sexta-feira, 5 de maio de 2017

O PT é outra coisa: "-Para o PT era tratamento diferenciado, por ser partido com valores maiores envolvidos".

OAS tinha departamento de propina, aponta ex-executivo da empreiteira 
Agenor Medeiros citou pagamentos de vantagens indevidas aos partidos PP, PSB e PT 
Zero Hora

O ex-diretor-presidente da área Internacional da OAS Agenor Franklin Medeiros afirmou, nesta quinta-feira, em depoimento ao juiz Sergio Moro, que a construtora também tinha uma área específica para cuidar de pagamentos de propinas a políticos. As informações são do jornal O Estado de S.Paulo.

Existe uma área na empresa que trabalha nessa parte de vantagens indevidas. Ela é chamada Controladoria, onde doações a partidos, até de forma oficial. Acho que sai do presidente, vai para o diretor financeiro e para o gerente dessa área — disse.

Segundo Medeiros, pagamentos de propinas foram realizados aos partidos PP, PSB e PT. O ex-executivo também citou a participação da OAS em dois contratos investigados pela força-tarefa da Lava-Jato, envolvendo a Refinaria Getúlio Vargas, no Paraná, e a Refinaria de Abreu e Lima, em Pernambuco. Conforme Medeiros, existiu pagamento de propinas a funcionários da Petrobras e a políticos em ambas as obras

O ex-governador Eduardo Campos, que morreu em um acidente aéreo em 2014, teria recebido dinheiro referente aos trabalhos de Abreu e Lima.

Ainda segundo Medeiros, os pagamentos para o PT eram diferenciados:

Para o PT era tratamento diferenciado, por ser partido com valores maiores envolvidos. Esses outros partidos PSB e PP eu tenho pouco conhecimento de que tinha muitos valores. Mas o PT tinha, porque era sabido. O caixa único do PT era controlado por Léo (Leo Pinheiro, presidente da OAS).

O Ministério Público Federal (MPF) confirmou que está negociando acordo de delação premiada com executivos da empreiteira OAS. A informação foi obtida logo no início do depoimento de Medeiros a Moro.

Nenhum comentário: