sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Eliane parabeniza Nenen de Eudes Cartaxo. Legal!

 
Nenen contando a estória todinha! E eu só escutando e aprendendo!

Nenen,

Celebrar a vida é sempre um ato de amor, de carinho, de afetividade, que “transportamos” dentro de nós e dividimos com os outros.

Quero parabenizá-lo, mesmo não sendo sua “amiga”, mas conterrânea.

E, claro, por suas inserções no blog.

Saúde!

Eliane de Louro Bibiano


Se não gosta, não compra o produto e ponto! Censura, não!



O pior do caso da Gisele Bündchen     
     Por Gilberto Dimenstein

Há um grupo de pessoas, do qual eu faço parte, que é muitas vezes debochada por ser "politicamente correta". Nunca entendi bem essa crítica, afinal o que se pretende é preservar os direitos de quem, no cotidiano, é vulnerável. Isso significa apenas educação para a cidadania: um olhar crítico a comentários que possam ofender negros, judeus, mulheres, deficientes, migrantes, nordestinos, homossexuais. Mas está virando moda dizer que essa visão é atrasada e estimularia a censura. Aí está o pior do caso do comercial da Gisele Bündchen.

Pode-se achar a propaganda de mau gosto, mas, em alguns casos, a repercussão acaba dando força a quem se imagina engraçadinho ao desrespeitar as outras pessoas. É um exagero, na minha visão, o governo tentar coibir esse anúncio.

Gosto muito mais da ideia de brigar no campo das palavras: estimular o debate.

A santinha Sandy fazendo pose de devassa para vender cerveja? Vamos mostrar o ridículo. Rafinha Bastos brincando com estupro? Vamos fazê-lo ver a falta de graça e que tudo tem limites. Mulheres se sentem ofendidas em se ver como objeto sexual? Compre-se outro sutiã.

O governo entrar como entrou contra o comercial soa um tanto ridículo.

O pior do caso da Gisele é passar a sensação de que politicamente é ser chato e intolerante. Quando, na verdade, o que se combate é a intolerância em nome do respeito à diversidade.

Gilberto Dimenstein, 54, integra o Conselho Editorial da Folha e vive nos Estados Unidos, onde foi convidado para desenvolver em Harvard projeto de comunicação para a cidadania.

O mal que faz a miopia!


Sugestão de Rafael Holanda

Rafael Holanda envia mensagem ao nosso Nenen de Eudes.

Nenen de Eudes Cartaxo faz aniversário, hoje!

Caro Dirceu

Não poderia de ficar indiferente ao aniversário do nosso Nenen de Eudes.

Que Deus seja sempre o seu primeiro passo, que a a virtude da bondade esteja sempre em suas mãos, que a paz esteja no seu coração onde habita o respeito e dignidade. Que sua vida prospere e seja aquinhoado com as quatro benções: vida longa, beleza, felicidade e força, pois quem nasce de um tronco de verdadeira felicidade tem por obrigação, além desta bençãos, de levar consigo o direito de ter grandes amigos.

Atenciosamente

Rafael Holanda

Ô 'festona' merecida! Chico Tomaz firme e forte aos 85 anos. Parabéns, Seu Chico!

Dirceu.

No mês passado, meu avô, Chico Tomaz, completou 85 anos e nós viajamos todos a São Luís-MA, onde comemoramos essa data tão importante pra nós.

O grande patriarca da nossa família chegando a tantos anos de vida e com uma saúde de ferro dessas não poderia nos dar tanta felicidade, sendo assim comemoramos com uma grande homenagem a essa pessoa maravilhosa que se considera o homem mais feliz do mundo, que construiu da mesma maneira uma família abençoada por termos como exemplo de vida este homem que embasou toda sua vida na fé, perseverança, honestidade e simplicidade.

(envio em anexo as fotos da festa)

Thomaz Aquino de Dedé





E o pau cantou! Promotor e advogado brigam em plenário do júri, em São Paulo!



Quebra de decoro
Vídeo mostra briga entre promotor e advogado em SP
Conjur

Um vídeo mostra parte da confusão entre um promotor de Justiça e um advogado, durante sessão de julgamento no Fórum Criminal Central Ministro Mário Guimarães, em São Paulo. As imagens captaram troca de ofensas entre acusação e defesa, e depois mostram que um partiu em direção ao outro, para agredi-lo.

De acordo com a ata lavrada pela juíza da sessão, Patrícia Inigo Funes e Silva, o promotor Fernando Albuquerque Souza agrediu moral e fisicamente o defensor Claudio Márcio de Oliveira. Mas a câmera estava fixada no rosto do réu, e o vídeo captou apenas o som da troca de ofensas entre os dois. Mostra que o promotor foi para cima do advogado depois de ouvir xingamentos direcionados à sua mãe.

Os dois começaram a discutir por causa da forma com que o promotor se dirige ao réu, questionando a veracidade de seu depoimento. O advogado, então, questiona o fato de a juíza não ter se manifestado, ao que o promotor chama o defensor de “bandido” e o acusa de ter ligação com a facção criminosa PCC. É aí que começa a briga, conforme o vídeo acima, gravado no dia 22 de setembro:

Meu amigo, Dominguinhos Simão, envia mensagem de parabéns para o nosso aniversariante de hoje, Nenen de Eudes Cartaxo

  
Meu caro amigo Dirceu,

Leve aí os meus PARABÉNS a esse grande amigo Nenen de Sr. Eudes.

Que a luz do divino espirito santo lhe proteja hoje e sempre.

Feliz Aniversário, Nenen!

Parabéns!

Abraços,

Dominguinhos Simão e familia.

Lourdinha Luna envia mensagem importante para Frassales e para todos nós!

Bom dia Francisco Frassales Cartaxo:

Pelo sobrenome indica ser um cidadão de boa formação moral.

Quando um Governador, Ministro, Chefe de um Setor Público se impõe, desestimula a corrupção.
 
José Américo fez no Nordeste, de 1932/35, mais de 17 grandes reservatórios, todos sem licitação, porque segundo ele "a fome não espera", nenhum bem ou açude, construído naquela época, sob sua supervisão, foi acusado de super-faturamento, para dsevio de verba. A imprensa do Sul era inimiga do Presidente Getúlio Vargas, e fiscalizava toda obra do seu governo, mas não se aventurou a imputar ao DNOCS nenhum deslize ou a menor suspeita. Por que? Respondo:pela lisura de seu Ministro de Viação e Obras Públicas. Quem tinha coragem de fraudar um empreendimento com a assinatura de José Américo? Ninguém.

Como sua secretária particular, durante 17 anos, tomei conhecimento, do quanto fora correto, em sua vida pública e na particular. Na seca de 1952/53, ainda afastado de Getúlio Vargas em face das ocorrência de 37, fora convidado para voltar ao Ministério e aceitou para acudir seu povo, como disse: "eu ia dar, em lugar de pedir". E fez bonito novamente.

Portanto,os cajazeirenses devem ter orgulho desse irmão, por um título de cidadania, pois ele amava Cajazeiras tanto quanto Areia, sentimento que Deusdedit Leitão certificou-se, mas, infelizmente, não está aqui para comprovar o que digo.

Portanto vergonha na cara de quem governa é qualidade indispensável, para o êxito.

Vamos a luta para mudar um estado de coisas que envergonha e humilha brasileiros, homens e mulheres de caráter.

Muito cordialmente.

Lourdinha Luna.

A luta contra a corrupção está, segundo Frassales, precisando de 'foco'! Se encontrarmos, a sociedade desperta para lutar contra este mal!

A luta contra a corrupção
Francisco Frassales Cartaxo*
Corrupção existe desde sempre. E em toda parte. Nenhum país está imune de praticá-la. A diferença está nos níveis de corrupção. E em sua extensão. Há lugares em que é exceção, noutros é a regra. Opera-se debaixo de sete capas ou abertamente, confiando-se na impunidade geral. Neste caso, é como se a corrupção formasse um sistema, com sua dupla face, a ativa e a passiva, a do corruptor e do corrompido. Ela está presente nas instituições públicas e no mundo privado, ajustando-se às duas caras da mesma moeda. Nenhum poder lhe escapa. Nem o Judiciário. Esta semana, a ministra-corregedora, Eliana Calmon fala em “bandidos escondidos atrás da toga” e em “bandidos infiltrados” nas instituições daquele poder. Por isso, o mundo quase vem abaixo. Ela, porém, não abriu, sustentou suas afirmações, com veemência.  
Muitos políticos também recebem seu quinhão de origem suspeita, embora ninguém assine recibo de propina. Então, vai-se deixando correr frouxo, como a coisa mais natural do mundo. E fica por isso mesmo. Por essas trilhas a corrupção se incorpora à vida política de tal maneira que, às vezes, a gente tem vergonha de não usá-la, tão espalhado anda esse bicho de sete cabeças. 
Por isso, torna-se difícil escolher o foco da luta contra a corrupção. Um foco que congregue muita gente, logo de saída. Vez por outra, ocorre um fato que provoca enorme indignação, gerando uma espécie de fermento que faz crescer a insatisfação da maioria, criando condições objetivas para a mobilização da sociedade. Daí pode nascer um movimento coletivo capaz de se alastrar como fogo em mato seco. Surge, porém, uma dificuldade: contra quem se vai lutar? Isso mesmo. Contra quem? Reunir gente para lutar contra a corrupção pressupõe a descoberta de um ponto visível que aglutine as pessoas, sem precisar maiores explicações. Aí está, portanto, a grande dificuldade do combate a corrupção: um pólo capaz de canalizar as energias da sociedade brasileira num movimento de alcance nacional semelhante, por exemplo, ao “fora Collor”, no início dos anos de 1990.
Falta também outra coisa. Quase todos abominam a corrupção. Mas falta atitude. Quem não ouviu frases assim: “que vou ganhar com isso?” Por trás dessa pergunta individualista, se escondem interesses concretos de quem, possivelmente, conhece as práticas corruptas do chefe, do correligionário, do parente, do amigo. Ou se não conhece, pelo menos, desconfia, tantos são os sinais das malfeitorias exibidos pelo chefe, correligionário, parente ou amigo.
Essas intrincadas relações, tão comuns entre nós, inibem o efeito do fermento anti-corrupção. A prova está aí: o movimento que agora se intenta (passeata no Dia da Pátria, em Brasília, o ato público da Cinelândia, no Rio), não pegou embalagem. O foco está muito difuso. Talvez se descubra, no correr da luta, o ponto chave para captar as energias da sociedade. Então, aquela inércia individual expressa na pergunta, “que eu vou ganhar com isso?”, se afogue nas águas limpas dos interesses coletivos. Até lá, vale insistir, insistir, insistir. Tentar abater, quando nada, uma das sete cabeças do bicho.
*Frassales é cajazeirense residente no Recife. cartaxorolim@gmail.com        

Como Maluf mesmo disse: para resolver o problema da saúde, no Brasil, é só acabar com a 'bandalheira'! Então, tá!


Maluf vira réu por lavagem de dinheiro: US$ 1 bilhão
Por Josias de Souza

Folha

Por 7 votos a 1, o STF aceitou denúncia da Procuradoria da República contra Paulo Maluf e outras dez pessas. Entre elas a mulher e filhos do deputado.

Com essa decisão, Maluf tornou-se réu em ação penal que apura a prática de crime de lavagem de dinheiro.

Relator do processo, o ministro Ricardo Lewandowski traduziu o crime em cifras: "Nessa ação, o prejuízo ao erário chega a quase US$ 1 bilhão", disse.


"A família Maluf movimentou no exterior quantia superior a US$ 900 milhões. Esse valor é superior ao PIB de alguns países…”

Países “como Guiné-Bissau, Granada, Comores, Dominica e São Tomé e Príncipe."

Ao fazer a defesa oral de Maluf, o advogado Roberto Leal de Carvalho fez uma espécie de desabafo:

É muito difícil defender Paulo Maluf. Ele carrega um carisma de ódio desde a Copa de 1970. Começa o calvário dele lá.”

No julgamento, a maioria dos ministros do Supremo preferiu levar em conta o calvário dos contribuintes.

Abre-se agora a fase do contraditório. Levando-se em conta a morosidade da Justiça e a idade avançada de Maluf e Silvia, vem aí a prescrição.

A propósito, o ministro Marco Aurélio Mello, único a votar pelo arquivamento do processo, avalia que a prescrição já ocorreu.

Resta torcer para que a verba seja repatriada e para que sejam punidos ao menos os beneficiários da herança maldita: os quatro filhos e dois genros de Maluf incluídos na ação penal.

As manchetes de jornais brasileiros, nesta sexta.


- Globo: Beltrame quer mudar formação e fiscalizar patrimônio de PMs

- O Dia [Novo xerife da PM avisa]: Quem não der o exemplo vai responder

- Extra: PMs presos por execução da juíza assassinaram filho de testemunha

- Folha: BC prevê inflação maior, PIB menor e queda de juros

- Estadão: BC prevê PIB em baixa e inflação alta

- CorreioBraziliense: BB terá que explicar debandada de Brasília

- Valor: Commodities têm maior recuo desde a crise de 2008

- Estado de Minas: Ameaça ao Passaredo

- Jornal do Commercio: Governador critica soltura de presos

- Zero Hora: Prioridades adiadas - Projetos polêmicos esfriam na Assembleia

- O Sul: Banco Central do Brasil prevê grande possibilidade de recessão nos países ricos

- O Norte: [Copa 2014] Ministro diz que JP tem chances de ser subsede

- O Povo: Assembleia vira campo de guerra entre professores e PMs

quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Pise forte. Tenha ética. Encontre-se com a sua consciência limpa!

As pegadas da vida
Por Rafael Holanda

Após trinta e cinco anos de luta, pude com minha experiência notar que cada pessoa tem uma pegada na estrada que deixa de tal forma a marcar o peso ou a leveza de sua consciência.

Muitos pisam lentos e disfarçados para que ninguém note que o seu proceder tende ser mais chegado a falsidade do que a face de amizade.

Outros, apesar de sua truculência e pisar firme deixando rastros desajeitados, têm em si a leveza da pluma e a beleza da paz, sendo capaz de realizar ações que comovem e enternecem.
Outros não pisam com força para não deixar marcas que possam demonstrar sua passagem terrena e passam por todo caminho sem que ninguém na vida saiba dizer de suas ações ou de suas benfeitorias a si e ao próximo.
Alguns pisam de tal forma que você não sabe interpretar sua ação pois simulam ida e volta para confundir a si e outros, dando a impressão que deixar coisas para serem seguidas são passíveis de esquecimentos.
Alguns não completam seu ciclo pela estrada pois se atolam na primeira lama que encontram e por mais que tentem justificar sua sujeira não encontram base para ficarem livres das coisas que marcam.
As pessoas que tentam pegar carona em alguém deixam que o peso maior seja dos braços de outros e vivem no desejo de ser tudo e na realidade não ser nada, marcando o direito de ser parasita da vida que quis.
Outros tentam mostrar os passos como que embriagados para confundir o seu procedimento e fugir da responsabilidade de atender com dignidade, quando na realidade a sua dignidade maior é o cifrão.
Muitos nem tentam enfrentar a realidade da vida e buscam sugar dos pais as passadas necessárias para puder viver e vivem em desespero por não puderem vencer.

A maioria tende a buscar na vida um canto de maior paz e esperança para ter o direito a um lugar ao sol e teimam em ser honestos construir com o suor do seu rosto o sonho que muitos buscam e terminam se perdendo por estradas que não conduzem a nada.

Dr.Rafael Holanda
Médico.

Maluf conhece o caminho das pedras! Quem diria!!! Saúde? É só acabar o furto!

Maluf dá a receita para resolver a falta de dinheiro da saúde: 'É só acabar com a bandalheira'
Estadão.com.br

 O deputado federal Paulo Maluf (PP) afirmou em discurso na Câmara dos Deputados nesta quarta-feira, 28, que o governo não precisa criar um novo imposto para financiar a saúde. E deu sua receita para resolver o problema. 'É só acabarmos com as bandalheiras dos remédios superfaturados, das ambulâncias que não funcionam como vimos no ?Fantástico?, no domingo, acabar com os médicos que infelizmente marcam o ponto e vão embora que tenho certeza, não será preciso aumentar imposto. Temos dinheiro suficiente para bancar a saúde, declarou.

Em seu pronunciamento, o ex-prefeito de São Paulo lembrou ainda que o impostômetro da da Associação Comercial de São Paulo mostrou, no dia 12 de setembro, que o Brasil já havia arrecadado R$ 1 trilhão no ano em impostos, considerando União, Estados e municípios, faltando pouco para atingir o que foi arrecadado em 2010.

Maluf elogiou ainda a redução da taxa de juros realizada pelo Banco Central e criticou o impedimento de investidores estrangeiros de comprar terras no Brasil, o que, em sua avaliação, provoca a fuga de capitais no setor de agronegócios.

Maluf elogiou ainda o governo Dilma Rousseff que, segundo ele, está levando o Brasil para o caminho da gestão.

Claucenor - lá de Brasília - está feliz porque o bom hábito de ler, diariamente, o Sete Candeeiros Cajá está de volta! Obrigado, amigo!


Caro Garrincha,

Apagar os Sete Candeeiros, seria como apagar o sol, que ilumina nossa linda e querida Cajazeiras. Jamais vão conseguir, porque, já está gravado na memória dos cajazeirense leitores assíduos desta página.

Quando chego ao meu trabalho, aqui na Anatel em Brasília, a primeira coisa que faço é acessar sua página todo santo dia.

Jamais desista na primeira queda, seja sempre guerreiro, como você foi no campo de futebol, erga-se e corra novamente atrás da bola, até ser implacável contra o goleiro adversário com um gol de placa, chegando ao ponto final da vitória.  

Abraços deste amigo de sempre.

Claucenor Cajazeiras - Brasília - DF.

Né dele? Ô 'hômi' carinhoso! E joga muita bola!

Ibrahimovic ‘troca’ Piqué por companheiro do Milan
UOL Esporte

 

Há cerca de dois anos, o mundo foi surpreendido por uma cena, supostamente de afeto, entre o sueco Zlatan Ibrahimovic e o zagueiro Gerard Piqué, quando ambos estavam no Barcelona. A imagem mostrava os dois atletas de mão dadas no estacionamento do centro de treinamentos da equipe catalã e levantou dúvidas sobre a sexualidade dos dois.


O tempo passou, Piqué agora mantém um relacionamento firme com a cantora Shakira, mas Ibrahimovic voltou a se envolver em situação semelhante. Desta vez, o parceiro da foto é o lateral Abate, do Milan. A situação foi registrada durante treinamento da equipe italiana na última terça-feira e divulgada pelo jornal espanhol Sport.

E você, o que acha dessas demonstrações de afeto do atacante sueco?

Cavalcante Fotógrafo manda texto e fotos. É - segundo ele - um recado para Alberto da Rádio Alto Piranhas!

"depois da queda o coice "
Texto de Cavalcante Fotógrafo

O Ato Institucional nº 5 esta de volta a cajazeiras.

O radialista Alberto dias aquele que Raimundinho vereador ameaçou (acho que na foto ele disse a Alberto: você vai usar a farda da infra-estruturar) ele recebeu um aviso que vai literalmente para roça capinar, pois a prefeitura notificou que ele vai sair da biblioteca para a infra-estrutura.

Nosso amigo Alberto alem de parar de Lê ele vai ter de usar um macacão da infra-estrutura e já tem bolsa de aposta para saber se e verde ou vermelho. Tudo depende da ordem do general Carlos Rafael...

Amigo Alberto depois da queda o coice, você foi ameaçado por raimundinho e punido pela administração publica, isso é perseguição. Alberto me chame para fotografar quando vestir a roupa, isto é se não retirarem os sites do ar por ordem do general.

Cavalcante Fotógrafo


Eita Brasilzinho danado!

VASSOURAS SÃO FURTADAS
Folha de São Paulo

 
Sérgio Lima/Folhapress

Vassouras são fincadas próximas ao Congresso Nacional em protesto contra corrupção

DE BRASÍLIA - Parte das vassouras do movimento Rio de Paz foram furtadas ontem na Esplanada dos Ministérios, em frente ao Congresso Nacional. Simbolizando o combate à corrupção, 594 vassouras (número correspondente ao total de deputados e senadores) foram fincadas, anteontem à noite, no gramado da Esplanada.

Na tarde de ontem, organizadores do protesto levaram a maioria das vassouras para serem distribuídas aos parlamentares. Cerca de 50 delas, no entanto, ficaram no gramado sem ninguém fiscalizando e foram levadas por pessoas que passavam pelo local. O objetivo do ato, que na semana passada ocorreu em praia do Rio de Janeiro, é pedir ações contra a corrupção.

E se a moda pega?

Supremo ordena que Assembleia divulgue relação de funcionários
 
O STF (Supremo Tribunal Federal) negou pedido da Assembleia de São Paulo para impedir a divulgação da lista de servidores e dos gastos com eles. A decisão, revelada ontem pelo jornal "O Estado de S. Paulo", foi tomada no dia 27 de maio pela então ministra Ellen Gracie, que já se aposentou do Supremo.

Em 2000, a Associação de Defesa da Harmonia da Ordem Constitucional entrou na Justiça pedindo a publicação no "Diário Oficial" da relação dos funcionários nomeados nos últimos cinco anos. O pedido foi aceito pelo Tribunal de Justiça de São Paulo.

Em recurso, a Assembleia argumentou que a decisão judicial vai contra o princípio da separação dos poderes. Na decisão, a ministra citou o artigo da Constituição que obriga qualquer órgão público a seguir o princípio da publicidade. "O recurso extraordinário não merece prosperar. Não há falar em violação ao princípio da separação dos poderes", diz Ellen Gracie na decisão.

A Assembleia paulista tem 94 deputados e cerca de 4.000 funcionários.

A presidência da Casa apenas afirmou que não foi informada da decisão da ministra. O processo, que já foi devolvido ao Tribunal de Justiça de SP, transitou em julgado, ou seja, não há mais possibilidade de recurso.

Folha de São Paulo

Tem certas pessoas em Brasília que deviam arranjar uma 'lavagem' de roupa!

Plebiscito nacional: tira ou não do ar a Gisele?
Por Xico Sá




Pera aí, colegas, o governo está querendo tirar do ar a campanha de lingerie com a Gisele Bündchen.
Upa neguinho!
Confesso que não tenho tara alguma pela moça. Nunca tive. Portanto não é este o motivo do pulo que dei da cadeira ao ler tal notícia.
Todo mundo sabe aqui na firma que prefiro as musas mais cheinhas. Gisele, na minha modesta sociologia de boteco, não passa de um retrato da desigualdade brasileira: tem a fartura do Morumbi de frente e a escassez do Jequitinhonha de costas.
Certo?
Daí querer proibir a publicidade é um vexame cívico-democrático.
A equipe da Secretaria de Políticas para Mulheres, órgão federal, alega o seguinte, como li na Folha.com:
"A propaganda promove o reforço do estereótipo equivocado da mulher como objeto sexual de seu marido e ignora os grande avanços que temos alcançado para desconstruir práticas e pensamentos sexistas".
Veja um dos anúncios aí acima, estimada leitora, e repare se não é exagero pedir ao Conar, o conselho nacional que regula a política publicitária, a retirada da galega dos comerciais da tevê.
Como pode querer que a mulher vá viver sem mentir?, indagaria o fã da canção de Caetano Veloso.
Ela diz a verdade e a verdade é o seu dom de iludir.
Assim vi a publicidade.
A inocente lingerie aparece apenas como uma arma legítima da sedução da fêmea.
Uma peça que pode ser usada tanto por uma Amélia como por uma superpoderosa, moderna e prafrentex.
É a questão plebiscitária do dia aqui no blog: tira ou não do ar a propaganda, amigos(as)? 

O Poder Judiciário diante de decisão extrema!

STF pode eternizar aspas que conspurcam a ‘Justiça’
Por Josias de Souza
Lula Marques/Folha
Certa vez, anotou-se neste blog: no Brasil, existe a “Justiça” e a Justiça. Existe o poder e tudo o que está implícito quando ele é invocado.

Pode soar como coletivo majestático ou pejorativo.
A Justiça sem aspas é igual para todos. Com aspas, vê mais igualdade em alguns do que em outros.

Dependendo do que fizer com o Conselho Nacional de Justiça, o STF pode livrar a Justiça das aspas ou eternizar o sinal gráfico que leva a “Justiça” à ruína
.

O repórter Flávio Ferreira informa, na Folha, que correm no CNJ processos contra 35 desembargadores, autoridades máximas do Judiciário nos Estados.

Eles são acusados de malfeitorias variadas – de venda de sentenças a desvios de verbas públicas. Vinte dos acusados já sofreram algum tipo de punição.

Contra juízes de primeira instância, há na Corregedoria do CNJ cerca de 115 processos disciplinares. Desde a criação do CNJ, em 2005, puniram-se 49 magistrados.

O conselho levou à grelha inclusive um ministro do STJ: Paulo Medina, acusado de vender a pena a uma quadrilha que explorava máquinas de caça níqueis no Rio.

Pois bem. Todo esse incipiente trabalho de higienização pode ser convertido em poeira no plenário do Supremo, às voltas com o julgamento de uma ação antidetergente.

Movida pela AMB (Associação dos Magistrados do Brasil), a ação sustenta que a atividade correicional do CNJ afronta a Constituição.

Se o STF der razão à entidade corporativa, como parece ser a tendência da maioria dos ministros, o trabalho do CNJ vai virar essência de pó de nada
.

Os condenados moverão ações para que as punições sejam revistas (muitos já protocolaram pedidos de revisão no STF). Os processos abertos descerão ao arquivo.

Entre eles uma investigação administrativa inaugurada no CNJ há escassas duas semanas, contra a desembargadora Willamara Leila de Almeida.

Presidente do Tribunal de Justiça de Tocantins, Willamara é investigada no CNJ sob acusação de participar de esquema de venda de sentenças.

Decidiu-se afastá-la de suas funções no tribunal até a elucidação do caso. Se a AMB prevalecer no plenário do STF, Willamara livra-se da grelha do CNJ.

O julgamento do Supremo deveria ter ocorrido nesta quarta (28). Acossado pela repercussão negativa, Cezar Peluso, presidente do STF, deu meia-volta.
Peluso, que também preside o CNJ, preferiu adiar a deliberação a arrostar o desgaste de uma tragédia anunciada nas páginas dos jornais.

Ao passar os poderes do CNJ na lâmina, o Supremo converteria em heroína instantânea a doutora Eliana Calmon, Corregedora do órgão.

Em defesa do CNJ, Eliana dissera que "bandidos escondidos atrás da toga" degradam a imagem do Poder Judiciário. Egresso da magistratura, Peluso rodou a toga.

Urdiu a divulgação de uma nota na qual 12 dos 15 conselheiros do CNJ desqualificaram Eliana, tachando as declarações dela de “levianas”.

O diabo é que o bom senso e a pauta de processos do CNJ dão razão à doutora. "Eu não tenho que me desculpar”, disse Eliana à repórter Mônica Bergamo.

Ela repisou: “Estão dizendo que […] ofendi todos os juízes do país. Eu não fiz isso de maneira nenhuma. Eu quero é proteger a magistratura dos bandidos infiltrados."

Louve-se a valentia da doutora. Sob as declarações da corregedora Eliana esconde-se uma evidência: sem aspas, a Justiça é cega. Com aspas, exibe um olfato notável.
A Justiça assegura direitos iguais para todos. Nos extremos da ação da AMB, a “Justiça” pode livrar os juízes indignos dos deveres mais elementares.

Dito de outro modo: A Justiça é a perspectiva de punição, mas a “Justiça” também é a possibilidade de eternização da impunidade.

Diz-se que as corregedorias dos tribunais cuidarão da limpeza. Conversa fiada. A história mostra que, nesse nível, o corporativismo dilui o detergente em água.

Ou o Supremo demonstra que Justiça é justiça ou fará da “Justiça” um território de supremas injustiças. Está-se diante de um desses pontos volta.

Repita-se: Ou STF acaba com a “Justiça”, reafirmando os poderes do CNJ, ou as aspas levarão a Justiça à ruína.

As manchetes de jornais brasileiros, nesta quinta.


- Globo: No país da impunidade - STF em crise não consegue decidir sobre punição a juízes

- O Dia: Assassinato da juíza derruba o comandante da Polícia Militar

- Marca Brasil: É nossa!

- Folha: Cúpula da Justiça nos Estados tem 35 investigados

- Estadão: Sob pressão, STF mantém poder de investigação do CNJ

- CorreioBraziliense: Governo esvazia Banco do Brasil em Brasília

- Valor: Novo Dnit deve ter menos funções e mais controles

- Estado de Minas: Explode oferta de emprego em BH

- Jornal do Commercio: Apreensão gigante de remédios no Estado

- Zero Hora: Desempenho de aluno contará para promoção de professor

- O Sul: Lotéricas ampliam o horário de atendimento em mais um dia de greve dos bancários

- O Norte: [acidente de trânsito]: Motorista deve pagar indenização a vítimas

- O Povo: Justiça devolve pensão para ex-governador

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Passageiro educado cumprimenta dono da empresa de ônibus!


Em pé: Beto Montenegro, Caldeira, Otávio Araújo, Dirceu, Bira, Sales Fernandes e Moacir Meneses;
Sentados: Ricardo, Otacílio, Eugênio e Bergson

No domingo de sol e altos papos que os cajazeirenses tivemos na residência de Bergson de Dr. Rui Formiga, não podiam faltar as estórias!

Já deixei claro para todos - inclusive para os não-cajazeirenses e cajazeirados - que os nascidos ou formatados em Cajazeiras, se estão juntos em conversa de cimentar amizade, não se conta piada de papagaio, cachorro, gato, macaco ou português.

Falamos de passagens vividas e sentidas por conterrâneos. Destacamos o espírito gargalhante do cajazeirense e de como é fácil sermos conterrâneos. É tudo gaiato!

Eugênio de Raimundo Faustino, um gaiato-sonso, nos contou uma estória de Jarismar de Doca, mais um dos presepeiros irmãos de Demar de Doca.

Na época da Viação Andorinha de João Rodrigues, Jarismar de Doca era motorista e corria um boato danado: uma forma dos funcionários da empresa ganharem um 'dinheirin' a mais era vender passagens em excesso. Prestava-se conta das passagens de acordo com o número de assentos. Ora, quem entrava depois e não tinha mais cadeira podia 'pagar por fora'. A quem? Ao motorista! E isso era feito quando o ônibus estava fora de Cajazeiras.

É claro que Jarismar não fazia isso! Jarismar de Doca é menino bom e correto! Mas - disse Eugênio - tinha motorista que aprontava!

Ocorre que João Rodrigues 'tava' desconfiado! Achava que seus motoristas andavam de envolta com a sacanagem! E resolveu tomar uma providência. Queria 'pegar' - ele próprio - o motorista que fizesse a cachorrada.

Certa vez, João Rodrigues foi de carro até aquele ponto entre Pombal e a entrada para Catolé do Rocha, na BR-230. Estacionou o carro ao lado da lombada e ficou esperando que seus ônibus passassem.

Quem foi o primeiro que passou? É claro que foi o ônibus dirigido  por nosso Jarismar de Doca!

E o carro 'tava' lotado de gente. Em pé?! Aí, era que tinha!!

Quando Jarismar diminuiu a velocidade, na aproximação com a lombada, percebeu que lá estava Seu João Rodrigues. E a cara não era das boas! Ele passa direto e já começa a articular uma desculpa pr'aquele alvoroço de gente dentro do ônibus.

Quando Jarismar de Doca chegou em Cajazeiras, na garagem da Viação Andorinha, encontrou o patrão com a cara mais feia!

João Rodrigues externou a sua insatisfação: "- Peguei você, rapaz! O carro estava cheio de gente em pé! Como é que você faz um negócio desse, Jarismar?!"

Jarismar ficou 'mei aperriado', mas não entregou a estória. Sustentou a sua versão e respondeu:

"- Né nada disso, não, Seu João! Os passageiros estavam 'tudin' sentado, mas quando ví o senhor parado na beira da estrada eu gritei "- pessoal, olha o dona da empresa aí do lado!" - Aí, todo mundo se levantou pra ver o senhor!"

Parece que João Rodrigues engoliu a estória. E Jarismar de Doca vem de uma estirpe de gaiatos cajazeirenses da melhor qualidade!

Ô Carrazera boa!

Jarismar e sua esposa. Hoje, ele está assim: a cabeleira continua bem posta. Ele está firme e forte!

Como é mesmo o nome do namorado? João Bengala!!! Então, cabia mais coisa!


Detenta é flagrada com celular na vagina e carregador no ânus no Sertão da PB

Texto de Pollyana Sorrentino

 Uma detenta foi pega em flagrante na manhã desta quarta-feira (28), com um celular na vagina e o carregador do aparelho no ânus. O fato ocorreu por volta das 9h na cidade de Cajazeiras, no Sertão do Estado.

De acordo com o sargento Rivonaldo de FreitasDiretor da Penitenciária Padrão Regional - Érica Torres de 25 anos é apenada da Cadeia Pública Feminina de Cajazeiras e mantém um relacionamento amoroso com o presidiário da ‘padrão’, João Batista conhecido como ‘João Bengala’.

Érica recebeu o direito, juntamente com outras três detentas da cadeia feminina, de visitar semanalmente os companheiros também em estado de reclusão. No entanto, uma denúncia anônima recebida pela polícia, indicou que ela estaria na manhã de hoje, transportando de forma irregular objetos ilícitos.

A presidiária foi encaminhada ao Hospital Regional de Cajazeiras onde passou por uma revista íntima e foi constatado que ela levava na vagina um aparelho celular, e no ânus, o carregador.

Essa é a segunda vez que Érica é flagrada portando material ilícito nas partes íntimas.

Há dois meses, ela foi presa por transportar 120 gramas de crack. Já o companheiro, ‘João Bengala’ é natural da cidade de Campina Grande e está preso sob a acusação de homicídio.

Por Pollyana Sorrentino

Galego BillyGancho, também, se 'aperriou' com a semana do sumiço do Sete Candeeiros Cajá! Obrigado, irmão! Meu abraço n'A União!

Meus queridos amigos, Neula e Galego BillyGancho

Caro amigo irmão, Dirceu.


Está faltando uma coisa em mim... Assim diz Roberto Ribeiro em sua música, intitulada VAZIO.

E essa coisa que estava faltando até sábado passado era justamente  o SETE CANDEEIROS CAJA, mas como sabemos que o bom filho sempre volta a casa dos pais, e esse para provar que é bom mesmo, não demorou a voltar.

Agora a familia esta completa novamente.

Parabéns pelo esforço e a determinação que teve, para fazer com que esse canal de informação e entretenimento não nos deixasse mais tempo no vazio.

Com carinho,

Galego BilliGancho.


Novos tempos. A 'adultice' chegou. Feche a porta à esperança ilusória!


O formidável enterro da última quimera
Texto de Luli Radfahrer

Você era a mais bonita das cabrochas desta ala. Aos vinte e poucos anos, era natural que o mundo se desenrolasse a seus pés. Linda, inteligente e charmosa, você podia se dar ao luxo de viver dias de Zelda Fitzgerald, sendo poetisa às terças, bailarina às quintas, fotógrafa aos sábados sem provocar suspeitas de esquizofrenia. Pouco importava o que fizesse, dinheiro ou falta de companhia nunca eram problemas dignos de nota. A mística de sua linda juventude se misturava à imaturidade da sua obra com uma leveza e charme desajeitado que sempre fez das crianças e filhotes algo tão fascinante.

Mas como filhotes e crianças, um dia você também cresceu. À medida que deixou de caber nas roupas que cabia e perdeu a capacidade de encher a casa de alegria, tudo o que sobrou de seu gigantesco potencial foi o legado. Mas que legado?

Quem te viu, quem te vê. Enquanto você se considerava eterna, a festa continuou e o nível de quem não era tão espetacular quanto você subiu. A quarta-feira de cinzas trouxe o insuportável peso da realidade que não a cultua mais. Quem não a conhece não pode mais vê-la pra crer, quem jamais a esquece não pode reconhecê-la.

A velha música do Chico Buarque (e o ainda mais antigo poema do Augusto dos Anjos) são extrememente atuais. Não por mostrarem a melancolia da sambista que deixou o morro ou o desgosto de uma vítima de ingratidões variadas, mas por chamarem a atenção para o número cada vez maior de princesas que acreditaram na fantasia e não compreendem porque o príncipe encantado nunca veio. Ele simplesmente não existe.

Sob alguns aspectos, a crise europeia e americana se parecem com o perfil de muitos profissionais competentes e brilhantes, perdidos entre os ideais e valores de sua juventude, os livros, blogs e receitas diversas de auto-ajuda e enriquecimento rápido e a dura realidade de um mercado pragmático.

Boa parte das crises sociais, econômicas e ambientais que vivemos hoje vem de uma mentalidade estabelecida em uma época mais lerda e estável. Nela, quem era rico permaneceria rico, e quem era pobre só enriqueceria por milagre, casamento ou no final da vida. Típica de um tempo em que as coisas pareciam durar para sempre, como em uma eterna juventude ou infância, se é que há diferença entre elas. Na Europa, a terceira geração de quem sofreu muito na guerra está cheia de irmãs de Cinderelas, acostumadas desde crianças a se sentirem belas, poderosas, imperialistas e invencíveis enquanto abusam de suas criadas em uma decadência tão gritante que não se incomoda de ser chamada de Euro Trash e tomar o último gole de champagne enquanto o Titanic afunda. Nos EUA, a evasão de escolas e a importação de talentos deixa claro que a indústria do entretenimento, vista por muitos como instrumento de dominação global, acabou lobotomizando boa parte de seu próprio público.

O resultado é uma quantidade cada vez maior de crianças crescidas que dizem fazer um pouco de tudo, vociferando obviedades para o espelho de seus podcasts e videocasts enquanto não conseguem um emprego que sustente suas opiniões "independentes". Cansados da Ingratidão, essa pantera, um dia acabam por sossegar o facho e aceitar o primeiro emprego oferecido. Não há punks com 50 anos de idade.

É difícil se reconhecer neste espelho que envelhece cada vez mais rápido, por isso tantos se agarram a um retrato de Dorian Gray que os remeta a anos dourados, se recusando a deixar a faculdade, a sair da casa dos pais, a se casar, a ter filhos ou a aceitar um emprego que sustente o sonho, buscando realizá-lo a longo prazo.

Religiões fazem sucesso porque a vida é uma grande profissão de fé
. Emprrendedores de diversas origens sociais só crescem porque se submetem a um regime de trabalho voluntário de apavorar muita sweatshop. Não há nada de novo nisso, praticamente todo império começou financiado por muito suor e pouca saliva.

O sucesso fascina, mas só o trabalho entrega. O digital, ao acelerar os processos, tornou essa relação ainda mais evidente. Quem acredita em sua esperteza e genialidade incomuns é bom se acostumar à lama que o espera.

Luli Radfahrer é Ph.D. em Comunicação Digital pela ECA (Escola de Comunicações e Artes) da USP, onde é professor há 18 anos. Trabalha com internet desde 1994 e já foi diretor de algumas das maiores agências de publicidade do país. Hoje é consultor em inovação digital, com clientes no Brasil, Estados Unidos, Europa e Oriente Médio. Mantém um blog com seu nome www.luli.com.br, em que discute e analisa as principais tendências da tecnologia. Escreve quinzenalmente no caderno Tec da Folha e na Folha.com.

Não basta só fazer o menino...Tem que participar!

ALONGAMENTO
Texto de Marconi Leal.

Após esses quatro meses de ausência, todos devem estar curiosos para saber as novidades da vida de pai. E é sem rodeios que digo ser preciso ter um filho para dar total razão a Freud — e não apenas razão, como também inconsciente e subconsciente.

Sim, porque, nesses primeiros quatro meses de vida, meu herdeiro tem se dedicado com afinco à tarefa de me matar e, contaminado por uma versão mais traiçoeira do complexo de Édipo, escolheu como alvo preferencial minhas costas.

Desde que passei a carregar a cria nos braços dia e noite, minha coluna vem se vergando
de tal forma que, darwinista convicto, temo estar involuindo (primeiro o cérebro, agora isso) e retornando paulatinamente ao filo Cnidaria, aquele de seres invertebrados como as anêmonas-do-mar, as hidras e o Aloízio Mercadante. Deem-me mais um ou dois anos e viro duas colheres de sopa primordial.

Anteontem, vendo que eu já analisava a proposta de trabalhar como acabamento em arco numa construção aqui perto—e adepta de atividades exóticas com o exercício físico e a ingestão de verduras—minha mulher sugeriu que eu fizesse alongamento. E se predispôs a me ajudar.

– Você quer começar a alongar por onde? – perguntou.
– Pelo pinto – respondi.
– A dor é local? – prosseguiu, desprezando minha resposta.
– Digamos que, se você quiser falar com ela, tem que usar DDD.
– Tudo bem. Estique o braço pra cima o máximo que puder.
Fiz como mandou e foi com orgulho que, após não mais que um ou dois minutos, toquei o tampo da mesa.

Uhm. Vamos tentar uma coisa nova.
Sexo? – quis saber, esperançoso.
– Vire o pescoço até encostar no ombro – continuou ela, mais uma vez sem me dar ouvidos. – Isso. Agora volte à posição inicial. À posição inicial, agora. Pode voltar à posição inicial. Você não tá me ouvindo? O que é que falta pra você voltar à posição inicial? Um… pé… de cabra.

Travei. E é assim que estou até agora: quando olho para frente, vejo o lado; para olhar para o lado, giro o corpo. Virei uma espécie de Ney Matogrosso que passou por uma experiência traumatizante com Super Bonder.

A coluna continua a mesma porcaria, mas as propostas de emprego melhoraram consideravelmente. Abandonei a arquitetura e já considero participar como pintura numa próxima mostra de Picasso.

Bateu 'mermo' nos ovos!


A NOTÍCIA É:

Maconha está ligada a câncer de testículos

Pesquisa recente divulgada pelo Icesp (Instituto do Câncer do Estado de São Paulo Octavio Frias de Oliveira) revelou que um em cada quatro casos de câncer de testículo dos pacientes do hospital acontece em homens que consomem maconha de forma regular.

Esse tipo de câncer acontece com maior frequência em jovens entre 17 e 35 anos e, se for tratado rapidamente, tem alta chance de cura.

Melô do baba ovo! De nosso parte, Dinho tem razão. Por Sarney e muitos outros!

 

Aliado de Sarney afirma que 'metaleiros são maconhados'
Texto de FELIPE SELIGMAN - Folha de S. Paulo

O deputado estadual Magno Bacelar (PV-MA), vice-líder do governo da Roseana Sarney (PMDB) na Assembleia Legislativa do Maranhão, afirmou, em discurso, que "muitos dos metaleiros" que foram ao Rock in Rio e xingaram o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), durante o show da banda Capital Inicial, são "drogados e maconhados (sic)".

Segundo ele, o público representa uma "pequena minoria da população". Bacelar é o mesmo parlamentar que havia dito que Sarney "não é uma pessoa qualquer" no episódio revelado pela Folha em que o senador foi flagrado utilizando um helicóptero da polícia do Maranhão em viagens particulares em fins de semana.

Naquela ocasião ele questionou: "Queria que o presidente [Sarney] fosse andar de jumento? Enfrentar um engarrafamento [?]".

Segundo ele, os xingamentos aconteceram em ambiente "onde tem criança, tem jovem, tem tudo".

"Muitos dos metaleiros vão ali drogados, maconhados (sic), e, de certa forma, uma pequena minoria da população, 100 mil habitantes, para se utilizar da boa vontade das pessoas ali presentes", disse.

Após a manifestação em plenário, o deputado afirmou à agência de notícias oficial da Assembleia Legislativa do Maranhão que a moção de repúdio também será destinada diretamente ao cantor da banda, Dinho Ouro Preto.

"Este cidadão, alterado sabe-se lá por quais motivos, disparou vários palavrões não apenas contra o presidente Sarney, mas também contra o público. Foi uma total falta de respeito, de educação. Diante deste fato, irei, sim, apresentar uma moção de repúdio contra este cantor", afirmou Bacelar.
 

Rafael Holanda sentiu tanta saudade do Sete Candeeiros Cajá que mandou, logo, duas mensagens! Eita 'bicho' exagerado!

Rafael Holanda e o filho, Léo. 'Caba' bom!

Caro Dirceu

Já tinha perdido as esperanças de adentrar em Carrazeiras através do sete candeeeiros.

já não amanhecia com a alegria espelhada em meus olhos, porque o silencio do blog manchava a minha camisa com lágrimas de saudade.

Já não sabia como definir coisas que só o seu blog podia explicar, já tinha me perdido por caminhos do encontrar os amigos e conterraneos que fazia desta sua pagina a paz imorredoura.

Atenciosamente

Rafael Holanda

**********************
Rafael em traje de gala. Dê o mote e o hômi fala, com rigor cientifico, sobre vários assuntos. E com sensibilidade à flor da pele!

Caro Dirceu


Meu Senhor! Meu senhor! Eu vos glorifico e vos agradeço por terdes favorecido a vosso humilde servo o retorno de sete candeeiroscajá.

Vosso suplicante escravo vos agradece pelo grito de saudade que ecoou de espaço adentro e chegou de forma mansa ao vosso ouvido.

Ó meu Senhor eu dedico a minha alegria a Vós. Faz com que os olhos do maligno e da inveja suma do nosso espaço, para que possamos realizar a beleza em torno da Santa Terra que nos gerou. Para que possamos rir, chorar; procurar amigos que se perderam pelos caminhos do mundo e este candeeiro com uma luminosidade sem igual foi capaz de encontra-los.

Vós sois misericordioso e ouviu as preces de Dirceu, as suas lágrimas que passaram como um rio no silêncio destes dias de torturas, e sem agressões esperava juntos com todos, o retorno triunfal daquele que se fez amigo e conquistou a tantos.

Atenciosamente

Rafael Holanda

O ninja desta besteira tem uma camisa com duas inscrições: na frente: "seu futuro no rumo certo"; nas costas: "Direito". Pode?!

Declaração da Ministra Eliana Calmon, Corregedora Nacional de Justiça, sobre 'bandidos de toga' repercutiu - e muito - na imprensa brasileira!

Presidente do STF e CNJ, Cezar Peluso
Defesa da toga
Juízes se mobilizam contra declarações de Eliana Calmon
Conjur

O Judiciário se mobilizou nesta terça-feira (27/9) contra as declarações feitas pela corregedora nacional de Justiça, ministra Eliana Calmon, de que diminuir a competência do CNJ é o "primeiro caminho para a impunidade da magistratura, que hoje está com gravíssimos problemas de infiltração de bandidos que estão escondidos atrás da toga".

Depois da nota de repúdio lida pelo ministro Cezar Peluso no início da sessão do CNJ, a Associação dos Magistrados Brasileiros, o Tribunal Superior do Trabalho, o Tribunal de Justiça de São Paulo, a Associação Nacional dos Magistrados Estaduais fizeram o mesmo, criticando a generalização feita pela ministra.

Em entrevista à Associação Paulista de Jornais (APJ), Eliana Calmon criticou a Ação Direta de Inconstitucionalidade proposta pela AMB que questiona, e pretende esvaziar, os poderes do CNJ de punir juízes. À entidade, ela disse que a ADI é o "primeiro caminho para a impunidade da magistratura, que hoje está com gravíssimos problemas de infiltração de bandidos que estão escondidos atrás da toga".

O presidente da AMB, Nelson Calandra, afirmou que confia que a Suprema Corte decidirá de acordo com a Constituição brasileira. Para ele, "esse debate que veio desbordar para a imprensa é sintoma de que vivemos num país democrático, porém nos entristece que uma colega, juíza, ministra, dê uma declaração destemperada a respeito de uma classe que trabalha sem parar".

Em nota, a AMB explica que, ao contestar a Resolução 135 do CNJ, não pretende como imaginam alguns, cercear o trabalho do órgão. Defende que o debate democrático e o direito de recorrer à Justiça são juridicamente adequados e úteis à sociedade, quando persistirem dúvidas e conflitos, por tratar-se de um direito primário em um Estado Democrático. Afirma também que os juízes têm o direito de questionar e acionar a Justiça quando julgarem que sua independência e prerrogativas estejam sendo ameaçadas. Quanto à legitimidade para entrar com a ação, a AMB cita os dispositivos 102 e 103 da Constituiçãoe afirma que irá acatar a decisão do STF, seja ela qual for.

Segundo a AMB, a razão de existir do CNJ não está no poder de vigiar os atos dos juízes, pois esse poder não existe. Ainda segundo a nota, o Conselho foi criado para cuidar de questões administrativas do funcionamento do Poder Judiciário, o que tem feito com muita eficiência. Os juízes, por sua vez, já são bastante investigados e vigiados pelas corregedorias locais, pelos advogados, pelas partes e pelo Ministério Público.

O Tribunal Superior do Trabalho também publicou nota de desagravo em relação às declarações da corregedora, considerou-as levianas e genéricas. Externou sua solidariedade aos juízes brasileiros, em particular aos magistrados do trabalho, os quais classificou como profissionais honrados, probos, éticos e extremamente compromissados com a causa da Justiça.

O Tribunal de Justiça de São Paulo também declarou ter recebido com surpresa a notícia das declarações atribuídas à ministra Eliana Calmon, afirmou estar desenvolvendo todos os esforços para procurar dar atendimento às Metas estabelecidas pelo CNJ, coincidentes, em geral, com as do próprio TJ-SP.

A primeira
O dia da ministra Eliana Calmon começou com uma reunião no Conselho Nacional de Justiça em que se discutia o que fazer diante de suas declarações. A corregedora reafirmou as declarações feitas à Associação Paulista de Jornais refletem o que realmente pensa acerca do assunto. Depois, em silêncio, ouviu as críticas dos demais conselheiros.

Decidiu-se, na reunião administrativa, divulgar uma nota em defesa dos juízes brasileiros. Dos 15 conselheiros, 12 assinaram a nota de repúdio. Não assinaram, além da corregedora, José Luiz Munhoz, juiz do Trabalho do TRT-12, e Jefferson Kravchychyn, representante da OAB no Conselho.

A sessão plenária de ontem começou apenas por volta de 12h, quando o horário normal é às 9h. Nesse intervalo, os conselheiros ficaram em reunião administrativa, discutindo — e repudiando — as acusações da corregedora.

O ministro Cezar Peluso criticou as declarações da corregedora nacional de Justiça. Em nota disse que as afirmações da ministra "de forma generalizada, ofendem a idoneidade e a dignidade de todos os magistrados de todo o Poder Judiciário".
O ministro ainda falou sobre a falta de prova das acusações, que "lançam dúvidas sobre a honra de milhares de juízes que, diariamente se dedicam ao ofício de julgar com imparcialidade e honestidade, garantindo a segurança da sociedade e a estabilidade do Estado democrático de Direito, e desacreditam a instituição perante o povo".