domingo, 12 de março de 2017

FUTURO COM AS ESPERANÇAS RENOVADAS NO CARIRI DA PB
Raniery Soares
PortalCorreio

O que antes era apenas um sentimento de esperança, acabou sendo convertido em lágrimas que molhavam o rosto da população de Monteiro. A correnteza gerada pela chegada regular das águas do Rio São Francisco carrega a realização de dois sonhos: o fortalecimento da agricultura e a sobrevivência das criações de animais. Todo este discurso é facilmente reproduzido pelas pessoas, que agora, receberão a água de um dos maiores mananciais do planeta.

O produtor rural José Ferreira do Nascimento, conhecido como Zé de Erasmo, tem 50 anos e revelou que há pelo menos 45 anos espera por esta grande obra. Ele coloca como marco um diálogo com o seu avô (falecido há 32 anos), que garantia que a água do ‘Velho Chico’ nunca chegaria para o povo monteirense.

“Eu tinha cinco anos. Lembro que eu ia buscar uma brasa para acender o cachimbo meu avô. Ele olhava para o terreiro e dizia ‘meu filho, o povo daqui nunca vai receber essa água que tanto falam. Vamos morrer eu, você e até os seus netos esperando para usar a água”, relembrou.

Quatro décadas depois, os olhos de Zé de Erasmo brilham e ele não consegue falar sobre a riqueza da água do Rio São Francisco, após a obra do eixo leste.

Ele possui uma propriedade na zona rural de Monteiro, às margens do Açude Poções, manancial este beneficiado com a chegada das águas. Para o produtor rural, o cenário é de puro otimismo.

Água garante prosperidade na Paraíba
Zé Erasmo ainda destacou a benção que será daqui para frente com a chegada das águas do 'Velho Chico'. “Não existe água ruim. O ruim é não ter água. Essa obra é uma benção, pois agora teremos como produzir muitos produtos na nossa lavoura e manter o gado vivo, coisa que muita gente perdeu nos últimos tempos. Fico muito feliz em ver isso tudo acontecendo, pois assim como meu avô, muitos se foram na esperança de que esta obra um dia ficasse pronta”, afirmou.

Quem também não conseguiu conter a emoção foi a dona de casa Maria do Socorro Candeia, que desde o início do evento, estava pertinho da ponte localizada na entrada de Monteiro. Até de forma humorada, ela afirmou que o povo passará a ter mais dignidade com a chegada das águas.

O Eixo Leste foi projetado para ampliar a oferta hídrica e garantir abastecimento a cerca de 4,5 milhões de pessoas em 168 municípios que sofrem com a seca prolongada nos estados de Pernambuco e da Paraíba. É composto por seis estações de bombeamento, cinco aquedutos, um túnel, uma adutora e 12 reservatórios.

Nenhum comentário: