quarta-feira, 12 de abril de 2017

Aécio recebia mesada de R$ 1 mi e R$ 2 mi, afirma delator
Em acordo de delação, Marcelo Odebrecht e executivo da empresa afirmaram que senador tucano recebeu 'vantagens indevidas'
Daniel Pereira
Veja.com
Aécio Neves: um dos mais afetados na nova safra de revelações da Odebrecht 

Marcelo Odebrecht e outro executivo da empresa contaram que o senador Aécio Neves, presidente nacional do PSDB, recebeu “vantagens indevidas” em troca de apoio a interesses da empreiteira, sobretudo no caso dos projetos das usinas hidrelétricas de Santo Antônio e Jirau. Segundo o colaborador Henrique Valladares, Aécio, identificado como “Mineirinho”, recebia mesadas que variavam de 1 milhão de reais a 2 milhões de reais.

O teor de outro inquérito envolvendo o senador tucano revela que, em seus acordos de colaboração, Marcelo Odebrecht e Benedicto Júnior apresentaram provas documentais de que, em 2014, efetuaram o pagamento de “vantagens indevidas” em benefício do senador Aécio Neves e de seus aliados políticos. O relato foi confirmado pelo principal executivo da empreiteira em Minas Gerais.

Alvo de cinco inquéritos, Aécio Neves também foi citado por dois delatores, que disseram que a Odebrecht pagou, a pedido do senador, “vantagens indevidas” travestidas de doações eleitorais à campanha ao governo de Minas Gerais do tucano Antonio Anastasia, hoje senador. Um dos repasses foi de cerca de 5,5 milhões de reais. Houve apresentação de prova documental, segundo o Ministério Público.

Confira nota de posicionamento enviada pelo senador Aécio Neves (PSDB-MG): 

“Considero importante o fim do sigilo sobre o conteúdo das delações, iniciativa solicitada por mim ao ministro Edson Fachin na semana passada, e considero que assim será possível desmascarar as mentiras e demonstrar a absoluta correção de minha conduta.”

Um comentário:

Marcos Diniz disse...

Crédito não, mineirinho!
Meu voto nunca mais.
Ser presidente já era.