quarta-feira, 31 de janeiro de 2018

100 anos de Dona Letícia Palmeira, uma das mulheres lendárias da história de Cajazeiras.


Sempre sinto saudades de minha mãe. Neste dia 29 de janeiro, Dona Letícia completaria 100 anos! Mas ela foi pra junto de Deus em 1990. Por isso, mãe, continue nos abençoando com a graça do Pai Eterno!
Sargento da Polícia Militar lotado no 6º BPM com sede em Cajazeiras é encontrado morto
O corpo foi encontrado na tarde desta quarta-feira (31), em sua residência, na zona rural do município.
Luzia de Sousa
Sargento Iran (Foto: Arquivo pessoal)

O 3º Sargento Júlio Hiran Belmont Batista, 52 anos, da Polícia Militar da Paraíba, lotado no 6º BPM, com sede em Cajazeiras foi encontrado morto em sua residência, no Sítio Catolé, zona rural do município.

O corpo foi encontrado na tarde desta quarta-feira (31), e segundo a PM, a causa morte pode ter sido suicídio.

Informações chegadas à redação do Diário do Sertãodão conta que o policial estava passando pro vários, inclusive depressão.

A Polícia Militar foi acionada por populares e encontra-se no local. A perícia também foi acionada e deverá encaminhar o corpo ao IML de Patos.

Segundo informações de um familiar, depois que o sargento sofreu um tiro no punho durante uma operação policial na antiga palhoça ficou sem trabalhar por um tempo, pediu a aposentadoria, mas não foi concedida. O PM passou a fazer serviço interno no batalhão, e teria entrado em depressão, quando teria sido afastado mais uma vez da função.

Ele era filho do falecido Tutu Corró, do Sítio Catolé e deixou a esposa 4 filhos.
Travesti acusada de esfaquear Warley é solta na audiência de custódia
Victor Coelho, de 26 anos, foi detido na terça (30) em Cabedelo, e responderá em liberdade
WSCom
Foi liberada, após audiência de custódia nesta quarta-feira (31), a travesti 'Vitória' acusada de esfaquear o ex-jogador Warley Silva Santos.

Victor Coelho, de 26 anos, foi detido na terça (30) em Cabedelo, na região metropolitana da capital. Com ele a polícia encontrou o celular do ex-jogador. 'Vitória' vai responder ao processo em liberdade.

Em depoimento à polícia, Victor informou que é travesti e atua como garoto de programa na orla pessoense. Ele disse que a versão dada pelo atual gerente de futebol do Botafogo não seria verdadeira e que não houve assalto. O ex-jogador teria contratado seus serviços, mas não pagou.
Polícia Militar prende “Caboré” acusado de estupro a vulnerável em Cajazeiras
No momento da prisão o foragido não ofereceu resistência e em seguida foi conduzido para a Delegacia de Polícia Civil de Cajazeiras.
Luzia de Sousa DiáriodoSertão
Homem foi preso em Cajazeiras (Imagem da internet)

Por volta das 12 horas desta quarta-feira (31), Policiais Militares do 6° BPM cumpriram um mandado de prisão em desfavor de Antônio Pereira Fonseca Filho, 41 anos, mais conhecido por “Caboré”. Ele é morador do Conjunto Ronaldo Cunha Lima, zona norte da cidade.

A prisão ocorreu por força de mandado judicial, expedido pela 2ª Vara da Comarca de Cajazeiras, através do juiz Ricardo Amorim, sob acusação de estupro de vulnerável.

No momento da prisão o foragido não ofereceu resistência e em seguida foi conduzido para a Delegacia de Polícia Civil de Cajazeiras.

Tenho um primo que, no cabaré, antes de acertar o preço da 'coisada', pergunta logo se a dama beija na boca. Se não, não tem acerto...

Tamanho do pênis, posição sexual nem preliminares, mulheres dizem os erros do parceiro na hora do sexo
Mulheres revelam qual o maior erro que o homem pode cometer na relação sexual

Saber que está agradando uma mulher na cama massageia o ego masculino. Por isso, muitos caras estão sempre tentando descobrir o que podem fazer para não decepcionar na hora H. Se você acha que o que influencia na relação sexual é o tamanho do pênis, a posição ou as preliminares está muito enganado.

Diversas mulheres debateram sobre o tema em um fórum de discussão da rede social Reddit e chegaram à conclusão de que o maior pecado de um homem é não beijar a mulher durante a relação sexual. E não se trata de selinho, elas desejam beijos de língua durante o momento de prazer.

De acordo com informações divulgadas pelo portal britânico “Daily Star”, nos comentários as internautas revelam o que pensam. “O sexo sem beijo é um erro absoluto”, diz uma mulher. “Isso me faz sentir como se fosse uma prostituta barata e que não sou desejável para meu parceiro”, expõe outra. “É bom saber que não sou a única a pensar assim”, diz, aliviada, mais uma internauta.

Muitos deles concordam com elas
Alguns homens entraram na discussão e também deixaram sua opinião. “Eu também amo beijos apaixonados. O sexo nunca é ótimo sem isso”, diz um internauta. Outro concorda: “Você definitivamente perde uma sensação de conexão e intimidade quando o beijo é removido da relação”. Mais um ainda acrescenta: “Como homem, eu garanto que também não conseguia entender o sexo sem beijo”.

O interessante é que boa parte das pessoas colocaram o beijo como algo fundamental para uma relação em que existe amor e não apenas desejo físico. Uma mulher chegou a comentar que não acredita que os homens só se importam com a penetração: “Sinto que é uma falsa ideia”.

Não faz diferença?
Entretanto, nem todos concordam com isso. “Depende de como é o sexo. Será rude? Então eu realmente não preciso disso”, comenta um homem. Outro admite: “Há situações em que não tolerei os beijos e outras que eu realmente achei necessário e sensual. Depende do tipo de sexo que eu estou tendo”. Mais um acrescenta: “Minha namorada e eu nos beijamos durante a relação, mas isso não faz diferença para nós”.

E você, acredita que o beijo é ou não fundamental em uma relação sexual?

Veja o vídeo...E isso é lá o que se faça com um homem de ressaca?!


Não faltou nada para parecer humano...

Rato é visto tomando banho 'como humano' e choca internautas
IG

Quem foi que disse que todo rato é sujo? Um vídeo que se transformou em viral veio 'desmentir' essa ideia, ao menos no caso de um roedor 'vaidoso', que foi visto tomando banho em uma pia de forma bem semelhante a um ser humano. O "momento íntimo" foi gravado na cidade de Huaraz, no Peru e tem chocado os internautas, que se questionam se a cena é possível. 

Agora, vai!

Sugestão de Kleber Lima no WhatsApp

Só quer ser o Bar de Dércio, lá em Cajazeiras...

COISA DIFÍCIL DE ENCONTRAR
DiáriodoPoder
O senador César Cals fazia campanha quando, esfomeado, parou num arruado próximo a Milhã, no sertão do Ceará. Na bodega, pediu o que era possível naquele lugar: ovo caipira, bode seco, cuscuz e q-suco. A numerosa comitiva tirou a barriga da miséria, mas, na hora da conta, o bodegueiro cobrou preço de restaurante cinco estrelas. Cals ironizou:

- Muito caro, meu velho. Ovo por aqui é difícil de encontrar?

- Ovo inté que é fácil, dotô. Difícil mesmo é senadô...

Depois do pragmatismo, lulistas entram em fase de radicalização e de confronto 
Marcelo Coelho - Folha de São Paulo 
Compreende-se a revolta das áreas petistas após a condenação de Lula –e o ideal seria que os advogados dessem um jeito de garantir, pelo menos, sua candidatura neste ano.

Parte do PT e suas adjacências parece apostar, enquanto isso, numa tática de confronto. Minha impressão é que tudo se resume a uma bravata –mas a psicologia da coisa, e suas consequências, merecem algum comentário.

Minha impressão é que, quanto mais se radicalizam, petistas e simpatizantes ficam isolados.

Começam a esboçar movimentos para se afastar do campo democrático –justamente quando Bolsonaro e companhia pedem coordenação de esforços.

A revolta, o confronto e a violência resultam de uma sensação generalizada nesse campo: a de que o jogo democrático está perdido. Lembra a criança que, depois de algumas derrotas, faz cara feia e diz "não brinco mais".

Voltando um pouco atrás, o movimento mental e político do PT se deu em quatro tempos. Primeiro, havia o sonho, a utopia, a ideia de uma "nova maneira de fazer política", a confiança nas bases e na democracia interna, a incansável denúncia da corrupção alheia.

Num segundo momento, decidiu-se que era preciso ganhar a Presidência, aliar-se com quem fosse possível, ignorar as resistências da base partidária. Marco desse processo ocorreu em 1997, quando José Dirceu impôs o nome de Anthony Garotinho ao diretório estadual do Rio, que queria Vladimir Palmeira como candidato a governador.

O "pragmatismo político" se revelou vitorioso em 2002, e é como se o lulismo tivesse entrado num longo estado de embriaguez com a "realidade". Os petistas brincavam que o PSOL, mais principista, estava "no mundo da PLUA". Sentiam-se adultos e fortes, como todo mundo que alcança posições de poder.

A realidade, naturalmente, é suja –e eles mergulharam até o pescoço dentro dela. Até os olhos, para dizer melhor.

Pois o extremo do realismo vem junto com uma incapacidade de enxergar o real. O realismo exige caixa 2, corrupção, vinho francês com Duda Mendonça e tapinhas na barriga de Leo Pinheiro. Mas você faz de conta que isso não existe.

O PT, ou melhor, os petistas (pois a liderança sabia bem o que estava fazendo) entram em negação dos fatos, sustentando a sério que Lula era apenas um "comprador potencial" do apartamento que Leo Pinheiro mandou reformar para ele.

E Dilma Rousseff, que tentara um ajuste ortodoxo com Joaquim Levy, foi tirada do poder "porque estava do lado do trabalhador e contra as reformas liberais". Negada a realidade, é natural que se passe à radicalização. Esquecem-se as correlações de força, as chances de vitória, os próprios motivos da luta.

Intelectuais decretam solenemente que a via da conciliação é impossível para a esquerda. Deveriam, sim, dizer que sem futuro para a esquerda é entregar-se à corrupção. Defende-se com unhas e dentes não uma utopia, mas um tríplex no Guarujá.

Com a prática da centralização decisória, com o abandono da autonomia das bases partidárias, com o descaso frente à tarefa da organização local, duas consequências não poderiam deixar de acontecer.

A primeira é que se fortalece o segredo de cúpula contra o exame público das opções tomadas. O inconfessável vence a transparência, a mitologia esmaga a verdade. É a clássica história dos antigos partidos de esquerda, que o PT, inicialmente, pensava superar.

A segunda é que o partido passa a depender da figura de seu único líder, infalível e inimputável.

Fui contra o impeachment de Dilma Rousseff, porque ela tinha pouca culpa, e considero correta a condenação de Lula, porque ele tem bastante.

Continuo a me considerar de esquerda, e não acho que para isso seja necessário esquecer as irresponsabilidades, erros, traições e malandragens que a cúpula do PT cometeu, não por moderação, mas por autoritarismo, conforto, interesse e arrogância.

Ah, o PT foi "injustiçado"? Então vamos seguir o raciocínio. Sobra uma liderança com experiência, honestidade e firmeza de princípios para candidatar-se. "Contra a vontade popular", tiraram-na do poder. É Dilma Rousseff. Podia ser candidata, não? O que acham, companheiros?

Terra, mar e ar apoiaram Cármen 
O Antagonista

Cármen Lúcia foi apoiada por terra, mar e ar a resistir às pressões de quem queria voltar a julgar no STF a execução de pena de condenados em segunda instância e revisar a lei da Ficha Limpa.

Terra, mar e ar deixaram claro que não admitiriam a hipótese de ter um criminoso condenado como Chefe Supremo. 

A prisão domiciliar de Lula

Lula está perdendo seus aliados.

Até ontem, ainda se discutia a possibilidade de salvá-lo da cadeia.

Agora, abatido por Cármen Lúcia, que contou com apoio de terra, mar e ar, o máximo que ele deve conseguir – ao menos provisoriamente – é a prisão domiciliar.

O quadrilheiro terá de ser confinado em metade da cobertura de São Bernardo, porque a outra metade – aquela que foi comprada pelo departamento de propinas da Odebrecht – será leiloada por Sergio Moro.

Os recados do STF 

Uma colunista da Folha de S. Paulo – sim, ela mesma – disse que “o STF mandou um recado ao PT: se alguma chance existe de a corte soltar Lula caso ele seja preso, ela pode desaparecer caso a legenda suba o tom de suas críticas contra o Judiciário.”

A resposta de Lula foi entrar com mais um recurso na ONU contra a Lava Jato.

O quadrilheiro sabe que o STF já decidiu enterrar sua candidatura. E que a maioria dos ministros topa também mandá-lo para a cadeia.
Ministro nega a Lula liminar para barrar prisão na Lava Jato
Humberto Martins, vice-presidente do Superior Tribunal de Justiça, rejeitou pedido em caráter provisório; mérito será avaliado pela 5ª Turma da Corte.
Luiz Vassallo, Rafael Moraes Moura e Amanda Pupo
O Estado de São Paulo

O vice-presidente do Superior Tribunal de Justiça, Humberto Martins, rejeitou, nesta terça-feira, 30, liminar ao ex-presidente Lula, para barrar a execução de sua pena de 12 anos e 1 mês no âmbito da Operação Lava Jato. O mérito da questão será avaliado pela 5ª Turma da Corte, sob relatoria do ministro Felix Ficher.

O ex-presidente teve sua condenação confirmada, por 3 a 0, no Tribunal da Lava Jato e ainda viu sua pena ser aumentada de 9 anos e 6 meses para 12 anos e 1 mês, por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Assim como o juiz federal Sérgio Moro, os desembargadores entenderam que o triplex no condomínio Solaris e suas respectivas reformas custeadas pela OAS representam propinas de R$ 2,2 milhões ao petista.

Ao condenar Lula, os desembargadores ainda pediram para que, após esgotado seu último recurso ao TRF-4, a pena de prisão, em regime fechado, seja executada. Contra o cumprimento da pena, Lula se insurgiu ao STJ e pediu para que possa recorrer até as Cortes Superiores, em liberdade, e para que seja suspensa a sua inelegibilidade.

Ao rejeitar o pedido, o ministro afirma que ’em recentes julgados, tenho adotado o entendimento de que é possível a execução provisória de acórdão penal condenatório proferido em grau recursal, mesmo que sujeito a recurso especial ou extraordinário, não havendo falar-se em violação do princípio constitucional da presunção de inocência’.

Segundo os advogados do ex-presidente, em habeas corpus, não bastaria o atual entendimento do Supremo Tribunal Federal, firmado em votação histórica em outubro de 2016, nem a súmula 122 do TRF-4, que prevê o cumprimento de pena após sentença condenatória de segunda instância.

No entanto, o ministro afirma que ‘não há plausibilidade do direito invocado pelo impetrante, pois a possibilidade de execução provisória da pena encontra amparo na jurisprudência das Cortes Superiores’.

“Isso porque o Supremo Tribunal Federal, ao julgar o HC 126.292, passou a adotar o entendimento de que não viola a presunção constitucional de não culpabilidade a execução provisória da pena quando pendente recurso sem efeito suspensivo, como são os recursos extraordinário e especial, nos quais não há mais possibilidade de discussão acerca da matéria de fato”, afirma.

Na decisão, o ministro ainda lembrou que no julgamento do TRF-4 foi determinado que não seria iniciada a execução provisória da pena de Lula após o término da sessão ocorrida no dia 24 de janeiro.

“Por ter sido assegurado ao ex-Presidente que eventual prisão não será implementada antes do exaurimento da jurisdição ordinária, parece-me, ao menos, por ora, que não há configuração de ato consubstanciador de constrangimento à sua liberdade de locomoção”, disse, lembrando de uma recente decisão que tomou ao negar um HC preventivo em favor de Lula pedido pelo advogado John Lennon Silvestre de Melo, que não integra a defesa do petista.

Martins destacou que o STJ já tem entendimento no sentido de que o habeas corpus preventivo tem cabimento quando houver ameaça à liberdade de locomoção. “Dessa forma, diante de tudo o que foi explicitado acima, o fundado receio de ilegal constrangimento e a possibilidade de imediata prisão não parecem presentes e afastam o reconhecimento, neste exame limitado aos requisitos dos provimentos de urgência, da configuração do perigo da demora, o que, por si só, é suficiente para o indeferimento do pedido liminar”.

O ministro ainda pediu que o TRF-4 receba ofício para que preste informações no caso, e deu vista ao Ministério Público Federal (MPF).

O relator do HC é ministro Felix Fischer, relator de casos da Operação Lava Jato no STJ, mas Martins é quem está no exercício da presidência durante o recesso até esta quarta-feira (31), responsável pela análise de pedidos urgentes.

Vai vendo...

“Filósofa” defensora de assaltos recebeu R$ 77 mil para ensinar “ética” em estatais
Marcelo Faria - Ilisp

A “filósofa” Márcia Tiburi, nacionalmente conhecida após fugir de um debate e ter um vídeo em que ela defende assaltos, recebeu R$ 77 mil de diversos órgãos estatais para palestrar sobre “ética”. A informação foi obtida pelo ILISP por meio de consultas ao Diário Oficial da União, Diários Oficiais estaduais e Portal da Transparência. Todas as contratações foram feitas sem licitação.

Nos últimos cinco anos, os seguintes órgãos estatais contrataram a apresentação sobre “ética” ministrada por Márcia Tiburi: Delegacia da Receita Federal em Juiz de Fora (R$ 11,6 mil), EMBRAPA (R$ 6 mil), Justiça Federal de Santa Catarina (R$ 15,3 mil), Tribunal Regional Eleitoral da Bahia (R$ 15 mil), Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Sul (R$ 11,6 mil), Universidade Federal de Campina Grande (R$ 7 mil) e Universidade Federal de Pelotas (R$ 10,5 mil), totalizando R$ 77 mil reais dos pagadores de impostos gastos com o ensino da “ética” feito por Tiburi.

A “filósofa”, entretanto, faturou ainda mais prestando outros serviços a órgãos estatais. Uma palestra para o Tribunal Regional do Trabalho da 24a Região sobre “Memória” rendeu R$ 11 mil em 2008. Três palestras para o Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul custaram R$ 15 mil em 2012. A divulgação de um livro da própria Márcia Tiburi, o romance “Era Meu Esse Rosto”, custou R$ 16 mil aos pagadores de impostos do Ceará em 2012. Já um convite para falar sobre “Direitos das Mulheres” para a bancada feminina da Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina custou R$ 12 mil em 2017.

Mesmo a entrevista em que defende assaltos – realizada no programa “Espaço Público” da TV Brasil  – não saiu do bolso de Márcia: realizada para divulgar outro livro da “filósofa”, “Como Conversar com um Fascista”, a aparição televisiva custou R$ 457,90 aos brasileiros.

No total, a “filósofa” que afirma ser “favorável ao assalto” embolsou, do dinheiro tomado a força de milhões de contribuintes brasileiros, um total de R$ 162.306,90 desde 2008. O valor, entretanto, certamente é ainda maior: Tiburi também palestrou no “XI Encontro Institucional da Magistratura do Trabalho do Rio Grande do Sul”, realizado pelo Tribunal Regional do Trabalho da 4a Região, onde a totalidade de palestrantes (cuja “estrela” era Leandro Karnal) custou R$ 36,2 mil aos trabalhadores brasileiros; e também foi responsável por falar sobre “ética” no “XII Seminário de Gestão da Ética nas Empresas Estatais”, organizado pelo Banco do Nordeste e cuja contratação não foi localizada pelo ILISP.
Márcia Tiburi ensinando “ética” aos bancos estatais, Correios, Eletrobras e Infraero

Na capa d'O Globo


A primeira página do jornal Correio Braziliense


Os destaques do Jornal do Commercio


As manchetes do jornal Zero Hora


As manchetes de jornais brasileiros nesta quarta-feira

FolhadeSãoPaulo: Defesa de Lula recorre ao STJ, que recusa pedido de Habeas Corpus

Globo: STJ nega pedido de Lula para evitar prisão

Extra: Tiroteios: Manual de Sobrevivência

Estadão: STJ nega pedido de Habeas Corpus de Lula para evitar prisão e inelegibilidade

ValorEconômico: Ministro do STJ nega habeas corpus preventivo ao ex-presidente Lula

ZeroHora: STJ nega Hábeas a Lula e Cármem Lúcia rejeita rever prisão após 2ª instância

EstadodeMinas: Febre amarela mata mais de 100 no país

CorreioBraziliense: STJ nega pedido de Lula, que tenta evitar prisão

CorreiodaBahia: Ônibus deixam de rodar em dois bairros

JornaldoCommercio: Gasto com servidores puxa déficit do Estado

DiáriodoNordeste: Temer autoriza o envio de força-tarefa da PF ao Ceará

CorreiodaParaíba: STJ nega habeas corpus para impedir a prisão de Lula

terça-feira, 30 de janeiro de 2018

URGENTE: STJ NEGA HABEAS CORPUS A LULA
O Antgonista

Humberto Martins, vice-presidente do STJ, acaba de negar liminar no pedido habeas corpus impetrado pela defesa do ex-presidente Lula.

Já ouvi falar que - quem tem - tem medo...

LULA PEDE HABEAS CORPUS NO STJ PARA EVITAR A CADEIA
O Antagonista

Advogados de Lula entraram no STJ com um pedido de habeas corpus preventivo para afastar a possibilidade de antecipação de cumprimento da pena a que ele foi condenado — de 12 anos e 1 mês de prisão em regime fechado –, no caso do triplex do Guarujá.

Na capa do jornal Extra


Na capa do Lance: o São Paulo tem novo ataque


Os destaques do jornal O Estado de São Paulo


As manchetes do jornal Correio Braziliense


As manchetes de jornais brasileiros nesta terça-feira

FolhadeSãoPaulo: No Ceará, briga de facções deixa 10 mortos em cadeia lotada

Globo: Com carnaval na rua, Rio ainda não tem plano de segurança

Extra: Pezão, governador do Rio: "Aqui se mata polícia como se mata galinha"

Estadão: Aumentam aposentadorias por tempo de contribuição

ValorEconômico: União cobra imposto de propina da Lava-Jato

ZeroHora: Descuido de aliados adia inicio de votação de projetos do Piratini

EstadodeMinas: Juízes e MP pressionam para manter regalias

CorreioBraziliense: Moro ordena o leilão de triplex atribuído a Lula

CorreiodaBahia: Fogo destrói 61 ônibus em garagem

DiáriodePernambuco: Estado mira a indústria das Forças Armadas

DiáriodoNordeste: A guerra continua: 10 presos executados em Itapajé

CorreiodaParaíba: Assalto em plena luz do dia

segunda-feira, 29 de janeiro de 2018

Após derrota para Botafogo, diretoria do Atlético decide manter treinador e durante reunião cobra empenho dos jogadores
Portal CZN
O Atlético de Cajazeiras ocupa a segunda colocação do Grupo B do Paraibano e, mesmo assim, o técnico Índio Ferreira se ofereceu para deixar o comando técnico da equipe, após a derrota do Trovão Azul para o Botafogo-PB, por 2 a 0, na tarde desse domingo, no Estádio “O Perpetão”. Após reunião com a diretoria atleticana, e ele segue no comando do time.

Na manhã dessa segunda-feira (29), os dirigentes do clube (Lira, Harley e Neguinho), se reuniram com os jogadores cobrando empenho e compromisso. A direção do Trovão Azul deu uma chance para o elenco, caso os atletas não consigam resultados dentro de campo possivelmente poderá haver severas mudanças no elenco e comissão técnica.

O Atlético terá um difícil compromisso com o Nacional no Estádio José Cavalcante, e após isso receberá em seus domínios o Campinense.

Frassales sente saudades de sua infância cajazeirense. E sua memória sensível provoca doces lembranças em todos nós.

Saudade da infância 
Francisco Frassales Cartaxo 

Amanhecei com saudade de mim mesmo, de minha infância vivida toda ela em Cajazeiras. Nostalgia? Bem provável. Afinal foram situações e momentos significativos que me marcaram e, talvez, tenham mexido com o sentimento de outras pessoas. Tenho profunda saudade da sangria do Açude Grande, quando não havia o canal que Ivan Bichara Sobreira mandou construir. Lembranças da água a rolar nas pedras irregulares, fazendo pequenas cachoeiras, cheias de espumas até espraiar-se na baixada, encostar na calçada alta na casa onde nasci. Nas grandes cheias, a água invadia o quintal pelo portão da frente e a gente pescava sem sair da calçada. Depois, vinha a inundação das terras à margem do curso do riacho, deixando mais rico o solo.

Tenho fortes lembranças do leito seco do riacho Cajazeiras. Não apenas pelas brincadeiras como o futebol de bola de meia, o jogo de castanha, os saltos mortais, nos quais eu nunca me arriscava. Na areia no riacho eu também vi pequenas tragédias, a morte de uma criança. Foi num fim de tarde, quando o sol já não reinava mais. Uma menina, mais ou menos de meu tope, acompanhava a mãe. Ia na frente, saltitante, corria e parava, como em brincadeira. De repente, se estende no chão. Da calçada alta de nossa casa, minha mãe e eu, vimos a aflição da mãe tentando reanimar sua filha, a angústia expressa em lamentos e invocações aos céus. Corremos. Minha mãe abaixa-se, pega o pulso da menina, apalpa o coração, pressente o trágico colapso iminente. 

- Corre, Frassales, traz uma vela depressa.

A senhora desconhecida se opõe com inusitado vigor, para surpresa de todos nós. Vira-se para dona Isabel e fala de modo incisivo:

- Não carece vela não... ela já tem a luz do Senhor. 

Aquelas palavras se aninharam de forma fulminante na minha cabeça de criança. Ali estava o símbolo de grande diferença entre os católicos e os protestantes. Ou entre cristãos romanos e crentes, como era mais comum chamar os evangélicos naquele tempo.

Tenho saudade da escola de Carmelita Gonçalves, minha professora de primeiras letras, após a iniciação em casa com minha irmã Ilina. A memória guarda visões do percurso desde minha casa, onde hoje funciona o Capes, à Praça da Estação, então o extremo leste da cidade. Uma enorme caminhada diária! Meu roteiro preferido era pela rua Victor Jurema, sem calçamento, uma casa aqui e outra ali, algumas sem calçada. Havia muitos terrenos baldios onde, em época de chuvas, nascia babugem de todo tipo, mata-pasto, melão de são caetano, canapu, maxixe, pés de milho, feijão de corda, melancia e jerimum. Estes sempre me atraiam, pela curiosidade de acompanhar o rápido crescimento das vingas. Quando não via nos terrenos baldios da rua, procurava fazê-lo ao redor da casa de meus pais com mais gosto ainda porque ali, sim, a gente plantava, limpava e colhia. 
Quando encontro Carmelita, em nossos dias, com seu passo de menina, sua alegria, sua bondade irradiada por onde passa, eu me lembro do padre Rolim, cujo perfil de educador foi referenciado, vezes sem conta, pelo meu pai. Cristiano Cartaxo nasceu em 1887, portanto, conheceu padre Rolim nos últimos anos de sua quase centenária existência. Essa associação que eu faço pode até ser fantasiosa. Em minha mente, porém, as duas criaturas - padre Rolim e Carmelita -, se fundem na imaginária superposição de fotografias e personalidades, unidas pela beleza moral e extrema dedicação ao ensino.

Em busca de nova narrativa...

A predileção, agora, é pelo desembargador João Pedro Gebran Neto
NONATO VIEGAS

Sergio Moro perdeu o posto de juiz mais odiado entre os petistas. Deu lugar ao desembargador do TRF4 João Pedro Gebran Neto.
Foliões podem brincar o carnaval em Cajazeiras, Sousa e Bonito
Carnaval época propícia a render histórias para o ano todo.

A programação do carnaval 2018 em algumas cidades do Sertão da Paraíba já foram divulgadas entre elas está Cajazeiras, Sousa, Bonito de Santa Fé e expectativa é atrair inúmeros folias na Paraíba.

Sousa

A Prefeitura de Sousa, por meio da Secretaria de Turismo, anunciou o carnaval Sorri Folia 2018, que será realizado entre os dias 8 e 13 de fevereiro. A festa tem alusão ao senhor Zezito de João Domingos, o grande homenageado.

O evento contará com total estrutura para levar diversão, lazer e segurança aos foliões que vão brincar os dias de festa. Por dia, serão 35 homens do Corpo de Bombeiros, 80 Polícia Militar, 20 homens da Guarda Municipal e 20 agentes da STRANS. O evento ainda oferecerá estrutura para serviços de saúde, com ambulâncias do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU). Ainda acontecerá inspeções da Vigilância Sanitária, com entrega de kits de manipulação dos alimentos.

Cajazeiras

O Carnaval 2018 de Cajazeiras terá a cantora Márcia Fellipe e as bandas Saia Rodada e Cavaleiros como as principais atrações. Os shows começam no sábado (10) e vão até terça-feira (13). Toda a programação é gratuita.

No dia 9 de fevereiro, na sexta-feira, vai ser feita a abertura extraoficial com o desfile dos blocos Os Imprensados e o Baile do Havaí no Campestre Clube. Durante todos os dias de carnaval haverá desfile dos blocos tradicionais: Virgens (Sábado), Amélia Nunca Mais e bloco do Índio (Domingo), Cafuçú (Segunda) e Dindim de Cajá (Terça).

De acordo com o prefeito de Cajazeiras, José Aldemir (PP), o evento deve contar com apoio da iniciativa privada. Todos os blocos vão ter ajuda nos custos por parte da Prefeitura, com ajuda financeira para mini-trios elétricos e banheiros químicos.

Bonito de Santa Fé

Programação oficial do tradicional “Bonito Folia 2018”, o carnaval que abre o carnaval de rua no Alto Sertão da Paraíba. O anúncio foi feito pelo jornalista Wilson Furtado, que promove o evento em sua 21ª edição.

As apresentações serão realizadas em Praça Pública, na cidade de Bonito de Santa Fé, na noite do sábado, 3 de fevereiro, a partir das 22 horas. A festa é gratuita. A folia ficará por conta de Rafinha do Arrocha, Luan Pakerô e Everly Paloma e Forró Bom de Mexer.

O Carnaval

O carnaval desperta nas pessoas os sentimentos mais variados, desde paixão à aversão, além de uma dose de temor provocada pelas aglomerações. Afinal, a época é propícia a render várias histórias para o ano todo: aquela fantasia que chamou a atenção, a ressaca pós-bloquinho, a animação das crianças e até a paquera sazonal. Mas também tem as experiências não tão agradáveis, que, no máximo, são compartilhadas como forma de alerta. Para garantir que a festa seja um sucesso, as preocupações vão muito além da fantasia e do isoporzinho para manter a bebida gelada.

Alerta
Deixe o carro em casa;
Vista roupas e fantasias leves, arejadas e confortáveis;
Consuma bebidas alcoólicas com moderação;
Evite levar objetos de valor.

Por Ismênia Salviano
Radar Sertanejo
Estudioso prevê pouca recarga de água nos reservatórios que abastecem Sousa, Cajazeiras e Patos esse ano
As previsões foram feitas pelo físico, meteorologista e mestre em Meteorologia Rodrigo Cézar Limeira.
Por Campelo - Diário do Sertão em Sousa
Açude São Gonçalo, no município de Sousa (Foto: Charley Garrido)

A Zona de Convergência Intertropical (ZCIT) está atuando agora de forma intensa no litoral norte do Nordeste, mas em breve deverá provocar precipitações significativas no semiárido da região, afirma o físico, meteorologista e mestre em Meteorologia Rodrigo Cézar Limeira.

Agora no final de janeiro quem está influenciando o tempo é um VCAN (Vórtice Ciclônico de Altos Níveis), e provocando chuvas intensas, ora isoladas e ora esparsas no Sertão e Alto-sertão da Paraíba.

A atuação da ZCIT ocorre de forma mais significativa no semiárido do Estado entre fevereiro e maio. A estação chuvosa do semiárido da PB, RN,CE,PE e porção central do Piauí, deve começar na previsão do pesquisador entre os dias 05 e 15 de fevereiro com chuvas variando entre a média e valores abaixo da média no semiárido dos referidos estados, num período chuvoso irregular.

Os reservatórios que abastecem a cidade Patos, o Açude do Jatobá, a Barragem da Farinha, a Barragem de Capoeira e o Complexo Coremas/Mãe d’ Água devem ter uma recarga máxima de 15% esse ano.

O reservatório que abastece a cidade de Sousa, o Açude de São Gonçalo deve ter uma recarga máxima de 15% esse ano.

Os reservatórios que abastecem a cidade de Cajazeiras, o Açude de Engenheiro Ávidos e a Barragem da Lagoa do Arroz devem ter uma recarga máxima de 20% esse ano.

O pesquisador Rodrigo Cézar Limeira explica que em 2018, a ZCIT estará atuando ao norte de sua Climátologia, fato que vai favorecer a ocorrência de totais pluviômetricos abaixo da média na maioria dos municípios do semiárido da Paraíba, num ano de continuidade da crise hídrica na maioria dos grandes açudes do Semiárido do Estado.
Pabllo Vittar e a roupa invisível do rei nu
Sua música é péssima, lidem com isso. Porém, criticá-lo nestes aspectos meramente musicais faz do crítico um criminoso, preconceituoso, invejoso e homofóbico
Tom Martins* - Gazeta do Povo 

Eis que chegamos ao tempo em que se faz necessário provar às pessoas que a grama é verde e a água é molhada.

Antes de embarcar na insólita investida de argumentar sobre os porquês de a música de Pabllo Vittar ser tão ruim – fato que deveria ser captado menos pelo intelecto do que pela própria experiência sensorial não racional –, serei obrigado a esclarecer dois pontos.

Primeiro, e mais importante: aqui nessas paragens, a discussão é adulta e civilizada. Qualquer acusação de “homofobia” ou correlatos será rechaçada com vigor, porque injusta com quem, como eu, cresceu ouvindo Freddie Mercury, Ney Matogrosso, Tchaikovsky, Bernstein, enfim, a lista é longa, e nunca o fato de serem homossexuais nem sequer ofuscou minha admiração e respeito a eles. O segundo aspecto é que, apesar de estudar música há mais de 30 anos, de ser regente profissional há 17, professor há 25 e de ter ajudado a fundar uma das maiores orquestras jovens do Brasil, a qual dirijo há 12 anos, falarei menos sobre música e seus aspectos técnicos do que sobre ideologia porque, afinal, é disso que o fenômeno se trata.

O que vemos em Pabllo é o grotesco alçado à condição de algo sacrossanto e imune às críticas, por justificativas ideológicas 

Pabllo Vittar é a roupa invisível do rei. Sua música é péssima, lidem com isso. Falta-lhe afinação, técnica, noções básicas de harmonia e ritmo, etc. Coisas que são exigidas de qualquer estudante rudimentar de música. Porém, criticá-lo nestes aspectos meramente musicais, na loucura do neocoletivismo identitário em voga atualmente, faz do crítico um criminoso, preconceituoso, invejoso e homofóbico. Por outro lado, as portas se abrem a quem exalta as finas vestes do rei nu, como ocorreu com Ed Motta recentemente.

Vítimas da “espiral do silêncio”, as pessoas deixam de falar aquilo que pensam, com medo da calúnia e do isolamento. Enquanto isso, o objeto da crítica e, mais do que isso, a ideologia da qual esse objeto é símbolo, avança livre.

O escracho e a obscenidade estão presentes nas artes desde as comédias gregas, passando pelas cantigas de escárnio e maldizer barrocas, a ópera-bufa, até o punk rock oitentista dos Garotos Podres. A diferença é que nem os poetas de escárnio nem os Garotos Podres buscavam moldar o mundo de acordo com o próprio espelho. Todos sabiam que eram escrachados, obscenos ou toscos e, ainda assim, tinham uma preocupação com o produto final ser minimamente bem feito.

O que vemos em Pabllo é o grotesco alçado à condição de algo sacrossanto e imune às críticas, por justificativas ideológicas, extra-artísticas. Pabllo é também uma vítima, uma voz com prazo de validade, marionete de um esquema muito mais poderoso do que ele sequer imagina. Podemos verificar o mesmo fenômeno nos esportes, com Rodrigo “Tiffany” de Abreu e Fallon Fox. O problema não é Pabllo, em si, mas a máquina que o maneja. Para o establishment, não se trata de música, mas de um símbolo a ser defendido politicamente.

Em relação a Vittar, há duas questões: uma estética e outra ideológica. Forjar, na cultura de massas, uma figura desprovida de qualquer noção musical é tornar natural o feio, o grotesco, o mal-acabado. É um problema estético. Da questão estética (acostumar o público com o grotesco) advém a questão ideológica: censurar as divergências para fortalecer uma narrativa política.

Por isso Vittar – e Anitta, o funk carioca, o rap proibidão etc. – são tão nefastos.

Tom Martins é regente titular da OFSSP, compositor, instrumentista e bacharel em Composição e Regência pelo Instituto de Artes da Unesp.

Meu amigo Wilson Furtado convida para o 21º Bonito Folia, a grande festa de Bonito de Santa Fé. Vejam os detalhes.


Luciano Cartaxo entrega primeira Escola Bilíngue da rede pública de João Pessoa
Lenilson Guedes - Os Guedes
João Pessoa acaba de ganhar a primeira Escola Bilíngue da rede pública da Paraíba, situada no Alto do Mateus. A nova unidade, única em parceria com o Consulado Geral dos Estados Unidos no Nordeste, vai funcionar em tempo integral, oferecendo aulas em inglês e português. A entrega foi realizada nesta segunda-feira (29) pelo prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo, que considerou a escola bilíngue como uma proposta pioneira que pode chegar a outras unidades de ensino da rede municipal. As aulas começam no dia 05/02, quanto tem início o ano letivo 2018 nas escolas públicas da capital paraibana. A solenidade contou com a presença do Cônsul-geral dos Estados Unidos em Recife, John Barret.

“Este é mais um passo decisivo para que João Pessoa continue no caminho certo, fazendo o que nunca foi feito na educação. Daqui, os estudantes sairão preparados para a inserção no mercado global, prontos para enfrentar novos desafios em condições de igualdade com o ensino ofertado por outras escolas no mundo”, explicou o prefeito. De acordo com Luciano Cartaxo, a unidade será uma experiência piloto, que certamente será replicada em outras escolas da rede. “A intenção é ampliar as boas experiências que teremos aqui para outras regiões da cidade, consolidando uma rede complementar ao Centro de Línguas Estrangeiras”, mencionou.

A Escola Bilíngue Dom José Maria Pires vai oferecer disciplinas como matemática, geografia e história em dois idiomas. No contra turno, além de atividades lúdico-pedagógicas, os estudantes terão, durante três dias, aulas voltadas para o aprendizado da língua estrangeira, participando de atividades para o desenvolvimento da escuta, leitura e escrita em inglês. “A primeira turma será para alunos do 6º ano. De forma gradativa, vamos chegar a todo o ensino fundamental com os estudantes com domínio pleno da língua inglesa”, explicou a secretária de educação, Edilma Freire.

Os professores da nova unidade passaram por uma seleção interna, recebendo capacitação específica para a aplicação das aulas em inglês e português. A escola dispõe de 14 salas de aulas, todas climatizadas, laboratório de tecnologia, biblioteca, ginásio poliesportivo, quadra, auditório e área de convivência. Diferente de uma escola tradicional, os alunos da bilíngue terão um espaço pedagógico para cada disciplina, integrando um grande circuito para o aprendizado de mais um idioma. A sinalização também é inovadora, com textos e imagens que estimulam a formação dos alunos.

O cônsul-geral dos Estados Unidos, em Recife, John Barret, destacou a importância da parceria com a Prefeitura Municipal de João Pessoa. “Firmamos uma relação em 2013 porque percebemos o entusiasmo com que a Prefeitura de João Pessoa vê o ensino do inglês, mas não imaginávamos que chegaríamos a este momento. Esta é uma iniciativa pioneira em todo o país, fruto de um trabalho incansável de um time de profissionais da prefeitura, que agora vai oferecer formação em inglês para tantas crianças com todas as oportunidades que vem com esta língua”, afirmou.

A entrega da escola contou ainda com a presença da primeira-dama, Maísa Cartaxo, do vice-prefeito, Manoel Junior, do cônsul especialista em Diplomação Pública, Daniel Stwart, da deputada federal, Daniela Ribeiro, do líder do Governo na Câmara Municipal de João Pessoa, Milanez Neto, do presidente municipal do PSD, Lucélio Cartaxo, e do vigário Geral da Arquidiocese da Paraíba, Padre Luiz Junior.
‘Bloco Imprensados’ divulga atração na abertura do Carnaval de Cajazeiras
Gilberto Lira - Resenha Politika
A nova camiseta de desfile do bloco “Imprensados” já foi apresentada e a atração musical que puxará os foliões também. Radialista, o também cantor Biguinho comandará a festa em cima do trio elétrico com a Banda Arromba Elétrico.

Sem cordão de isolamento, os radialistas, jornalistas e profissionais que militam na imprensa se juntam ao povo, para festejar mais um ano do Bloco dos Imprensados. Tradicional em carnavais passados, o bloco voltou a desfilar no ano de 2015, depois de alguns anos afastado da festa de momo da cidade. Esse será o quarto ano consecutivo com coordenação dos radialistas, J.França (Portal CZN e secretário de Comunicação da Prefeitura de Cajazeiras) e Eutim Rodrigues (Editor chefe do Blog do Furão, apresentador e diretor de jornalismo da Difusora Rádio Cajazeiras AM)

O bloco vai desfilar na sexta-feira dia 09 de fevereiro, abrindo o Carnaval de Cajazeiras. Os Imprensados se concentram a partir das 18h na Praça João Pessoa com encerramento na Praça dos Blocos.

CláudioHumberto

O projeto da Lei da Ficha Limpa só foi adiante porque os partidos de “esquerda” (PT, Psol, PDT etc), no poder com Lula, vendiam a ideia de que só havia ladrões na “direita” e se apropriaram da iniciativa. A lei foi sancionada pelo então presidente Lula em 2010. Agora que Lula é apontado o chefe da quadrilha que mais roubou o Brasil, para aqueles partidos a Lei da Ficha Limpa já não é assim tão importante.

O PT percebeu que a Lei da Ficha Limpa poderia atingir adversários como o ex-governador do DF Joaquim Roriz, por isso a viabilizou.

Projeto de iniciativa popular, a Ficha Limpa foi relatada pelo deputado José Eduardo Cardozo (PT-SP), ele mesmo, o advogado de Dilma.

Se antes PT & Cia pregavam a Lei da Ficha Limpa, agora tentam articular no Congresso e até na Justiça uma forma de neutralizá-la.
Nas redes sociais, um destacado desembargador do TJPB faz um questionamento, que reflete o pensamento de muitas pessoas. Disse ele:

"INTRIGANTE:
Várias pessoas que votaram em políticos de direita, a exemplo de Aécio Neves, dizem publicamente que se arrependeram e reconhecem que ele é corrupto, mesmo não tendo sido ainda condenado judicialmente.

Qual o sociólogo que explica esse fenômeno do eleitor da esquerda não reconhecer como justa uma única condenação criminal dos políticos de esquerda?"

Refletindo sobre a provocação do grande desembargador, tomei por apoio o livro "A mente esquerdista", de Lyle Rossiter (Vide Editorial). Foi um banho de informações: a psicologia, a natureza e a liberdade humanas servem de pano de fundo ao estudo do professor americano. E o capítulo 43 é o mais ilustrativo da questão: "a mente esquerdista radical". 

Eu encontrei as principais respostas neste livro. Imperdível!
Sem estrutura, Boa Vista já acolhe mais de 40 mil venezuelanos
THAIS BILENKY
ENVIADA ESPECIAL A BOA VISTA E PACARAIMA (RR)
Folha de São Paulo

Todos os dias, por volta de 7h, quase 400 venezuelanos recém-chegados ao Brasil fazem fila na porta da Polícia Federal em Boa Vista.

Muitas vezes desinformados, esperam os portões abrirem para tentar algum tipo de documentação que lhes permita trabalhar no Brasil. O sol equatorial às 8h já está impiedoso, e crianças começam a chorar no colo de suas mães.

Em 2016, no início da onda migratória de venezuelanos para o Brasil em consequência da crise sociopolítica em seu país natal, homens em idade produtiva eram maioria. Hoje, famílias inteiras aportam com uma ou duas malas e poucas perspectivas.

No dia 18 de janeiro, Lilian Ramos, 31, era uma das primeiras na fila da PF. Estava com a filha em um carrinho de bebê, o marido e mais quatro parentes. De Cumaná, no norte da Venezuela, a Boa Vista, demoraram três dias, dois dos quais dormindo na estrada já em solo brasileiro enquanto esperavam carona.

Ramos chegara três meses antes. Trabalhando como babá, juntou dinheiro para trazer a família, que por ora dorme na casa da patroa dela. Mas a estadia é temporária, e ela não sabe para onde se mudará. "Não tenho como pagar uma casa."

Na mesma fila, dezenas de pessoas não tiveram hospedagem para o primeiro dia, carona na estrada nem trabalho. A consequência é visível em esquinas, praças, calçadas de lojas, bancos e supermercados de Boa Vista.

Cerca de 40 mil venezuelanos estão na capital de Roraima, nas contas da prefeitura -mais de 10% da população da cidade, de 330 mil habitantes. Sem assistência, não conseguem custear passagens para outros Estados com maior oferta de trabalho.

Os sistemas municipais de saúde e educação estão exauridos, os dois abrigos estaduais, superlotados há meses, e o fluxo só aumenta.

Em 2017, 600 crianças foram matriculadas em escolas municipais, 32 mil venezuelanos foram atendidos em unidades básicas de saúde e 277 famílias venezuelanas receberam Bolsa Família.

A Polícia Federal e o Ministério da Justiça são vagos ao responder sobre o contingente de venezuelanos morando no Brasil e em que status (como refugiados ou com autorização temporária).

Em 2016, diz a PF, entraram em Roraima por via terrestre 57 mil venezuelanos e saíram 47 mil -saldo de 10 mil. Em 2017, entraram 71 mil e saíram 29 mil -saldo de 42 mil.

Ainda que não se possa afirmar que a diferença reflita o número de venezuelanos morando no Estado (uma mesma pessoa pode ter entrado várias vezes), as estatísticas atestam o "boom".

De acordo com o Ministério da Justiça, os pedidos de refúgio de venezuelanos saltaram de 3.356 em 2016 (16 atendidos) para 17.865 no ano passado (nenhum atendido ).

"Não há controle na fronteira. A verdade é que você não sabe quem entra", diz a prefeita Teresa Surita (MDB). "A gente procurou o governo federal 500 milhões de vezes. Eles não querem mexer com isso, porque existem relações diplomáticas. Estamos tão distantes que as pessoas não têm noção da dificuldade que enfrentamos. Quando não se vê o problema, faz-se de conta que ele não existe."

Na capa d'O Globo


No jornal Lance: o Verdão está embalado


As manchetes do Jornal do Commercio


Os destaques do jornal Meia Hora


As manchetes de jornais brasileiros nesta segunda-feira

FolhadeSãoPaulo: Sem estrututura, Roraima sofre com o fluxo venezuelano

Globo: Tragédia cruza caminho de bloco

Extra: 300 tiros no coração da Tijuca

Estadão: Fundo público eleitoral dá mais dinheiro a 21 partidos

ValorEconômico: Temer não abre mão do controle da Embraer

ZeroHora: Regime de recuperação fiscal do RS: votação começa pelo futuro de 3 estatais

EstadodeMinas: Temer vai à TV popularizar reforma da Previdência

CorreioBraziliense: Cultos religiosos em repartições públicas dividem até igrejas

CorreiodaBahia: Para Wallace

JornaldoCommercio: Ceará quer ajuda federal após chacina

DiáriodoNordeste: Guerra das facções: moradores vítimas da violência

CorreiodaParaíba: Ex-prefeitos e empresários já fazem campanha para 2020

domingo, 28 de janeiro de 2018

GOLS: Atlético perde em casa para o Botafogo, permanece em 2º, mas crise ameaça o técnico Índio Ferreira
Trovão não conseguiu aproveitar o fato de que o Botafogo entrou em campo com um time misto na tarde deste domingo, no Estádio Perpetão, em Cajazeiras
Por Jocivan Pinheiro
Diário Esportivo

O Atlético não conseguiu aproveitar o fato de que o Botafogo entrou em campo com um time misto na tarde deste domingo (28), no Estádio Perpetão, em Cajazeiras, e mesmo assim perdeu em casa por 2 a 0. Mesmo com a derrota, o Trovão Azul do Sertão permanece na 2ª colocação do Grupo B com 6 pontos, já que o Serrano, que tem o mesmo número de pontos, também perdeu na rodada – para o Nacional por 2 a 0 – e ficou com -4 gols de saldo contra -2 do Atlético. Já o Belo chegou aos 11 pontos e encostou no Campinense, que lidera o Grupo A com 12.
Fogo misto, crise no Trovão e Índio na corda bamba

Pensando no jogo com o Floresta na próxima quarta-feira (31), o técnico Leston Júnior resolveu poupar alguns dos titulares, assim como já havia feito na última quarta-feira na partida contra a Desportiva Guarabira. Mesmo assim, o Belo segurou a pressão do Atlético, principalmente no segundo tempo, e venceu com placar confortável.

Do lado do Atlético, mesmo permanecendo na 2ª colocação do Grupo B, a derrota aumentou a pressão nos bastidores e fez o treinador Índio Ferreira deixar o cargo à disposição da diretoria, que ainda não decidiu se mantém ou demite o técnico.
A partida

O jogo começou equilibrado, mas com o Botafogo criando mais chances de gols. Aos 13 minutos, Marlon lançou Dico, que se livrou da marcação e cruzou na medida para Rafael Castro abrir o placar. Mesmo depois do gol, o Atlético não desanimou e partiu para cima do Alvinegro, mas não conseguiu o empate na primeira etapa.

Depois do intervalo, Índio tirou Jorge Mauá e colocou Duílio. Mais uma vez a substituição melhorou o Trovão, que passou a pressionar mais a defesa adversária e não deixava o Botafogo sair jogando. O Atlético criou muitas chances, mas Mosquito não estava em uma tarde inspirada e desperdiçou várias delas.

A pressão pelo empate seguiu durante todo o segundo tempo, mas foi o Belo que mexeu novamente no placar. Netinho que estava em campo há apenas cinco minutos, recebeu a bola na intermediária e acertou um belo chute para fechar o marcador em 2 a 0.

Próximos jogos

O Atlético só volta a entrar em campo no próximo domingo (04), no Estádio José Cavalcanti, em Patos, diante do Nacional. A partida é válida pela 6ª rodada do Paraibano. Já o Belo encara o Floresta-CE, na quarta-feira (31), em partida válida pela Copa do Brasil. No sábado (03), volta a jogar pelo Paraibano, quando visita o Serrano no Estádio Amigão.
A ESCOLHA DE LIRA
LENA GUIMARÃES
Correio da Paraíba

O líder do MDB no Senado Federal, Raimundo Lira saiu de encontro com o prefeito Luciano Cartaxo e com o vice, Manoel Junior, declarando que defende a unidade das oposições em torno de uma chapa única, e mais, que quer ser candidato à reeleição pelo bloco.

Ainda que Lira não fosse líder da maior bancada no Senado, sua declaração teria peso por se tratar de político oriundo do meio empresarial, de êxito inquestionável, estando, portanto, acostumado a tomar decisões com base em fundamentos sólidos e não em achismo.

Significa que Lira, cujo mandato estará em questão nesta eleição, já tem informações suficientes para tomar uma decisão que pode garantir seu sucesso nas urnas.

Tem relevância também porque vinha transitando livremente nas hostes governistas, defendendo pleitos do governo de Ricardo Coutinho em Brasília, tendo atuado inclusive para liberar recursos para obras e empréstimos emperrados há anos.

Por enquanto, a posição de Lira não confronta a do senador José Maranhão, pré-candidato a governador. Embora o gesto de visitar Luciano seja significativo, o senador declarou apoio à tese da unidade, o que significa a escolha de um lado, mas ainda não de um nome.

Como é estratégico, dá um passo de cada vez. O próximo com certeza envolverá Maranhão, que embora reafirme sua candidatura, não descarta sentar na mesa da oposição. E como tem mandato de senador até 31 de janeiro de 2023, não está obrigado a concorrer neste 2018.

Qualquer que seja a decisão do MDB, com certeza considerará ainda os interesses dos que vão disputar mandatos na Assembleia e Câmara Federal, bem como as novas regras para campanhas, o humor do eleitorado e especialmente o cenário paraibano.

Faltam apenas 70 dias para o fim do prazo de desincompatibilização dos gestores que serão candidatos, para sabermos, por exemplo, se o governador Ricardo Coutinho renunciará para disputar vaga no Senado, compondo chapa com João Azevedo.

Com o movimento que fez, Lira evita decidir a reboque de Ricardo, que tudo indica, será seu adversário.

Torpedo
É fundamental que as oposições se unam para formar uma chapa altamente competitiva. Este é o desejo da maioria dos eleitores: que haja uma competição da oposição com uma chapa competitiva, que atenda geograficamente os grandes colégios eleitorais da Paraíba. 
(Do senador Raimundo Lira, líder do MDB no Senado, defendendo a unidade das oposições na Paraíba).

Pressão...
Em 2014, das cinco maiores votações para a Câmara Federal, três foram do MDB: Veneziano Vital do Rêgo, Hugo Motta e Manoel Júnior. O primeiro pode deixar o partido em março e o terceiro não será candidato.

... do prazo
O deputado Hugo Motta tem confidenciado a amigos que seu prazo para decidir o futuro é 10 de março, por conta da janela de filiações. Se até lá o MDB não oferecer perspectivas, terá que analisar outras possibilidades.

Blefe
Em entrevista a Anderson Soares, Cássio Cunha Lima disse que Ricardo Coutinho blefa quando diz que não é candidato ao Senado. Que na verdade está inviabilizando uma possível candidatura de Lígia Feliciano.

Blefe 2
Cássio explicou: “Se tivesse dito há cinco meses que iria se desincompatibilizar, o eixo do poder na Paraíba teria mudado em direção a vice-governadora”. Ao descartar, ela não teve como trabalhar suas chances.

Zigue-zague
A queda no emprego no Brasil, em 2017, ficou em -0,02%, o que é considerado estabilidade. No Nordeste a redução foi de 0,23%, menos que na Paraíba, -0,87%.

No Nordeste, enquanto a Paraíba perdeu empregos, o Piauí aumentou a oferta de vagas em 1,56%, o Maranhão em 0,26%, o Rio Grande do Norte em 0,22% e a Bahia em 0,05%.