sexta-feira, 4 de agosto de 2017

Governo vai dobrar repasse de Bolsa Família em áreas de risco no Rio
Benefício deverá custar cerca de R$ 6 milhões por mês e a meta é favorecer 40 mil famílias
LETÍCIA FERNANDES - OGlobo
Governo vai dobrar repasse do Bolsa Família a beneficiários que vivem em áreas de risco do Rio

BRASÍLIA - O ministro Osmar Terra (Desenvolvimento Social), que integra a força-tarefa criada pelo governo federal para apontar soluções na segurança e geração de empregos no Rio, anunciou, nesta quinta-feira, que vai dobrar o valor do Bolsa Família recebido por famílias que vivem em áreas de risco na cidade ou no Estado do Rio já a partir de setembro. O foco, porém, será a cidade do Rio.

Segundo o ministro, a ideia é dobrar o benefício a cerca de 25 mil famílias ainda este ano, e a meta final é de 40 mil famílias contempladas até o fim do governo do presidente Michel Temer. Com isso, Osmar Terra calcula um repasse de cerca de R$ 6 milhões por mês, já que a média recebida no Rio é de R$ 150 por família. Com o anúncio, elas passarão a receber uma média de R$ 300.

Para receber o novo benefício, as famílias devem garantir, além da permanência dos jovens na faixa de 12 a 29 anos na escola, também a adesão ao chamado contra-turno: que esses jovens frequentem, fora do horário escolar, uma das 27 unidades militares que existem no Rio e participem das atividades esportivas que acontecerão nesses locais. Além disso, haverá um programa de capacitação profissional desses jovens, com cursos de informática ofertados por colaboradores como Microsoft e Google.

Para estimular esses jovens a participarem das atividades esportivas, o ministro do Esporte, Leonardo Picciani, negocia com jogadores de futebol profissional que apadrinhem essas crianças, comparecendo às unidades militares para incentivar a prática do esporte. O ministro também já conversou com Tite, técnico da seleção brasileira, justamente para estimular a participação dos jogadores.

Segundo o ministro, as áreas prioritárias de atuação serão os Complexos da Maré e do Alemão, o Complexo do Chapadão, Complexo da Penha, além de ações em São Gonçalo, Caxias e Nova Iguaçu.

Só na Maré e no Alemão, algumas das áreas mais flagrantes da cidade, são 36 mil famílias que terão direito ao incremento no Bolsa Família. As outras 4 mil famílias serão contempladas nessas outras áreas, incluindo a Região Metropolitana.

Outra ação que o ministro Osmar Terra quer colocar em prática é o acompanhamento a famílias de jovens que cumprem medidas socioeducativas. Ele usará como modelo um programa que implementou no Rio Grande do Sul quando foi secretário de Saúde. A ideia é dar assistência às famílias, oferecer estágios remunerados aos jovens a partir de 18 anos, e também acompanhar outras crianças das famílias desde pequenas, para evitar que entrem para atividades criminosas.

- Esses jovens não podem ser perdidos de vista, para mim esse grupo de jovens é a chave da violência, o que pode mudar se tiverem acompanhamento - afirmou o ministro.

Nenhum comentário: