terça-feira, 13 de junho de 2017

Miriam Leitão foi agredida por petistas. Não interessa que é uma mulher sendo atacada. Se não for mulher de esquerda, foda-se!

Vale tudo!

Pode ser mulher, pode ser gay, pode ser preto, pode ser pobre, pode ser famoso, anônimo, artista, ex-guerrilheira, pode ser velho, jovem, homem, branco, trans, pode ser o que for. Vale cuspe na cara no restaurante, assassinato em Santo André, jogar cabide na empregada, ser covarde no aeroporto e, agora, dentro do avião, como no caso da Míriam Leitão.

Para a galera do "menos ódio mais amor", que dura exatos 2 meses de campanha, a única coisa que importa e que vem acima de qualquer valor é o fato de você não defender o que eles defendem, não valorizar o que eles valorizam, não gritar "Dirceu, guerreiro, do povo brasileiro!". Se você não é da patota dos que tem bandido de estimação, você merece o paredão de fuzilamento -- não à toa são fãs de ditaduras.

Na cabeça da boiada que segue o Luis Inácio, é o "nós contra eles".

Eram, são e serão covardes. E, sim, Míriam: isso é o PT.

E nada, absolutamente nenhum pio, dos movimentos feministas.

Nenhum comentário: