sábado, 6 de maio de 2017

É que não se trata de direito. É só política de esquerda.


No último dia 28 de abril, os metroviários paulistas engrossaram o fracasso geral contra a reforma trabalhista.

Um dos pontos da reforma a qual eles se opõem é permitir que os trabalhadores possam negociar um horário de intervalo menor - 30 minutos, por exemplo - para sair mais cedo do trabalho.

Essa semana, os mesmos metroviários quase entraram em greve. Motivo? O metrô queria mudar o tempo de intervalo da categoria, atualmente de *30 minutos*, para 1 hora.

De acordo com os metroviários, isso iria "atrapalhar as escalas dos trabalhadores" e "aumentar a jornada de trabalho".

Ou seja, em uma semana os metroviários foram contra a reforma que permite intervalos menores e quase fizeram uma nova greve para manter seus intervalos menores.

É a bipolaridade sindical.

Nenhum comentário: