segunda-feira, 1 de maio de 2017

Eternas saudades do ídolo, Ayrton Senna do Brasil.


O maior de todos os tempos foi vítima de clamorosa conspiração da FIA, comandada por Jean-Marie Balestre, que entrou para a história do esporte como o autor desse crime esportivo: tiraram a vitória legítima de Senna para beneficiar Prost. O campeão legítimo de 1989 foi Ayrton Senna; Alain Prost foi o usurpador, o anti-herói, o vilão invejoso que jogou sujo para ser campeão.

Senna morreu; Senna entrou para a história como o maior de todos os tempos. Ver a Fórmula 1 não permite compreender o que era aquela Fórmula 1 feita por carros e talentos. Senna venceu carreiras no braço, contra máquinas superiores. Era o talento em estado puro, inspirando toda uma geração, não apenas de brasileiros.

E já se vão 23 anos sem ele. Seria Suzuka 89 o maior "roubo" da história do esporte? Ironicamente, foi sua maior "vitória".

Nenhum comentário: