quarta-feira, 12 de julho de 2017

CONFISSÃO A JATO
DiáriodoPoder

Joaquim Felizardo era um velho militante e foi logo preso, no golpe de 1964. Aguardava a vez de ser interrogado no corredor do Dops, ao lado de outro suspeito de ser comunista, um advogado gay, quando o delegado gritou:

- Tragam o pederasta e o comuna!

Progressista, mas nem um pouco politicamente correto, Felizardo deu um salto à frente para confessar rapidinho:

- Doutor, o comunista sou eu, hein?

Nenhum comentário: