sexta-feira, 31 de outubro de 2014

Vejam o recado de Bira di Assis: logo mais, na Associação da Caixa, no Altiplano, tem 'O Amor é um Móbile'.

Caro Dirceu!


Você e todos candeeristas estão convidados para assistir ao Recital Poético-Musical - O AMOR É UM MÓBILE!

FORTE abraço

bira di assis

*******
Sobre o espetáculo



“O Amor é um Móbile” é o nome do recital poético-musical que estreia nesta semana com participação de Ubiratan di Assis e Clizenit Pinheiro, tendo na direção Eliezer Rolim. As apresentações acontecem nos dias 30 e 31 de outubro, às 20h30min, na APCEF - Associação do Pessoal Caixa Econômica Federal, no Altiplano do Cabo Branco (antiga boate da Caixa).

O roteiro de “O Amor é um Móbile” é uma criação coletiva inspirada em textos de vários poetas e compositores como Paulo Moska, Gonzaguinha, Clarice Lispector, Chico Buarque, Fernando Pessoa, Elisa Lucinda, Djavan, Mário Quintana e o próprio Ubiratan de Assis, entre outros.

O espetáculo traz de volta, atuando juntos, os irmãos Clizenit Pinheiro e Ubiratan di Assis que, quando jovens, viveram um dos períodos de maior agitação cultural na cidade de Cajazeiras, alto sertão paraibano.

Eliezer Rolim
Para o diretor Eliezer Rolim, foi um desafio montar o espetáculo sem um texto definido previamente, construindo o roteiro de forma coletiva no decorrer dos ensaios, o que traz um aspecto inovador.

Ubiratan de Assis teve uma experiência anterior com Poetea – Poesia Teatralizada - projeto desenvolvido nos anos 90 em João Pessoa e levado a Salvador e Brasília, onde ele residiu nos últimos 15 anos. “Resgato uma experiência maravilhosa dirigida por Rubens Teixeira, usando ferramentas teatrais para interpretar e dar uma dimensão diferente aos versos”, afirmou Bira di Assis.

A atriz Clizenit Pinheiro considera sua volta aos palcos como um momento de resgate e ao mesmo tempo, de inovação, pois o espetáculo mescla teatro, poesia e música. Segundo Clizenit, “O Amor é um Móbile” é, também, o início do Projeto ConVersas ComVersos que pretende trazer aos palcos paraibanos novos espetáculos a partir do próximo ano.

“O Amor é um Móbile” tem participação especial dos músicos Carlos Máximo com voz e violão e Merlânio Filho no violino.

A atual temporada terá continuidade nos 14 e 15 de novembro, no mesmo local e horário.

O presidente da Câmara dos Deputados e candidato derrotado a governador pelo PMDB do Rio Grande do Norte não entende...É tal qual a Nova Schin...Porque sim!

CláudioHumberto

Henrique Alves (PMDB-RN) prestou serviços ao PT, como arquivar 11 pedidos de impeachment de Dilma. Por isso não entende por que o PT e Lula ajudaram a derrotá-lo, na disputa pelo governo potiguar.

Hoje à noite, depois das minhas aulas na UFPB, vou ver o artista de Corrinha e Fassis, o nosso Glauco Meireles, lá nos Bancários.


Galera, o final de semana chegou de novo e HOJE (31/10) o nosso encontro mais uma vez está marcado no Restaurante TôemCasa, nos Bancários...aguardo vocês!!!

Bota esse asilado na cadeia!

Mulher liga para polícia, finge pedir pizza e consegue colocar marido que a espancava na cadeia


O serviço de emergência dos EUA costuma receber vários trotes diariamente. Mas graças à inteligência de um atendente, uma ligação que parecia piada, mas era uma mensagem codificada, acabou salvando uma mulher.

Ela ligou ao 911 pedindo uma pizza, mas por trás do que parecia uma piada, pedia socorro contra o marido que a agredia.

O policial que recebeu a ligação verificou o endereço passado e descobriu que lá já havia sido registrado caso de violência doméstica. Por conta disso, enviou uma viatura ao local. Após a chegada da polícia, o agressor foi preso.

Veja como foi o diálogo:

- 911, qual é a emergência?

- Rua Maine, 123

- Ok, o que está acontecendo aí?

- Eu gostaria de pedir uma pizza

- A senhora ligou para o serviço de emergência

- Sim, eu sei. Quero uma pizza grande, meia pepperoni, meia cogumelo com pimentão

- Mmmm, desculpe, você sabe que ligou para o 911, certo?

- Sim, você sabe quanto tempo vai demorar?

- Ok, está tudo bem aí? A senhora está em uma emergência?

- Sim, estou

- E não pode falar porque tem alguém ao seu lado?

- Correto. Você sabe quanto tempo vai demorar?

- Tenho um policial há cerca de dois quilômetros da sua casa. Há alguma arma na casa?

- Não, até logo, obrigada

'Ô Petrobrás véa que aguenta rojão'! Todo dia tem notícia de um 'tiquin' de dinheiro que saiu do poço...

Fornecedores da Petrobras deram R$ 206 milhões a firmas de doleiro

Dinheiro teria sido distribuído a integrantes do esquema de corrupção
CLEIDE CARVALHO
O Globo

Doleiro Alberto Youssef

Contas correntes de três empresas de fachada usadas pelo doleiro Alberto Youssef para receber propinas de fornecedores da Petrobras registraram depósitos de R$ 206,3 milhões entre novembro de 2009 e dezembro de 2013. Os valores mais altos foram creditados nas contas da GDF Investimentos, que recebeu depósitos num total de R$ 96,3 milhões. A MO Consultoria recebeu depósitos de R$ 70,4 milhões e a Empreiteira Rigidez, de R$ 39,5 milhões.

Os valores constam em levantamento feito pelo Ministério Público Federal com base na quebra de sigilo bancário das empresas ligadas ao doleiro. Youssef era o operador do esquema de corrupção na estatal, que envolvia políticos aliados do governo.

Na outra ponta, apenas a Empreiteira Rigidez repassou R$ 21,5 milhões para empresas do grupo Labogen, que Youssef usava para fazer remessas ilegais de recursos para o exterior.

O executivo Julio Camargo, do grupo Toyo Setal, que assinou acordo de delação premiada depois que Youssef citou seu nome como o principal contato na empresa, depositou pelo menos R$ 16,6 milhões para as empresas usadas pelo doleiro para distribuir propinas a envolvidos no esquema de desvio de dinheiro da Petrobras.

Camargo fez os depósitos por meio de três empresas controladas por ele: Auguri, Piemonte e Treviso. A Piemonte fez depósitos de R$ 8,5 milhões; a Treviso, de R$ 6,9 milhões e a Auguri, de R$ 1,15 milhão. As empresas de Camargo doaram recursos para campanhas políticas. Em 2010, foi doado R$ 1,1 milhão a sete políticos, cinco deles do PT. No total, segundo reportagem da “Folha de S.Paulo", as empresas de Camargo fizeram doações de R$ 5 milhões ao PT e ao PR entre 2006 e 2014.

Além de Camargo, outro executivo ligado à Toyo Setal, Augusto Ribeiro de Mendonça Neto, fez depósitos em contas de empresas ligadas ao doleiro. No valor de R$ 7,3 milhões, os depósitos foram feitos pela empresa Tipuana Participações. Mendonça era um dos sócios da Tipuana, que pertencia à PEM Engenharia, que prestou serviços à Petrobras na construção da plataforma P-51 e foi uma das empresas que deram origem ao Grupo Toyo Setal.

Segundo depoimento de Alberto Youssef à Justiça Federal de Curitiba, a Toyo Setal também fez depósitos no exterior a título de propina. O doleiro trabalhou para internalizar os recursos e distribui-los no Brasil, em reais. O GLOBO entrou em contato com a Toyo Setal e com entidades que contam com a participação de seus executivos, mas não obteve retorno deles.

A Coluna Faisqueira do nosso jornal Gazeta do Alto Piranhas


Ressaca

Tem muito “nêgo” de ressaca e sem rumo depois das eleições: os que perderam as apostas choram copiosamente. Os que perderam as eleições se esconderam. Os “trairas” estão se pegando com todos os santos para não perderem a boquinha na prefeitura e no estado.

Ressaca 2

A ressaca maior está entre os que ganharam as eleições: tem “nêgo” por aí tomando caldo de mocotó na tentativa de ficar curado da grandiosa cachaça que bebeu no domingo e emendou na segunda-feira adentro.

Amigos para sempre


Quem pensa que esta eleição separou, por estarem em lados opostos, a prefeita de Cajazeiras, Denise Albuquerque e o jornalista cajazeirense Fabiano Gomes, pode tirar o cavalo da chuva e se esconder numa loca de pedra, porque isto não acontecerá.

Amigos para sempre 2


No último domingo, dia 26, os dois se encontraram em Cajazeiras, na casa de Bira (parente de Jeová e sócio de Chico Mendes), e teriam chorado copiosamente um no ombro do outro e reafirmaram: “a política passa, mas as verdadeiras amizades perduram”. Aplausos!!! Para os que pregam a discórdia - o silêncio e a indiferença.

Hulk rebate críticas de Diogo Maynard


O jogador Paraibano Hulk, virou uma fera e rebateu as criticas do jornalista Diogo Maynard, que não gostou da vitória de Dilma para presidenta da República e descarregou todo o seu ódio nos nordestinos: "Essa eleição é a prova que o Brasil ficou no passado. Não é Bolsa Família, não é 'marquetagem'. 

Hulk rebate criticas de Diogo Maynard 2

E prosseguiu: “O Nordeste sempre foi retrógrado, sempre foi governista, sempre foi bovino, sempre foi subalterno em relação ao poder, na ditadura militar, depois com o reinado do PFL, e agora com o PT. É uma região atrasada, pouco educada, pouco instruída que tem grande dificuldade em se modernizar". Diogo vive nos EUA, se deliciando da boa vida que usufrui por lá.

Mais preconceito contra o Nordeste

Muitos eleitores de outras regiões do Brasil, via internet, também "culparam" os cidadãos dos Estados do Nordeste pelas mazelas da nação. Segundo esses internautas, a boa votação da petista no norte e no nordeste é culpa única e exclusivamente dos programas sociais.

Mais preconceito contra o Nordeste 2

Essa visão míope sobre a política nacional provocou uma onda de ódio nas redes sociais, que foi prontamente respondida pelos próprios nordestinos e por quem acha o tipo de ofensa sem cabimento. Na manhã desta segunda, dia 27, a hashtag #SoudoNordesteMesmoEComOrgulho estava no topo dos Trending Topics no Brasil.

Mais preconceito contra o Nordeste 3

O ódio é tão grande contra os nordestinos que atingiu este nível: “Se eu ver um cangaceiro nordestino fdp aqui em SP eu mato”, disse uma eleitora paulista, talvez se esquecendo que a cidade onde ela mora foi construída por migrantes e imigrantes de todo o mundo, incluindo os nordestinos e esqueceu ainda que Erundina que foi uma das grandes prefeitas de São Paulo, é Paraibana de Uiraúna.

O eco das ruas

A presidenta Dilma em uma de suas entrevistas, depois de reeleita, disse: “uma reeleição é ainda mais um momento de mudança. Qual é o recado que o eleitor está mandando para você? “Eu acho que você acertou em umas coisas, mas você tem de melhorar, tem de fazer mais”. Acho que mandam dois recados claros: mudança e reforma. [...] Vou buscar fazer as mudanças e reformas que o Brasil exige”. Será que a presidenta vai dar uma resposta ao movimento, “vem pra rua” do ano passado?

Caça as bruxas?

Passado o processo eleitoral, os donos do poder andam dizendo que vão expulsar dos partidos políticos os agentes públicos que “mijaram fora do caco”. Será que vai escapar algum, porque a mistura foi tão grande que ainda não conseguiram separar “os juntos e misturados” desta eleição. Disse um popular: “como todos são farinha do mesmo saco não tem como “dismisturar”

Zico falou, tá falado. E Zico é Zico, meu irmão!


'Betinho' Youssef disse o que disse...As provas, ainda, não foram expostas. Dizem que tem de sobra!


Não pensem que a rede a serviço do petismo para distorcer informações está restrita aos blogs sujos, alimentada pelo capilé estatal. Chega também à grande imprensa. Aliás, os fiéis servidores da causa adorariam ver os veículos nos quais atuam debaixo do chicote do partido. Torcem fervorosamente para que Dilma imite Hugo Chávez, Evo Morales, Rafael Correa e Cristina Kirchner e avance contra a “mídia”, onde ganham o pão. Mas vamos adiante. Prestem atenção à sequência de fatos.
1. VEJA publicou na edição de sexta-feira, dia 24, a informação de que, no âmbito da delação premiada, Alberto Youssef havia afirmado à Polícia Federal e ao Ministério Público que Dilma e Lula sabiam, sim, da roubalheira na Petrobras. ATENÇÃO: O DEPOIMENTO EM QUE YOUSSEF ACUSA A DUPLA PRESIDENCIAL É DO DIA 21 DE OUTUBRO.
2. A VEJA começou a chegar aos leitores na sexta, dia 24. No sábado, dia 25, Folha, em manchete, e Estadão, com chamada na primeira página, PUBLICAVAM A MESMA INFORMAÇÃO.
NOTA LATERAL – VEJA não antecipou edição coisa nenhuma. Isso é mentira. Sigamos.
Nesta quarta, o jornal O Globo publica uma notinha, sem assinatura, sem fonte, sem nada, afirmando que, na verdade, Youssef não teria dito o que disse à PF no dia 21, mas apenas no dia 22, numa retificação.
O apparatchik petista entrou em ação, afirmando que haveria uma espécie de articulação para acusar Dilma às vésperas da eleição. Em sua coluna de hoje, na Folha, Janio de Freitas, por exemplo, escreve a seguinte besteira (em vermelho):
Na quarta 22, “um dos advogados” de Youssef “pediu para fazer uma retificação” em depoimento prestado na véspera por seu cliente. “No interrogatório, perguntou quem mais sabia (…) das fraudes na Petrobras. Youssef disse, então, que, pela dimensão do caso, não teria como Lula e Dilma não saberem. A partir daí, concluiu-se a retificação.
Janio está, como se vê, desmentindo a manchete da própria Folha de sábado, dia 25, que apurou rigorosamente o que apurou VEJA. Até aí, tudo bem. Poderia fazê-lo se tivesse razão. Só que Janio e outros da espécie menores do que ele estão divulgando uma MENTIRA. Não houve depoimento nenhum na quarta-feira. A informação é falsa como nota de R$ 3.
Quem está fazendo escarcéu com isso nas redes sociais é gente que ainda vai acabar atrás das grades porque também recebia dinheiro do esquema que era gerenciado por Alberto Youssef, com dinheiro roubado da Petrobras.
O Valor Pro, um serviço eletrônico do Valor Econômico, resolveu entrar na história e, COM A INFORMAÇÃO CERTA, contribuiu para fazer ainda mais confusão. Ao veículo, o advogado de Youssef, Antonio Figueiredo Basto, disse o seguinte:
“Nesse dia [NA QUARTA-FEIRA], não houve depoimento no âmbito da delação. Isso é mentira. Desafio qualquer um a provar que houve oitiva da delação premiada na quarta-feira. Não houve retificação alguma. Ou a fonte da matéria mentiu ou isso é má-fé mesmo”.
Entendeu, Janio de Freitas, ou quer um desenho? O advogado está desmentindo a nota apócrifa do Globo, não a VEJA ou a Folha, onde você trabalha. Aliás, por que citar apenas a VEJA?
Muito bem. Bastaria a Janio ter feito a lição de casa, tarefa que um foca teria cumprido, e telefonado para o advogado ou para a Polícia Federal perguntando se tinha havido alguma oitiva na quarta, dia 22. E ficaria sabendo que se trata de uma mentira. Mas Janio já passou da fase de deixar suas convicções se contaminarem pelos fatos.
Eu entendo por que Janio espalha isso.
Eu entendo por que a Carta Capital espalha isso.
Eu entendo por que os sites e blogs sujos espalham isso.
Mas não entendo por que o Globo publicou a nota mentirosa, já que, até onde sei, é um jornal que leva a sério o compromisso com a verdade. É O CASO DE APURAR COMO UMA INFORMAÇÃO MENTIROSA FOI PLANTADA NO JORNAL. Ao identificar os responsáveis, certamente se estará chegando a um dos tentáculos de um monstrengo de muitos tentáculos.
Quanto ao Valor Pro, dizer o quê? Um curso de redação não faria mal por ali. Nunca antes na história deste país se produziu um texto tão confuso, embora o jornalista estivesse com a informação certa, a saber:
1: só houve depoimento no dia 21, conforme informaram VEJA, Folha e Estadão;
2: não houve depoimento nenhum no dia 22;
3: não houve retificação nenhuma.
Para encerrar: garanto que essa é a “mídia” de que o Gilberto Carvalho gosta: a “mídia” que conta mentiras ou porque é regiamente paga para isso, com dinheiro estatal, ou por alinhamento ideológico.
Por Reinaldo Azevedo

É só entregar a Educação e a Saúde para o PMDB... Como diz o filósofo popular, Tiririca, "pior do que tá não fica!"


PMDB ambiciona pastas da Saúde e Educação
Josias de Souza

O lema que a marquetagem criou para a campanha de Dilma Rousseff —‘Governo novo, ideias novas— está prestes a sofrer um ajuste. ‘Governo seminovo, aliados velhos’, eis o slogan que assedia a presidente reeleita.

Mesmo com 39 ministérios, o governo parece pequeno demais para acomodar os interesses das nove legendas que integram a coligação vitoriosa. As principais divergências opõem PMDB e PT, os dois sócios majoritários do empreendimento governista.

Hoje, o partido de Dilma comanda 17 ministérios. A legenda do vice Michel Temer gerencia apenas cinco. O PMDB ambiciona ministérios que o PT controla. Entre eles os da Saúde e da Educação. O PT não cogita ceder espaços. Ao contrário, também cobiça pelo menos uma pasta controlada pelo “aliado”, a das Minas e Energia.

Antes de encarar as controvérsias, Dilma voou para a praia de Inema, na Base Naval de Aratu, em Salvador. Acompanharam-na apenas a filha Paula e o neto Gabriel, 4. Seus apoiadores esperam que, ao retornar a Brasília, no próximo domingo, ela deflagre as conversas para a divisão do primeiro escalão.


“Estamos certos de que, dessa vez, a presidente saberá calibrar melhor o compartilhamento”, disse ao repórter um dos caciques do PMDB. “Não dá mais para reservar o filé mignon para o PT —Fazenda, Planejamento, Comunicações, Educação, Saúde, toda a área social, mais o Banco do Brasil e a Caixa Econômica Federal— e querer que os outros partidos se contentem com as sobras.”

Lideranças do PMDB afirmam em privado que o partido não está exigindo nada que já não estivesse combinado previamente. Sustentam que, antes de renovar a aliança com Dilma, numa convenção realizada em junho de 2014, a legenda obteve do Planalto a sinalização de que obteria “mais espaços” num eventual segundo mandato de Dilma.

Um deputado peemedebista recordou ao repórter o teor de uma entrevista que Michel Temer concedera ao blog às vésperas da convenção de junho. Nela, o vice-presidente dissera que, num segundo mandato de Dilma, seria necessário “expressar melhor” a participação do PMDB no governo. “E expressá-la significa ter uma ocupação maior nos espaços das chamadas políticas públicas do governo”, acrescentara Temer (assista esse trecho abaixo).

Nessa conversa de quase cinco meses atrás, Temer já antecipava os anseios de sua legenda: “Você veja que o PMDB se queixa de não ter uma atuação em área sociais —tipo Saúde, Educação, Integração Nacional e por aí afora.”

Na ocasião, o repórter quis saber de Temer se aquilo tudo já estava negociado. E ele: “Isso já está nas minhas convicções. Se eu for reeleito vice-presidente da República, juntamente com a presidente Dilma, eu estarei a exigir, naturalmente mediante diálogo, exatamente isso que o PMDB deseja.”

Recordou-se a Temer que os “espaços” cobiçados por seu partido já estavam ocupados pelo PT. Haverá uma cessão? “Não será exatamente uma cessão, mas uma compreensão”, ele respondeu. “Acho que haverá compreensão. Isso tudo é fruto do diálogo.” Dilma já está convencida? “Seguramente, não tenho a menor dúvida disso”, completou Temer.


O segundo mandato de Dilma começa em 1º de janeiro de 2015. Portanto, os ministros terão de ser escalados antes do Natal. Além de tourear PT e PMDB, Dilma terá de satisfazer os apetites de outras legendas. Por exemplo: o PDT do ‘faxinado’ Carlos Lupi, o PR do presidiário Valdemar Costa Neto e o PP do falecido José Janene, que mordia propinas na diretoria de Abastecimento da Petrobras.

Vivo, Cazuza talvez entoasse a canção ‘O Tempo não pára’ ao observar o que se passa em Brasília. Diz a letra: “Eu vejo o futuro repetir o passado
/ Eu vejo um museu de grandes novidades 
/ O tempo não para / 
Não para, não, não para…”

Instituições mais importantes estão em rota de colisão. Liminar concedida pelo Juiz Marcos William merece detida atenção.

Marcos William é o magistrado autor da decisão liminar
Corte de repasses pelo Governo leva Justiça suspender votação da LOA
Helder Moura
JornaldaParaíba
 
O governador Ricardo Coutinho foi eleito, com todos os méritos, mas talvez deva refletir mais sobre o seu estilo de querer impor sempre sua vontade, abdicando do diálogo. As urnas mostraram que a Paraíba está dividida, basta observar os percentuais de votos obtidos. Se quiser realizar o melhor mandato de sua vida, como tem dito, vai precisar dialogar.

E o primeiro teste será com instituições como Tribunal de Justiça, UEPB, Assembleia e TCE, Ministério Público e Defensoria. O juiz Marcos William (convocado como desembargador) acaba de conceder liminar, atendendo pedido do Ministério Público, para suspender a tramitação da LOA 2015, até que o governador reveja a redução dos repasses programados para o próximo ano.

Levantamento realizado na Assembleia revelou que todas essas instituições tiveram reduções nas dotações orçamentárias. O TJ passou de R$ 588.894.332,00 para R$ 486.761.791,00, a Assembleia de R$ 298.339.000,00 para R$ 257.260.710,00, o Ministério Público de R$ 236.397.556,00 para R$ 199.140.627,00, o TCE de R$ 137.211.000,00 para R$ 115.124.675,00, enquanto a Defensoria Pública passou de R$ 90.561.196,00 para R$ 57.702.328,00.
 
Na UEPB a crise é tão intensa, que a Instituição já cogita reduzir em cerca de 50% o número de vagas ofertadas para o ano letivo de 2015.

Vai recorrer – A decisão do juiz Marcos William terá reação. O Governo já sinalizou que pretende recorrer de sua decisão, nas próximas horas, para manter os valores constantes da LOA que enviou para a Assembleia. O problema é que a encrenca é tamanho família. Se todas essas instituições decidirem resistir, o Estado corre o risco de parar simplesmente.
Lula e o pé na porta
ELIANE CANTANHÊDE
Folha de São Paulo

Piadinha maldosa em Brasília: Viu? Foi só o Aécio Neves ganhar a eleição que o Armínio Fraga mandou aumentar os juros!

Quem venceu foi Dilma Rousseff e quem aumentou os juros para 11,25%, três dias depois da eleição, foi o Banco Central da própria Dilma. Detalhe: foi 5 a 3, um placar premonitório de debates sangrentos em torno dos rumos da economia.

Ao longo da campanha, havia o consenso de que, ganhasse quem ganhasse, iria enfrentar um 2015 dificílimo, com medidas duras, nada populares. Dilma martelava que só Aécio e Armínio as tomariam, mas ela não tem como fugir. Só se maquiar dados, cancelar balanços e disfarçar aumentos --como neste mandato.

Aliás, falava-se num 2015 difícil, mas esquecendo-se que, entre a eleição e a "reposse" em janeiro, haveria novembro e dezembro, já com más notícias jorrando. É o que ocorre.

Os juros subindo, sem que a oposição ao menos lembre o pronunciamento de Dilma na televisão, gabando-se de ter chicoteado as taxas ao jeito dela. As Bolsas e o dólar sacolejando, refletindo incertezas dentro e fora do país. O prejuízo de R$ 3,4 bilhões da Vale no trimestre, em contraponto ao lucro líquido de R$ 3,9 bilhões do Bradesco.

Como pano de fundo, a instabilidade também no Congresso, que mal esperou passar a comemoração da vitória de Dilma e do PT e já na terça-feira dava o primeiro de muitos sustos no Planalto. Apesar de conservar a maior base aliada do planeta, Dilma enfrentará mágoas e chantagens, sobretudo, do partido do seu vice, o PMDB. E a oposição no Senado tende a ser vigorosa.

Ou seja: a eleição ainda nem esfriou e os resultados ainda estão sendo devidamente analisados, mas as dificuldades de Dilma na economia, na política e na gestão já estão mostrando a sua cara e prenunciando um segundo mandato bem agitado.

Lula botou no pé na porta. Mais do que ajudar Dilma, não quer que ela prejudique o futuro do PT --e dele.

Mas rapaz, foram até perguntar a Molina se Sarney votou em Aécio! Em matéria de 'traíra', Sarney ganhou de Bocão, lá de Cajazeiras!

Perito Molina confirma: Sarney votou em Aécio Neves

Por Anderson Passos - iG São Paulo 

Especialista, que atua em Campinas (SP), disse que filmagem com votação do ex-presidente não sofreu manipulações

Embora o ex-presidente José Sarney (PMDB-AP) tenha negado com todas as letras - inclusive em nota oficial - que votou no tucano Aécio Neves (PSDB) no segundo turno das eleições presidenciais, o perito Ricardo Molina, a pedido do iG, confirmou que as imagens que mostram a votação não sofreram trucagens e são autênticas

Veja o voto polêmico de Sarney:

Perito comparou frames e disse que ampliação e momento do voto são o mesmo vídeo; político se defendeu dizendo ser montagem

Molina dividiu a análise em três fases. Na primeira, comparando o vídeo de corpo inteiro com um recorte mais fechado na urna eletrônica (veja reprodução abaixo), ele observa que "trata-se da mesma filmagem, ou seja, a ampliação, na qual não há dúvidas de que o voto é 45, foi processada a partir do mesmo vídeo.

Sequência de frames no voto: 'É possível verificar que o dedo está na altura do 45 e que a gravação é a mesma da ampliação'

A seguir, na imagem, o perito mostra, a partir do vídeo original, uma sequência de frames que mostram o voto de Sarney no 45. "Não é possível discernir os números, mas é possível verificar que o dedo está na altura do 45 e que a gravação é a mesma da ampliação", atesta o perito.

Quando o vídeo é exibido em câmera lenta, para o perito fica claro que é o voto é no 45; observe-se que logo depois aparece quadro com Aécio e Aloysio e texto "FIM", mostrando que é o voto para presidente", conclui.

Veja abaixo o vídeo em câmera lenta:


Questionado sobre a possível manipulação, Ricardo Molina descarta a tese. "Uma montagem com manutenção de tantos detalhes seria praticamente impossível. Minha opinião é que é autêntica".

Para ele, só o vídeo original poderia dirimir definitivamente qualquer dúvida, já que a resolução, quando o vídeo é veiculado no Youtube, perde qualidade. "É evidente que há uma gravação que derrubaria qualquer dúvida (a gravação do cinegrafista), mas já foi inclusive tirada do ar. A TV Amapá chegou a veicular, mas tirou", explicou.

A primeira página do nosso jornal Gazeta do Alto Piranhas


As manchetes d'O Globo


No jornal Lance! O tricolor paulista sai na frente.


Os destaques do jornal O Estado de São Paulo


Na capa do Jornal da Paraíba


As manchetes de jornais brasileiros nesta sexta-feira

Folha: Claro, Vivo e Oi fecham acordo para comprar Tim

GloboGoverno age para acalmar base rebelde no congresso

ExtraBeltrame fica na linha de fogo

ValorEconômico: Movimento de elevação de juros deve continuar

Estadão: PSDB pede ao TSE auditoria na eleição presidencial

ZeroHora: Governo testa medidas para recuperar confiança

Estado de MinasJuros encarecem natal

CorreioBraziliense: Maior juro em 15 anos e Natal caro

CorreiodaBahiaDois homens são mortos e criança é baleada em Feira

DiáriodoNordeste:  50% dos pacientes do IJF vêm do interior

DiáriodePernambuco: Planalto tenta parar ofensiva do Congresso

JornaldaParaíba: UFCG deve abrir até 700 vagas para HUs em 2015

quinta-feira, 30 de outubro de 2014

Modelo - não provado, simplório e politicamente incorreto - de pegar mulher...

video
Sugestão de Otacílio Feitosa

Sai de baixo

conta de luz
Mais de 50% de aumento
Começou a temporada de reajustes pós-eleição: a Aneel autorizou ontem o reajuste da tarifa de energia elétrica para a Companhia Energética de Roraima. Não se trata de um reajuste qualquer, 54%. Qualquer palavra que não seja ‘tarifaço’ para nomear esse reajuste parecerá inadequada.
Por Lauro Jardim

PMDB impõe Eduardo Cunha ao governo Dilma
Josias de Souza


Reunido no início da tarde desta quarta-feira, o PMDB da Câmara reconduziu Eduardo Cunha à posição de líder. Fez isso com três meses de antecedência, já que a liderança do deputado só expiraria no início de fevereiro de 2015. A antecipação teve dois propósitos:  

1. Potencializar a candidatura de Eduardo Cunha à presidência da Câmara, contra o nome a ser indicado pelo PT, dono da maior bancada.

2. Impor Eduardo Cunha como único negociador da bancada de deputados do PMDB com o governo Dilma Rousseff. Vale para o “diálogo” proposto pela presidente no discurso em que agradeceu sua reeleição, no domingo. Vale também para a futura negociação do novo ministério.

Na corrida pelo comando da Câmara, Cunha foi autorizado a articular a formação de um bloco com outros partidos governistas. Entre eles PR, PTB, PP e PSC. No limite, tenta-se isolar o PT.

Quanto às conversas com o governo, ficou entendido que o PMDB da Câmara não reconhece no vice-presidente Michel Temer um representante automático dos seus interesses. O porta-voz da bancada é seu líder.


Dilma não gosta de Eduardo Cunha. O deputado dá de ombros. Costuma dizer que, em relação à presidente, o único relacionamento lhe interessa é o político. De resto, declara que jamais fala em nome pessoal. Limita-se a expressar as posições de sua bancada.

Os atritos de Dilma com Eduardo Cunha vêm de longe. Ex-presidente da Telerj no governo de Fernando Collor e da Companhia Estadual de Habitação do Rio na gestão de Anthony Garotinho, Cunha tornou-se, sob Lula, um padrinho de nomeações em Furnas.

Eleita, Dilma desalojou os indicados de Cunha. E deu abrigo a um protegido de Fernando Sarney, o gestor dos negócios da família de José Sarney. Nessa época, Eduardo Cunha atribuiu a má vontade de Dilma à artilharia do PT do Rio.

“É impressionante o instinto suicida desses caras”, disse o deputado na época. “Quem com ferro fere com ferro será ferido.''

Faço o registro do nosso abraço fraterno ao amigo, multimídia e talentoso Petson Santos. Parabéns.





Youssef pagou dívida em nome de estatal, diz empresário
Fábio Fabrini, Andreza Matais e Ricardo Brandt

O dono da agência de marketing Muranno Brasil, Ricardo Vilani, confirmou em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo que o doleiro Alberto Youssef, um dos personagens centrais da Operação Lava Jato, fez pagamentos a sua empresa em nome da Petrobras. Vilani nega, porém, que tenha recebido os valores - R$ 3,5 milhões no total, ele diz - para evitar que revelasse, em 2010, o esquema de desvios na estatal petrolífera. Vilani afirma que prestou serviços à Petrobras no exterior, num acordo sem assinatura de contrato, e queria apenas receber o que lhe era de direito.

A Polícia Federal coloca a Muranno no rol das empresas que receberam dinheiro desviado das obras da refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco. O nome da agência fazia parte da contabilidade secreta de Youssef. A PF diz que parte do dinheiro que passava pela conta da agência era destinada ao pagamento de propinas para políticos e agentes públicos.

A Muranno aparece ainda no depoimento de Youssef da delação premiada. O doleiro afirmou que integrantes da agência de marketing estavam ameaçando revelar o esquema de desvios na estatal caso não recebessem um dinheiro devido. Nesse trecho do depoimento, Youssef teria citado o nome do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

No relato do doleiro, Lula ficou sabendo das ameaças e ordenou o então presidente da estatal, José Sergio Gabrielli, a "resolver essa merda". Ainda segundo Youssef, Gabrielli acionou o ex-diretor de Abastecimento Paulo Roberto Costa, outro personagem central no escândalo, e este resolveu o problema. Youssef não apresentou provas do relato. Gabrielli nega com veemência a versão do doleiro. Lula não comenta o assunto.

Serviço

O dono da agência nega ter conhecimento do esquema de desvios da Petrobras via Youssef. Nega também a ameaça de revelar esse esquema. "A Muranno fez alguns trabalhos para a Petrobras. Ele (o doleiro) se apresentou como assistente do Paulo Roberto e que estava lá para tentar me ajudar a receber (a dívida)", declarou Vilani à reportagem.

Sarney votou em Aécio (o vídeo mostra claramente). Diante do alarde do tema, vejam o que diz Antônio Filho. O bom de nossa terra é a capacidade de não perder a piada....Ô Carrazêra boa!




"Oxente, que marcação é essa com o pobre de Sarney? Será que só quem pode 'adirir' de última hora é Bocāo, em Cajazeiras? Mas eu num digo... kkkkk"




Nem me lembre...Quando não era isso, Deusimar, meu irmão, mijava debaixo de nossa rede...Era só pra ver a confusão de manhã...

Sugestão de Eugênio Nóbrega

Acreditem: na hora 'h', Sarney votou em Aécio. Se até ele votou...Vejam que o vídeo não deixa dúvida.




A primeira página do jornal O Estado de São Paulo


Os destaques do jornal Folha de São Paulo


Na capa d'O Globo



Josias de Souza


Jarbas Vasconcelos (PMDB-PE) defende a adoção de uma nova praxe nas sabatinas de candidatos a ministro do STF. Acha que a Comissão de Constituição e Justiça do Senado precisa exigir dos futuros indicados de Dilma Rousseff para o Supremo um compromisso de defesa da liberdade de imprensa.

“É inadmissível, que este Senado da República aprove novos ministros do Supremo Tribunal Federal que venham a colaborar com o cerceamento da liberdade de imprensa”, disse Jarbas em discurso, nesta terça-feira. “É essencial que se faça essa cobrança durante a tradicional sabatina na Comissão de Constituição e Justiça.”

Deve-se a preocupação de Jarbas aos ataques que Dilma, Lula e o PT vêm fazendo a jornalistas e meios de comunicação. Ele avalia que o comportamento “cria um clima de caça às bruxas”. Por isso, sugeriu “que a Comissão de Constituição e Justiça passe a exigir um claro compromisso contra qualquer tipo de censura à imprensa de todos os futuros candidatos a uma vaga na Suprema Corte.” 

A capa de hoje do Jornal da Paraíba


As manchetes de jornais brasileiros nesta quinta-feira

Folha: Três dias após a reeleição, Banco Central sobe juros para 11,25%

GloboTrês dias após eleição, Banco Central surpreende e sobe juros 

ExtraAmor e casais desfeitos atrás das grades

ValorEconômico: Copom surpreende e eleva taxa Selic para 11,25% ao ano

Estadão: Banco Central eleva juros para 11,25% ao ano, 3 dias após eleições

ZeroHora: Juro sobe e dá o tom do segundo mandato

Estado de MinasMedo ronda as escolas

CorreioBraziliense: Após a reeleição, alta de juro, luz e gasolina

CorreiodaBahiaAmeaça da inflação faz governo aumentar juros

JornalOPovo:  Começa a transição no Ceará

JornaldoCommercio: Aperta o cerco no Ceasa

JornaldaParaíba: Justiça condena Urquiza e mais 22 à prisão na Paraíba