terça-feira, 11 de abril de 2017


Ancelmo Gois requenta a maior cascata já inventada contra Jair Bolsonaro, a famigerada "lista de Furnas". É o Incêndio do Reichstag do comuna babão.

O que essa turma treinada na antiga KGB não entende é que a tentativa de criminalização da carreira política de Jair Bolsonaro só fortalece a imagem dele de herói da resistência contra o establishment. Além de canalhas, estúpidos.

A tradição da política brasileira com falsos dossiês é tão vasta quanto possível. O Estado Novo foi implementado, em parte, por conta do fajuto Plano Cohen. Nos anos 90, o Dossiê Cayman tentou manchar a reputação da alta cúpula do PSDB. Em 2006, ano da reeleição de Lula, foi a vez dos "aloprados" do PT contra Serra. A "lista de Furnas" é uma pilantragem da mesma espécie.

Ancelmo foi treinado na URSS num tempo em que matéria de jornal impresso era tratada como verdade, uma época de triste memória que felizmente está passando. Mentira não deixa de ser mentira por ser publicada em jornal, pelo contrário, o crime só aumenta.

Isso não é jornalismo, é apenas tentativa de assassinato de reputação por jagunços virtuais. Não funcionou antes, não vai funcionar agora.

Um comentário:

Anônimo disse...

LÁ NA BOA TERRA CAJÁ, AS VIZINHAS DIRIAM:

"MA QUE BICHIM SEM-VERGONHA, É UM LEVANTADOR DE FALSO FINO!"