quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017


Sabe por que você vai pagar mais caro na tarifa de energia? Vem comigo que te conto essa história que vi de perto.

Me lembro como se fosse hoje. Em setembro de 2012, Dilma veio à público em cadeia nacional de rádio e televisão para anunciar a redução das tarifas de energia elétrica através de uma medida provisória. Disse ela que "estamos lançando bases concretas para sermos no médio e longo prazo um dos países com melhor infraestrutura, com melhor tecnologia industrial, melhor eficiência produtiva e menor custo de produção", avaliando que essa medida em conjunto com outras ainda poderia ajudar na queda da taxa de juros, que na época era de 2% (juros reais), feitos na canetada. Eu e tantos outros, céticos a esse tipo de política econômica sem noção, éramos chamados de pessimistas. Tá.

Pois bem. Essa medida lidava com a renovação das concessões a vencer de geração e transmissão de energia, diminuía os encargos sobre a conta de energia e previa aportes da União para poder segurar a nova estrutura de preços. Muitas incertezas rondavam esse pacote de medidas e as ações das empresas do setor elétrico despencaram brutalmente. A medida EXIGIA que as empresas operadoras de energia manifestassem interesse em renovar o contrato até 15 de outubro daquele ano SEM SABER DAS CONDIÇÕES DE TARIFAS COBRADAS. Ao acatar a renovação, as concessões teriam um novo preço a ser definido pelo governo a partir de janeiro de 2013, mas receberiam uma indenização referente a essa redução de tarifa entre 2013 e 2015. O detalhe é que algumas concessões ainda teriam direto a fazer a primeira renovação nas regras anteriores, mas isso foi sumariamente cancelado. Quem não aceitasse a nova regra ficaria apenas até o fim de 2012 e então o governo abriria nova licitação.

Enfim, chegamos em 2017. Ontem foi anunciado que a tal indenização vai ser paga pelos consumidores e o valor total será a bagatela de R$62,2 bilhões, dos quais R$35,2 bilhões (mais da metade) correspondem a juros, já que a indenização deveria ter começado em 2013 e o governo não se mexeu, deixou pra lá. O valor será cobrado ao longo de 8 ANOS e deve levar a tarifa a subir pelo menos 7,17% nesse ano.

Se você ainda não conseguiu entender o tamanho da herança maldita de Dilma com seus desmandos, ações sem pé nem cabeça, tentativa de reduzir tarifas e juros na canetada e que a CONTA SEMPRE CHEGA, por favor, pelo menos pare de usar seu título de eleitor.

O tempo é implacável para mostrar quem estava certo.

Nenhum comentário: