quarta-feira, 15 de março de 2017

CERCO FECHADO CONTRA PROBLEMAS NA TRANSPOSIÇÃO
Gabriel Botto com assessorias 
PortalCorreio

O Ministério Público Federal está exigindo do Ministério da Integração Nacional explicações sobre a vazão das águas da transposição do Rio São Francisco na Estação Elevatória 6, em Sertânia, que vai para o açude de Poções, em Monteiro, na Paraíba. O órgão ministerial deu um prazo de 72 horas para que seja enviada uma resposta com relação ao tema. De acordo com o Ministério Público Estadual, o projeto previa que a vazão deveria ser de nove metros cúbicos por segundo, mas está pela metade, pois uma das bombas não está em funcionamento.

Para obter as respostas exigidas, o MPF oficiou a Secretaria de Infraestrutura Hídrica do Ministério da Integração Nacional e a Agência Executiva de Gestão das Águas do Estado da Paraíba (Aesa) para que informem a vazão da água da transposição do rio São Francisco no estado. O MPF solicitou, ainda, que a secretaria do ministério envie informações procedimentais para que o órgão em Monteiro possa acessar o Projeto de Integração do Rio São Francisco (Pisf) em portal próprio, conforme compromisso voluntário assumido em reunião no último dia 08 de março, ainda não cumprido.

O órgão alerta para a necessidade da informação da vazão da água, para acompanhamento de provável perda em razão do assoreamento do rio Paraíba; bem como para saber quando as águas do São Francisco chegarão ao açude Epitácio Pessoa (Boqueirão), que abastece Campina Grande e região.

MPPB. Em reunião realizada em Brasília ainda nesta semana, o Ministério Público da Paraíba esclareceu os questionamentos emitidos pelo MPF, com o Ministério da Integração Nacional, que informou que a bomba que não está em funcionamento apresentou uma trepidação anormal e foi levada para conserto na fábrica do equipamento, em São Paulo. A bomba deve retornar dos reparos em até 10 dias

Ainda segundo o MPPB, o defeito na bomba da Estação Elevatória 6 não afetará a chegada das águas da Transposição em Campina Grande. O órgão informa que o Açude de Poções, em Monteiro está quase cheio e que em poucos dias deve sangrar, o que facilitará a trajetória da água para Boqueirão.

Nenhum comentário: