domingo, 12 de fevereiro de 2017


Justiça do Panamá decreta prisão de advogados ligados à Lava-Jato 
Mossack e Fonseca são sócios do escritório investigado no escândalo Panama Papers 
Veja.com
Escritório de advocacia Mossack Fonseca 

A Justiça do Panamá decretou neste sábado a prisão preventiva dos advogados Ramón Fonseca Mora, Jürgen Mossack e Edison Teano por participação no esquema de corrupção revelado pela Operação Lava-Jato no Brasil, além de determinar a captura de uma advogada ainda não identificada. 

Os três detidos foram interrogados durante a madrugada pela suposta lavagem de dinheiro na Lava Jato. Após os depoimentos, a Segunda Promotoria Contra o Crime Organizado determinou a prisão preventiva para evitar que eles fujam do Panamá.

Nenhum comentário: