terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

Estória por estória, sou mais as contadas - lá em Cajazeiras - por Dodô Mangueira, João da Uça, Dedezin e Olivan Big Boy...

Pezão é o Lula do Rio: nunca soube de nada
Augusto Nunes 
Veja.com
EM DEZ ANOS DE CONVÍVIO, O FILHOTE DE CABRAL SÓ VIU O LADO BOM DO LADRÃO COMPULSIVO
Luiz Fernando Pezão 

“Todos os amigos dele eu conheci, convivi dez anos com eles, a gente passava o réveillon na casa dele em Mangaratiba”, disse o governador Luiz Fernando Pezão na entrevista publicada pela Folha. 

Vice de Sérgio Cabral entre 2007 e 2014, quando o titular lhe entregou o cargo para que disputasse a sucessão estadual instalado no gabinete que continua a ocupar, poucos parceiros desfrutaram de tanta intimidade com o homem que fingia chefiar a administração fluminense enquanto comandava em tempo integral a quadrilha que saqueou o Rio. Mas Pezão garante que nem desconfiou das bandalheiras ocorridas a um palmo do seu nariz.

Nunca conversaram sobre dinheiro?, quis saber o repórter. Nunca notou nada de errado? “Não. Zero”, jurou Pezão. “Nunca vi isso, nunca percebi, para mim é uma grande surpresa. Estou triste, chateado. Eu não via esse lado dele, só o outro”. Se diz a verdade, é ele o único amigão do ex-governador hoje engaiolado em Bangu que não enxergou nada de mais nas evidências contundentes de enriquecimento rápido, nas farras em Paris, nos jantares de califa de filme antigo, na transformação da primeira-dama em vitrine de joalheria, nas parcerias bilionárias com empreiteiros de estimação e na gastança com helicópteros, fora o resto.

Além de não enxergar a face escura, só Pezão viu o lado bom de Cabral. Deveria consolar os parentes do preso contando como é esse lado que nenhum deles conheceu.

Um comentário:

Anônimo disse...

Bem o Jô Soares dizia em bordão:

" TIRANTE O AURELIANO, QUE FALA, VICE NÃO FALA"