segunda-feira, 30 de setembro de 2013

CNJ determina que TJ-PB nomeie aprovados em concurso
Consultor Jurídico

O Conselho Nacional de Justiça determinou a nomeação dos candidatos aprovados em concurso que ocorreu em 2008. O órgão considerou parcialmente procedentes três Pedidos de Providência contra o Tribunal de Justiça da Paraíba. “Os candidatos aprovados têm direito subjetivo à nomeação, desde que haja recursos orçamentários”, afirmou o conselheiro Gilberto Valente Martins, relator dos processos.

Martins esclareceu, porém, que o direito subjetivo limita-se ao número de candidatos aprovados equivalente ao número de cargos criados pela Lei 9.073/2010, observada a Lei Complementar 96/2010. A condição imposta pelo CNJ é que haja orçamento suficiente, respeitado o limite prudencial de despesas e o cronograma de instalação das unidades judiciárias que vão receber os novos servidores.

O CNJ reconheceu também o direito subjetivo dos candidatos aprovados nos concursos públicos de 2012, com as mesmas condicionantes, e deu prazo de 20 dias para que o tribunal paraibano apresente planejamento orçamentário para a instalação das novas unidades judiciárias, criadas pela Lei Complementar 96/2010, ou então demonstre que já atingiu o limite prudencial de despesas ou que haja alguma excepcionalidade que inviabilize as nomeações dentro do prazo de validade do concurso.

Com informações da Assessoria de Imprensa do CNJ.

Algumas das imagens da 2ª Festa do Brega no Cajazeiras Tênis Clube, no sábado passado. Uma festa especial, com muita alegria e gaiatice. E tem mais fotos!

 A Banda Labaredas, do Recife, abriu os trabalhos...



























Vocês se lembram de Zé Palmeira e do filho Juscelino?


Até já contei esta estória por aqui, no nosso Sete Candeeiros Cajá. mas sem ilustração. Agora vamos relembrar com fotos.

Todo mundo se lembra que o grande Zé Palmeira, em Cajazeiras, era um sujeito de fino espírito e língua ferina. Quando conheci sua família, ele já era dono de uma tarimba de carne no Açougue Público de Cajazeiras, ali na Praça Nossa Senhora de Fátima

Seu caminho constante era do Açougue para sua casa, que fica no fim da Rua Barão do Rio Branco, vizinho ao baldo, no beiço do açude grande.

Na época não tinha, ainda, o canal do sangradouro do Açude Grande e em em frente à casa de Tantino Cartaxo havia um campinho de areia, onde fazíamos a nossa farra futebolística.

Eram peladeiros de todo jeito (lembro de Caramelo, Dona de Saul, Maciel, Nilsinho, Eraldo 'Bambanca' Moésia...). Como visto, todos eram garotos e pequenos (coisa que o tempo não alterou com muita sabedoria...).

Juscelino de Zé Palmeira aos 20 anos
Mas havia Juscelino de Zé Palmeira. E ele destoava dos demais garotos, porque já era grandão no meio dos pequenos. Às vezes, também, jogávamos no estreito por trás da trave do estádio Higino Pires. Ali, havia grama...

E Juscelino era grandão, valente e raçudo (só que raçudo, para nós, era sinônimo de 'grosso'). O tamanho dele se destacava no meio dos bem pequenos. Ele na zaga assustava o adversário. Às vezes, também, não acertava a bola e dava a famosa 'cheirada'. Jogávamos descalços...e a gente ria muito dizendo que cada 'cheirada' que Juscelino dava arrancava - entre os dois dedos maiores do pé esquerdo - um metro quadrado do mato do campinho! Era mais eficiente que o jumento de Aranha que fazia o acerto do gramado do Higino Pires...

Foto de 2012, com Juscelino e a irmã. A cara de Sara é de gaiata profissional.
Bom que certa vez, no fio do meio dia, com o sol batendo forte, nós estávamos no melhor da pelada na frente da casa de Tantino... E lá vinha Zé Palmeira do açougue a caminho de casa.  Na passagem, se aproxima do que seria a linha lateral do campinho, bota a mão cobrindo os olhos da sobrancelha pra cima e fica parado olhando prá nossa pelada, mas virando a cabeça de lado a lado como se procurasse ver algo especial.

Juscelino - bem grandão no meio dos meninos - já sabendo que o pai devia estar fazendo alguma presepada, começou a perguntar, com voz grossa e abusada: "- O que é pai? O que é que o senhor tá procurando aqui?"

Zé Palmeira só respondeu: "- Ai, meu fí tava aí? Quase que não lhe via no meio desses meninos!"

E continuou no caminho para casa...

E nós, pra variar, caímos na risada...

Parabéns, Marina de Bebelo.


Marina leva o nome da avó e é filha de Rubismar Galvão e Cleide. Na foto, é a primeira da esquerda pra direita. Em todo o tempo de sua jovem vida foi e é uma menina adorável.


A criança da imagem, acima, transformou-se numa linda menina e já estuda medicina. Parabéns, minha sobrinha.
Da Coluna de Cláudio Humberto

A conta dos cartões corporativos do governo federal ultrapassou R$ 32 milhões em setembro, mês marcado pela decisão da presidenta Dilma Rousseff de hospedar-se com sua comitiva, em Nova York, esta semana, no luxuosíssimo hotel St. Regis, onde somente sua diária custou R$ 25 mil. Desde agosto foram R$ 6 milhões torrados com cartões. A Presidência é quem mais gastou: R$ 3,6 milhões.


Sob a surrada alegação de “segurança do Estado”, o Palácio do Planalto se recusa a detalhar as despesas com cartões corporativos.


Enquanto Dilma ocupava no hotel St. Regis, líderes do seu governo negociavam reduzir reajuste salarial dos professores, em todo o Brasil.

Só uma informação: Jakelyne Silva, Miss Mato Grosso, é eleita a Miss Brasil 2013. Como diz meu amigo Nêgo Riba: "- Fora o'zóvo".


O destaque do jornal Jogo/Extra é o Flamengo


A capa de hoje do jornal Folha de São Paulo


Os destaques do jornal Zero Hora (POA)


As manchetes do jornal Diário de Pernambuco


As manchetes de jornais brasileiros nesta segunda-feira

GloboMais 9 plataformas – Petrobras ampliará capacidade em 50%

Extra: Bandidos detidos em prisões de segurança máxima voltam ao Rio

FolhaPF investiga propina de R$ 52 mi em trens de SP

Estadão
Nigéria atribui chacina de 50 estudantes a grupo islâmico

ValorEconômicoCrédito deve diminuir com retração de banco público

ZeroHora
Obras da Copa de 2014 podem ficar para 2015

Estado de MinasNovos táxis e os velhos problemas

CorreioBraziliense
80 mil chances de trabalho no serviço público

CorreiodaBahia: [Futebol - Vitória] Voo do Leão

DiáriodoNordeste: 'Cinturão' de segurança tenta reduzir homicídios

DiáriodePernambuco: R$ 77 milhões para tapar os buracos do Recife

JornaldoCommercioRecife fará ofensiva para tapar buracos

JornaldaParaíba: Partidos fazem de tudo para atrair mais filiados

sábado, 28 de setembro de 2013

Do boiga de Tião Lucena.


Zé do Fumo hospedou-se num mosqueiro de Campina Grande, daqueles onde a individualidade é separada por tabiques, mas cadê conseguir dormir! Sentia falta de uma costela e seus ouvidos eram despertados por uma voz de homem que pedia, implorando:

"Deixa eu botar, nêga, eu boto devagar, num vai doer".

Incomodado com aquilo, subiu num tamborete e olhou por cima do tabique, avistando, no outro aposento, um negão do tamanho de um tanque batendo uma gloriosa na solidão do quarto.

Enquanto, ainda, não é proibido...


Do KibeLoco. Será que vamos ficar sem o nosso churrasco?!


Na noite de ontem, em Cajazeiras, foi lançado o BlogdoAdjamilton Pereira. Muita gente boa e uma recepção de alto nível. O objetivo foi plenamente alcançado. O Sete Candeeiros Cajá estava lá. Boa sorte ao amigo Adjamilton.





A música era de Glauco Meireles. No meu pé de ouvido, Tantino Cartaxo derramava elogios à competência musical de Glauco, um grande artista cajazeirense.