sexta-feira, 14 de agosto de 2020

Casal traquino... comendo a merenda antes da hora do recreio!

Casal aparece fazendo sexo em reunião da Câmara sobre... merenda escolar
Aline Macedo e Berenice Seara - Extra
Casal manteve a câmera ligada durante momento íntimo 

Uma audiência pública virtual convocada para esta sexta-feira (14) pela Câmara do Rio para discutir a garantia da alimentação dos alunos da rede pública durante a pandemia tomou um curso um tanto... inesperado.

Enquanto era apresentado um estudo sobre a aplicação do orçamento na área, um casal que acompanhava o debate resolveu ter um momento íntimo. E não desligou a câmera.

Quando os slides deixaram de ser exibidos, o que os internautas puderam assistir, em um dos quadros da plataforma Zoom, era uma performance explícita.

Os vereadores Leonel Brizola (PSOL), Babá (PSOL) e Célio Lupparelli (DEM), que estavam em primeiro plano, agiram como se nada estivessem acontecendo e deram seguimento aos trabalhos.

Por trás das câmeras, Brizola, organizador da audiência, ligou para um servidor que estava controlando a audiência pública da Câmara para cortar o quadro.

"É uma pena que tenha acontecido uma cena dessas, mas o importante é o teor de cinco horas de audiência, que comprovou a falta de uma política pública para a Educação, que a prefeitura tem recursos para a merenda, mas preferiu gastar com outras coisas", disse o vereador.

Para tornar a situação ainda mais constrangedora, a audiência foi convocada pela Comissão dos Direitos da Criança e do Adolescente.

"Houve várias falas de coletivos de mães reclamando da qualidade da merenda. Teve mãe que chorou quando abriu o saco de leite que não tinha condições de servir aos filhos", relata Brizola.

O casal saliente não foi o primeiro a ser flagrado: com a disseminação das videoconferências por causa da pandemia, as gafes têm sido constantes. Veja algumas pelo mundo afora aqui.

Pouco depois, o vídeo, que estava sendo transmitido ao vivo pelo canal da Câmara no YouTube, foi retirado do ar.

Ainda que o tema da audiência seja para lá de importante, nos corredores virtuais do velho Palácio Pedro Ernesto, não se fala em outra coisa.

Otacílio Feitosa comemora o aniversário, hoje, da esposa, Mirlene. Parabéns, Mila.

 

A capa do jornal cajazeirense Gazeta do Alto Piranhas

 

Reflexo da pesquisa do Datafolha

Bolsonaro engole o eleitorado lulista
O Antagonista

O crescimento de Jair Bolsonaro no Datafolha ocorreu sobretudo entre pobres e desempregados.

“Dos cinco pontos de crescimento da taxa de avaliação positiva, pelo menos três vêm dos trabalhadores informais ou desempregados que têm renda familiar de até três salários mínimos, grupo alvo do auxílio emergencial pago pelo governo desde abril e que tem sua última parcela programada para saque em setembro.

A solicitação do auxílio chega a 40% na população como um todo, taxa que alcança 75% entre desempregados que procuram emprego, 71% entre assalariados sem registro e 61% entre autônomos e profissionais liberais, grupos em que são identificadas as maiores variações pró-governo. Entre os que hoje estão sem ocupação, por exemplo, a reprovação caiu 9 pontos e o apoio subiu 12 (…).

Permanece a melhora também entre as mulheres mais pobres, reforçando tendência observada no levantamento anterior do Datafolha. Elas já foram as maiores opositoras de Bolsonaro, especialmente durante o processo eleitoral, e simbolizam os efeitos diretos do incremento de renda durante a epidemia.”

Com o coronavoucher, Jair Bolsonaro engoliu o lulismo.

Será que é o tal ozônio?

 Imagem

Julgamento no TSE

AIJE DA PBPREV – PDT de Lígia atravessa petição e atrasa julgamento da ação no TSE que pode tornar Ricardo Coutinho inelegível
Helder Moura
Ver a imagem de origem
Segue rendendo a tramitação da Aije da PBprev no Superior Tribunal de Justiça. Informações de Brasília indicam que o presidente do PDT, Carlos Lupi, decidiu atravessar um pedido de assistência simples do partido, alegando necessidade de preservar o mandato da vice-governadora Lígia Feliciano. A petição deverá atrasar ainda mais o julgamento da ação no TSE.

Como se sabe, o ministro Og Ferrnandes, relator do feito, anulou, em 2019, decisão monocrática de seu colega Napoleão Nunes Maia, em favor do ex Ricardo Coutinho. Uma das peças que levaram Og a reformar a decisão de Napoleão (e também do Tribunal Regional da Paraíba) foi o parecer do procurador Humberto Jacques, além, obviamente, de recurso da coligação A Vontade do Povo.

Com isso, o processo já se encontrava concluso para pedir pauta de julgamento.

Pra entenderO TRE da Paraíba havia absolvido o ex-governador nesta AIJE da PBPrev, em 2018. O Ministério Público Eleitoral, então, recorreu da decisão ao TSE. Logo após, o procurador Humberto Jacques, então, desmontou a decisão, apontando várias incongruências da Corte. Mesmo assim, Napoleão Nunes Maia arquivou monocraticamente a ação.

Disse o procurador eleitoral, ao analisar os autos: “A Corte Regional (TRE) reconhece ter havido a utilização da máquina pública em prol da candidatura dos recorridos, afastando a configuração do abuso de poder político em razão de o interesse privado/eleitoreiro ter aderido ao interesse público, em sua visão. Ora, tal fundamento, além de não corresponder à realidade dos fatos, não é apto a afastar a configuração do ilícito.”

Mais: “As provas produzidas nos autos indicam que foram indubitavelmente praticadas com o fim precípuo de favorecer a candidatura do recorrido Ricardo Coutinho, com a liberação da vultosa quantia de R$ 7.298.065,90 (sete milhões, duzentos e noventa e oito mil, sessenta e cinco reais e noventa centavos) durante o período crítico do processo eleitoral, contrariando proibição para o pagamento de retroativos oriunda do Conselho de Administração da Paraíba Previdência, fato ocorrido à míngua da exigida normatização.”

(O Globo)

RC e PezãoSegundo o procurador, há semelhanças entre o caso de Ricardo Coutinho e o ex-governador Luiz Eduardo Pezão (Rio de Janeiro). Em seu parecer, pontuou: “Em julgamento ocorrido em 9 de abril de 2019, o Tribunal Superior Eleitoral, ao analisar o recurso ordinário interposto pelo Ministério Público Eleitoral nos autos do recurso ordinário no 7634-25.2014, determinou a cassação do diploma outorgado ao ex-Governador do Estado do Rio de Janeiro, Luiz Fernando de Souza, mesmo já tendo se encerrado seu mandato eletivo, para fins de Inelegibilidade.”

O rádio cajazeirense deve merecer lugar especial em qualquer museu temático

Comissão especial é instituída para criação do Museu do Rádio na Paraíba
Larissa Freitas - PolêmicaParaíba
A jornalista Naná Garcez de Castro Dória, instituiu nesta sexta-feira (14), uma Comissão Especial de criação do Museu do Rádio, no âmbito da Empresa Paraibana de Comunicação S.A.-EPC.

A comissão irá inventariar todos os itens que possuem valor histórico para compor o acervo do museu, além da produção de relatório circunstanciado, especificando a natureza do bem e seu estado de conservação e também os demais atos necessários para implementação do projeto.

Vão compor a comissão, os servidores:
1) Albiege Lea Araújo Fernandes (presidente)
2) José Edson Uchoa de Morais (membro)
3) Berlin Gonçalves de Carvalho (membro)
4) Maurilio Jamari do Nascimento Medeiros (membro)
5) Genesio Carneiro Leal Filho (membro)

Na capa do jornal Folha de São Paulo

 Capa do jornal Folha de S.Paulo 14/08/2020

Os destaques do jornal Zero Hora

 Capa do jornal Zero Hora 14/08/2020

quinta-feira, 13 de agosto de 2020

A vingança 'sará maligrina'...


Sugestão de Clayton Mota

Coronavírus em Cajazeiras

 

Mortes de pessoas de Covid-19 ou com Covid-19? Este o questionamento do colunista Flávio Gordon.

Alerta de período amplo de transmissão foi feito pela Organização Mundial da Saúde (OMS) nesta quarta-feira (29)
Covid-19: mais de 100 mil mortes?
Por Flavio Gordon - GazetadoPovo

Não, a Covid-19 não matou mais de 100 mil pessoas no Brasil, ao contrário do que desinforma um tal de “consórcio de veículos de imprensa” (doravante CVI), com base no que os líderes dos nossos poderes Legislativo e Judiciário, de maneira demagógica e oportunista – pois nenhum brasileiro sensato imagina que, da noite para o dia, esses senhores palacianos passaram realmente a se comover com o destino do povo que sempre ignoraram –, resolveram decretar luto oficial de quatro dias. A quantidade real de mortos por coronavírus (e não apenas com a presença do vírus no organismo) é, segundo calculo, cerca de um terço desse número.

Chego a essa conclusão (de minha exclusiva responsabilidade, escusado dizer) a partir de levantamento feito pela jornalista Cristina Graeml, desta Gazeta do Povo, com base nos números oficiais de óbitos contabilizados no Portal da Transparência dos cartórios de registro civil. Diferentemente do Ministério da Saúde (que se baseia, por sua vez, nas informações repassadas por estados e municípios), o Portal da Transparência dos Cartórios registra o número de óbitos realmente ocorridos em determinado dia, e não os que foram apenas notificados nesse dia. Trata-se de uma diferença crucial.

Baseando-se nos dados do Ministério da Saúde, grande parte da imprensa tem noticiado um número diário de mortes que sempre ultrapassa a casa dos mil. No entanto, esse é um jeito tendencioso de noticiar os números, pois, como foi dito acima, eles não se referem aos óbitos efetivamente ocorridos, mas apenas notificados (cumulativamente) num determinado dia. No dia 4 de agosto, por exemplo, um portal integrante do CVI noticiou 1.394 novas mortes decorrentes da Covid-19. Quando, todavia, consultamos a base de dados dos cartórios de registro civil, descobrimos que o número real de óbitos na referida data foi de 541. Uma discrepância considerável.

A quantidade real de mortos por coronavírus (e não apenas com a presença do vírus no organismo) é, segundo calculo, cerca de um terço do número que vem sendo divulgado

Cristina Graeml encontrou mais coisas interessantes naquela base de dados. Quando consultamos as estatísticas sobre outras causas de morte, descobrimos que, em relação ao mesmo período do ano passado, houve em 2020 uma redução significativa no número registrado de óbitos por infarto, AVC, insuficiência respiratória, septicemia, entre outros. Em relação à pneumonia, sobretudo, os dados são particularmente curiosos.

No período de 16 de março até 12 de agosto de 2019, foram registradas 99.885 mortes causadas por essa doença pulmonar. No mesmo período deste ano, o número caiu para 66.667. Como não parece razoável supor uma redução real de 33.218 mortes por pneumonia de um ano para o outro (algo sem paralelos na série histórica), é de se imaginar que esse número tenha ido parar em algum outro lugar – muito provavelmente, na prateleira estatística das mortes por coronavírus.

Essa foi a hipótese considerada pelo jornalista Guilherme Fiuza em participação na edição de segunda-feira (10 de agosto) do programa Os Pingos nos Is, da rádio Jovem Pan. Analisando a mesma base de dados divulgada por Graeml, Fiuza sugeriu que o número de 100 mil mortes por Covid-19 está mal dimensionado, pois, muito provavelmente, para esse total foram transplantadas as mortes causadas por pneumonia, septicemia, insuficiência respiratória, AVC e infarto. “Essas pessoas tinham Covid, mas não morreram de Covid” – conclui o jornalista, que também escreve para esta Gazeta do Povo.

Fiuza fez o recorte temporal do período entre os dias 16 de março (data do primeiro óbito por Covid registrado no Brasil) e 10 de agosto, data daquela edição de Os Pingos nos Is. O que faço aqui é apenas atualizar essa data final para o dia de hoje, quarta-feira, 12 de agosto.

Consultando, então, o Portal da Transparência do Registro Civil, e comparando o mesmo período de 16 de março a 12 de agosto dos anos de 2019 e 2020, chegamos aos seguintes números: por pneumonia, como já vimos, tivemos 33.218 mortes a menos; por septicemia, 15.413 mortes a menos; por insuficiência respiratória, 3.575 mortes a menos; por AVC, 4.437 mortes a menos; e, por infarto, 8.403 mortes a menos.

Somando tudo isso, temos, de 2019 a 2020, uma diminuição de 65.046 mortes por causas respiratórias e cardíacas. Em lugar de supor que esse número represente uma redução real, é bem mais factível imaginar que ele tenha ido parar dentro do total de 103.421 mortes por Covid-19 registradas até o momento em que escrevo. Se, por uma operação reversa, voltamos a extraí-las desse total, ficamos com 38.375. E a quantidade de brasileiros efetivamente mortos pelo coronavírus até a presente data é, imagino, algo próximo desse número.

Vou logo avisando... Veja o vídeo.

Ver a imagem de origem
Aviso

Nunca leia o testamento antes do enterro...

Eram somente as meninas do delivery...

Prisão de luxo: imprensa paraguaia revela festas com modelos em quarto de hotel de Ronaldinho Gaúcho
Extra

Após pagarem uma fiança no valor de 1,6 milhões de dólares, Ronaldinho Gaúcho e seu irmão, Roberto de Assis, foram transferidos da penitenciárias para um hotel de luxo em Assunção, onde cumprem prisão domiciliar. De acordo com a imprensa local, a vida do ex-jogador brasileiro tem sido agitada, com direito a visitas de modelos e festas no quarto.

Uma fonte do jornal Paraguaio "Hoy", garante já ter visto mulheres entrando e saindo das dependências de Ronaldinho e do irmão no hotel de luxo.

Tem dias que chegam pelo menos duas mulheres. Parecem ser modelos... estão sempre bem produzidas. Chegam em carros luxuosos; as que são conhecidas entram diretamente pelo estacionamento e as que são desconhecidas pela porta da frente do hotel. Depois o carro vem buscá-las — relata a fonte, que não quis se identificar.

Ainda de acordo com os relatos, os irmãos "fazem festas com karaokês até altas horas da madrugada".

Ronaldinho e Assis foram detidos pela polícia do Paraguai sob acusação de ter entrado no país usando supostos passaportes adulterados em março. No mês seguinte, foram transferidos para o hotel, onde eram os únicos hospedes devido as restrições impostas durante a crise do coronavírus. Os imãos ficam no primeiro andar, onde estão os melhores quartos, com Ronaldinho ocupando a suíte presidencial.

E veio a solução da curiosidade...


O pior início do Mengão

Flamengo iguala marca negativa de 23 anos e tem pior início em pontos corridos
Marcelo Neves - Extra
Quem imaginava que o Campeonato Brasileiro seria um mar de rosas para o Flamengo, se enganou. Até aqui, são dois jogos e duas derrotas. Claro, muito pouco para um torneio de 38 rodadas, mas os resultados já trazem recordes negativos batidos pela equipe. Por exemplo, o de pior início na era dos pontos corridos e uma marca negativa de 23 anos.

A última vez que o Flamengo começou um Brasileirão com duas derrotas aconteceu em 1997, quando a equipe rubro-negra foi superada pelo Santos e pelo Bahia nas primeiras rodadas. Sebastião Rocha era o técnico daquela equipe.

Para piorar a situação, em 2020, o Flamengo está na lanterna do torneio e sequer balançou as redes até então. Como comparativo, em 2019, ainda sob comando de Abel Braga, o Rubro-Negro iniciou o Brasileiro com uma vitória para o Cruzeiro e uma derrota para o Internacional.

Apesar dos resultados ruins, o lateral-esquerdo Filipe Luís e o técnico Doménec Torrent pedem para a torcida não se desesperar.

Agora é momento de ter calma, tranquilidade, não fazer nenhuma loucura. Temos um grande elenco, um grande treinador, confiamos neles. Toda equipe começa com uma boa defesa, temos de corrigir erros defensivos. Com calma, com tranquilidade, vamos vencer porque é um grupo vencedor — declarou o lateral-esquerdo.

Não é normal. O Flamengo é vencedor, ganhou quase tudo. Eu sou vencedor. Não me lembro de perder dois jogos seguidos, mas acontece algumas vezes no futebol. Por que? Porque as ligas não são as mesmas, algumas equipes fazem mais jogos que você e não é fácil. Temos que ter mais ritmo, mais treinamentos e jogar em um ritmo alto. Estamos trabalhando duro para isso — completou o treinador.

O Flamengo vai tentar a primeira vitória diante do Coritiba, no sábado, às 19h30, no Couto Pereira.

Polícia Federal nas ruas

Operação da Polícia Federal cumpre mandados em Sousa, João Pessoa, Campina Grande e nos Estados do RN e PE; Quadrilha falsificou documentos e realizou fraudes bancárias
A PF acredita que a atuação da quadrilha tenha causado um prejuízo de aproximadamente R$ 4 milhões.
Debate Paraíba
Nas primeiras horas da manhã desta quinta-feira (13), cerca de 48 Policiais Federais desencadearam a "Operação Quimera" contra uma quadrilha especializada em fraudes bancárias com a utilização de documentos falsos.

Foram cumpridos 11 mandados de busca e apreensão nos municípios de Sousa, João Pessoa, Campina Grande, e nos Estados do Rio Grande do Norte e Pernambuco.

De acordo com informações, o grupo criminoso atuava na obtenção de empréstimos consignados, restituição antecipada de Imposto de Renda, financiamentos bancários e abertura de contas bancárias de passagem.

A PF acredita que a atuação da quadrilha tenha causado um prejuízo de aproximadamente R$ 4 milhões. O grupo atuava no acesso a bancos de dados de órgãos públicos e das instituições bancárias, onde obtinham dados e forjavam as documentações.

Queda no comércio paraibano

Paraíba tem 2ª maior queda do comércio varejista em junho no país
Pesquisa divulgada pelo IBGE indica que redução de 2,4%, frente a maio, só foi menor do que a observada no Rio Grande do Sul, de 9%
PortalCorreio

O volume de vendas no comércio varejista paraibano caiu 2,4% no mês de junho, em comparação a maio, de acordo com a Pesquisa Mensal do Comércio (PMC), divulgada nessa quarta-feira (12) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Essa foi uma das poucas e maiores reduções registradas no país. A Paraíba ficou atrás apenas do Rio Grande do Sul, onde o índice de retração chegou a 9%. A média nacional foi de 8% de crescimento. 

De acordo com o IGBE, a queda de vendas no comércio varejista paraibano pode ter relação com medidas de isolamento social adotadas para contenção da pandemia de Covid-19. No entanto, o instituto destaca que, em maio, a Paraíba obteve seu melhor desempenho na série histórica, 16,4% de crescimento, ficando acima, inclusive, da média nacional, de 13,9% naquele mês.

“Desde o começo da pandemia, a gente bate muitos recordes, tanto negativos quanto positivos, então os números estão muito voláteis”, explica o gerente nacional da pesquisa, Cristiano Santos.

Arrecadação de receitas

No comparativo com maio, a receita nominal arrecadada com as vendas na Paraíba m junho de 2020 também teve uma das poucas reduções do país, de 1,6%, acompanhada por retrações no Rio Grande do Sul, de 6,5%, e no Mato Grosso, de 0,2%. Nacionalmente, houve crescimento de 8,5% nesse período.

Já em relação a junho de 2019, a queda no volume de vendas em junho de 2020 foi ainda maior, de 8,2%, resultado negativo mais intenso do que o verificado na média nacional, com variação positiva de 0,5%. Nessa confrontação com o mesmo mês do ano anterior, a receita nominal do setor paraibano também teve queda, de 4,9%, enquanto a brasileira teve alta de 2,7%.

Apesar disso, no acumulado de 12 meses, a Paraíba teve uma variação positiva no volume de vendas, de 1,4%, enquanto a média brasileira foi de 0,1%. A receita nominal, por sua vez, variou 4% nesse período, no setor paraibano, e 2,8%, no nacional.

Varejo ampliado

O volume de vendas no varejo ampliado paraibano – que inclui veículos, motos, partes e peças; e material de construção – teve redução de 0,3% em junho, na comparação com maio, segundo a PMC. Embora seja pequena, essa também foi uma das poucas reduções registradas pela pesquisa, além das verificadas no Rio Grande do Sul (-6,5%) e Mato Grosso (-2,2%). A receita nominal no estado permaneceu estável (0,0%).

No acumulado de 12 meses, a Paraíba e a média brasileira registraram a mesma variação em junho, de 1,1%, no volume de vendas, ao passo que a receita nominal teve redução de 1,4% no estado e de 1,3% no Brasil.

'Doleiro dos doleiros'!

Justiça homologa delação do ‘doleiro dos doleiros’ Dario Messer, que vai pagar R$ 1 bi à Lava Jato
Paulo Roberto Netto, O Estado de São Paulo

A Justiça Federal do Rio de Janeiro homologou nesta quarta-feira, 12, a delação premiada firmada pelo ‘doleiro dos doleiros’ Dario Messer com a Lava Jato Rio e a Polícia Federal. Os termos do acordo foram aprovados pelas 2ª e 7ª Varas Federais Criminais fluminenses.

Messer foi alvo de três desdobramentos da Lava Jato: ‘Câmbio, Desligo’, que mirou ‘grandioso esquema’ de movimentação de US$ 1,6 bilhão de recursos ilícitos no Brasil e no exterior por meio de dólar-cabo, operação que burla mecanismos de fiscalização financeira; ‘Marakata’, contra transações e contrabando de esmeraldas e pedras preciosas; e ‘Patrón’, que investiga organização criminosa que o teria ajudado a fugir das autoridades brasileiras no Paraguai.

A Lava Jato Rio acredita que o acordo possibilitará a coleta de novas provas nas investigações. Em troca, Messer terá que cumprir pena de até 18 anos e nove meses de prisão, com progressão de regime prevista em lei, e terá que devolver R$ 1 bilhão aos cofres públicos.

O valor de renúncia corresponde a cerca de 99% do patrimônio do ‘doleiro dos doleiros’, de acordo com a Procuradoria, e inclui imóveis de alto padrão, valores no Brasil e no exterior, obras de arte e bens adquiridos no Paraguai ligados a atividades agropecuárias e imobiliárias. Em relação a esses bens no exterior, o Ministério Público Federal apresentará um pedido de cooperação com as autoridades paraguaias para obter partilha com o Brasil.
Dário Messer, considerado o ‘doleiro dos doleiros’. 

Messer foi preso no dia 31 de julho de 2019, após ficar 14 meses foragido, no endereço vinculado a sua namorada, Myra Athayde, em São Paulo. O doleiro ficou preso em Bangu 8, no Rio, até o início de abril de 2020, quando foi para prisão domiciliar após o STJ converter liminarmente o último dos três mandados de prisão preventiva deferidos pela Justiça Federal fluminense. Na semana passada, a Corte manteve a decisão em julgamento.

‘Câmbio, Desligo’. Messer foi denunciado na Câmbio, Desligo em julho de 2018 junto do ex-governador do Rio Sérgio Cabral. Segundo o Ministério Público Federal, o ‘doleiro dos doleiros’ implementaram uma ‘estrutura criminosa sofisticada’ para evasão de divisas, crimes contra o sistema financeiro nacional, corrupção e lavagem de dinheiro. Os métodos do doleiro teriam sido utilizados no pagamento de propinas a agentes públicos do Rio investigados na Lava Jato. Ao todo, US$ 1,6 bilhão foram movimentados no esquema.

“O denunciado Dario Messer era líder da organização criminosa. Ele criou uma rede de lavagem de dinheiro, essencial para a prática de crimes como corrupção, sonegação tributária e evasão de divisas. Era sócio capitalista do ‘negócio’, no qual angariava 60% dos lucros, e ainda financiava o sistema, aportando nele recursos próprios”, afirmou a Lava Jato.

Segundo a Procuradoria, o ‘grandioso esquema’ do doleiro movimentou US$ 1,652 bilhão em contas que se espalharam por 52 países e envolveram mais de 3 mil offshores entre 2011 e 2016. As movimentações também serviam como forma de operar as propinas a integrantes da organização criminosa ligada a Cabral, no Rio.

Após as denúncias, Messer ficou foragido na Justiça por quatorze meses. Neste período, o ‘doleiro dos doleiros’ esteve no Paraguai e sua estadia no País vizinho desencadeou a Operação Patrón, que mirou associação criminosa que o teria auxiliado na fuga das autoridades brasileiras e abrigo no Paraguai. O ex-presidente do país, Horácio Cartes, foi acusado de repassar US$ 500 mil a Messer.

De acordo com o Ministério Público Federal, após sua saída do cargo no meio de 2018, Cartes manteve ‘influência no governo e no poder’ paraguaio que ajudaria nas atividades da organização criminosa liderada por Messer.

O ex-presidente paraguaio foi alvo de mandado de prisão preventiva que acabou suspenso por decisão liminar do ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ) Rogério Schietti Cruz. Em sua decisão, o ministro afirma que o MPF não especificou quais ‘atividades’ ilícitas teriam sido conduzidas por Cartes, ‘pecando a decisão por argumentação e narrativa genéricas’.

No jogo do Atlético Mineiro 3 x 2 Corinthians. Uma grande virada do galo mineiro.

Ver a imagem de origem

Morre aos 83 anos Trini Lopez

Cantor de 'La Bamba', Trini Lopez morre aos 83 anos vítima do vírus chinês
O Estado de S.Paulo

Cantor e guitarrista norte-americano, Trini Lopez, autor do sucesso If I had a Hammer, morreu nesta terça-feira, 11, vítima de complicações provocadas perlo vírus chinês, aos 83 anos. As primeiras informações vieram da revista Palm Springs Life.
 
O álbum de estreia, Trini Lopez at PJ's, trouxe seu clássico maior If I Had a Hammer, que estourou nas paradas em vários países e chegou ao número 3 nos Estados Unidos. No próximo, uma versão explosiva de La bamba, de Ritchie Valens, e mais as canções Lemon Tree, I'm comin 'home, Cindy, Sally was a good old girl, Michael, Gonna get along without ya' now e The bramble bush o colocaram definitivamente no mapa do rock.
 
Trini é do Texas e deixava isso bem claro em seu visual. Era filho de pais mexicanos e recebeu o nome de Trinidad Lopez III. Suas primeiras bandas vieram aos 15 anos e, em 1958, seu grupo The Big Beats assinou com a Columbia Records após gravar com o produtor de Buddy Holly, Norman Petty. 

No cinema, Lopez fez uma passagem pelo filme Os Doze Condenados, de 1967, contracenando com Lee Marvin, Charles Bronson e Donald Sutherland.

O Brasil precisa crescer.

Para diretor da CNI, piores momentos da crise ficaram para trás
Carlos Abijaodi levou em conta o Índice de Confiança do Empresário Industrial da entidade, que aponta retomada do otimismo
Roberta Ramos - RevistaOeste
Diretor da CNI vê volta do otimismo na indústria após crise do coronavírus

O setor industrial brasileiro começa a reverter o pessimismo que teve início em abril, quando o Índice de Confiança do Empresário Industrial (Icei), medido pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), despencou, chegando a 34,5 pontos em uma escala de zero a 100.

Levantamento divulgado nesta quarta-feira, 12, pela entidade mostra que, em agosto, o índice ficou em 57 pontos. “Isso significa que a confiança voltou de forma disseminada”, informou a CNI.

O número representa uma alta de 9,4 pontos na comparação com julho (47,6 pontos). Em junho, o Icei estava em 41,2 pontos; em maio, 34,7 pontos; e em abril, 34,5 pontos. Em agosto de 2019, esse índice estava em 59,4 pontos.

De acordo com a CNI, valores acima de 50 pontos indicam confiança do empresário e, quanto mais acima, maior e mais disseminada essa sensação. Por outro lado, valores inferiores a 50 pontos apontam falta de confiança do empresário — e, quanto mais abaixo, maior e mais disseminada é essa falta.

O otimismo é reforçado pelo fato de o índice registrado em agosto ter ficado acima da média histórica do Icei, que é de 53,4 pontos.

O indicador antecede o estudo que apontará o desempenho industrial. Por isso, representa uma tendência de como se comportará a produção industrial brasileira nos próximos meses, uma vez que, para haver os investimentos e o aumento de produção necessários à retomada da atividade industrial, é necessário que haja, antes, resgate da confiança do setor.

Em nota, o diretor de desenvolvimento industrial da CNI, Carlos Abijaodi, disse que os piores momentos da crise causada pela pandemia ficaram para trás, embora o empresário da indústria ainda perceba que a situação econômica é negativa, na comparação com os últimos seis meses.

“O Brasil precisa dessa confiança. Quando o empresário passa a acreditar que o futuro é mais promissor, ele transforma esse futuro de forma positiva. Do contrário, não sairíamos do fundo do poço”, destaca Abijaodi. “Há uma percepção de melhora no ambiente de negócios, pelo andamento da reforma tributária e por uma demonstração do governo de reduzir o custo Brasil.”

Ele acrescenta que projetos importantes, como o novo marco do saneamento e o novo marco legal do gás natural, vêm avançando no Congresso Nacional, o que é bem-visto pelo setor privado.

A pesquisa foi realizada entre 3 e 7 de agosto e consultou 1.284 empresas, das quais 517 de pequeno porte, 473 de médio e 294 de grande porte.

Com informações da Agência Brasil

quarta-feira, 12 de agosto de 2020

Coronavírus em Cajazeiras

 

Nem eu. Neymar é um monstro de jogador! Veja o passe.

 Ver a imagem de origem

Quanto mais Cristianismo melhor

O Cristianismo contra o Estado
Por Flavio Gordon - GazetadoPovo
Igreja
“Retorna o sangue pagão! O Espírito está próximo; por que Cristo não me ajuda, dando à minha alma nobreza e liberdade? Ai, o Evangelho morreu. O Evangelho! O Evangelho” 
(Arthur Rimbaud, Uma Temporada no Inferno)

Diga-se sem meias-palavras: o Cristianismo foi, é e será o único antídoto eficaz contra a sacralização da política e, consequentemente, contra o totalitarismo. Para quem acha a afirmação exagerada, basta lembrar o que pensavam alguns dos pais intelectuais do totalitarismo acerca dessa religião.

Comecemos no século XVI, com os Discursos sobre a Primeira Década de Tito Lívio (1531), em que Maquiavel exalta a vitalidade espetaculosa das cerimônias pagãs: “Quando se considera que os povos da antiguidade amavam a liberdade mais do que os da nossa época, parece-me que a razão é a mesma que explica por que hoje os homens são menos robustos - o que se relaciona, a meu juízo, com a diferença entre a nossa educação e a dos antigos, e a diferença, igualmente grande, entre a nossa religião e a dos antigos”.

O pensador florentino prossegue, tecendo loas aos espalhafatosos sacrifícios rituais da antiguidade clássica, que lhe excitam a imaginação: “Com efeito, nossa religião, mostrando a verdade e o caminho único para a salvação, diminuiu o valor das honras deste mundo. Os pagãos, pelo contrário, que perseguiam a glória (considerada o bem supremo), empenhavam-se com dedicação em tudo que lhes permitisse alcançá-la. Vê-se indícios disto em muitas das antigas instituições, a começar pelos sacrifícios, esplendorosos em comparação com os nossos, bastante modestos, e cujo rito, mais piedoso que brilhante, nada oferece de cruel capaz de excitar a coragem”.

E ainda: “A pompa das cerimônias antigas era igual à sua magnificência. Havia sacrifícios bárbaros e sangrentos, nos quais muitos animais eram degolados; e a visão reiterada de um espetáculo tão cruel endurecia os homens. As religiões antigas, por outro lado, só atribuíam honras divinas aos mortais tocados pela glória mundana, como os capitães famosos, ou chefes de Estado”.

A essa demonstração de vigor espiritual, Maquiavel opõe uma pretensa tibieza estética e moral do Cristianismo: “Nossa religião, ao contrário, só santifica os humildes, os homens inclinados à contemplação, e não à vida ativa. Para ela, o bem supremo é a humildade, o desprezo pelas coisas do mundo. Já os pagãos davam a máxima importância à grandeza d’alma, ao vigor do corpo, a tudo, enfim, que contribuísse para tornar os homens robustos e corajosos. Se a nossa religião nos recomenda hoje que sejamos fortes, é para resistir aos males, e não para incitar-nos a grandes empreendimentos. Parece que esta moral nova tornou os homens mais fracos, entregando o mundo à audácia dos celerados”.

Em Do Cidadão (1642), no século seguinte, Thomas Hobbes apresenta a sua versão secularizada (ou imanentizada) do Cristianismo, sendo um dos primeiros autores modernos a diagnosticar o risco que a autêntica devoção cristã representava para qualquer autoridade política terrena: “O que pode ser mais pernicioso a qualquer Estado do que ter seus cidadãos impedidos de obedecerem a seus príncipes por medo de castigos eternos?” – questiona o teórico do absolutismo.

Mais tarde, no Leviatã (1651), o filósofo abole definitivamente a clássica distinção conceitual agostiniana entre a cidade terrena e a cidade celeste, distinção que, por dez séculos, se havia consolidado no imaginário político ocidental: “Governo espiritual e temporal são apenas palavras trazidas ao mundo para confundir os homens, enganando-os quanto a seu soberano legítimo… Nesta vida, o único governo existente, seja ele do Estado ou da Religião, é o governo temporal”.

Já no século XVIII, pegando o bastão das mãos de Hobbes, Jean-Jacques Rousseau avançou na corrida pela descristianização do Ocidente. Em O Contrato Social (1762), “o insano Sócrates da Assembleia Nacional” (como o chamava Edmund Burke) reconhece a dívida intelectual para com o antecessor britânico: “De todos os autores cristãos, o filósofo Hobbes é o único a ter enxergado a doença e o remédio, o único a ter ousado propor a união das duas cabeças da águia, e de tudo remeter à unidade política, sem a qual nenhum Estado ou governo será jamais bem constituído. Mas ele deveria ter percebido que o espírito dominante do Cristianismo era incompatível com o seu sistema, e que a lealdade ao padre seria sempre mais forte que a lealdade ao Estado”.

Rousseau vai além, chegando a antecipar o tema nietzscheano da moralidade de escravos: “O Cristianismo é uma religião de todo espiritual, preocupada unicamente com as coisas do céu. A pátria do cristão não é deste mundo. É certo que ele cumpre o seu dever, mas fá-lo com uma profunda indiferença no que concerne ao bom ou mau êxito de seus cuidados. Uma vez que nada se lhe tenha a reprovar, a ele pouco importa irem as coisas bem ou mal aqui embaixo. Se o Estado floresce, o cristão mal ousa desfrutar da felicidade pública; receia orgulhar-se da glória de que goza o seu país; se o Estado perece, ele abençoa a mão de Deus que se abate sobre o povo… O Cristianismo prega unicamente servidão e dependência. Seu espírito é bastante favorável à tirania, para que esta se não sirva com freqüência dele. Os verdadeiros cristãos são feitos para serem escravos; e eles o sabem, e em hipótese nenhuma se amotinam; esta vida breve tem muito pouco preço aos seus olhos”.

No século XIX, Nietzsche desenvolve uma crítica mais existencial, e menos explicitamente política, ao Cristianismo. Também desprezando a relativização cristã do poder temporal, em A Vontade de Poder (1906) o filósofo chega a fazer uma apologia da lógica sacrificial pagã: “Pelo fato de que o Cristianismo empurra para o primeiro plano a doutrina do desinteresse e do amor, ele ainda não postulou, de modo algum, o interesse da espécie como um valor mais alto do que o interesse individual. Seu efeito propriamente histórico, a fatalidade do efeito, permanece, ao contrário, justamente o incremento do egoísmo, do egoísmo individual até um ponto extremo (até o ponto extremo da imortalidade individual). O indivíduo isolado foi tomado, com o cristianismo, de modo tão importante, posto de modo tão absoluto, que não se podia mais sacrificá-lo: mas a espécie só existe por meio do sacrifício humano”.

Na pena de Nietzsche, a principal virtude do Cristianismo torna-se a sua maior fraqueza, e o que vemos na obra é uma retomada das críticas que os pensadores romanos costumavam lançar contra a nova religião, a qual muitos atribuíram a culpa pela queda do Império.

Escreve o homem que decretou a morte de Deus: “Todas as ‘almas’ seriam iguais perante Deus: mas esta é justamente a mais perigosa de todas as possíveis valorações! Equiparam-se os indivíduos, e assim põe-se em dúvida a espécie, favorece-se uma práxis que chega a ser a ruína da espécie: o Cristianismo é o contraprincípio oposto à seleção. Se o degenerado e doente (‘o cristão’) deve ter tanto valor quanto o saudável (‘o pagão’), ou mesmo ainda mais, segundo o parecer de Pascal sobre saúde e doença, então o curso natural de desenvolvimento acha-se invertido e a não-natureza tornou-se lei... Esse amor universal aos homens é, na prática, a prerrogativa de todos os sofredores, malsucedidos e degenerados: ela, de fato, arruinou e amorteceu a força, a responsabilidade, o alto dever de sacrificar homens. Segundo o esquema do critério de valor cristão, ainda restaria apenas sacrificar-se a si mesmo: mas esse resto de sacrifício humano, que o cristianismo concedeu e ele mesmo aconselhou, não tem mais nenhum sentido, do ponto de vista da cultura total. Para o crescimento da espécie é indiferente se um indivíduo isolado qualquer se sacrifica a si mesmo (seja ao modo monástico ascético ou com o auxílio de crucificações, fogueiras e cadafalsos, como ‘mártir’ do erro). A espécie tem necessidade do ocaso dos falhados, fracos e degenerados: mas o cristianismo recorre justamente a eles como potência conservadora, e esta faz aumentar ainda mais aquele instinto dos fracos, em si mesmo já tão potente, de se pouparem, se conservarem e de se manterem reciprocamente. O que é a ‘virtude’ e o ‘amor humano’ no Cristianismo senão precisamente essa reciprocidade da conservação, essa solidariedade dos fracos, esse impedimento à seleção? O que é o altruísmo cristão senão o egoísmo das massas de fracos, o qual adivinha que, se todos cuidarem uns dos outros, cada um se conservará o máximo possível?... Se não se sente uma tal mentalidade como uma extrema imoralidade, como um crime contra a vida, é porque se pertence à parte doente e se possuem os seus instintos… O autêntico amor humano exige o sacrifício para o máximo bem da espécie – ele é duro, ele é uma plena autossuperação, pois precisa do sacrifício humano. E esta pseudo-humanidade, que se chama cristianismo, quer justamente conseguir que ninguém seja sacrificado”.

Sabemos bem as terríveis consequências que, dali a algumas décadas, esse elogio do sacrifício e da “vitalidade” pagã trariam para a terra natal de Nietzsche. E, se talvez seja injusto atribuir ao filósofo a responsabilidade direta pelo Holocausto (afinal, ele nutria alguma simpatia pelos judeus), é inegável que esse tipo de argumento nos ajuda a compreender o fundamento evolucionista e sacrificial da empreitada nazista. Como observou René Girard em Eu via Satanás Cair como um Relâmpago: “Se existe uma essência espiritual do movimento, ela é expressa por Nietzsche”.

Com efeito, ninguém menos que o próprio Adolf Hitler manifestou em relação ao Cristianismo desprezo similar, e só mesmo uma ignorância histórica monstruosa pode levar alguns secularistas contemporâneos a apontar a pretensa fé cristã do líder nazista. Para notá-lo, basta ler estas suas declarações testemunhadas por Albert Speer, ex-ministro do armamento do Reich, que as transcreveu em seu livro de memórias: “Veja você que o nosso azar foi ter a religião errada. Por que não tivemos a religião dos japoneses, que consideram o sacrifício pela pátria como o bem supremo? Também a religião maometana nos seria muito mais compatível do que o Cristianismo. Por que tinha de ser o Cristianismo, com sua humildade e frouxidão?”

Traudl Junge, a última secretária pessoal de Hitler, também registrou esse seu pendor sacrificial, nietzscheano e anticristão: “Às vezes tínhamos interessantes discussões sobre a igreja e o desenvolvimento da raça humana. Na verdade, chamá-las de discussões é um exagero, porque ele começava a explicar suas ideias quando um de nós fazia alguma pergunta ou comentário, e apenas ouvíamos. Ele não era membro de nenhuma igreja, e achava que as religiões cristãs eram instituições ultrapassadas e hipócritas, que atraíam as pessoas como uma isca. Sua religião eram as leis da natureza. O seu dogma de violência combinava mais com a natureza do que com a doutrina cristã do amor ao próximo e ao inimigo. ‘A ciência ainda não é clara sobre as origens da humanidade’, disse certa vez. ‘Estamos provavelmente no estágio mais avançado de algum mamífero que, evoluindo a partir dos répteis, prosseguiu até os seres humanos, talvez via os macacos. Somos parte da criação e filhos da natureza, e as mesmas leis se aplicam a nós bem como a todas as criaturas vivas. Na natureza, a lei da luta pela sobrevivência se impôs desde o início. Tudo o que é mal-adaptado à vida, tudo o que é fraco, é eliminado. Apenas a humanidade, e sobretudo as igrejas, dedicaram-se a manter vivos os fracos, os mal-adaptados, as pessoas de uma espécie inferior”.

É importante notar que todos esses representantes da modernidade ocidental desprezaram o Cristianismo justo naquilo que tem de sui generis, a saber, a sua capacidade de relativizar o poder político mundano – erguido, em última instância, sobre a lei do mais forte – e encará-lo sub specie aeternitatis, ou do ponto-de-vista da Eternidade.

O processo de secularização no Ocidente, de Maquiavel a Hobbes, de Rousseau a Nietzsche, passando por Feuerbach, Marx e outros hegelianos, tem consistido numa permanente tentativa de eliminar a tensão cristã entre poder espiritual e poder temporal, tal como paradigmaticamente simbolizada por Agostinho no binômio Cidade de Deus vs. cidade dos homens. Com isso, trata-se de fazer com que o poder temporal passe a englobar e absorver o poder espiritual, entregando a César até a parte que cabe a Deus.

Lá vem a confusão!

Motorista disciplinado
Cláudio Humberto - DiáriodoPoder

Vice-prefeito de Icó (CE), Fabrício Moreira contratou uma figura folclórica da cidade, Joaquim dos Santos, como motorista. Mas Joaquim não era propriamente um ás do volante. Certa vez, em viagem a um distrito vizinho, eles desciam a perigosa ladeira da Bertioga, quando Fabrício Moreira viu que uma carreta descendo na contramão. Ordenou, com um grito: “Joaquim, desvie o carro para o acostamento!” 

O homem argumentou: “Posso não, doutor, eles é que estão errados.”

Fabrício repetiu a ordem várias vezes, até que perdeu a paciência, tomou a direção e desviou o carro, ele mesmo, do desastre iminente. E desabafou: “Joaquim seu maluco, no céu não tem Detran!”

Árbitro de ótimo nível para a final paraibana

Árbitro Fifa Anderson Daronco apita 1º jogo da final do Campeonato Paraibano entre Campinense x Treze, nesta 4ª feira
Blog do Marcelo José
O clássico Campinense x Treze começa nesta quarta-feira a decidir quem será o campeão do Paraibano 2020. A primeira partida na decisão do título terá o comando de Anderson Daronco, árbitro da Fifa, com larga experiência e um dos mais credenciados no país na atualidade.

A partida será nesta quarta-feira, às 16h no estádio Amigão, em Campina Grande, e o segundo encontro acontecerá no próximo sábado, também às 16h.

ANDERSON DARONCO – O árbitro Fifa que vai comandar o jogo nesta quarta-feira, dia 12, foi atleta de handebol desde os 10 anos de idade, modalidade esportiva que praticou até os 20 anos, quando ingressou na faculdade de Educação Física.

Daronco ingressou na arbitragem e apitou o Campeonato Gaúcho, e depois seguiu crescendo profissionalmente, apitando competições regionais e nacionais, a exemplo da Copa do Brasil e do Campeonato Brasileiro.

Anderson Daronco é Gaúcho da cidade de Santa Maria, e nesta terça-feira esteve na sede da Federação Paraibana de Futebol, onde foi recebido pela presidente Michelle Ramalho.

R$ 7,5 bilhões do lucro do FGTS vão para trabalhadores

Governo vai distribuir R$ 7,5 bilhões do lucro do FGTS a trabalhadores
Extra

O governo vai distribuir R$ 7,5 bilhões do lucro registrado pelo FGTS entre os trabalhadores 

BRASÍLIA — O Conselho Curador do FGTS se reuniu nesta terça-feira para autorizar a distribuição de R$ 7,5 bilhões do lucro registrado pelo Fundo de Garantia do Tempo de Serviço em 2019 entre os trabalhadores. Serão beneficiados todos os cotistas com saldo na conta vinculada em 31 de dezembro de 2019.

A Caixa Econômica Federal tem até o fim deste mês para efetuar o crédito nas contas do FGTS, de forma proporcional ao saldo. Segundo integrantes do Conselho Curador, o governo fará a distribuição de modo a assegurar aos trabalhadores um ganho real (acima da inflação) e da poupança.

Tradicionalmente, as contas vinculadas ao FGTS são remuneradas a 3% ao ano, mais TR (Taxa Referencial), atualmente zerada. Essa rentabilidade já supera outros tipos de aplicação, diante da queda na taxa de juros básica da economia (Selic). Com a Selic em 2% ao ano, a opção de 3% em 12 meses já é maior do que a da poupança e a dos títulos do Tesouro, por exemplo.

No ano passado, o rendimento do FGTS chegou a superar 6%, com a distribuição de lucros. Mas, neste ano, será menor porque o resultado caiu de R$ 12,2 bilhões em 2018 para cerca de R$ 9 bilhões em 2019, segundo integrantes da equipe econômica. O balanço ainda não foi publicado.

O saque emergencial das contas ativas e/ou inativas neste segundo semestre, autorizado em meados do ano passado para estimular a economia, ajudou a reduzir as disponibilidades do FGTS. Além disso, todo o lucro auferido em 2018 foi distribuído.

Desta vez, será apenas parte dele. Ficou a critério do Conselho Curador decidir o montante exato. Esses recursos só poderão ser retirados nas modalidades tradicionais de saque, como demissões, compra da casa própria e aposentadoria.

Vossa Excelência me concede um aparte?

VÍDEO: Mulher nua aparece em sessão virtual de Câmara de Vereadores
PolíticaEtc.

A cena foi registrada durante uma sessão virtual na Câmara de Vereadores do município cearense de Juazeiro do Norte, nesta terça-feira (11), o vereador Domingos Borges (Cidadania) deixou escapar em sua câmera a imagem de uma mulher nua.

Vai ter futebol, sim!

Globo tem derrota histórica na justiça. Turner pode usar MP 984
Emissora tentou impedir a Turner de mostrar jogos de clubes com os quais não tem contrato. A MP permite, como visitantes. Perdeu na justiça
COSME RÍMOLI - Do R7
Globo tem nova derrota histórica na justiça. Turner pode usar a MP 984

"Diante do exposto, não se trata de violação ao ato jurídico perfeito, mas de aplicação imediata e geral da nova lei aos efeitos pendentes e futuros do ato celebrado.

"Além disso, os contratos versam sobre o Campeonato Brasileiro de Futebol - Série A - Temporadas de 2019, 2020, 2021, 2022, 2023 e 2024.

"Vetar a aplicação imediata e geral da Lei Nova aos efeitos futuros do contrato seria engessar a sociedade e retirar a vigência de ato normativo pela vontade das partes, uma vez que os contratos (celebrados com a autora e com as rés) abrangem TODOS os Clubes do Brasil e até 2024."

O que a Globo temia aconteceu.

A justiça negou a liminar que a emissora carioca queria, proibindo à Turner a aplicação da MP 984, que permite que o clube mandante transmita seus jogos, independente se o adversário tenha contrato com outra emissora.

Ou seja, a Turner pode mostrar as partidas que Palmeiras, Santos, Bahia, Internacional, Athletico, Coritiba, Ceará e Fortaleza sejam mandantes. Contra Atlético-GO, Atlético-MG, Botafogo, Corinthians, Flamengo, Fluminense, Goiás, Grêmio, São Paulo, Sport, Red Bull Bragantino e Vasco.

A decisão da juíza Priscila da Pontes, da 3ª Vara Cível, tem efeito imediato. Ou seja, a Turner está liberada para mostrar os jogos já na próxima rodada.

Foi outra derrota histórica da Globo em 2020. Já foi assim com o Flamengo transmitindo suas partidas decisivas no Carioca. Inclusive passando a final para o SBT, mesmo com a Globo tendo contrato com todos os 11 outros clubes.

Por conta da Medida Provisória 948, de Jair Bolsonaro.

A Globo foi à justiça para que a Turner seguisse como em 2019, quando mostrou apenas as partidas entre Palmeiras, Santos, Bahia, Internacional, Athletico, Coritiba, Ceará e Fortaleza. Desta vez, não.
Flamengo será uma dos clubes que a Turner terá o direito de mostrar. Com a MP, a Turner mostrará também Atlético-GO, Atlético-MG, Botafogo, Corinthians, Flamengo, Fluminense, Goiás, Grêmio, São Paulo, Sport, Red Bull Bragantino e Vasco, quando forem visitantes dos times com os quais têm contrato.

A emissora mostra seus jogos nos canais TNT e Space, já que desativou os dois Esporte Interativo.

O grande prejudicado é o Sportv, canal a cabo da Globo.

A emissora norte-americana, que pertence ao grupo bilionário AT&T não usou a medida provisória na primeira rodada. Esperava o resultado da justiça. Agora, saiu. Não há obstáculo.
Corinthians também chega, via MP 948, à tela da Turner

A Globo pode e deve recorrer. Enquanto isso, há o trâmite em Brasília para que a MP deixe de ser temporária. E se torne lei.

Aí será o golpe fatal no monopólio global. O futebol no Brasil deixará de ser de uma emissora...

Eleição suspensa em Bayeux

Eleições que seriam realizadas no dia 13 de agosto em Bayeux são suspensas
A decisão foi proferida durante o plantão judiciário nos autos do Mandado de Segurança nº 0840010-75.2020.8.15.2001 impetrado por Lucília Luiz de Freitas.
ReporterPB
Liminar concedida pelo juiz Antônio Sérgio Lopes suspende as eleições que seriam realizadas no dia 13 de agosto, pela via indireta, para escolha do prefeito e do vice-prefeito do Município de Bayeux. A decisão foi proferida durante o plantão judiciário nos autos do Mandado de Segurança nº 0840010-75.2020.8.15.2001 impetrado por Lucília Luiz de Freitas.

A parte autora alegou que o edital nº 10/2020 está eivado de ilegalidade e abusividade insanáveis por não ter observado prazo para registro de candidatura, prazo para impugnações, prazo para recursos, comissões julgadoras, critérios objetivos, forma de votação - aberto ou fechado, entre outras providências legais de transparência e respeito aos preceitos eleitorais, inclusive regulamentar critérios ou vedar possibilidade para qualquer do povo possa se candidatar e concorrer.

"É lamentável que a cidade de Bayeux esteja passando por um processo político tão conturbado nos últimos anos, mas ainda que o momento seja significativamente turbulento, o respeito ao devido processo legal é imperativo constitucional intransponível", ressaltou o juiz na decisão.

Ele determinou que a mesa diretora da Câmara Municipal de Bayeux edite as regras das eleições, especificando prazos para registros, prazos para impugnações e recursos, comissões julgadoras, estabeleça e discuta os legitimados a concorrerem aos referidos cargos. O juiz declarou abusivo, ilegal e nulo o edital nº 10/2020, facultando à Câmara providenciar a realização das eleições indiretas através de novo edital com regras que respeitem o devido processo legal.

Da decisão cabe recurso.

Os destaques do jornal Correio do Povo

 Capa do jornal Correio do Povo 12/08/2020

Na primeira página do jornal Correio da Bahia

 Capa do jornal Correio 12/08/2020

Coronavírus em Cajazeiras

 

terça-feira, 11 de agosto de 2020

É roubo grande!

Cerca de 20 motos são furtadas de prédio anexo ao Fórum de Piancó
Fórum de Piancó foi arrombado na última semana (Foto: Reprodução)

Bandidos arrombaram o Fórum da Justiça Comum de Piancó no último dia 03 de agosto e levaram cerca de 20 motos que estavam guardadas no prédio anexo ao Fórum. A informação foi confirmada por uma funcionária do Fórum de Piancó.

A funcionária informou que foi realizado um Boletim de Ocorrência e o caso foi levado ao Tribunal de Justiça da Paraíba e uma perícia será realizada no local.

De acordo com informações, os criminosos entraram pelo portão de acesso e depois arrombaram o prédio onde estariam guardados os veículos.

Os criminosos fugiram do local levando os veículos. Até o momento não se sabe quantos participaram da ação e o que eles usaram para levar os veículos.

A Polícia Civil segue investigando o caso.

Click PB

Ministério Público Federal e o Consórcio Nordeste

É DE TIRAR O FÔLEGO – MPF decide abrir inquérito para apurar compra de respiradores pelo Consórcio Nordeste
Helder Moura
O Consórcio Nordeste voltou à alça de mira do Ministério Público federal. O procurador da república Fernando Túlio da Silva, da Bahia, acaba de determinar a abertura de inquérito civil para apurar uma compra de respiradores pelo Consórcio Nordeste junto à empresa Pulsar, contratada para fornecer 750 respiradores, que jamais entregou os aparelhos como acertado.

Em nota, o Consórcio Nordeste informou que a tentativa de compra do respiradores foi feita pelo Fundo Estadual de Saúde da Bahia, em nome do Consórcio, e que a operação foi cancelada unilateralmente pelos compradores por incapacidade de entrega na data prevista. O valor, segundo o Consórcio, teria sido integralmente devolvido aos cofres públicos: US$ 7,9 milhões (R$ 49 milhões).

Mais 300 – Também em junho, um contrato firmado entre o Consórcio e a empresa Hempcare, para a compra de 300 aparelhos respiradores levou à prisão temporária três empresários envolvidos na operação. A Hempcare recebeu R$ 48,7 milhões, mas não entregou os respiradores, nem devolveu o dinheiro. Outra empresa, a Biogeoenergy também é alvo de investigação.

A compra também é alvo das investigações do MPF. Assim como o caso da Pulsar, o inquérito foi instaurado pelo procurador da república Fernando Túlio da Silva. (mais em https://glo.bo/2DR1ESb)

Filho de John Lennon sobre supostos “anti-fascistas”: Eles não conseguirão nada além de “destruição e caos”

Filho de John Lennon sobre supostos “anti-fascistas”: Eles não conseguirão nada além de “destruição e caos”
Sean Ono Lennon, filho de John Lennon com um submarino amarelo, criticou estratégia de "combater racismo com racismo e fascismo com fascismo"
Oliver - SensoIncomum

Na última sexta-feira, Sean Ono Lennon, filho de John Lennon e Yoko Ono, criticou os manifestantes de esquerda e a destruição que vêm causando por toda América:

“Não tenho certeza de como esse combate ao racismo com racismo e a luta contra o fascismo com a estratégia do fascismo deve ter algum sucesso além de destruição e caos.”


Foto do perfil, abre a página do perfil no Twitter em uma nova aba
I’m unsure how this ‘fight racism with racism’ and ‘fight fascism with fascism’ strategy is supposed to succeed in anything but destruction and chaos. But maybe I’m just a Luddite.

Ser filho do homem que escreveu “Imagine”, música que virou hino da esquerda, pode levar as pessoas a pensar que Sean Lennon seria esquerdista, mas não é o caso, apontou o Daily Wire.

Em abril, ele fez criticas à imprensa por rotular o termo “vírus chinês” como “racista” além de ser ser porta-voz do regime comunista chinês.

We live in a time that calling a virus that came from China, Chinese, is racist, (and arguably dangerous for Asians because: morons). Oh, and calling a virus that probably didn’t come from Spain, Spanish, well that makes total sense.