quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

TV Diário do Sertão transmitirá um grande evento na Capital.

A PRIMEIRA TRANSMISSÃO AO VIVO DE UM GRANDE EVENTO SERÁ NA CAPITAL 

Por SALES FERNANDES 

TV Diário do Sertão fecha parceria para Show de Daniela Mercury no bloco Picolé de Manga em JP

Jornalistas cajazeirenses comandarão a transmissão direto do Bairro Cordão Encarnado, no Centro Histórico da Capital. A TV Diário do Sertão inaugura, assim, uma transmissão de relevante importância para o jornalismo sertanejo.

Irmãos - Lucélio e Luciano - Cartaxo estão a frente do bloco que completa seus 20 anos

O Portal Diário do Sertão e agência de publicidade PLUS fecharam uma parceria nessa quinta-feira (24), com o tradicional bloco carnavalesco "Picolé de Manga", da cidade de João Pessoa, para transmissão do evento que acontecerá no próximo dia 1º de fevereiro, no Bairro Cordão Encarnado, Centro Histórico da Capital paraibana.

O jornalista Sales Fernandes e o radialista e teatrólogo, Ubiratan Diassis comandarão a transmissão, que começará na manhã da sexta-feira, dia 1º, onde haverá a apresentação do “Maior Picolé do Mundo”, brincadeira que já é marca registrada da agremiação carnavalesca.

Durante a noite, o Portal Diário do Sertão transmitirá os shows de Renata Arruda e Amanda Cunha & Orquestra Experimental, além da apresentação da cantora baiana Daniela Mercury, que marcarão os 20 anos do bloco "Picolé de Manga".

Em conversa com a reportagem, o coordenador do bloco, Lucélio Cartaxo, que é irmão gêmeo do atual prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo (PT), disse que a festa faz parte da programação oficial do pré-carnaval de João Pessoa, "Folia de Rua".

“Será uma apresentação histórica, como é a data que estamos comemorando. Nos 20 anos do Picolé de Manga, trazer uma atração como Daniela Mercury é uma alegria muito grande para nós e um presente para a cidade de João Pessoa”, pontuou o diretor executivo do bloco, Lucélio Cartaxo.

Em dia de aniversário, o meu amigo João Uça foi capa do Sete Candeeiros Cajá. E já está em recuperação da cirurgia de fimose.



'Chega dá uma dor'!

Se, além disto, fizer menino, é milagrosa!

Crendice em Angola ‘explica’ fortuna de Santos

Em Angola, difunde-se uma história que não conseguiria prosperar nem no Brasil dos mensaleiros, sobre a origem supostamente “limpa” da fortuna de Isabel dos Santos, filha do presidente José Eduardo dos Santos, que segundo a revista Forbes é a primeira bilionária da África

Êpa! Agora só nota de U$ 100!
Os angolanos são levados a acreditar que a fortuna dela vem de uma cobra, pertencente ao seu marido, que “cospe dinheiro” todos os dias.

Fonte: CláudioHumberto

Altamente democrática!


Já que João da Uça faz aniversário, vamos rever o seu discurso como candidato a vereador.

video
  

Gente boa cajazeirense - Rômulo Feitosa e Iracema Marques Galvão - foi capa do Sete Candeeiros Cajá


Polêmico Novo Fórum de Cajazeiras

Marcos Diniz 

Candeeiristas e Candeeirados.

À parte a insolúvel discussão financeira disponível (porque, EM CASA DE POUCA FARINHA, MEU PIRÃO PRIMEIRO!), a definição da construção do novo Fórum de Justiça na Boa Terra, Cajazeiras, encontra-se na tagarelice típica da politicagem dos predadores de plantão a cata de oportunidades de bajulação a quem está mais acima na cadeia de mando.

A maçaria fubânica é extrema ao aventar até nome para supostos homenageados.

Não tenho nada contra, mas pergunto:

Quem tem que encarar as cobranças devidas? Por acaso foi a verba de construção pleiteada e disponibilizada em algum governo passado?

Ó sem memórias, localizem as caixas pretas da história cajazeirense. O Professor José Antonio de Albuquerque está bem aí para reavivar as memórias poucas ou nenhuma dos que decidem.

Por quê não construir logo o tal fórum?


Sugiro até um nome que deve ser lembrado nas homenagens: DESEMBARGADOR AMARO DE LIRA E CÉSAR, o único cajazeirense a exercer o cargo de Desembargador e ser Presidente de Tribunal de Justiça.

Nascido na Serra da Arara, estudante do Colégio Salesiano, foi personalidade que possuía a simplicidade dos que muito sabem, pouco ostentam e, dividem com todos os seus conhecimentos.

Que o diga,o hoje Dr. Zélio Furtado, que quando estudante em Recife, frequentou a residência do Dr.Lira, como este era mais conhecido. 

Exerceu a magistratura com dignidade, esteve Juiz Corregedor em Pernambuco e Juiz de Comarca em Caruaru, onde provavelmente deve ser homenageado muito mais que em sua terra natal, Cajazeiras.

Alçado a Desembargador, chegou por unanimidade ao mais alto cargo do judiciário pernambucano; Presidente do Tribunal de Justiça de Pernambuco.

Homenageado que foi por amigos da Terra do Padre Rolim, entre outros: Dr. Aldo Matos de Sá, Dr. Gineto Pires, Dr. Valdemar Pires, Dr. Sabino Guimarães, Dr. José Guimarães, Promotor Firmino Gaioso... teve sua foto emoldurada, aposta em galeria do antigo Fórum Judiciário de Cajazeiras, aquele que era localizado no andar superior da Prefeitura Municipal.

Quando da transferência do fórum, para a sede atual, a fotografia, cópia dessa mostrada aqui na postagem desse escrevinhador, desapareceu nos porões do esquecimento. Mal que aflige boa parcela dos nossos políticos.

Lapso? Incompetência dos administradores da casa? Ou apenas falta de cobrança, por não haver descendentes de tão notável autoridade judiciária na cidade? Fica o nosso questionamento.

Nas redes sociais, estão dizendo que foi uma "Pegadinha da Malandra"! Iéiééé...


A capa de hoje do jornal Folha de São Paulo


A capa de hoje do jornal Zero Hora (Porto Alegre-RS)


Capa de hoje do jornal Extra (RJ)


A capa de hoje do jornal Diário de Pernambuco


As manchetes de jornais brasileiros nesta quinta-feira

- GloboDepois da tragédia de Santa Maria – Rio tem 49 espaços culturais sem alvará.

JornaldoBrasil: Juri condena PMs por participar na morte de     Patrícia Acioli

Extra: Postos já aumentam gasolina e diesel acima dos 6,6%

O Dia: Tragédia no Sul tem mais 27 internados

FolhaHaddad promete avaliar segurança de boate em 90 dias

Estadão Governo eleva a 25% mistura de etanol na gasolina

ValorEconômico:  Liquidez cresce e frigoríficos captam US$ 2 bi no exterior

ZeroHora:  Empresa de bombeiros executou obra contra incêndio em boate

Estado de Minas: Fiscalização em BH não tem data para começar

CorreioBrazilienseImpunidade, a segunda tragédia

DiáriodoNordeste: Vistoria recomenda interdição de 4 casas de show na capital

O Povo: Corpo de Bombeiros interdita 4 casas de show

CorreiodaBahia: Tráfico de mulheres: novela vira realidade

-DiáriodePernambuco: Dois Brasis [o do futebol e carnaval/o da corrupção e impunidade]

JornaldoComércio: Serviços reforçados na folia

TribunadoNorte: Governo vai pedir que planos sejam considerados ilegais

quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

Demorou!

Por Laryssa Borges, na VEJA.com:

Diante dos novos desgastes envolvendo o senador Renan Calheiros, denunciado na última sexta-feira no Supremo Tribunal Federal (STF) por utilizar notas fiscais falsas para justificar o pagamento de uma pensão alimentícia, o PSDB anunciou nesta quarta-feira que deve apoiar a candidatura alternativa do novato Pedro Taques (PDT-MT) à presidência do Senado.
(….)
Nesta quarta-feira, o líder do PSDB no Senado, Alvaro Dias (PR), informou que o partido apresentará nesta quinta uma “carta de princípios” a Pedro Taques antes de sacramentar o apoio dos tucanos à candidatura do político mato-grossense. O apoio em massa da bancada do PSDB daria dez votos a Taques, mas a eleição para a presidência do Senado, que ocorre na manhã de sexta-feira, é secreta.

Ao anunciar a disposição do PSDB em apoiar o nome de Taques à presidência da Casa, Alvaro Dias disse ser necessário “preservar um espaço de dignidade na instituição” em busca de um “novo cenário de maior respeitabilidade”. “Certamente nós vamos marchar unidos em torno dessa candidatura (de Pedro Taques). Temos 81 senadores e temos que colocar a instituição em primeiro lugar. Se há contestação em relação a determinado nome, por que insistir com ele? As circunstâncias exigem um posicionamento diferente da oposição”, afirmou.

PSB
Na manhã desta quarta, o PSB também marcou posição contra a candidatura de Renan Calheiros e decidiu que não votará nele para a presidência do Senado. Os socialistas representam mais quatro votos contrários às pretensões do alagoano de voltar ao cargo do qual foi abatido em 2007 após uma série de denúncias de irregularidades. A bancada do PSB, formada por Lídice da Mata (BA), Antônio Carlos Valadares (SE), João Capiberibe (AP) e Rodrigo Rollemberg (DF), afirmou que, com as eleições para a Mesa Diretora, o eleitorado espera “compromisso firme com a ética e com a continuidade do processo de transformação do Brasil em uma nação justa e próspera”.

Por Reinaldo Azevedo

Do Kibeloco.


Com o Sete Candeeiros Cajá no coração!

Elisângela Dantas e Suelene Lopes, no Estado do Piauí, e com o Sete Candeeiros Cajá na lembrança. E fizeram o melhor: visitam locais distintos e registram o fato para o nosso blog. Se for com a camisa do Sete, fica melhor ainda!
JUSTIÇA
Apenas 3 tribunais enviam dados sobre 'fichas sujas' ao CNJ
Folha de São Paulo
DE BRASÍLIA

Só três dos mais de 90 tribunais do país cumpriram integralmente determinações do Conselho Nacional de Justiça de prestar informações sobre a existência de servidores fichas sujas no Judiciário.

Isso motivou o presidente do CNJ, ministro Joaquim Barbosa, a enviar ofício às cortes de país cobrando o cumprimento das regras estabelecidas no ano passado e determinando, para alguns tribunais, novos prazos para que apresentem informações.

O CNJ havia determinado que os tribunais informassem até a última segunda a existência de servidores atingidos pela resolução. O prazo para que todos fossem demitidos é no dia 9 de fevereiro.

Segundo o conselheiro Bruno Dantas, 11 tribunais chegaram a mandar informações sobre servidores em cargos de confiança, mas alguns deles não apresentaram em relação aos terceirizados.

Os três que apresentaram informações completas foram os Tribunais Regionais do Trabalho do Amazonas e Rio Grande do Norte e o Tribunal Regional Eleitoral de Roraima, onde não havia funcionários atingido pela resolução.

Estava faltando? Falta mais não!



Na boca do povo e no oco do mundo: Renan, não!


Membros ilustres da Família Amério foram capa do Sete Candeeiros Cajá


E mais não precisa dizer!

Duas grandes mentiras

TOSTÃO
Folha de São Paulo

Continuam as discussões sobre as vantagens e as desvantagens de sediar a Copa do Mundo no Brasil

Os otimistas e a turma do oba-oba, que, às vezes, se confundem, falam que 498 dias são mais que suficientes para se formar uma grande seleção, que Felipão e Parreira são os únicos capazes de suportar a pressão de comandar uma Copa no Brasil, que, em casa, o Brasil é o principal favorito, e que a seleção possui Neymar e vários outros grandes craques.

Os realistas, críticos, também chamados de pessimistas, dizem que não haverá nenhum legado técnico após a Copa de 2014, mesmo se o Brasil for campeão, que o futebol brasileiro, fora raras exceções, como o Corinthians, desaprendeu a jogar coletivamente, que o Brasil só tem um grande craque, Neymar, e que há outras seleções melhores.

Os otimistas e a turma do oba-oba falam que o dinheiro do BNDES não é público, que é comum os estádios ficarem mais caros que o previsto, que nenhum se tornará elefante branco, porque são arenas multiúso, que os novos estádios e gramados vão melhorar a qualidade do futebol e que o desalojamento de famílias e a desapropriação de bens públicos foram exigências da Fifa.

Os realistas e críticos dizem que quase todos os estádios são construídos com dinheiro público (financiamento do BNDES, diminuição de impostos e outras vantagens), que os estádios de Brasília, Cuiabá e Manaus serão elefantes brancos, que os estádios existem para se jogar futebol e, depois, serem sedes de outros eventos, e não o contrário, que quase todos estão superfaturados, com enorme variação de preços, e que, por ser caríssima a manutenção, não serão rentáveis, a não ser que os ingressos sejam muito caros.

Os otimistas e a turma do oba-oba falam que haverá um grande legado à população, que o turismo será beneficiado, que não haverá confusão em aeroportos, no período da Copa, porque diminuirá bastante o número de passageiros habituais.

Os realistas e críticos falam que os aeroportos continuarão tumultuados, desorganizados, superlotados, que a maioria das obras perto e ao lado dos estádios, o tão falado legado da mobilidade urbana, não ficará pronta ou já está cancelada e que o dinheiro público para outras obras urgentes e importantes, para os setores de saúde, transporte, saneamento básico e infraestrutura, foi transferido para o Mundial.

Não tenho dúvidas de que os estádios estarão prontos e lindos, que temos condições de fazer uma Copa tão ou mais organizada que a da África do Sul, que o torcedor vai curtir uma grande festa, ainda mais se o Brasil avançar na competição e for campeão, mas não podemos fechar os olhos a tantos absurdos, a tanto gasto desnecessário e excessivo e a duas grandes mentiras, a de que não haveria dinheiro público e a de que a Copa deixará um grande legado social e urbano à população.

Corrozin, o pai de Coronel, é o 'Véi do Cafundó' e saiu na capa do Sete Candeeiros Cajá.


'E num tá bom não?'


Jose Ariousy Moreira, o menino que cresceu na Rua Tenente Arsênio (a rua da cadeia, como chamávamos), em Cajazeiras, expressou a sua inteira compreensão de conjuntura:

"No Brasil é assim, dá com uma mão e tira com a outra. 
Brasil Mostra a tua Cara!!!!!!!


E Renan Calheiros, heim?



O procurador-geral da República Roberto Gurgel trocou um dedo de prosa com repórteres sobre a denúncia que protocolou contra Renan Calheiros no STF há cinco dias. ”Foi uma iniciativa extremamente cuidadosa, extremamente ponderada do Ministério Público, examinada e refletida com o máximo cuidado e extremamente consistente”, disse. Na bica de ser devolvido à cadeira de presidente do Senado, nesta sexta-feira (1o), Renan insinuou que Gurgel agiu sob inspiração política. Teve dois anos para se pronunciar e só decidiu denunciá-lo na ante-sala do retorno triunfal.

“Sempre tenho muito cuidado com isso”, respondeu Gurgel. “As pessoas estão sempre concorrendo a cargos. Mas não pode ficar o Ministério Público de mãos atadas, subordinado a só oferecer denúncia quando seja politicamente conveniente.” Na versão do procurador, a denúncia não foi formalizada antes porque o julgamento do mensalão monopolizava suas atenções.

Na vida, todo mundo tem que raciocinar com hipóteses. Das mais amplas às mais específicas. No caso do que espera o Senado com a volta de Renan à presidência o espaço para a escolha de hipóteses é enorme. Sobretudo porque ninguém pode dizer com 100% de certeza o que decidirá o STF ao julgar a denúncia de Gurgel. Na melhor das hipóteses, Renan será abolvido da acusação de recorrer ao lobista de uma empreiteira para pagar pensão e aluguel à ex-amante com a qual teve uma filha. Na pior das hipóteses, o STF converterá a denúncia contra Renan em ação penal.

Levando-se o raciocínio às fronteiras do paroxismo, a melhor das hipóteses é que Renan seja vítima de um complô da PF, da Procuradoria e da mídia golpista para fazer de um senador modelo um político desonesto. A pior das hipóteses é que, alheio à evidência de que tudo o que está na cara não pode ser uma conspiração da lei das probabilidades contra um inocente, o Senado está prestes a devolver a presidência a um futuro réu. Ou, na pior das piores hipóteses, um futuro condenado.
Urubus do Congresso
FERNANDO RODRIGUES
Folha de São Paulo

BRASÍLIA - Ninguém sabe quantas leis o Brasil tem. Seriam perto de 300 mil. Leis não faltam. O que falta é serem cumpridas.

Mas basta uma tragédia para o Congresso sacar do coldre uma nova proposta de lei. Querem agora uma legislação federal de prevenção contra incêndios -tendo como pano de fundo as mais de 200 mortes na boate Kiss, em Santa Maria.

Aperfeiçoar normas estaduais, municipais ou criar uma lei federal não fará mal. Entretanto o benefício dessas ações é limitado. As regras já existem. A iniciativa do Congresso só comprova o fetiche brasileiro pelo "governo federal nhonhô". Na realidade distorcida do país, se há um problema, Brasília precisa resolvê-lo.

Alguém se lembra da lei exigindo o registro do nome completo, endereço etc. de cada novo portador de celular pré-pago para evitar o uso por criminosos nas prisões? Não deu em nada, embora o cadastro inútil continue a existir. Custa dinheiro e quem paga a conta são os consumidores.

A cidade gaúcha de Santa Maria já tem a lei 3.301, aprovada há mais de 20 anos, em 1991. Proíbe "material de fácil combustão e/ou que desprenda gases tóxicos em caso de incêndio" em locais como "boates e assemelhados". Determina também a instalação de saídas de emergência "com respectiva sinalização".

O que faltou então? Faltou poder público. Um empresário inescrupuloso tem responsabilidade pela falta de rotas de fuga em uma boate. Mas o agente político eleito para comandar a cidade é corresponsável.

Para cumprir a lei são necessários fiscais decentes e preparados. Sem propensão ao achaque. Profissionais que não estejam ali para cobrar propina e depois repartir uma parte com os políticos que os nomearam.

No Congresso, deputados preferem propor uma nova lei. Garantem alguns minutos de fama na TV. Há exceções, claro, mas a maioria ali só pensa em surfar na desgraça alheia.

Tragédia em Santa Maria
Investigação sobre incêndio na boate Kiss deve incluir poder público

Especialistas apontam que agentes responsáveis por conceder alvará e fiscalizar não estão imunes a punições

Carlos Rollsing
Jornal Zero Hora

Especialistas em Direito garantem que o Estado, o município e os agentes públicos responsáveis por conceder alvará, fiscalizar e liberar a Kiss para o funcionamento não estão imunes a punições.

Sem dúvida, se a boate não respeitava os parâmetros, não poderia funcionar. As características do local configuram claramente a responsabilidade do Estado por omissão — explica Fábio Souza de Oliveira, professor de Direito Administrativo da Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Ele diz que a responsabilização por omissão ocorre quando o poder público deixa de cumprir as suas atribuições — como fiscalizar, autuar e fechar estabelecimentos irregulares — por negligência ou imperícia. A hipótese é prevista no Artigo 37 da Constituição.

O professor de processo penal da Unisinos Lúcio de Constantino aponta a tendência do poder público em atribuir responsabilidade somente aos empresários e músicos.

Por parte de algumas autoridades, percebo o entendimento da ausência de culpa dos órgãos públicos. Se fiscalizassem como deveriam, essa casa não estaria aberta — diz.

Os especialistas não concordam com a ideia de que uma legislação federal anti-incêndio se faz necessária, tema levantado pelo governador Tarso Genro.

Não é falta de lei, mas de aplicação da lei — resume Oliveira.

Ao olhar as regras de Santa Maria e dos bombeiros, percebemos exigências que seriam capazes de evitar essa tragédia — reforça Constantino.

OS TIPOS DE PUNIÇÃO

* Cível — o Estado poderá ter de pagar indenizações, por dano material ou moral (devido ao sofrimento das famílias das vítimas).

* Administrativa — se a conduta do gestor ou servidor público tiver sido ilícita, mesmo por omissão ou negligência, é possível ser exonerado do cargo ou ter mandato cassado.

* Penal — tem como pena a prisão, se os envolvidos tiverem incorrido em crime.

Como aconteceu

O incêndio na boate Kiss, no centro de Santa Maria, começou entre 2h e 3h da madrugada de domingo, quando a banda Gurizada Fandangueira, uma das atrações da noite, teria usado efeitos pirotécnicos durante a apresentação. O fogo teria iniciado na espuma do isolamento acústico, no teto da casa noturna. 

Sem conseguir sair do estabelecimento, pelo menos 235 jovens morreram e outros 100 ficaram feridos. Sobreviventes dizem que seguranças pediram comanda para liberar a saída, e portas teriam sido bloqueadas por alguns minutos por funcionários.

A tragédia, que teve repercussão internacional, é considera a maior da história do Rio Grande do Sul e o maior número de mortos nos últimos 50 anos no Brasil. 

Em gráfico, entenda a sequência de eventos que originou o fogo

A boate

Localizada na Rua Andradas, no centro da cidade de Santa Maria, a boate Kiss costumava sediar festas e shows para o público universitário da região. A casa noturna é distribuída em três ambientes - além da área principal, onde ficava o palco, tinha uma pista de dança e uma área vip. De acordo com a Polícia Civil, a danceteria estava com o plano de prevenção de incêndios vencido desde agosto de 2012. 

A festa

Chamada de "Agromerados", a festa voltada para estudantes da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) começou às 23h de sábado. O evento era de acadêmicos dos cursos de Agronomia, Medicina Veterinária, Tecnologia de Alimentos, Zootecnia, Tecnologia em Agronegócio e Pedagogia. Segundo informações do site da casa noturna, os ingressos custavam R$ 15 e as atrações eram as bandas "Gurizadas Fandangueira", "Pimenta e seus Comparsas", além dos DJs Bolinha, Sandro Cidade e Juliano Paim


A capa de hoje do jornal Zero Hora (Porto Alegre-RS)


A capa de hoje do Jornal Diário de Pernambuco


A capa de hoje do jornal Extra (RJ)


A capa de hoje do Jornal Folha de São Paulo


As manchetes de jornais brasileiros nesta quarta-feira

- GloboA tragédia de Santa Maria – Omissão de prefeitura e bombeiros é investigada

JornaldoBrasil: Petrobras anuncia aumento da gasolina (6,6%) e diesel (5,4%)

Extra: Gasolina está 6,6% mais cara

O Dia: Produto barato causou tragédia [em Santa Maria]

FolhaGasolina tem alta de 6,6% a partir de hoje nas refinarias

Estadão MP vai investigar bombeiros e fiscais após tragédia no RS

ValorEconômico:  Ação coordenada põe o dólar em novo patamar

ZeroHora:  Jogo de empurra

Estado de Minas: Reprovadas

CorreioBrazilienseTragédia em Santa Maria

DiáriodoNordeste: Governo aumenta preço da gasolina e do diesel

O Povo: Gasolina 6,6% mais cara a partir de hoje

CorreiodaBahia: Tragédia na balada [acidente mata estudante na Paralela]

-DiáriodePernambuco: O Recife conectado

JornaldoComércio: Petrobras reajusta gasolina e diesel

TribunadoNorte: Governo ignora sete decisões do pleno do TJ sobre reajustes

- JornaldaParaíba: Petrobras aumenta em 6,6% o litro da gasolina

- DiáriodoSertão: Empresário Alexandre Costa diz que falta interesse em obras inacabadas e engrossa discurso: "é só dar um murro para concluir esse aeroporto" [de Cajazeiras]

terça-feira, 29 de janeiro de 2013

Secretaria de Cidadania a Promoção Social firma parceria com Faculdade Santa Maria 

A Secretaria de Cidadania e Promoção Social do município de Cajazeiras firmou importante parceria com a Faculdade Santa Maria, com o objetivo de unir os poderes público e privado para trabalharem em parceria no campo da pesquisa e criação de projetos que atendam as demandas sociais do município. 

Segundo a secretária Léa Silva a parceria vai viabilizar condições de se trabalhar melhor com a população numa nova perspectiva, mas qualitativa e profissional. 

Neste primeiro instante, será permitido que os alunos que estão cursando Serviço Social possam estagiar, em parceria com os coordenadores e técnicos da Secretaria de Promoção Social no diversos programas do governo federal e gerenciados pelo município, como Bolsa Família, CRAS, CREAS, PETI, PROJOVEM, Centro de Atenção aos Jovens e Adolescentes e nas ações da própria secretaria, disse Léa Silva.

Enviada por José Ronildo

O culto à personalidade impede a consciência e abre o caminho para o fascismo.


“O presidente Lula começou maior do que o partido, depois ficou maior que o governo e agora quer ser maior do que a nação. O PT que ajudei a fundar não tinha dono nem deus”, critica o deputado federal Domingos Dutra (PT-MA).

Quem procura, acha!


Eduardo Campos questiona aliança PT-PMDB

ANGELA LACERDA 
Agência Estado

O governador de Pernambuco Eduardo Campos, presidente nacional do PSB, questionou a aliança PT-PMDB, que deve ser mantida na disputa presidencial de 2014, em entrevista publicada nesta segunda-feira pelo jornal sergipano Cinform. "Há um grande risco para quem monta coalização para governar quando a aliança política não corresponde à aliança social feita para ganhar a eleição", disse ele. "Acho que a expressão que o PMDB começa a tomar nessa aliança é muito maior do que o que o PMDB representa na sociedade brasileira e isso, um dia, é resolvido - ou pelos políticos ou pelo povo".

"A gente já viu, em outros momentos, alianças políticas que foram feitas em determinadas conjunturas e que tentaram impor à sociedade a sua manutenção e o povo rapidamente não consentiu e a desmontou", afirmou o governador, ao lembrar que em 1986 o PMDB elegeu governadores de todos os demais Estados do Brasil, exceto em Sergipe, onde o PFL venceu a eleição com Antônio Carlos Valadares. "Mas, três anos depois, aquela mesma aliança de forças que havia participado disso tudo foi varrida das urnas, e dois candidatos fora do processo, que eram àquela altura o Lula e o Collor, de 1989, foram exatamente a expressão da sociedade brasileira".

Campos, que tem buscado se fortalecer nacionalmente como uma opção em uma futura disputa presidencial, evitou, no entanto, comentar a sucessão. Repetiu, na entrevista, - concedida semana passada, quando foi homenageado em Aracaju pelo Instituto Luciano Barreto Junior (ILBJ) - que ainda é cedo para se discutir o assunto. E reafirmou seu apoio à presidente Dilma Rousseff.

Indagado sobre o que teria a mostrar ao Brasil, mesmo que em 2018, destacou que "Pernambuco, como uma fração do Nordeste, e esta região como um todo, têm sido muito importantes para a travessia do Brasil". Segundo ele, esse último ciclo de expansão econômica que se deu só aconteceu pela vontade política dos nordestinos, que garantiram as vitórias do projeto político que fez o Brasil retomar o crescimento de maneira expressiva.

"Só suportamos a crise econômica de 2008 para cá porque o Nordeste foi a parte do Brasil que mais cresceu. E o Nordeste revela, hoje, talentosos quadros políticos que têm feito administrações excelentes, dos mais diversos partidos, em Governos de Estado ou de Municípios. De modo que o Nordeste, que era visto pelo Sudeste como uma parte atrasada do Brasil, de práticas patrimonialistas, coronelescas, e coisas desse tipo, hoje já é claramente para o País não um problema, como esses alguns achavam, mas uma solução. Se somos a solução na economia, poderemos, sim, também ser na política - na medida em que possamos entender que é a hora de renovar a política, não com discursos, com práticas que transformem a política em algo que a sociedade respeita".

PSB sabe fazer

"Não é por teses regionalistas que nós devemos começar o debate, mas nenhum projeto nacional pode desconhecer as desigualdades que ainda marcam a cena regional brasileira, sob pena de ele cair em descrédito absoluto". Elas são gritantes, frisou, ao destacar que mais da metade da pobreza do Brasil ainda está no Nordeste.

Considerou fundamental que, para governar o País, se consiga enxergar esse Brasil profundo. "Ninguém governará mais o Brasil se não vier com olhar, sentimentos, marcas e compromissos desse Brasil profundo - porque esse Brasil profundo não aguentará mais governos de punhos de rendas, governos dos grandes salões de Brasília".
Operação Mãos Vazias, da PF, cumpre mandados de busca no DF e Paraíba
Fonte: Cláudio Humberto

GOES QUANDO FOI PRESO

A Polícia Federal cumpre mandados de busca e apreensão em João Pessoa e no Distrito Federal, nesta terça-feira, no âmbito da Operação Mãos Vazias, que é é um desdobramento da Operação Mãos Limpas, que prendeu suspeitos de lavagem de dinheiro no Amapá em setembro de 2010 - inclusive o governador Pedro Paulo Dias (PP) e seu antecessor, Waldez Góes (PDT) e mais 14 pessoas. 

Pedro Paulo, inclusive, reassumiu o cargo. Foram cumpridos também mandados de sequestro de imóveis e de ações de Bolsa de Valores. De acordo com a PF, já foram sequestrados 85 imóveis, a maioria na Paraíba. Os aluguéis dos imóveis, foram bloqueados e serão depositados em conta judicial. Os valores estimados dos imóveis adquiridos ilicitamente superam os R$ 30 milhões.

"O importante é o projeto de poder...!"


Enviado por Eugênio Nóbrega

Em dia de aniversário, Luan de Laci foi capa do Sete Candeeiros Cajá


MILLANE, CONSTÂNCIA E JUVINA 

Por Maurício Costa Romão

Da eleição proporcional de 2010 à de 2012 a grande imprensa nacional deu destaque a três episódios bizarros, envolvendo o cumprimento da regra que a jurisprudência convencionou denominar de “cota eleitoral de gênero.

Esta cota refere-se ao dispositivo da Lei Eleitoral (Lei 9.504/97, art. 10, §3º) que estabelece, verbatim:

“...cada partido ou coligação preencherá o mínimo de 30% (trinta por cento) e o máximo de 70% (setenta por cento) para candidaturas de cada sexo” (redação dada pelo art. 3° da Lei 12.034/09).

Note-se que o mínimo e o máximo na redação do §3º se aplicam a ambos os sexos, mas o legislador intentava mesmo era garantir maior participação das mulheres nas eleições, historicamente em número diminuto.

Pois bem, no afã de preencher a cota mínima com o gênero feminino, os partidos saem desesperados à cata de mulheres que se disponham a filiar-se e a candidatar-se por suas cores.

Essa varredura é feita, naturalmente, sem nenhum critério de qualquer ordem: vocação, afinidade programática, dimensão eleitoral, etc. O que importa mesmo é preencher a cota e evitar penalidades. 

Os episódios

Episódio 1

“Determinado partido político (PC do B) - no Piauí -, para cumprir a lei e ter o número de mulheres inscritas exigido, registrou a candidatura de uma mulher [Millane Patrícia] que não fez campanha. Ela mesma não votou em si, mas em um companheiro de partido [Robert Rios], o qual, após ter sido eleito, agora vai ser Secretário de Segurança. Ela, que teve casualmente 30 votos, vai assumir o mandato? Sim, pela interpretação do STF”. Extrato do discurso do Deputado Federal Marcelo Castro (PMDB-PI), na Câmara Federal, em 09/02/2011. 

Há cerca de dois anos o STF, em votação colegiada, não obstante provisória (inter partes), entendeu que a vaga aberta pela renúncia do deputado Natan Donadon (PMDB-RO) deveria ser preenchida pelo primeiro suplente da própria sigla, e não pelo primeiro suplente da coligação da qual é componente. A surpreendente decisão gerou enorme insegurança jurídica no que concerne ao chamamento de suplentes em todos os Parlamentos do país. 

Valendo-se dessa brecha, a estudante Millane Patrícia Moura reivindicou na justiça, na qualidade de primeiro suplente do PC do B, vaga aberta no Legislativo estadual do Piauí devido à licença de deputado do mesmo partido. Millane havia sido convencida a candidatar-se apenas para preencher a cota de gênero, não votou nela própria, mas os familiares e amigos sufragaram 30 vezes o seu nome nas urnas.

Posteriormente a corte máxima revogou a decisão precária exarada antes e, consequentemente, Millane não conseguiu ascender ao Parlamento. 

Episódio 2: 

A professora Constância Melo de Carvalho, do pequeno município de Coivaras, no Piauí, candidatou-se a vereadora, no âmbito da cota de gênero, e se tornou suplente de uma coligação formada por quatro partidos: PP, PSDB, PTB, e o dela, o PMDB. Em 2011, uma vereadora eleita por essa aliança, Raimunda Costa Santos (PSDB), e todos os suplentes da coligação, à exceção de Constância, migraram para o PSB. 

Cassada a vereadora psdebista por infidelidade partidária, e sendo a professora a única suplente da aliança, foi ela considerada apta a assumir vaga na edilidade coivarense com um único voto, o dela própria

Episódio 3: 

Cooptada pela tropa da cota eleitoral de gênero para concorrer a uma vaga na Câmara de Vereadores do município de Lajeado do Bugre (RS), que tem 2.024 eleitores, a agricultora Juvina Camargo Duarte (PMDB) votou em si mesma e foi eleita com este único voto

Fazendo parte da coligação PDT/PT/PTB /PMDB/PPS, que abocanhou seis das nove cadeiras da edilidade lajeadense, Juvina ficou na terceira suplência. O pmdebista Everaldo da Silva (122 votos) renunciou ao cargo para ser secretário do município, abrindo vaga para o primeiro suplente Odilon Bueno da Silva (108 votos), do PDT, que preferiu assumir a pasta de Planejamento na prefeitura.

A segunda suplente, Solange dos Santos (PTB), que recebeu três votos, o dela mesma e os dos pais, julgou que não estava preparada para a nova função e desistiu do cargo (Jornal Zero Hora, 24/01/13), abrindo espaço para Juvina.

Todos os três casos tiveram grande repercussão na mídia nacional, especialmente os de Constância e Juvina, por conta do simbolismo das suas emblemáticas votações. Ademais, reacenderam debates sobre o sistema de eleições presentemente em uso no Brasil.

Nos sistemas proporcionais, como o adotado no Brasil, os candidatos eleitos não são necessariamente os que têm mais votos no pleito, porém os que são os mais votados dos partidos ou coligações, independente das votações que lhes são consagradas

O sistema de lista aberto brasileiro, contudo, tem vantagens e desvantagens como qualquer outro (majoritário-distrital, lista fechada, distrital-misto, distritão). Está em uso no país há 67 anos. Carece de muitos aperfeiçoamentos, é claro. Os raros episódios relatados não devem servir de pretexto para substituí-lo por modelos importados que não guardam aderência com a realidade local*.
------------------------------------------------------------
Maurício Costa Romão, Ph.D. em economia, é consultor da Contexto Estratégia Política e Institucional, e do Instituto de Pesquisa Maurício de Nassau. mauricio-romao@uol.com.br. http://mauricioromao.blog.br
*vide nosso livro Eleições de deputados e vereadores: compreendendo o sistema em uso no Brasil”, Editora Juruá, 2012.