segunda-feira, 31 de julho de 2017

Reudesman Lopes precisa do apoio de todos para essa grande ideia. Perpétuo e o Atlético bem merecem.

Cajazeiras e os meus antigos novos sonhos
Reudesman Lopes
GazetadoAltoPiranhas

De 2017 para 2018 muitas coisas acontecerão com relação ao futebol local que marcam a história deste esporte e por conseguinte da nossa cidade. Para tanto, entendo, como defensor guardião desta, que é nosso dever fazer valer a apresentação dela como um culto a memória tão esquecida da terra do Padre Rolim. Destaco que, em outubro, se completarão 40 anos do falecimento do nosso craque Perpetúo Correia Lima e, hoje são poucos que têm o conhecimento de quem foi Péto, por isso é que vejo como dever de Cajazeiras, aproveitar essa data para mais homenagens a ele e nela inserirmos uma programação que resgate essa vitoriosa história tornando-a do conhecimento daqueles que não o viram nas gloriosas e memoráveis jornadas pelos campos de futebol daqui, dali e d'acolá.

E quais são os nossos desejos? Realizarmos um jogo entre “Santos e Sociedade Esportiva de Sousa; exposição com fotografias e camisas dos times por onde ele jogou e troféus conquistados; sessão especial na Câmara Municipal de Cajazeiras; edição de um jornal especial; celebração da Santa Missa.

E em 2018, teremos os 70 anos do Estádio Higino Pires Ferreira e os 70 anos da fundação do Atlético Cajazeirense de Desportos.
Serão dois importantes momentos que precisam ser celebrados com a magnitude merecida por ambos e que faremos tudo que estiver ao nosso alcance para mostrar uma rica, valorosa e história deles. Os nossos sonhos são para que tenhamos o Estádio Higino Pires Ferreira com uma nova “cara”, algumas boas novas já estão sendo realizadas para que ele volte a ter o brilho inesquecível que sempre teve até o fim dos anos 70: dentro de nossos sonhos a volta do sistema de iluminação que nos anos 60 foi corajosamente doado aos desportistas da cidade pelo então Prefeito Francisco Matias Rolim com o imprescindível a apoio do Dr. Higino Pires Ferreira e o magnífico trabalho de Abdon Cipriano Rocha.
Desta feita, esperamos contar com o apoio de amigos cajazeirenses e cajazeirados para deixar fincado naquela praça de esportes o seu memorial de Péto para que aqueles que não conhecem a sua história possam ter a noção da dimensão de sua representatividade para o futebol cajazeirense e regional. Por fim, o Atlético, 70 anos e como registramos: “Desde 1948”. O sonho é de que essa passagem se evidencie com uma bela classificação no paraibano 2018 e que possamos comemorar esses belos anos que marcam a sua história, com o glamour que todos nós atleticanos gostaríamos de ver, como acontece até os dias atuais.

Nenhum comentário: