quinta-feira, 1 de junho de 2017

A esquerda "paz e amor"
Rodrigo Constantino

Já vimos vários “isentões” ou “moderados” por aí preocupados com a tal “onda conservadora” no Brasil e no mundo, e entre as principais razões para tal receio estaria o suposto “discurso de ódio”. É fácil identificar um socialista disfarçado de “moderado”: ele cita Trump ou Bolsonaro, mas nada fala sobre os ataques raivosos que esses dois recebem, sobre os mascarados que depredam tudo, sobre os “antifas” que são os próprios fascistas, sobre a baba de ódio que escorre da boca de tanto esquerdista.

Trump já é sem dúvida o presidente americano mais odiado em todos os tempos. Seus detratores não medem esforços e não encontram qualquer limite ético para difamá-lo ou mesmo sua família. Até o filho pequeno é alvo de ataques sórdidos. Hollywood não se sente desconfortável em descer abaixo do chão para detonar o presidente, ao mesmo tempo em que o acusa de fomentar o ódio. É um espanto!

O caso mais nefasto foi visto ontem, quando a atriz Kathy Griffin apareceu com uma cabeça degolada simulando Trump todo ensanguentado. Ela foi demitida da CNN, após algum tempo para “deliberação”, e gravou uma mensagem tímida de “pedido de desculpas”, assumindo que foi “longe demais”. Não pediu desculpas diretas a Trump e sua família. Talvez eles não mereçam. Talvez sejam seres tão abjetos que podem ser tratados dessa forma.

Que Griffin foi “longe demais” é algo que até a maioria dos esquerdistas percebeu. Mas eis o ponto: o clima de polarização, de disseminação de ódio, de sensação de superioridade moral só por ser de esquerda, está tão intenso e entranhado nesses esquerdistas que eles nem mais percebem de onde vem o ódio de fato. Falam muito em “tolerância” e “diversidade”, mas basta alguém defender alguma ideia mais conservadora que já é logo descascado.

Muito já foi dito sobre o “fascismo do bem”, o pior de todos, uma vez que o fascista em questão não vai encontrar limites para seus atos raivosos, já que visam ao “bem” do próximo. Se ele tiver que eliminar Trump, ele fará isso com a mais pura sensação de que está salvando a Humanidade, o mundo todo. Talvez seja por isso que tanto esquerdista, no fundo, nutra alguma simpatia pelos terroristas islâmicos: eles entendem o que é matar pela “nobre” causa!

O que salta aos olhos é o duplo padrão hipócrita dessa turma. Basta imaginar qual seria a reação se a cabeça de Obama aparecesse cheia de sangue nas mãos de um ator republicano (a verdadeira minoria oprimida em Hollywood). Seria um escândalo de proporções planetárias! Não se falaria em outra coisa por semanas. Haveria painel na GloboNews para falar desse “ódio irracional” da direita, do “preconceito racial” dos conservadores. Alguém tem a menor dúvida?

Como muitos sabem, esse blog está na Gazeta do Povo há pouco tempo. Com isso, um público novo teve acesso aos meus textos. A Gazeta tinha e tem uma parte do público bem mais à esquerda, até por ser historicamente um jornal plural. Pois bem: a reação desses “leitores” aos destaques que meus textos recebem é de cair o queixo (dos desavisados). A mim não surpreende, pois conheço faz tempo essa verdadeira esquerda, por trás do manto da tolerância. Eis alguns comentários, cujo estilo se repete com grande frequência:
Esse cara é um babaca…economista de merda!

Escreve sem conhecimento. Nunca leu nada. A pessoa que não lê, não escreve. Ignorante funcional.

Por favor gazeta do povo grande jornal que eu leio desde quando era jovem estudante contratem um jornalista descente! Obrigado! Fora Rodrigo constantino

Esse tal de Rodrigo Constantino é demente! Doente! Continua com o discurso de que é td culpa do PT.

Esses textos do Constantino, fazem mais estrago na mente que cheirar o estoque de cocaína do Pablo Escobar.

É como tem gente lendo as merdas que esse filhotinho de cruz credo escreve…

Constantino tem um diarreia intelectual em cada artigo! E o Gazeta passando vergonha.

Desde quando esse IDIOTA (não há outra palavra para definir) tem alguma inteligência? Só escreve por encomenda desde sempre…


Isso é só uma minúscula amostra, pois são dezenas e mais dezenas de comentários na mesma linha, sem falar a carinha de vômito ou a “ameaça” de que vão chamar o Ciro Gomes para me “humilhar” novamente (risos). Deixei a melhor para o final, pois é caso de polícia mesmo:

Amauri Gonzato: Cara como eu queria encontrar esse Rodrigo Constantino pra mim ter o prazer de dar um soco na cara desse fdp do lado esquerdo . E quebrar o lado direito desse fdp pra ele saber a força da esquerda… esse fdp covarde

O “pra mim ter” já diz muito. A foto do perfil com uma criança usando o boné de Fidel Castro, o maior assassino que o continente já teve, diz tudo. Quando outro leitor rebateu com ironia o comentário, alegando que a argumentação foi excelente e que certamente ele me chamaria de “fascista” também, e eu apontei para a idolatria à ditadura cubana, o rapaz cheio de amor voltou a espalhar tolerância: “vai a puta que te pariu fdp vai lavar essa boca suja pra falar da esquerda seu bosta”.

Acreditem, leitores, isso está longe de ser um caso isolado! Ao contrário: costuma ser a regra quando se trata da esquerda e da extrema-esquerda, a mesma que está “horrorizada” com a violência e a agressão da “nova direita”, movida supostamente pelo ódio (ao contrário desses socialistas, que só sentem amor no coração).

O que mais chama a atenção nesses comentários todos, além da própria hipocrisia, é a incapacidade total de argumentação. Com visível impotência intelectual essa gente só encontra refúgio nos xingamentos. O grau de analfabetismo funcional é grande também, pois percebemos que inúmeros ali sequer compreendem os textos. Mas já partem para o ataque, como cães raivosos, pois precisam eliminar esse que ousa criticar a esquerda.

Vejam ainda o caso de Danilo Gentili com Maria do Rosário. O comediante passou dos limites? Talvez, apesar de muitos acharem que só assim é possível tratar essa gente tão canalha e sonsa. Mas o importante aqui é destacar a seletividade da indignação: as mesmas pessoas que literalmente defecaram numa foto de Jair Bolsonaro ficaram “chocadas” com a falta de respeito do humorista, ao esfregar a carta da deputada comunista nas partes íntimas.

A esquerda “paz e amor” é o maior engodo de todos os tempos. O próprio Lulinha “paz e amor”, como ficou claro, era um produto de marketing, sem ligação qualquer com a realidade. O verdadeiro Lula é aquele que espuma de raiva o tempo todo, julga-se acima das leis e faz ameaças a todos, inclusive a jornalistas. A esquerda “tolerante” é essa, que segura uma cabeça degolada do presidente americano enquanto acusa o “ódio” da direita.

A quem esse pessoal ainda acha que engana?

Nenhum comentário: