentro dos presídios. Aquém do olhar da sociedade, a rotina nos equipamentos é feita por regras ditadas por presos. Entre superlotação e esquecimento, os detentos buscam por meio da corrupção de servidores garantir "luxos" privados.

A entrada de prostitutas nas unidades prisionais não é descoberta recente. Porém, a partir da Operação Masmorras Abertas, deflagrada há duas semanas, foi evidenciado que há participação de agentes penitenciários. Na maioria dos casos, há servidores que agem indiretamente cometendo o crime de prevaricação.

Segundo o promotor titular da Comarca de Itaitinga, Luís Bezerra Lima, existe prostituição em todas as Casas de Privação Provisória de Liberdade (CPPLs) do Município da Região Metropolitana de Fortaleza. As investigações do Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE) apontam indícios de que alguns agentes permitam entradas das 'giriquitas', como são conhecidas as mulheres que entram nos equipamentos e tiram proveito financeiro em troca de sexo.

"O número de ocorrências é bem sazonal. A gente sabe que há permissividade de alguns agentes penitenciários", disse o promotor. Em conversa com uma agente penitenciária, a servidora explicou, sem detalhar, que já flagrou um dos seus colegas de trabalho, que ocupa função superior no equipamento, permitindo a entrada.

"Geralmente as prostitutas entram sem malotes. Aí entram rápido. Tem casos que nem a CGD sabe porque são abafados na unidade mesmo. Dentro do presídio, a gente bate o olho e vê quem é 'giriquita'. Sempre bem arrumadas. Chamam mesmo a atenção. Já vão para aquele preso certo", revelou a agente.

De acordo com uma fonte do MPCE, que optou por não ser identificada, "existem pessoas que entram nos presídios autorizadas. Sem cadastro, sem documento, sem nada. Só com contato lá de dentro. E isso não se resume às grandes penitenciárias. Tem também nas cadeias do Interior".

Fraude

As circunstâncias são ainda mais recorrentes quando se tratam das fraudes nos documentos de identificação para conseguir acesso aos que são mantidos em cárcere. Luís Bezerra lembra que, no mundo jurídico, uma mulher, sozinha, cobrar para fazer sexo não é crime. No entanto, a ilegalidade acontece se houver um agenciador que ganhe com a exploração sexual ou se forem dadas informações falsas para a emissão da carteira de visitação.

"Para visitar um preso é preciso declarar união estável. É aí que começa a fraude. Em Itaitinga a gente tem inúmeros casos de mulheres que o preso sequer conhece. Aí fazem declaração de que convive junto dela. Está aí o crime de falsidade ideológica", disse o promotor.

O esquema acontece a partir de uma parceria entre 'bruxo' e 'patrão'. Na prisão, 'bruxo' é o preso que não tem dinheiro e nem visitas. "É visado por não ter ninguém por ele", diz um agente penitenciário. Então, é ele quem empresta seu nome para um detento que tem condição financeira.

"O 'bruxo' assina um documento de declaração de união estável. Esse documento vai para a mão do agente. A visita vai até o Nucav e se habilita para entrar. Quando entra não quer nem saber quem é o 'bruxo'. Vai direto para o 'patrão'", detalhou a fonte do Ministério Público do Ceará.

A venda não tem um valor fixo, "é a necessidade que diz". O ''favor'' tem o comércio como consequência. O nome costuma ser concedido em troca de drogas, celular e comida.

Aliciadores

Nos presídios também estão os suspeitos de aliciar mulheres para prostituição. Quando um preso intermedeia a entrada de uma prostituta, dentro do equipamento, ele passa a ser "dono da mulher".

De acordo com uma agente penitenciária entrevistada, os detentos cobram favores uns aos outros para a mulher visitar mais de uma área.

O promotor titular da Comarca de Itaitinga confirma a informação. "Eu posso assegurar que essas prostituições não se limitam a um preso. Já ouvimos declarações em audiências. Isso é periódico e acontece com muita fragilidade. E aí, eles dão um jeito de pagar. Porque se um preso acumula dívida dentro do presídio, ele fica jurado de morte e essa promessa é cumprida", reconheceu

Bezerra

Questionada sobre a prostituição nas prisões e o que vem sendo feito para conter a situação, a Secretaria da Justiça e Cidadania (Sejus) respondeu que, em 2015, criou o Núcleo de Cadastro de Visitantes (Nucav) com objetivo de oferecer mais comodidade aos familiares dos internos e aumentar a segurança das unidades e do cadastro, com uma análise mais apurada da documentação: "a equipe analisa a documentação e identifica possíveis fraudes", disse por meio de nota.

Falsa mudança de parceiro facilita acesso às unidades

A entrada de prostitutas nos presídios se desdobra em crimes diversos. Para a liberação da visita, as mulheres se valem de histórias e documentos falsos. O delegado Jaime Paula Pessoa Linhares, titular da Delegacia de Defraudações e Falsificações (DDF) contou que o uso de identidades falsas em prol de conseguir carteiras de visitantes no Sistema Penitenciário é crime comum.

"Quando nós recebemos casos de falsificação de documentos de visitantes percebemos que em menos de um mês, com diferença de poucos dias, a mulher estava, supostamente, mudando de companheiro. Aí ela vai e faz visita em um novo presídio, mas mantinha a carteira de entrada lá do outro", explicou Jaime Linhares.

Explicações

O titular da DDF ressaltou que por depoimentos as explicações costumam ser as mesmas. O raro é que alguma flagrada assuma o papel de 'giriquita': "As mulheres sempre dizem a mesma coisa: conheci um novo amor e precisei tirar uma nova carteira. É uma mudança rápida e são pessoas distintas. Não tem nada que ligue o companheiro de hoje com o companheiro de daqui um mês", afirmou o titular da DDF.

As investigações da Especializada para casos como o citado pelo delegado mostraram que as falsificações têm, principalmente, duas finalidades: ser pombo-correio (levar e trazer informações de mais de uma unidade penitenciária) ou se favorecer a partir da prostituição.

O policial civil recordou que em 2017 houve ocorrências envolvendo adolescentes. Quando iniciada a investigação, a DDF descobriu que a suspeita se tratava de uma menor de idade. A menina havia mentido sobre nome e filiação, mas também a idade. "No ano passado nós tivemos um número considerável de flagrantes. Em um, a menina conseguiu tirar a carteira de visita mesmo sendo menor de idade. O caso foi encaminhado para a Delegacia da Criança e do Adolescente. Isso nos deixa em alerta para essa questão da prostituição", acrescentou.

Segundo a Sejus, em abril de 2017, o Núcleo de Cadastro de Visitantes (Nucav) iniciou um trabalho em parceria com a DDF para identificar possíveis documentos falsos que chegassem para cadastro.

A Secretaria da Justiça informou que, em um ano, 45 documentos "foram identificados e seus portadores encaminhados à Especializada para os procedimentos cabíveis".
PARA TODA A VIDA
DiáriodoPoder
José Paulo Freire era figura folclórica da política paulista. Transitava de Jânio Quadros para o adversário Adhemar de Barros com desenvoltura. Certa vez, quando o banqueiro Magalhães Pinto articulava a formação do Partido Popular (PP), ele logo aderiu.

- Você no PP, na oposição? – estranhou o amigo mineiro Olavo Drummond.

- Partido de governo dura 5 anos, partido de banqueiro dura a vida inteira...

Na capa d'O Globo


No jornal Lance: o Mengão de bem com a galera


As manchetes do jornal Diário de Pernambuco


Os destaques do jornal Zero Hora


As manchetes de jornais brasileiros nesta segunda-feira

FolhadeSãoPaulo: Mandados superam vagas nas prisões em 18 estados

Globo: Lava-Jato negocia acordo com operador do PT (Renato Duque)

Extra: Ex-técnico da seleção é acusado de abuso sexual por 40 ginastas

EstadãoUnião vai vender 276 imóveis para reforçar caixa

ValorEconômico: Petrobras quer sócio no refino que invista no país

ZeroHora: Governo do RS tenta recuperar R$ 1 bilhão em ICMS não pago

EstadodeMinas: Polícia e bandidos trocam tiros próximo a shopping de Belo Horizonte

CorreioBraziliense: Satélite ajuda a combater a irregularidade no IPTU

CorreiodaBahia: Faltou gol

DiáriodePernambucoNova semana de pressão no STF

DiáriodoNordeste: Agentes penitenciários facilitam prostituição em presídios

CorreiodaParaíba: Aplicativo reacende polêmica da vulnerabilidade das crianças no mundo virtual

domingo, 29 de abril de 2018

CONVITE: hoje, em João Pessoa, será celebrada a Missa de 7º Dia em memória do nosso grande e inesquecível amigo PACUTI. Vejam o convite.


Vejam o Golaço do Fogão na vitória por 2 a 1 contra o Grêmio

Sugestão de João Bosco Leite Rolim
Eduarda Brasil divide o palco e canta sucesso com Xand Avião na Vaquejada do Estrela Park Show em Cajazeiras
A grande vencedora do The Voice Kids, a cajazeirense Eduarda Brasil cantou com Xand Avião durante vaquejada na cidade de Cajazeiras, no sertão do estado. Eduarda cantou o sucesso ‘Fiquei Sabendo’, ao lado do cantor.

Eduarda Brasil ficou conhecida pelo público após vencer o programa da rede globo, The Voice Kids. A paraibana mora em São José de Piranhas, está fazendo sucesso e vários shows pelo estado. Ela também é uma das atrações confirmadas para o São João de Sousa.

SHOW DIÁRIO

Tem coragem? Já vem com aposentadoria e tudo...

Sugestão de Cris no grupo de WhatsApp Amigos de Cajazeiras
Moro respeita o STF
Merval Pereira
O Globo

Enquanto a defesa do ex-presidente Lula e os procuradores de Curitiba se digladiam em torno da decisão da 2ª Turma, que mandou para a Justiça de São Paulo algumas delações de executivos da Odebrecht relativas ao sítio de Atibaia e ao prédio do Instituto Lula, o juiz Sérgio Moro coloca-se como uma voz sensata, considerando que houve uma precipitação das partes em relação à decisão do STF.

Sua interpretação da decisão do relator ministro Dias Toffoli, que teve a maioria na Turma, parece ser a mais correta, na visão dos próprios ministros do Supremo. Moro teve o cuidado de tratar a questão com todo o respeito que merece uma decisão do STF, ao contrário do que a defesa de Lula o acusou, de não respeitar a hierarquia judiciária.

Além de salientar que é preciso, para avaliar a extensão da decisão, esperar que “o respeitável acórdão” seja publicado, Moro afirmou em seu despacho que, pelas informações disponíveis “acerca do respeitável voto do eminente Relator Ministro Dias Toffoli, redator para o acórdão, não há uma referência direta nele à presente ação penal ou alguma determinação expressa de declinação de competência desta ação penal”.

Aliás, ressalta Moro, “o eminente Ministro foi enfático em seu respeitável voto ao consignar que a decisão tinha caráter provisório e tinha presente apenas os elementos então disponíveis naqueles autos”.

Mesmo assim, o juiz Sérgio Moro decidiu que o processo de “exceção de incompetência” motivado pela defesa do ex-presidente Lula deve ser retomado, e pediu que as partes envolvidas se manifestem: " (...) Não tendo a exceção sido julgada, o mais apropriado é nela reabrir, à luz da decisão da maioria da Colenda Segunda Turma do Egrégio Supremo Tribunal Federal, o prazo para manifestação das partes e, após, decidir acerca dos possíveis reflexos na competência para a presente ação penal", afirma Moro em seu despacho. 

Como a exceção de incompetência não tem efeito suspensivo, Moro decidiu que a ação penal deve continuar em Curitiba até que haja uma definição do alcance da decisão da 2ª Turma. Já os procuradores da Força Tarefa da Lava Jato partiram para a crítica à decisão da 2ª Turma, afirmando que a remessa de depoimentos a outra jurisdição provocou“lamentável tumulto processual”.

E afirmaram em nota que “a decisão majoritária da 2ª Turma do STF não tem qualquer repercussão sobre a competência desse douto Juízo para promover a processar a presente ação penal”. Aliás, quem se der ao trabalho de ler com atenção o voto do ministro Dias Toffoli verificará que a decisão não firmou, em caráter definitivo, a competência do juízo em São Paulo, tampouco importou em qualquer alteração de competência de eventual investigação ou ação penal que já tramita em qualquer dos juízos.

Portanto, não decorre da decisão tomada por maioria qualquer alteração automática de competência, nem era esse o objeto dos embargos que foram acolhidos. Seguindo fontes do próprio Supremo, “interpretação que vá além da indicação do juízo destinatário de informações (declarações de colaboradores) não é minimamente coerente com a deliberação da 2ª Turma”.
A arte de roubar
J.R. Guzzo
Veja
O TESOURO NACIONAL VAI DOAR AOS POLÍTICOS, PARA SUAS “DESPESAS DE CAMPANHA” DESTE ANO, UM PRESENTE EXTRA DE R$ 1,7 BILHÃO. É UMA ABERRAÇÃO

O que se pode esperar de bom de uma eleição para presidente da República em que todos os candidatos, com a exceção de um só, vão fazer as suas campanhas com dinheiro que roubaram diretamente de você?

Eis aí uma das mais espetaculares safadezas que estão sendo praticadas neste exato momento pelos políticos brasileiros ─ da extrema direita à extrema esquerda, na cara de todo mundo e em plena luz do dia.

Não é pouco: o Tesouro Nacional vai doar aos políticos, para suas “despesas de campanha” deste ano, um presente extra de 1,7 bilhão de reais, já separados no orçamento de 2018. É uma aberração que tem a coragem de chamar-se “Fundo de Defesa da Democracia”, ou algo assim.

Vem se somar ao “Fundo Partidário”, vigarice antiga criada para dar aos partidos políticos, a cada ano, quantias desviadas dos impostos e destinadas a ajudar na sua “manutenção”.

No ano passado, com um projeto de lei relatado na Câmara pelo deputado Vicente Cândido, do PT, e gerido no Senado por ninguém menos que o senador Romero Jucá, fizeram uma mágica que multiplicou dramaticamente, numa tacada só, os valores que a população deste país será obrigada a entregar aos políticos no decorrer de 2018.

É uma conquista notável para os anais da arte de roubar.

Quatro anos atrás a mesada anual das gangues que fazem o papel de “partidos” no Congresso Nacional era de 300 milhões de reais.

Foi aumentando, aumentando ─ e agora, diante da necessidade de “defender a democracia”, está reforçada por estes novos 1,7 bi. A desculpa é que há eleições este ano e as doações de “caixa 2”, imaginem só, foram proibidas pelos nossos tribunais superiores.

É mais ou menos assim: como está teoricamente mais difícil praticar crime eleitoral, chama-se o público para fornecer o dinheiro que os criminosos desembolsavam até agora. Brilhante.
Era para ser pior. Os partidos queriam 3,5 bilhões de reais.

O PT, então, exigia até 6 bi, ao fixar o valor do “Fundo” numa porcentagem do orçamento da União. De um jeito ou de outro, é bom para as “orcrims”, bom para os políticos e ruim para você.

Este dinheiro, obviamente, não é inventado ─ tem de sair de algum lugar, e este lugar é o seu bolso.

Também não pode ser duplicado. Se foi para os partidos é porque não foi para ninguém mais; no caso de 2018, quase 500 milhões de reais foram desviados das áreas de saúde e educação para o cofre dessas figuras que estão se propondo a salvar o Brasil.

O fabuloso “Estado” brasileiro, essa entidade sagrada para o pensamento da esquerda nacional, não tem dinheiro para comprar um rolo de esparadrapo. Mas tem, de sobra, para dar a qualquer escroque que consegue o registro de uma candidatura.

Claro que tem.

O dinheiro não é “do Estado”, ou “do governo”, ou “do Temer”. Isso não existe. Estado nenhum tem dinheiro; quem tem o dinheiro que eles gastam é você. É de você que eles roubam, e são justamente os mais pobres que ficam com o prejuízo pior.

Quando se tira dinheiro dos ricos e dos pobres ao mesmo tempo, quem é que sofre mais?
A isso o PT e a esquerda em geral dão nome de conquista democrática popular ─ é o prodigioso “financiamento público das campanhas eleitorais”, que segundo o seu evangelho elimina a influência “das grandes empresas” nas eleições, etc, etc.

É um espanto, pois o PT foi o mais voraz de todos os tomadores de dinheiro de empreiteiras de obras e outros magnatas que jamais passou pela política brasileira.

Agora, está avançando também em cima dos impostos pagos pela população ─ e faz isso com o apoio apaixonado dos seus piores inimigos na cena política, os famosos “eles” amaldiçoados pelo ex-presidente Lula há mais de 30 anos e acusados de criar todas as desgraças do Brasil.

Até o momento só o candidato João Amoedo, do Partido Novo, se recusou a receber essa propina: o partido deixou parados no banco os 2 milhões e pouco de reais que o Fundo depositou em sua conta.

Porque nenhum outro fez a mesma coisa? Não perca o seu tempo ouvindo explicações complicadas. Não fizeram porque não quiseram fazer; o que querem mesmo é o dinheiro. É uma atração e tanto.

Derruba até figuras com os teores de pureza revolucionária da candidata Manuela D’Ávila, que faz cara de horror diante da hipótese de sujar as mãos com essas sórdidas questões financeiras. Prefere enfiar as mesmas mãos diretamente no seu bolso ─ como se assim o dinheiro roubado ficasse limpo.

Da direita velha nem adianta falar; roubar é o seu destino. Mas quando a jovem de esquerda age igual, e nem se dá o trabalho de disfarçar, é que a coisa está realmente preta.
Agência Antidopagem quer tirar Guerrero da Copa e aplicar punição de até quatro anos
AMA pretende comprovar o uso de cocaína do jogador no fim do ano passado
O Dia
Guerrero pode pegar 4 anos de gancho 

Guerrero está na reta final da sua punição por conta do doping e pode voltar aos gramados no próximo dia 2 de maio, entretanto uma reviravolta pode acontecer. O jogador ainda precisa se defender no TAS para provar sua inocência no caso. Só que a Agência Mundial Antidoping prepara uma estratégia para punir o atleta, segundo o jornal espanhol AS.

De acordo com a publicação, o AMA pretende comprovar o uso de cocaína do atacante no ano passado. Caso seja punido, Guerrero pode pegar quatro anos de gancho e assim antecipar o fim da carreira, já que está com 34 anos.

Guerrero também pode pegar a punição antiga, de um ano e que iria até novembro, o que o tiraria do Mundial. Os advogados do atleta tentam comprovar que o atacante não teve a intenção de se dopar, minimizando o metabólito da cocaína encontrado no exame de urina.

Na capa do jornal Correio do Povo


No jornal Lance: o Fogão venceu o Grêmio e fez um grande jogo


Na capa d'O Globo


Os destaques de capa do jornal Folha de São Paulo


As manchetes de jornais brasileiros neste domingo

FolhadeSãoPaulo: Reparação de danos é trava para presos da Lava Jato

Globo: Beltrame recebeu por mês R$ 30 mil, afirma delator

Extra: Agildo Ribeiro: o 'capitão do riso' sai de cena

Estadão: Gasto com pessoal anula alta da receita de Estados

ValorEconômico: Entidades lançam movimento para renovar o Congresso

ZeroHora: Profissões que a tecnologia já transformou

EstadodeMinas: Abertura de processo de impeachment de Pimentel é publicada

CorreioBraziliense: #vaitrabalhardeputado: Votar que é bom, nada

CorreiodaBahia: Ônibus de turismo fora do Abaeté há 11 anos

JornaldoCommercioSem certezas, eleitor fala em mudar a política

DiáriodoNordeste: Helicóptero de líderes do PCC será usado pela Secretaria de Segurança

CorreiodaParaíba: Povo é um detalhe, o que interessa é poder

sábado, 28 de abril de 2018

No dia 28 de abril de 1945 falecia o fascista Benito Mussolini.

Fascismo: uma ideologia de esquerda originada do marxismo

O marxismo surgiu num contexto de cientificismo. Newton tinha descoberto as leis da física e Darwin as da seleção natural. Indo no encalço desses dois, e também de Hegel, Marx e Engels anunciaram que haviam descoberto as leis da história. Tal como as leis da física e da biologia, ambos concluíram que as leis da história eram deterministas e independentes da vontade humana.

O socialismo científico era tão científico, na opinião de Marx e Engels, quanto a física de Newton e a biologia de Darwin. E que leis eram essas? Eram as do determinismo histórico, estudadas pela sua nova ciência, o socialismo científico (tão científico, na sua opinião, quanto a física de Newton e a biologia de Darwin). A ideia era simples: ao feudalismo sucede-se o capitalismo, cujas contradições levarão inevitavelmente os proletários à revolução que conduzirá ao comunismo. Nesta visão a história é teleológica e determinista. Não é preciso ninguém fazer nada, pois a revolução do proletariado é inevitável.

Os anos passaram e não ocorreu nenhuma revolução, o que contradizia a teoria marxista. Como explicar isto? Surgiram duas teses revisionistas. A primeira, do marxista alemão Bernstein, foi a de que afinal o capitalismo não ia acabar, o operariado até estava a melhorar o seu nível de vida e o socialismo podia perfeitamente adaptar-se ao capitalismo. Esta corrente cresceu no SPD alemão e acabou na social-democracia como a conhecemos hoje em dia.

A segunda tese teve origem no marxista francês Georges Sorel. Numa obra tremendamente influente, Refléxions sur la violence, Sorel concluiu que a revolução não era inevitável nem seria espontânea. Teria de ser provocada. Como? Usando uma elite para guiar o proletariado e recorrendo à violência. Seria a violência que desencadearia a revolução.

Foi o marxismo soreliano que conduziu ao bolchevismo e ao fascismo. Lênin leu Sorel e apropriou-se dos conceitos revisionistas da elite, a famosa “vanguarda”, e do uso da violência. O mesmo Sorel foi lido com atenção em Itália, em particular pelos sindicalistas revolucionários, marxistas que adotaram a greve e a violência como formas de desencadear a revolução.

Foi o marxismo soreliano que conduziu ao bolchevismo e ao fascismo.

Em paralelo, um marxista austríaco, Otto Bauer, notou que no Império Austro-Húngaro os operários húngaros mostravam sentimentos de solidariedade mais fortes para com os burgueses húngaros do que para com os operários austríacos. Embora o marxismo fosse uma corrente internacionalista, Bauer buscou legitimidade em algumas afirmações nacionalistas de Marx e Engels para lançar uma nova ideia revisionista. Concluiu ele que o comportamento dos operários húngaros mostrava que o sentimento de nação era mais poderoso do que o sentimento de classe. O nacionalismo era revolucionário, argumentou, pois galvanizaria o proletariado para a revolução.

Esta ideia entrou em Itália pela pena de um marxista italiano de origem alemã, Robert Michels, e influenciou os sindicalistas revolucionários italianos. Estes, contudo, enfrentaram a ortodoxia dos restantes marxistas, incluindo Benito Mussolini, o diretor do órgão oficial do partido socialista italiano, o Avanti!

Acontece que em 1911 ocorreu um acontecimento que iria abalar as convicções ortodoxas de Mussolini: a guerra ítalo-otomana pela Tripolitânia. Mussolini opôs-se a essa guerra, mas ficou atônito com a reação do proletariado italiano, que exultava com as vitórias de Itália. “Michels e os sindicalistas tinham razão!”, concluiu Mussolini. As pessoas estão afinal mais dispostas a morrer pela sua pátria do que pela sua classe.

Quando a Grande Guerra começou, em 1914, ocorreu uma cisão no movimento socialista. A Segunda Internacional tinha determinado que os operários dos diferentes países não entrariam em guerra uns contra os outros, mas na hora da verdade os socialistas alemães, franceses e britânicos apoiaram a guerra. Apenas os bolcheviques russos e os socialistas italianos se opuseram.

O problema é que nem todos os socialistas italianos estavam de acordo. Os sindicalistas revolucionários queriam a entrada de Itália na guerra porque achavam que ela seria o forno onde se forjaria o sentimento nacional dos italianos, cujo país era novo e buscava ainda a sua identidade, e que seria o sentimento de nação que uniria o proletariado italiano e desencadearia a revolução. Ou seja, a guerra derrubaria o capitalismo.

Mussolini começou mantendo a linha do partido e opôs-se à entrada de Itália na guerra, mas rapidamente deu razão aos sindicalistas e defendeu que os socialistas italianos deveriam seguir o exemplo dos socialistas alemães, franceses e britânicos e apoiar a guerra. Esta mudança de posição valeu-lhe a expulsão do partido.

Os sindicalistas revolucionários italianos, incluindo Mussolini, foram para a guerra – uma posição perfeitamente em linha com a de outros marxistas europeus, incluindo os do SPD alemão. Quando o conflito terminou, os marxistas italianos pró-guerra regressaram para casa mas foram antagonizados pelos marxistas italianos anti-guerra. Em conflito com estes, os marxistas pró-guerra fundaram o movimento fascista, com reivindicações como o salário mínimo, o horário laboral de oito horas, a participação dos trabalhadores na gestão das fábricas, a aposentadoria aos 55 anos e o confisco dos bens das congregações religiosas. Será que só eu noto que estas reivindicações fascistas têm origem marxista?

Os marxistas pró-guerra fundaram o movimento fascista, com reivindicações como o salário mínimo, o horário laboral de oito horas, a participação dos trabalhadores na gestão das fábricas, a aposentadoria aos 55 anos e o confisco dos bens das congregações religiosas.

O pensamento fascista foi evoluindo. Recorde-se que Marx e Engels consideravam que o capitalismo era uma fase necessária e imprescindível da história humana e que sem capitalismo nunca haveria comunismo. Os bolcheviques renegaram esta parte do marxismo quando preconizaram que na Rússia era possível passar diretamente de uma sociedade feudal para o comunismo, mas neste ponto os fascistas mantiveram-se marxistas ortodoxos ao aceitar que o capitalismo teria de ser temporariamente cultivado em Itália.

Noutros pontos os fascistas desviaram-se da ortodoxia marxista. Por exemplo, aproximaram-se do revisionismo bolchevista quando abraçaram a ideia soreliana da violência provocada por uma vanguarda e afastaram-se do marxismo e do bolchevismo quando aderiram à ideia baueriana de que o sentimento de nação era para o proletariado mais galvanizador do que o sentimento de classe. Isto levou-os a dizer que a luta de classes não se aplicava a Itália porque esta era já uma nação proletária explorada pelas nações capitalistas. A luta de classes apenas iria dividir a nação proletária, pelo que em vez de conflitualidade deveria haver cooperação entre classes. O chamado corporativismo.

O pensamento fascista continuou a evoluir, sobretudo em consequência do Bienio Rosso, levando os comunistas italianos a lançar uma campanha de ocupação selvagem de fábricas e de propriedades rurais. Estes eventos levaram os fascistas a afastarem-se mais do marxismo, pois entendiam que estas ações enfraqueciam a nação, que designavam de “classe das classes”, ao ponto de começarem a proclamar-se anti-marxistas. Convém no entanto recordar que Mussolini esclareceu que o fascismo objetava ao marxismo não por este ser socialista, mas por ser anti-nacional.

Tudo isto está explicado, com muito mais pormenor, nas minhas sagas As Flores de Lótuse O Pavilhão Púrpura, e curiosamente nada disto foi desmentido por ninguém. Os meus críticos limitaram-se a constatar que os fascistas se descreviam como anti-marxistas – e assim foi a partir de certo ponto. Mas isso nada me desmente porque nunca disse que os fascistas, na sua fase já amadurecida, eram marxistas. O que eu disse, e repito, é que o fascismo é um movimento de origem marxista.

Se acham que o fascismo não tem origens marxistas, aproveitem também para desmentir por que o fascismo alemão se designava nacional-socialismo. Como acham que a palavra socialismo foi parar ali? Por acaso?
Jornalista, apresentador do Telejornal da RTP, professor da Universidade de Lisboa e escritor nascido na antiga colônia portuguesa de Moçambique. Autor dos livros A Ilha das Trevas, Codex 632, As Flores de Lótus e O Pavilhão Púrpura, além de outras 12 obras. Eleito em 2016 o melhor escritor português da atualidade.

Neste mês de maio, dia 18, o meu pai, Dirceu Marques Galvão, completaria 100 anos de idade. Muita história, muitas lembranças. Incontidas saudades. A música de Roberto Carlos, O Divã, toca fundo...

Uma mensagem para Chico Buarque, que se esmera no papel de defensor de corruptos e ditadores.

Sugestão de Willame Braga 
Eduardo Affonso

Meu caro Chico,

Me perdoe, por favor se a minha admiração não é mais irrestrita. Hoje você apoia quem manda roubar, roubou e tem roubado, não tem discussão. Não se importa em ver a Pátria Mãe, tão distraída ser subtraída em tenebrosas transações.

O que será que lhe dá, pra defender quem não tem decência, nem nunca terá, quem não tem vergonha, nem nunca terá, quem não tem limite?

Cantei cada uma das suas canções como se fosse a última. Li cada livro seu como se fosse o único. E, olhos nos olhos, dói ver o que você faz ao defender quem corrompe, engana e mente demais.

Não é por estar na sua presença, mas você vai mal. Vai mal demais. Eu te vejo sumir por aí, arruinando a biografia - que se arrasta no chão -, cúmplice de malandro com aparato de malandro oficial, malandro investigado na Polícia Federal.

É, Chico, você tá diferente, já não te conheço mais. Quem te viu, quem te vê.

Trocando em miúdos, pode guardar as sobras de tudo que não conseguirem roubar. Apesar de você - e do PT - amanhã há de ser outro dia.

Começou o rojão! É festa com força! Tudo na Vaquejada do Estrela Park Show, em Cajazeiras.

Abertura da Vaquejada do Estrela Park Show de Cajazeiras é marcada por bênçãos e homenagens a Nossa Senhora

Por volta das 18hs desta sexta-feira dia 27, o Parque de Vaquejada Estrela Park Show abriu oficialmente a sua 6ª edição e foi marcada com a bênção dos Vaqueiros através do Padre Janílson Rolim, que abençoou a todos participantes das disputas que só ocorrerão no próximo domingo dia 29.