quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

Gerson Camarotti
G1

O senador Raimundo Lira (PMDB-PB) desistiu na tarde desta quarta-feira (8) de se lançar candidato a presidente da Comissão de Constituição e Justiça do Senado.

Lira reivindicava a presidência da comissão, mas foi preterido em reunião da bancada do PMDB. A bancada escolheu Edison Lobão (PMDB-MA). O PMDB tem a prioridade de escolher a comissão que quer comandar porque tem a maior bancada do Senado.

A CCJ é considerada a mais importante comissão porque é que decide se os projetos apresentados pelos senadores são constitucionais ou não, além de decidir sobre a indicação de ministros para o Supremo Tribunal Federal (STF).

Como foi derrotado na bancada, Lira pretendia se lançar candidato avulso durante a primeira reunião da CCJ caso fosse indicado pelo líder da bancada, Renan Calheiros (PMDB-AL) como integrante da comissão.

Renan fez um apelo ao senador, argumentando que, caso se lançasse candidato, isso enfraqueceria a posição dele, Renan, como líder. Lira discordou e disse que a atuação do líder deve ter como objetivo buscar o consenso na bancada, mas que isso nem sempre é possível.

Mas, depois desse episódio, Lira recuou e comunicou a Renan a decisão de retirar o nome da lista de indicados para integrar a CCJ.

Um comentário:

Anônimo disse...

TEM QUE TER A BENÇÃO DE DOM CORLEONE, RAPÁ!