domingo, 9 de julho de 2017

Vídeo mostra reação de PM à paisana que matou assaltante em posto de SP
Veja imagens obtidas pelo G1 da tentativa de roubo à loja de conveniência de posto de combustíveis, na Zona Oeste da capital. Três comparsas do assaltante morto foram presos.
Will Soares e Kleber Tomaz, G1 SP, São Paulo
Vídeo mostra reação de PM à paisana que matou criminoso em posto de combustíveis em SP

Um vídeo mostra o momento no qual um policial militar à paisana reage a uma tentativa de assalto a uma loja de conveniência em um posto de combustíveis, e atira e mata um criminoso na madrugada desta sexta-feira (7), na Avenida Sumaré, em Perdizes, região nobre da Zona Oeste de São Paulo (assista acima; as imagens são fortes). O assaltante usava um simulacro, também chamada de arma falsa ou de brinquedo, que foi apreendido, segundo a Polícia Militar (PM).

Após a morte do bandido, outros três comparsas dele foram presos. O PM que atirou estava acompanhado de três colegas de farda. Todos são alunos oficiais da corporação, estavam de folga, sem uniforme, e o aguardavam sair da loja de conveniência do lado de fora.

A quadrilha, de quatro integrantes, chegou ao local, ainda no final da noite de quinta-feira (6), em um carro furtado, que também foi apreendido e entregue ao dono, no 91º Distrito Policial (DP), Ceasa, onde o caso foi registrado como roubo, receptação , morte decorrente de intervenção policial , adulteração de sinal identificador de veiculo automotor e associação criminosa. No total, duas armas falsas e um carro furtado usado pelos bandidos foram apreendidos.
Câmera de segurança grava momento em que PM à paisana atira em criminoso. Vejam o vídeo abaixo:

Como a morte do criminoso e prisão dos três suspeitos teve a participação de policiais, mesmo fora do horário de trabalho, a investigação deverá ser feita pelo Departamento Estadual de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP) e pela Corregedoria da PM.

Policiais ouvidos pela reportagem informaram que as imagens das câmeras de segurança do estabelecimento comercial que gravaram a morte do criminoso deverão ser analisadas pelos investigadores para saber se o PM que atirou cometeu excessos ou matou em legítima defesa. O G1 também teve acesso a gravação do vídeo.

Nas cenas é possível ver um homem entrando no banheiro por volta da 1h. Ele seria um dos comparsas. Pouco depois, surge o policial militar vestindo touca e camiseta azul. O agente parece escolher um produto na geladeira quando um funcionário do posto e um homem, possivelmente um de seus colegas policiais, aparecem nas imagens já com as mãos levantadas. Logo atrás deles, com um capuz, está um dos assaltantes, que aparenta segurar um objeto com a mão direita -provavelmente a arma falsa.
Posto de combustíveis na Avenida Sumaré 

PM reage
Quando o criminoso vai em direção ao PM de camiseta azul, o agente saca a sua arma e atira. O bandido é atingido no peito, tenta se apoiar em uma mesa, mas cai junto com ela no chão. O homem morreu no local. Ele tinha 22 anos e, segundo o boletim de ocorrência, era Rodolfo Augusto Fonseca Leonez.

Após o disparo, o PM de azul se vira em direção ao comparsa que, no começo do vídeo, havia entrado no banheiro. Eles saem do raio de captação da câmera por um instante, mas logo o policial reaparece caminhando com a arma ainda em punho. As imagens terminam com o que seria o outro agente à paisana abordando o comparsa do bandido morto no chão.

Do lado de fora da loja, conforme apurou o G1, estavam duas policiais de folga. Elas aproveitaram a confusão dentro do estabelecimento e também conseguiram render e prender um dos quatro assaltantes. O quarto integrante da quadrilha conseguiu fugir do posto, mas foi detido ainda nos arredores por uma outra equipe da PM, que já havia sido notificada do caso.

Em entrevista ao Bom Dia São Paulo, um dos frentistas do estabelecimento contou o que viu. Foi ele quem telefonou para o número 190 da PM ao notar a movimentação dos criminosos.

“Quando tentaram colocar eles no banheiro, aí eu só ouvi a hora que disparou o tiro. Eu tinha percebido, tinha certeza do que estava acontecendo. Era um assalto”, disse o frentista, que só aceitou falar sob a condição de que não fosse identificado.

Nenhum comentário: