sábado, 3 de junho de 2017

Mariana Londres, do R7

O ex-deputado federal Rodrigo da Rocha Loures, que ficou conhecido como 'deputado da mala', só deve ser transferido para um presídio, possivelmente o Complexo da Papuda, em Brasília, na segunda-feira (5), de acordo com a Polícia Federal.

Loures foi preso na manhã deste sábado (3) em sua residência em Brasília e está nesse momento em uma cela na superintendência da PF na capital federal, onde irá passar o final de semana. O ex-parlamentar já recebeu a visita da sua equipe de advogados, auxiliares de Cezar Bitencourt, titular da defesa e que está a caminho de Brasília. Na saída da superintendência, os auxiliares de Bitencourt não falaram com a imprensa. 

O ex-deputado é ex-assessor especial do presidente Michel Temer e foi flagrado saindo de um restaurante em São Paulo com uma mala de R$ 500 mil, dinheiro que seria propina, de acordo com a delação do empresário Joesley Batista, dono da JBS.

Até esta quinta-feira (1), Rocha Loures era deputado federal, suplente do ex-ministro da Justiça Osmar Serraglio (PMDB-PR). Ele perdeu a prerrogativa de foro privilegiado assim que Serraglio deixou a pasta da Justiça e recusou o Ministério da Transparência, oferecido por Temer e reassumiu o mandato na Câmara. 

O advogado de Rodrigo Rocha Loures, Cezar Bitencourt, argumentou em sua defesa ao ministro Edson Fachin, relator da Lava Jato no STF (Supremo Tribunal Federal) e que determinou a prisão do ex-parlamentar, que a Procuradoria-Geral da República solicitou a prisão de seu cliente com objetivo "forçar delação" premiada. Bitencourt já se manifestou contra a delação de Loures.

Nenhum comentário: