sexta-feira, 31 de março de 2017

CláudioHumberto

Preso há quatro meses no complexo penitenciário de Bangu, o ex-governador do fluminense Sérgio Cabral está inconformado com as sucessivas derrotas na Justiça, que lhe negou todas as tentativas de habeas corpus ou de prisão domiciliar. Ele ficou também “revoltado” porque amigos magistrados não se mobilizaram para soltá-lo. Por isso Cabral autorizou o início de tratativas para um eventual acordo de delação premiada para contar “tudo o que sabe” sobre a magistratura.

Ainda não ficou claro se Cabral admite restringir sua delação à Justiça do Rio de Janeiro. As negociações estão apenas no início.

A ideia de delatar a Justiça era o “plano B” de Sérgio Cabral, após receber um “não” como resposta à sua disposição de fazer acordo.

Sérgio Cabral acha que não será absolvido, segundo interlocutores, e que somente um acordo de delação o pouparia de uma longa sentença.

A intenção de investigar setores da Justiça caiu como uma bomba entre magistrados e em escritórios de criminalistas bem posicionados.

Um comentário:

Anônimo disse...

ESSES SÃO OS VERSOS QUE MAIS GOSTO DE UMA PERSONAGEM CANIBAL

"E AGORA JOSÉ?

A FESTACABÔ,A LUZAPAGÔ, A NOITESFRIÔ...

SE VC GRITASSE, SE VC GEMESSE, SE VC MORRESSE...

MAS VC NÃO MORRE..."

ENTÃO, A SAÍDA É MESMO UM PLANO B!