sexta-feira, 31 de março de 2017

CONTRAPONTO
Na Coluna Painel - Folha

No compasso da desilusão…

Preso político em 1975, o jornalista e escritor Rodolfo Konder (1938-2014) foi testemunha, durante o regime militar, do assassinato sob tortura de Vladimir Herzog nas dependências do DOI-Codi, na cidade de São Paulo.

Militante do PCB, duas vezes esteve no exílio. Konder deixou o partidão em 1987 e, para surpresa de alguns indignação de outros, em 1993, aceitou ser secretário de Cultura do então prefeito Paulo Maluf.

Questionado sobre a mudança de trajetória, disse:

— Antigamente, pensava que conseguiria mudar o mundo. Depois, que conseguiria mudar o Brasil. Hoje, fico feliz por conseguir colocar minhas meias.

Um comentário:

Anônimo disse...

O QUE A MATURIDADE NÃO FAZ!

PROTESTOU, PROTESTOU, TERMINOU BURGUÊS.