quinta-feira, 13 de julho de 2017

Fanatismo à toda prova

A histeria coletiva dos que defendem, fanaticamente, Lula, é positiva.

Positiva pois deixa claro a qual mestre servem. O fanático ignora o fato e vive uma fantasia. Não queira, diante de um fanático, dizer que ele não encontrará dezenas de virgens após se explodir; não queira dizer, para mim, que há time melhor que o Botafogo; não espere de um seguidor canino de Lula o mínimo de racionalidade.

Há, tão somente, fanatismo. Fanatismo como o de um petista que, vendo-o entrar no Rio São Francisco, afirmou, textualmente, que tratava-se de um "quase deus".

Pode parecer um caso isolado, exagerado, mas não é.

Neste exato momento, nas mentes e corações de diversos intelectuais e artistas, existe a crença real de que Lula foi condenado "sem provas".

Nenhum deles lerá as mais de duas centenas de páginas da sentença de Lula. Eles mal conseguem pronunciar o nome de Moro -- o juiz, no mundo perfeito dos fanáticos, já teria sido enviado a um Gulag na Amazônia -- se estivessem num dia de "tolerância".

O grau de fanatismo, pedantismo e ausência de moral chegou ao ápice na frase de Jean Willys afirmando que Moro usa "ternos pretos cafonas" -- imagine você pensar algo assim, filmar algo assim, publicar algo assim e não apagar algo assim. É o ódio puro, não há filtro.

Para os fanáticos, todos os fatos trazidos pelo Ministério Público são inócuos. Os fanáticos consideram os "meninos" da Lava Jato um bando de "crentes" metidos a "justiceiros". Não conseguem, por um minuto, acreditar que não há tão somente uma investigação séria. Medem os outros pelas próprias regras, os fanáticos.

Os fanáticos poderiam ver em horário nobre um vídeo em 4k de Lula fazendo um churrasco no triplex com o dono da OAS, que seus cérebros lhes convenceriam que era uma montagem da Globo em conluio com os americanos -- sempre pelo pré-sal.

Isso tudo foi por uma condenação. Eu mal posso esperar pelo caso do sítio em Atibaia, onde o caseiro reportava até pequenos animais mortos, por e-mail, ao instituto Lula.

Mas isso não provará nada -- para os fanáticos.

Nenhum comentário: