quarta-feira, 26 de julho de 2017

Agricultor da região de Cajazeiras é exemplo de superação no plantio de frutas em plena região do semiárido
AltoSertão
O agricultor sertanejo, José Braga fala das dificuldades iniciais, ”onde chegou a pensar em desistir, arrancando toco manualmente porque não tinha condições de pagar uma maquina. Eu tive diversos convites para deixar a zona rural de Cajazeiras, e ter uma vida melhor na capital paraibana, mas em comum acordo com a esposa, decidimos permanecer no Sertão e realizar o sonho de produzir frutas de qualidade, que vão para mesa dos cajazeirenses todos os dias”.Afirmou José.

José de Chiquinho Braga é exemplo de superação no quesito da agricultura familiar, ele avança em apenas um hectare de terra com atividades que garantem a renda familiar. O plantio fica no Sítio Serragem, no município de Cajazeiras, no Sertão paraibano, e tem garantido mais de dois salários mínimos mensal em um consórcio que consta na plantação de: bananeira, goiabeira, mamão e maracujá, todo este processo é feito através da irrigação por aspersão.- (A aspersão, nos seus diferentes sistemas, como o convencional, e principalmente o pivô central, compreende o maior percentual da área irrigada em terras altas na região dos Cerrados. Esse método tem a preferência de agrícolas e produtores que utilizam bons níveis de tecnologia, embora sua implantação implique custos iniciais elevados).

Toda a produção é destinada para uma casa de frutas, que tem a comercialização na cidade de Cajazeiras no Sertão paraibano.

O sertanejo começou a priorizar o cultivo de frutas depois que tomou conhecimento da procura pelos produtos nas feiras livres de Cajazeiras. Para José Braga “isto mostra que é possível produzir e conviver no semiárido em pleno sertão, observando ele que tudo o que faz é inspirado nos ensinamentos do seu pai já falecido”.

Para o agricultor, ”esta é uma experiência que poderá ser levada a outras comunidades rurais e, com isso, permitir que mais famílias possam cultivar a terra e garantir o sustento mensal na própria comunidade. Claro precisa coragem de trabalhar e muita determinação, diminuindo assim o êxodo rural” .
Reportagem/Felipe Silva e Beto Cézar
Edição/João Antonio
Logística/Nivan Furtado

Nenhum comentário: