terça-feira, 31 de maio de 2016

O Estado de S. Paulo 

Perguntar não ofende: qual o objetivo de quem é contra o impeachment de Dilma Rousseff e está queimando pneus em estradas, invadindo prédios da Cultura, gritando “Fora Temer” na parada LGBT, exibindo cartazes no exterior para dizer que “there is a coup in Brazil”? E qual o objetivo de quem é a favor do impeachment, mas torce contra o governo interino de Michel Temer, condena as propostas para combater o rombo das contas públicas e repudia a indispensável reforma da Previdência?

Tanto quem é a favor quanto quem é contra o afastamento de Dilma tem de ter em mente a responsabilidade coletiva com a história e que só há três saídas para um país mergulhado em tantas crises. Fora disso, não há alternativa, a não ser anarquia.

Uma saída é dar uma trégua para Temer governar e a equipe de Henrique Meirelles tentar por a economia em ordem nesses dois anos e meio, para entregar para os eleitores em 2018 um país razoavelmente saneado. Temer não é perfeito e o PMDB tornou-se muito imperfeito, mas ele foi escolhido por Dilma e por Lula e eleito na chapa do mesmo PT que anima os queimadores de pneus, os invasores da Cultura, os que gritam “Fora Temer” e uma turma que mora fora – uns, há tantas décadas, que deveriam estar mais preocupados com o Trump.

Além de habitar o Jaburu, Temer despacha agora no Planalto por força da Constituição, que assim determina: sai um(a) presidente, assume o vice. Não importa se é bonito, feio, gordo, magro, se é Itamar Franco ou se é Michel Temer. Ele está lá, e o Brasil, os brasileiros, a indústria, o comércio e os 11 milhões de desempregados precisam desesperadamente que comece a equilibrar as contas públicas e a fazer a economia andar.

A saída número 2 é a volta de Dilma. Sério mesmo, alguém deseja de fato a volta de Dilma, com sua incapacidade de presidir o País, negociar com o Congresso, ouvir os conselhos do padrinho Lula ou, aliás, ouvir qualquer expert de qualquer área sobre qualquer coisa? No aconchego dos seus lares, na convivência com familiares, amigos e vizinhos e nas conversas com seus travesseiros – e com o próprio Lula –, será que os petistas de raiz querem mesmo a volta de Dilma?

Os deputados não são lá essas coisas, mas acataram o impeachment pelo crime de responsabilidade fiscal, previsto na Constituição e confirmado pelo resultado final: um rombo que o governo Dilma admitia ser de R$ 96,6 bilhões e que a equipe de Meirelles descobriu bater em R$ 170 bilhões. Mas, além do fato formal, deputados e senadores tocaram o processo adiante pelo desmantelamento da economia, o esgarçamento das relações políticas e porque Dilma conseguiu ser a presidente mais impopular do país desde 1985.

A opção 3 (dos favoráveis e contrários ao impeachment) seria a antecipação de eleições diretas, empurrando Temer ou Dilma para a renúncia (dependendo de o Senado confirmar ou não o impeachment), ou dando um golpe branco e mudando a Constituição por questões conjunturais. E o que viria depois? Uma eleição às pressas, sem que os partidos tivessem se preparado e sem candidatos à altura da crise. Dá um frio na espinha pensar nos aventureiros que se lançariam como salvadores da pátria, da ética, da economia, dos “bons costumes”, da “ordem” deles, do “progresso” deles.

Isso não é brincadeira. O seguro, que morreu de velho, recomenda respeitar a Constituição, o Congresso que o eleitor elegeu e a posse do vice que 2014 jogou no Jaburu, na perspectiva de assumir com o afastamento constitucional da presidente. Vale, sim, gritar contra muitas coisas, inclusive a nomeação de um ministro da Transparência indicado, ora, ora, pelo senador Renan Calheiros. Mas o esforço para derrubar Temer, neste momento, é trabalhar contra o Brasil.

O Rotary Clube João Pessoa - Tambáu completou 25 anos. Na fundação, o presidente era o cajazeirense e médico, Bosco Braga; no jubileu de prata, o presidente é o cajazeirense e médico, Waldemar Matias Rolim Filho. Vejam as imagens.





A Banda Canto Novo deu um show

























Comparando situações...


Situação 1: O meu pai, de 75 anos de idade, além de político, é um dos maiores juristas do país. Advogado, escritor, Doutor em Direito Público, foi professor de 2 grandes universidades e Procurador do Estado de São Paulo. Eu tenho 7 anos, sou seu único herdeiro e tive minha herança antecipada. Ela se refere a 2 conjuntos comerciais, onde fica localizado o escritório do meu pai, no valor de R$ 2 milhões. Os bens foram declarados à justiça.

Situação 2: O meu pai é ex-presidente da República. Só isso. Comprovadamente, participou e articulou grandes esquemas de corrupção. Eu sou um marmanjo de 31 anos de idade, sempre fui auxiliar de preparador físico até me tornar empresário e estou sendo investigado pela Policia Federal numa operação que desmonta um esquema de compra de MPs (Medidas Provisórias). De estagiário do São Paulo Futebol Clube, me tornei milionário em pouco tempo. Eu também recebi R$ 2 milhões, mas foi de propina, não de herança.

A pergunta: qual foi rechaçado publicamente e qual foi defendido com garras pelos esquerdistas? Lembrando que o 1º é o filho caçula de Temer e o 2º é o filho caçula de Lula. Valendo!


Nossos parabéns a essa grande emissora de rádio de nossa Cajazeiras. Sempre um timaço de profissionais.

Difusora Rádio Cajazeiras completa nesta terça 31 de Maio, 52 anos de história 
BlogdoFurão


A Difusora Rádio Cajazeiras, emissora do Grupo Cavalcanti Primo, completa nesta terça-feira, 31 de maio, 52 anos de história. “A Pioneira” como é chamada pela maioria dos seus ouvintes, detém um dos maiores índices de audiência em toda região, através de uma programação bastante diversificada voltada para o entretenimento (música), jornalismo, esporte e transmissões.

Sendo atualmente a rádio mais potente da Paraíba com 25.000 Watts de potência em seu transmissor canadense NAUTEL, a Difusora opera na frequência 1070 kHz com um grande raio de alcance, atingindo todo sertão Paraibano, boa parte dos estados do Rio Grande do Norte, Ceará e Pernambuco. 

Em sua programação, vários programas se destacam dentre eles: Bom Dia Notícia, Rádio Atividade, Boca Quente Partes I e II, Parabólica Política, Forró no Varandão e, no esporte é líder total de audiência com a sua equipe esportiva formada por Francisco Alves (Tatico) narrador, Amaury Furtado (repórter) e Elias Júnior (plantonista). 

A Difusora Rádio Cajazeiras tem como diretor presidente o empresário José Cavalcanti da Silva, diretora administrativa professora Zélia Ribeiro e, diretor de programação Eutim Rodrigues

Para todo corpo funcional da emissora os parabéns de nós que fazemos o Blogdofurão. 

Conheça um pouco mais da história da emissora: 

A Rádio Difusora de Cajazeiras é uma das pioneiras do Sertão Paraibano. Fundada em 5 de agosto de 1938 como difusora e em 19 de março de 1964 como estação de rádio, tem um dos índices de audiência mais altos da região, principalmente pela manhã, na hora do almoço e à noite. Tem sua programação voltada para a música, o jornalismo e as transmissões esportivas.

História 

Foi ao ar pela primeira vez em 5 de agosto de 1938, no sistema de alto-falantes instalados pela cidade de Cajazeiras, no alto sertão da Paraíba. Foram quase 36 anos até que em 19 de março de 1964 fosse posta em prática a idéia de estender a Difusora para uma estação de rádio, para que mais pessoas pudessem escutar seu som e sem sair de casa. Depois de fase experimental, em 31 de maio de 1964 nascia a Difusora Rádio Cajazeiras. Naquela época, contava com um transmissor de 250 watts, prefixo ZYJ-022 e operava na freqüência AM (modulação por amplitude) 1540 kHz. O tempo foi passando, o público ouvinte começou a aumentar e a potência do transmissor também. De 250 watts, passou para 1.000, depois para 10.000 e finalmente para 25.000 watts (25 kW), prevalecendo essa potência até hoje, expandindo o som da emissora por boa parte do estado e algumas cidades do CE, RN e PE, próximas à divisa com a Paraíba. Além do transmissor, mudaram também o prefixo e a freqüência. O prefixo passou de ZYJ-022 para ZYI-673, com o qual permanece até os dias atuais. A freqüência saiu de 1540 kHz e foi para 1070 kHz, ainda em AM. A Difusora Rádio Cajazeiras exibiu o jornalista Wilson Furtado, que foi eleito repórter constituinte da Associação de Imprensa do Distrito Federal e ganhou notoriedade por cobrir ao vivo direto de Brasília o início da Assembleia Constituinte, passando à frente de outras grandes emissoras do Sudeste e Sul. (Wikipédia) 

A esquerda e a universidade 
Hélio Schwartsman
Folha de São Paulo

"O fato de que (...) sejam `gratuitos´também os estabelecimentos de ensino superior significa tão somente que as classes altas pagam suas despesas de educação às custas do fundo de impostos gerais". Se interpretarmos a frase acima segundo o "Zeitgeist" (espírito do tempo) atual, concluiremos que ela partiu de um neoliberal, ou, pior, de um membro do governo Temer -ambos incapazes de esconder seu ranço direitista.

Seria uma boa aposta. O novo ministro da Educação, afinal, já insinuou que seria favorável à cobrança de mensalidades para alguns tipos de curso em universidades públicas. No mais, estaria no DNA da direita tentar destruir conquistas sociais como a "universidade pública gratuita e de qualidade".

Como o mundo é sempre mais complicado do que nossas palavras de ordem, sinto-me obrigado a revelar que a frase não tem como autor um entusiasta do Estado mínimo como Milton Friedman ou Friedrich Hayek, mas o insuspeito Karl Marx. Ela consta da "Crítica ao Programa de Gotha", de 1875, em que o pai do comunismo faz comentários às teses que os social democratas alemães defenderiam no congresso do partido.

E as críticas do pensador alemão não param por aí: "Isso de `educação popular a cargo do Estado´é completamente inadmissível. (...) Longe disso, o que deve ser feito é livrar a escola tanto da influência por parte do governo como por parte da igreja".

Como todos os filósofos que pretenderam criar sistemas, Marx cometeu alguns equívocos graves, mas isso não tira dele o mérito de ter sido um grande sociólogo e um arguto observador da realidade. Ao criticar a "universidade pública gratuita", ele só viu o que ela de fato representa: um subsídio que os mais pobres dão aos mais ricos -algo que não combina muito com as ideias socialistas. Seria interessante tentar entender como a esquerda contemporânea ficou tão míope nessa matéria.

As manchetes do jornal O Estado de São Paulo


No Jogo/Extra: Vascão garante Jorginho e Zinho por mais tempo.


Na capa d'O Globo


A capa do Jornal do Commercio


As manchetes de jornais brasileiros nesta terça-feira

Folha: Medidas são para país deixar de levar gols, diz Meireles

Globo:  Filho caçula de Lula recebeu R$ 6 milhões de fontes suspeitas, diz jornal

Extra: Houve estupro 

Estadão: Filho de Lula recebeu cerca de R$ 10 milhões

ValorEconômico: Cai mais um ministro, o da Transparência

ZeroHora: Ministério Público aponta fraudes de R$ 2,5 bilhões no Bolsa Família

EstadodeMinas: Temer perde segundo ministro em uma semana 

CorreioBraziliense: Ministro pede para sair após criticar Lava-Jato

- CorreiodaBahiaTragédia na BR

- JornaldoCommercio: Multa além do transtorno

DiáriodoNordeste: Gravação de Sérgio Machado derruba 2º ministro de Temer

- CorreiodaParaíba: Um estupro a cada 40h na Paraíba

segunda-feira, 30 de maio de 2016

Josias Farias - da AC3 - relembra o nosso grande Timbu e se solidariza com seus familiares.


Prezado Dirceu,

Temos todos os motivos para ficar de luto com a passagem do nosso Timbú para uma dimensão eminentemente espiritual. Pela sua rica trajetória artística e fidelidade a nossa autêntica cultura, deixa uma lacuna física irreparável. A homenagem que a AC3 promoveu a Timbú no Carnaval de Cajazeiras do ano passado, em parceria com o nosso "Carnavalesco Global", Ubiratan de Assis, parafraseando meu pai e seu admirador incondicional Rubens Farias, "nos deixa com a consciência tranquila do dever cumprido", . 

Nosso conforto aos familiares e amigos do nosso Eterno Timbú.

Atenciosamente,

Josias Farias Neto
Diretor de Políticas Públicas da AC3

No sábado, na Praia de Jacumã, nossa amiga Neila Maria fez aniversário rodeada de amigos e fantasias. Só gente boa.

 




Narra aí, Galvão Bueno...

Sugestão de Clayton Mota
Operação prende ex-chefe do PSDB de Minas, ex-secretário de Anastasia
BELA MEGALE
FLÁVIO FERREIRA
Folha de São Paulo

Nárcio Rodrigues, ex-secretário do governo Antônio Anastasia, é levado para cumprir prisão temporária

O ex-secretário de Ciência e Tecnologia do governo Anastasia e ex-presidente do PSDB de Minas Gerais Nárcio Rodrigues (PSDB-MG) foi preso nesta segunda (30) em uma operação da Polícia Militar, do Ministério Público e da Polícia Federal que mira um esquema que teria financiado campanhas tucanas. Foram cumpridos cinco mandados de prisão e 16 de busca e apreensão, em Uberaba, Frutal e Belo Horizonte.

Rodrigues vai cumprir prisão temporária, cinco dias. Outro alvo foi o empresário Maurílio Bretas, dono da Construtora CWP.

Segundo fontes da investigação ouvidas pela Folha, há provas de que o tucano se valeu de contratos relacionados ao Centro Internacional de Educação, Capacitação e Pesquisa Aplicada em Águas (Hidroex) para captar recursos ilícitos para campanhas eleitorais do PSDB em 2012 e 2014. A operação teria como foco apurar investigar desvio de recursos na construção do projeto, obra do governo de Minas localizada em Frutal, no Triângulo Mineiro, cidade natal e reduto eleitoral de Rodrigues.

Entre os locais que houve busca e apreensão estavam escritórios da Hidroex, de onde foram levados computadores e documentos.

O ex-deputado foi levado a uma das sedes do Ministério Público por volta das 8h e transferido às 13h20 para fazer exame de corpo delito. Rodrigues saiu dentro de um carro da Polícia e não falou com a imprensa.

Segundo a PM, irá para a Ceresp (Centro de Remanejamento do Sistema Prisional), onde ficará preso temporariamente.

O PSDB de Minas Gerais foi procurado, mas ainda não se manifestou.
As sete mensagens de Cunha
O Antagonista

Eduardo Cunha comentou no Twitter a entrevista de Dilma Rousseff à repórter chapa branca da Folha de S. Paulo.

A primeira mensagem:

“Além da arrogância e das mentiras habituais, ela demonstra a sua incapacidade e despreparo para governar”.

A segunda mensagem:

“Além do crime de responsabilidade cometido e que motivou o seu afastamento, as suas palavras mostram o mal que ela fez ao país”.

A terceira mensagem:

“O custo da reeleição de Dilma para o povo brasileiro já está em 303 bilhões de déficit público, além de uns 700 bilhões de juros da dívida”.

A quarta mensagem:

“Com o descontrole das contas públicas, aumenta a inflação e a despesa de juros da dívida pública. A sua gestão foi um desastre”.

A quinta mensagem:

“Dilma mente tanto que já estamos aprendendo a identificar quando ela mente. Basta mover o lábios”.

A sexta mensagem:

Se até o Lula se arrependeu de ter escolhido ela, imaginem aqueles que ela fez de idiota, mentindo na eleição”.

A sétima mensagem:

“Para ela, apenas uma frase: Tchau querida”.


O Antagonista concorda com Eduardo Cunha em suas sete mensagens.