terça-feira, 11 de julho de 2017

Se não for Maia, para que vale a lei?
o Antagonista

Hélio Schwartsman, na Folha, apresenta de forma simples a questão que se colocará com a eventual saída de Michel Temer da Presidência, derrubando argumentos da turma das Diretas Já e afins:

"Se quisermos nos ater às regras do jogo democrático, como defendo que façamos, a opção por remover o presidente do cargo já implica sua substituição por Maia, ainda que temporariamente. Não dá para escolher uma outra pessoa sem rasgar a Constituição. Quem é 'fora, Temer' e não é golpista é 'Maia lá', por doloroso que seja admiti-lo."

Nenhum comentário: