quinta-feira, 31 de outubro de 2013

Foi ou não foi?, pergunta a articulista.

Lula hoje, Lula antes
ELIANE CANTANHÊDE
Folha de São Paulo

BRASÍLIA - Os marqueteiros decidiram lustrar Lula e o Bolsa Família para 2014. Um ainda está em muito boa forma e será de grande utilidade. O outro anda meio gasto.

Daí por que a semana virou um grande palanque para Lula em Brasília, com medalha da Constituinte no Senado, medalha da "Suprema Distinção" na Câmara e festança pelos dez anos do Bolsa Família.

Lula, claro, deitou falação, mas não custa avivar a memória e o senso crítico. Vamos lá.

Se ele agora recebe a medalha da Constituinte, há 25 anos o PT votava contra a "Constituição Cidadã", um pacto nacional histórico. Em discurso de 1988, Lula criticava: "Ainda não foi dessa vez que a classe trabalhadora pôde ter uma Constituição efetivamente voltada para os seus interesses. Ainda não foi dessa vez que a sociedade brasileira, a maioria dos marginalizados, vai ter uma Constituição em seu benefício".

Se agora Lula enaltece José Sarney, a ponto de equiparar sua importância na Constituinte à de Ulysses Guimarães, o PT não apoiava o governo Sarney e o próprio Lula se referia indiretamente ao então presidente como "o maior ladrão" da Nova República. Naquele mesmo discurso, queixou-se dos "setores conservadores ligados ao Planalto".


Se agora critica duramente quem "avacalha" a política, Lula era quem denunciava a existência de "300 picaretas" no Congresso Nacional. Ou não?

Se agora defende vigorosamente a reforma política, Lula teve oito anos de mandato e uma popularidade estrondosa, mas nunca mexeu um dedo pela reforma. Ou não?

Se agora se volta raivosamente contra a mídia e contra jornalistas, Lula foi aquele líder sindical mítico do ABC embalado pela mídia nacional e endeusado por repórteres desde os anos 1970. Ou não?


Há o Lula pré-governo e o Lula pós-governo. Entre o que ele era e dizia e o que ele é e diz, passa aquele rio que inebria e deforma: o poder.

Em um Baile do Reencontro, grande evento da AC3, em Cajazeiras, foi registrado o meu abraço ao grande Lourival Dias, uma baraúna de Monte Horebe.

Do Blog de Ricardo Setti


Não faz nada, ora.

Porque não se trata de uma mulher nua, amigas e amigos do blog.

Trata-se de uma obra de arte — uma escultura feita de resina e pintada pela americana Carole Feuerman, considerada uma das melhores artistas hiperrealistas do mundo, com trabalhos expostos em alguns dos melhores museus que existem, como o Metropolitan, de Nova York, e o Hermitage, em São Petersburgo, na Rússia.

Entre as personalidades que possuem obras de Feuerman estão o imperador Akihito, do Japão, o ex-presidente americano Bill Clinton e sua mulher, Hillary, o ex-secretário de Estado Henry Kissinger e o ex-presidente soviético Mikhail Gorbachov.

“Sou mais conhecida por minhas escultuas hiperrealistas de nadadores e de pessoas tomando banho, minuciosas a ponto de conter cada sarda da pele e cada gota de água”, diz, com acerto, Feuerman. “Procuro esculpir a figura humana de forma tão semelhante a pessoas vivas para que as peças pareçam até respirar… ”

Para ficar no estado de perfeição que quer, a artista explica que uma peça pode requerer até 100 mãos de tinta, e lixar e polir entre cada camada, para alcançar o acabamento e a luminosidade necessários. Do começo ao fim, o processo de criar uma escultura pode levar de seis meses a vários anos.

“Employee Shower”, da coleção Grounds for Sculpture

“Balance”

“General’s Twin”

“NBA”

“Luca”

“Capri”

“Survival of Serena”

A modelo real sobre peça que inspirou, “Survival of Serena”, incompleta

Carole trabalhando em “Balance

Carole Feuerman trabalhando na obra “Brooke with Beachball”

Carole Feuerman trabalhando em “Lady Neptune”. O brilho excessivo da escultura indica que ela ainda não está pronta

“Nude Coming Through the Wall”

Rumo à santificação...O ópio às avessas!

Maduro afirma que rosto de Chávez apareceu em túnel do metrô de Caracas
Em Caracas (Venezuela)

Prensa Miraflores/EFE

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, exibiu na noite de quarta-feira (31) uma suposta imagem do rosto do falecido presidente Hugo Chávez, que teria aparecido nas obras de um túnel do metrô de Caracas.

"Olhem a figura, um rosto. Esta foto foi feita pelos trabalhadores, os operários. Quem está neste rosto? Um olhar(...) É o olhar da pátria que está em todos os lados(...) Os trabalhadores estão ali, trabalhando e lhes aparece uma imagem na parede e, assim como apareceu, desapareceu. Chávez está em todas as partes", disse Maduro, sorrindo, em um encontro com movimentos populares no Poliedro de Caracas.


Em abril, durante a campanha para a eleição presidencial convocada após a morte de Chávez, em 5 de março, Maduro afirmou ter visto o falecido comandante encarnado em um "pássaro".

Desde então, em vários discursos imitou o som do pássaro para fazer referência à presença de Chávez. Maduro foi muito criticado e alvo de piadas de opositores pela referência, mas disse que não estava preocupado.

Em junho, o presidente venezuelano afirmou que Chávez "aparecia" nas montanhas que dominam a paisagem de Caracas.

"Cada vez que observo a montanha, vejo Chávez aparecer na montanha. Chávez nosso de todos os dias", afirmou durante um evento público em Caracas.

Nunca é demais ver a nossa Cajazeiras, mesmo em imagens mais distantes. Elas servem como alimento à memória.


Aécio apresenta projeto para que Bolsa Família seja 'política de Estado'

Senador mineiro não esconde que anúncio foi feito para eliminar o discurso de que a oposição pretende acabar com o programa de transferência de renda

Erich Decat e Débora Álvares  
Agência Estado

Brasília - O presidente nacional do PSDB, senador Aécio Neves (MG), disse nesta quarta-feira, 30, que o momento não é para comemorações em torno do Bolsa Família, mas de cuidar das famílias que compõem este programa. Com base nisso, ele protocolou projeto no Senado que altera a lei que trata da assistência social e vincula o Bolsa Família ao Fundo Nacional de Assistência Social, com recursos garantidos da Lei Orgânica de Assistência Social (LOAS).

Andre Dusek/Estadão
Para senador não é momento de comemorar o Bolsa Família

"A partir da aprovação desse projeto, o Bolsa Família deixa de ser um programa de um governo ou de um partido político e passa a ser uma política de Estado", afirmou."Hoje temos 2 milhões de crianças do Bolsa Família que não são acompanhadas. Existe mais de 1,5 milhão de crianças que estão com rendimento escolar abaixo da média. Nós queremos deixar para trás o tempo da comemoração para efetivamente cuidarmos de verdade das famílias que compõem o programa", disse o tucano.

As declarações do tucano ocorreram poucas horas depois do evento realizado em Brasília, em que a presidente Dilma Rousseff comemorou os dez anos de criação do Bolsa Família, ao lado do ex-presidente Lula e integrantes do governo.

Aécio disse que deve também apresentar, em breve, outra proposta que garanta que os pais de família, que conseguirem emprego de carteira assinada, possam receber por seis meses os benefícios do programa. "O grande temor das famílias que recebem o Bolsa Família e se reintroduzem no mercado de trabalho é, depois, eventualmente, perderem o emprego e terem dificuldade de serem recadastradas", justificou.

Provável candidato tucano à presidência em 2014, Aécio admitiu que as medidas anunciadas tinham por objetivo tentar eliminar o discurso dos governistas de que a oposição pretende acabar com o programa que beneficia milhares de brasileiros.

"A maior homenagem é tirar o tormento, a angústia das pessoas, que toda véspera de eleição, são atemorizadas pela leviandade de alguns que acham que seus adversários irão, em determinado momento, terminar o programa", afirmou o tucano.

Ele também ressaltou que foi o partido quem começou com os programas de transferência de renda, na gestão do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. "Quem deveria, na minha avaliação, ser homenageado era o ex-presidente Fernando Henrique que iniciou os programas de transferência de renda."
Lula ataca Marina e diz que política cambial de FH quebrou o país três vezes

Segundo o ex-presidente, a ex-ministra ‘precisa não aceitar com facilidade algumas lições que estão lhe dando’ 

CHICO DE GOIS
O Globo

André Coelho / O Globo 
Dilma e o ex-presidente Lula participam da cerimônia de comemoração dos 10 anos do programa Bolsa Família 

BRASÍLIA – O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva negou nesta quarta-feira que a presidente Dilma Rousseff esteja em campanha e rebateu a ex-ministra Marina Silva (PSB) que afirmou que o governo Fernando Henrique Cardoso deixou como legado a estabilidade econômica, que a gestão Lula trouxe inclusão social, mas que Dilma não tinha uma marca própria.

- A Marina precisa só compreender o seguinte: ela entrou no governo junto comigo em 2003 e ela sabe que o Brasil tem hoje mais estabilidade em todos os níveis que a gente tinha quando entramos. Herdamos do FHC um país muito inseguro, não tinha nenhuma estabilidade - disse. - Ela deve se esquecer que em 1998 a política cambial fez esse país quebrar três vezes. Acho que é importante perguntar para ver se ela se lembra. Nunca tivemos tanto tempo de estabilidade econômica como temos agora. Nunca tivemos um país tão seguro do seu futuro como temos agora - acrescentou.

O ex-presidente sugeriu ainda que Marina procure informações sobre economia “com mais gente”.

- Eu penso que Marina precisa não aceitar com facilidade algumas lições que estão lhe dando. Ela precisa acompanhar com mais gente o que era o Brasil antes de a gente chegar.

******************************
A Resposta de Gustavo Franco, ex-presidente do Banco Central


Por que não te calas? 

A estabilização não foi feita por Lula, mas APESAR dele. Lula e o PT sabotaram o Plano Real até onde puderam, mas fracassaram em atrapalhar o suficiente. 

Lula herdou da FHC um país que venceu a hiperinflação e fez muitos progressos e reformas, e que se sentia inseguro não com o passado recente, mas com o que ele, Lula, ia fazer. O país se tranquilizou quanto à economia quando ele, Lula, adotou as políticas macroeconômicas de FHC, que sempre atacou. A partir daí fala da estabilização e do tripé como se tivesse sido ele o inventor. 

O país não quebrou em 1998, quando enfrentou uma crise parecida com a de 2008. Em 1998 fizemos um acordo com o FMI: se isso é quebrar, ele Lula também esteve quebrado durante boa parte do seu governo. E a política cambial de 1994-98, tão fundamental para o sucesso da estabilização, nada teve que ver com a crise, que vem de fora, como a de 2008. Em dinheiro de hoje, o câmbio estava em cerca de R$ 2,15 ao final de 1998, mais ou menos onde está agora. 

Tem razão o Rei da Espanha também sobre Lula, outro falastrão.

O jornal Jogo/Extra destaca a grande vitória do Mengão contra o Goiás


As manchetes do Jornal da Paraíba


Os destaques do jornal Zero Hora


A capa de hoje do jornal Correio Braziliense


As manchetes de jornais brasileiros nesta quinta-feira

GloboNúmeros da violência no Rio: Assassinatos subiram 38% no estado e 19% na capital

Extra: Prefeitura pagará R$ 118 de bônus de Natal a servidores

FolhaOperação prende chefia de arrecadação da gestão Kassab

EstadãoPrefeitura descobre fraude na gestão Kassab e irrita PSD

ValorEconômicoOGX sucumbe com dívida de R$ 11 bi

ZeroHora
 Calote de R$ 11,2 bi de Eike é o maior da América Latina

Estado de MinasCota racial na Câmara

CorreioBraziliense
Seguro de vida de 180 mil servidores está por um fio

CorreiodaBahia: Preço de passagem aérea varia até 463%

DiáriodoNordeste: Banda larga no Ceará será fiscalizada por 298 medidores

DiáriodePernambuco: Padres envolvidos na máfia dos cemitérios


JornaldoCommercioComeça a guerra à dengue

JornaldaParaíbaParaíba é rota para venda de droga por atacado

quarta-feira, 30 de outubro de 2013

Ivo é nosso sobrinho, filho de Mércia, irmã de Márcia Galvão. Ele mora em Rondônia e recebe o abraço de parabéns de minha Manoela e de toda a família.

Luiza, Ivo e Manoela Galvão

Mércia, Márcia Galvão, Manoela, Ivo e Luíza
Sabe por que?
Mario Couto versus Jader: é guerra
Couto: atirando para todos os lados
Conhecido pelo seu temperamento explosivo, o senador tucano Mário Couto estava com a corda toda na sessão de hoje. Depois de chamar Dilma Rousseff e Aloizio Mercadante de mentirosos, sobrou para outra dupla: Rosemary Noronha e Lula. Gritava o senador agora há pouco:
- Sabe por que a Rose nunca vai ser presa? Porque Rose ama Lula e Lula ama Rose.
Por Lauro Jardim


Para não esquecermos o nosso Perpétuo Correia Lima, o maior ídolo esportivo de Cajazeiras. Hoje, 36 anos de sua morte.

 
Daladier de Juarez dos Correios e Perpétuo, em 1973, no Açude de Pilões.

Ana Lívia é filha de Jocerland de Galego BillyGancho, é minha sobrinha por afeição e musa mirim do Sete Candeeiros Cajá. Parabéns, lindona!


O meu amigo Maninho estará, hoje, na TV Diário do Sertão.


Hoje, no INTERVIEW, o bate papo será com o Arquimedes Gomes de Sousa Neto, mais conhecido como Maninho. Encontro marcado às 18 h na TV Diário do Sertão.

Era segredo, menino! Não era para o eleitor saber disso não...

Debate sobre fórmula de reajuste dos combustíveis irrita Mantega

Para governo, Petrobras tornou sua proposta pública antes da hora

NATUZA NERY
VALDO CRUZ
Folha de São Paulo

A definição de uma fórmula de reajuste da gasolina e do diesel, para reforçar o caixa da Petrobras e garantir o cumprimento de seu plano de investimento, causou desconforto entre a estatal e o Ministério da Fazenda.

A equipe econômica concorda em criar um mecanismo que dê "previsibilidade" para a Petrobras, mas não gostou da forma como o assunto foi tornado público nem do modelo aprovado pela diretoria da empresa.

A Folha apurou que o ministro Guido Mantega (Fazenda) manifestou sua insatisfação durante conversas com diretores da estatal na sexta-feira passada, após a reunião do conselho de administração, órgão que é presidido por ele.


Na avaliação de assessores presidenciais, a Petrobras pressionou "publicamente" o governo a aprovar sua proposta o quanto antes, quando ainda não havia autorização final para o modelo sugerido pela diretoria da estatal.

Irritou o Ministério da Fazenda a forma como a Petrobras discutiu o tema na mais recente reunião do conselho de administração, registrando em ata que a diretoria da empresa havia aprovado uma fórmula de reajuste automático para gasolina e diesel.

Com isso, a informação acabou sendo repassada oficialmente ao mercado por meio de fato relevante.

Nele, a estatal diz que sua "diretoria-executiva deliberou sobre uma metodologia de precificação a ser praticada pela companhia", que foi "apresentada ao conselho de administração, que determinou a elaboração de simulações adicionais e estabeleceu o prazo de 22 de novembro para sua consideração".

Na visão do governo, não havia motivos para divulgar oficialmente ao mercado acionário uma proposta que ainda não estava finalizada e que está sujeita a ajustes.


Dentro da estatal, assessores argumentam que o ministro não pode afirmar que foi surpreendido com a discussão do mecanismo de reajuste automático, que já vinha sendo debatido nas últimas reuniões do conselho.

Além disso, na quarta passada, antes da reunião, a presidente da Petrobras, Graça Foster, informou a Mantega que a diretoria da empresa apresentaria uma fórmula para avaliação. A equipe econômica não contava, porém, que ela fosse formalizada.

Interlocutores de Graça Foster argumentam que ela tem deixado claro ao governo que não defende uma proposta que possa prejudicar o trabalhos da equipe econômica para conter a inflação.

Procurados, Fazenda e Petrobras se limitaram a negar que haja desentendimento.

O negócio foi o seguinte: os vascaínos, em Cajazeiras, se reuniram para ver o jogo do Vascão e tiraram esta foto. Laurineto comentou...E eu acho que ele está 'curtindo' com a tristeza da torcida...



Meus pêsames a todos da família. KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK. Toda segunda tem oração pra subir, orem mais pois a queda parece ser iminente. kkkkkkkkkkkkkkkkkk

Nossa Geralda Lopes é homenageada em Brasília por seu desempenho funcional na Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional. E faz o certo: divulga no Sete Candeeiros Cajá!


Dirceu, bom dia.

Gostaria de dividir com vocês (conterrâneos) minha alegria de ser homenageada neste dia 31/10 com o Prêmio de Desempenho Funcional, em homenagem prestada pela Procuradoria Geral da Fazenda Nacional - MF.

Abraços.

Geralda Lopes

Dá p'ro gato!

Homem corta o próprio órgão genital depois de se revoltar por não ter uma namorada
R7

Rapaz de 26 anos trabalhava muito e acreditava que não teria tempo para encontrar uma mulher.

Um homem de 26 anos de idade, que trabalhava longas horas e acreditava que não havia nenhuma chance de encontrar uma namorada, resolveu cortar seu próprio pênis por achar que ele não tinha nenhuma utilidade.

Yang Hu acreditava que por nunca ter tempo de sair, por conta do trabalho, não conseguiria encontrar uma namorada. Então, em meio ao desespero e à depressão, o rapaz decepou seu membro.

Mas Yang rapidamente se arrependeu, e então pegou sua bicicleta e foi correndo ao hospital para receber tratamento, tentando reconstituir o membro. Mas para a infelicidade do chinês, ele havia perdido muito sangue, e os cirurgiões não foram capazes de salvá-lo.


Os amigos disseram que Yang estava cada vez mais deprimido pelo fato de não encontrar uma alma gêmea. Eles disseram que as longas horas de trabalho em uma fábrica de roupas em Jiaxing, na província de Zhejiang, no leste da China, o fazia pensar que jamais conheceria uma mulher.

'Pia mermo': melhor do que ele em Cajazeiras tem de monte! João da Uça, Olivan Big Boy, Bocão, Ferreirinha, Pedro Revoltoso, Demar de Doca, Saulzinho...Vou parar para não virar humilhação de humor.

Leandro Hassum: sucesso
Leandro Hassum: sucesso
Faturando alto com filmes e comerciais de TV, Leandro Hassum já está fazendo exigências para shows de humor.  São dezenas durante o ano.
Uma apresentação de 45 minutos do humorista está custando 35 000 reais. Hassum exige ainda um carro executivo para si próprio e o agente, além de outro veículo para a equipe técnica.
Por Lauro Jardim

No Diário do Poder: e Rose, heim?


Íntima do ex-presidente Lula e ex-chefe de gabinete da Presidência da República em São Paulo, Rosemary Noronha é alvo de Processo Administrativo Disciplinar que pegou leve com ela, apenas destituindo-a do cargo em comissão, por recomendação do ministro petista Jorge Hage (Controladoria-Geral da União). Transferidas para o âmbito penal, as acusações contra “Rose” podem somar mais de 25 anos de cadeia.



Rosemary Noronha é suspeita dos crimes de falsidade ideológica, tráfico de influência, corrupção passiva e formação de quadrilha.


Jorge Hage empurrou com a barriga o processo administrativo ao Ministério Publico Federal, para “providências”. O MPF resolveu agir.



Em junho, a Casa Civil da Presidência chegou a negar acesso ao Ministério Público Federal ao processo administrativo de Rose.


Um ano após o escândalo, a poderosa Rose, íntima de Lula, ainda não foi punida por nenhuma das 11 irregularidades a ela atribuídas.