sexta-feira, 24 de fevereiro de 2017

Perdeu: Cajazeiras quase teve, mas Patos sai na frente e terá aeroporto homologado com linhas comerciais
DiáriodoSertão

Além de ser homologado primeiro que o de Cajazeiras, que aguarda o processo há seis mil dias, o aeroporto de Patos ganhará voos regionais com linhas comerciais.

O radialista Aristênio Marques destacou no seu comentário Direto ao Ponto desta segunda-feira (22), a informação da brevidade da homologação do aeroporto da cidade de Patos, no Sertão do estado.

Além de ser homologado primeiro que o de Cajazeiras, que aguarda o processo há seis mil dias, o aeroporto de Patos ganhará voos regionais com linhas comerciais.

O radialista lamentou as idas e vindas do aeroporto de Cajazeiras, que mesmo antes de ser homologado já apresenta problema na pista devido a demora na conclusão.

Ele criticou também o deputado e secretário do governo da Paraíba, Lindolfo Pires (DEM), que segundo o radialista, apenas o parlamentar e o ministro da aviação sabem do processo de homologação de Cajazeiras, relembrando a polêmica da falta de pedido para que o sonho dos cajazeirenses saia do papel.

“Ninguém viu, ninguém sabe. Só eles viram, mas a verdade é que a homologação na Terra do Padre Rolim não saiu”. Disse Aristênio.

2 comentários:

Anônimo disse...

Não entendi o comentário, dizer que o aeroporto de Cajazeiras não foi homologado quer dizer o que Anac colocou em seu site não é homologação é só encenação ou teatro. realmente não entendi.

CLAUDIO Louzada disse...

Foi construído em Cajazeiras uma pista de comprimento e largura muito boa, 1.600 x 30m, mas acredito que o problema esteja na baixa resistência do piso asfáltico da pista, conhecido como PCN, do inglês Pavement Classification Number. Em Cajazeiras o PCN é 6 ou resistência até 12 toneladas o que equivale a uma aeronave de 30 passageiros no máximo. Atualmente, quase a totalidade de empresas regionais operam turboélices de 70 passageiros que pesam de aproximadamente 25 toneladas, então,com isso, estarão proibidas de pousar em Cajazeiras devido o risco de afundar na pista. Solução: fazer um novo recapeamento que suporte aeronave mais pesada. Pista moderna e atual suporta 33 toneladas ou mais. Saudações,