quinta-feira, 30 de março de 2017

Quer saber de onde vem a propina? Para explicar, Marcos Diniz dá uma 'cajazeirada' no tema.

De onde vem a propina?
Marcos Diniz

Candeeiristas e Candeirados,

O SetecandeeiroscajáCultura, tira sempre do ócio meu lado PPN (Pesquisador de Porra Nenhuma).

Lendo agorinha postagem sobre um Bilhão do Italiano [Antônio Palocci, do PT] em contas hoje nem tão secretas no exterior, me veio a ideia de verificar de onde vem a palavra PROPINA.

Muito se ouve falar atualmente em "propina". Há até o substantivo chamado "propinoduto" dos oleodutos da Petrobras.
Consultei um manual gramatical ministerial que comprei por um real, que me é de grande valia nas pesquisas de leriados e ,vejam o incêndio gramatical que encontrei.

A junção do verbo grego pinó (significa beber, viu Carlim de Ioiô?) com o prefixo pro formaram o termo propinó, que expressava o gesto de oferecer um copo de birita (quem é gente fina oferece vinho, uísque, contreau) a alguém que tivesse se saído bem numa prestação de serviço.

Saindo do óbvio ululante, como diria o "Anjo Pornográfico", Nelson Rodrigues, atravessei para o latim vulgar (digo, o de cachorro) arranhado nas aulas de Padre Vicente. Descobri a palavra GURGUIS, que tem a mesma origem de propina ou seja é um digamos... brinde.

Transformada no português arcaico em "gorja" (garganta) e para quem interessar, está lá nas páginas de O Guarani de José de Alencar, livro que li, indicado como leitura obrigatória do vestibular (quando fiz ainda se chamava assim) em janeiro de 1975.

A tal palavra dita em bom Cajazerês é GROJA. Por sinal muito bem aceita por Corrozim, Queixo-Fino, Caveirinha, Jacaré, Chorão e outros. Nada mais era que um agrado para molhar a gorja (garganta) e o atendimento ser de "primeiro mundo" nas baladas tenisclubianas dos anos 70.

No meio desse miolo de pote todo, lembrei que, quando menino, ouvia os mais velhos dizerem:
- EITA DIACHO O GURGUI TÁ ACABANDO COM O FEIJÃO!

Será que é por isso que os caba comem tanto "inxu"?

mARCOS dNZ

Nenhum comentário: