sábado, 28 de fevereiro de 2015

Os destaques do Jornal do Commercio


A capa de hoje do Jornal da Paraíba


As manchetes de jornais brasileiros neste sábado

Folha: Dilma sobe tributo em 150% e empresas preveem demissões

Globo: Imposto sobe 150% e indústria teme desemprego

Extra:  Luz sobe 22% no Rio [a partir de segunda-feira]

ValorEconômico: Lava-Jato/Petrolão] Dois executivos da Camargo Correia assinam acordo de delação premiada

Estadão: Levy vê desoneração grosseira e eleva imposto sobre folha de pagamento

ZeroHora: luz fica até 39,5% mais cara no RS

EstadodeMinasLuz fica 28,8% mais cara na segunda

CorreioBraziliense: Ação ameaça reajuste de 100 mil servidores do DF

CorreiodaBahia: Português é morto ao ter casa invadida por criminosos

- DiáriodoNordeste: Estado busca economizar R$ 400 milhões com cortes

DiáriodePernambuco: Luz fica 20% mais cara

JornaldaParaíba: Conta de luz na Paraíba tem novo reajuste de 3,8%

"Você deve compreender-me, se eu quis sonhar...", cantava Márcio Greyck na música 'o mais importante é o verdadeiro amor'. Eita!

Mamãe Marina dizia que eu era a cara dele...E eu ia brigar com ela por uma besteira dessa?!

sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

A política externa brasileira é uma vergonhosa adesão ideológica ao que há de mais reacionário no mundo! Vejam o que diz o Senador Magno Malta.


A coluna Faisqueira do nosso jornal Gazeta do Alto Piranhas

Chantagem

A prefeita de Cajazeiras, Denise Albuquerque, postou em rede social que estava sendo “chantageada”, além de está recebendo mensagens anônimas com ameaças. Ao ter a coragem de fazer esta denuncia, a prefeita expõe uma chaga incurável, ainda existente, em alguns veículos de comunicação de nossa cidade.


Chantagem 2

O que faltou à gestora foi dar nomes aos bois, mas de qualquer forma ela teve a coragem de não deixar obscura e no silêncio de seu coração, esta informação, também em função de tornar cientes os concidadãos de sua terra esta triste e lamentável situação.

Vai votar de novo


O famoso Dedezinho do Asfalto, zeloso funcionário da edilidade cajazeirense, ao se encontrar com o empresário Marinho, com sua gaiatice disparou: “eu já lhe conheço e votei uma vez em você para prefeito”. Depois de um pequeno intervalo veio a resposta: “... e vai votar de novo”. Onde tem fumaça tem fogo.


Verba curta

Com 0,37% da receita destinada ao setor de comunicação, no orçamento do município de Cajazeiras, para o ano de 2015, representa um valor inexpressivo para uma cidade do porte de Cajazeiras e talvez não seja suficiente para realizar boas campanhas para as secretarias de saúde e educação. É uma pobreza franciscana. 

Tábua de pirulito

Inaugurada no ano de 1964, a CAGEPA, fornecedora estatal, de água da cidade de Cajazeiras, está com sua tubulação envelhecida e todos os dias aparecem vazamentos, desperdiçando água e ao remendá-lo esburaca a cidade.

Tábua de pirulito 2

Há muitos anos que esta tubulação já deveria ter sido substituída e o que vem ocorrendo são consertos periódicos que não têm resolvido o problema e é a mesma coisa que colocar remendo novo em calça velha. Enquanto isto, nesta crise de água, o desperdício continua.

Ordem alfabética

A prefeitura de Carrapateira inova em matéria de pagamento de salários atrasados dos seus funcionários: está sendo feito em ordem alfabética – de A a Z. Ainda não saiu da letra A e só Deus sabe quando os que têm o nome iniciado com a letra Z vão receber. Carrapateira, talvez, seja o único município da Paraíba que ainda está aprendendo o alfabeto, sem previsão de quando vai aprender a soletrar. 

“Tô fora”


O ex-deputado estadual Antonio Vituriano de Abreu ainda não “engoliu” o não apoio do ex-prefeito de Cajazeiras, Carlos Rafael, quando de sua última candidatura e recentemente disparou: “se ele for candidato a vice ou a prefeito, em 2016, não boto nem a cabeça fora”. 

Ameaçado

Um cidadão de Joca Claudino, conhecido por João Alves de Andrade, sempre telefonava para as emissoras de Cajazeiras fazendo duras criticas a administração da cidade de Joca Claudino, dias atrás, parece ter feito a sua última participação para denunciar que estava sendo ameaçado de ser processado e de ir para o “xilindró”. Voltamos ao tempo do cangaço, “brincou não leu a peia comeu”

Só curativos

Francisco Freitas denunciou por uma emissora de rádio de Cajazeiras, que a vizinha cidade de Ipaumirim, no Ceará, está abandonada e que o atual prefeito entregou a administração da cidade a um irmão e quando “aparece por lá” entra pela porta dos fundos e que a única coisa que se faz na área de saúde é um curativo. Ele lamenta que a sua cidade esteja entregue as baratas. 

Atrasos

Virou moda em algumas cidades da Região do Alto Piranhas dos prefeitos atrasarem o pagamento dos funcionários públicos e nesta lista está também a de Poço Dantas. Os servidores não entendem o porquê destes atrasos. Só tem uma explicação: má gestão e incompetência e tem uma alternativa para os funcionários: cruzar os braços. Por enquanto a maioria absoluta dos vereadores não tem dado uma única palavra em defesa dos mesmos e entraram no clube dos calados e mudos.

Prefeita de Cajazeiras denuncia que está sendo chantageada – Ela tem a obrigação de dizer quem e com qual o objetivo
Adjamilton Pereira
Jornal da Paraíba


O Jornal Gazeta do Alto Piranhas, na sua edição desta sexta-feira (27), repercute na sua primeira página a denúncia feita, durante a semana, pela prefeita de Cajazeiras Denise Oliveira, através do facebook, de que estaria sendo chantageada, dando a entender que a chantagem estaria partindo de órgãos de comunicação da cidade. 

A própria matéria do jornal sertanejo afirma que, nos bastidores, comenta-se que a prefeita estaria se referindo a alguns veículos de comunicação do município, que estariam publicando notícias com o objetivo de pressioná-la. 

Ao tornar público esse fato, a prefeita tem o dever e a obrigação de informar quem a está chantageando, em que termos são essas ameaças e com qual objetivo, pois ao não especificar de onde está partindo termina por envolver todos os veículos de comunicação da cidade

Por outro lado, se a chantagem que a prefeita denuncia, se refere ao fato de uma emissora local está fazendo um jornalismo diferente do que vem praticando quase todas as emissoras de rádio da cidade, pois está abrindo espaços, também, para a oposição, aí a gestora perdeu uma grande oportunidade de ficar calada.

A capa da semana do nosso jornal Gazeta do Alto Piranhas



Alô Cajá ! Atenção Cajazeirenses e Cajazeirados. 

A partir de segunda feira dia 02 de março, começa a venda de mesas para a nossa 3ª Festa de Arromba - Uma noite em Cajazeiras, na capital paraibana.

Se você curte uma boa festa, não fique de fora dessa realização. Em João Pessoa, com Ângela Lira pelo fone 9996-3767 ou 9669-7465 com Sales Fernandes, em Cajazeiras com a Profª Francisca Campos pelo fone 9918-8472. Reúna a sua turma e não perca a oportunidade de reviver momentos inesquecíveis, ao lado de conterrâneos maravilhosos.

Abraço fraterno
Cenário
'The Economist': Brasil está em atoleiro e Dilma é fraca

Revista britânica dedica mais uma capa ao Brasil e afirma que o país vive seu pior momento desde o início da década de 1990
Veja.com

Capa da Economist (Reprodução/VEJA)

Pela terceira vez em menos de dois anos, a revista britânica The Economist volta a dedicar sua capa ao Brasil — e, novamente, não é por razões animadoras. Na edição latino-americana que chega às bancas, uma passista de escola de samba está em um pântano coberta de gosma verde com o título 'O atoleiro do Brasil'. A reportagem que foi veiculada nesta quinta-feira foi produzida por uma equipe de editores e jornalistas da publicação que passou uma temporada no Brasil para tomar pé da situação econômica. Os jornalistas estiveram em Brasília, no Rio de Janeiro e em São Paulo.

The Economist: Brasil em atoleiro

Nas duas últimas capas que a Economist havia feito sobre o país (uma em setembro de 2013 e outra em outubro de 2014), a principal crítica até então recaía sobre a equipe econômica e a presidente Dilma Rousseff, que juntas haviam conseguido minar a credibilidade das contas públicas. Outra crítica recorrente era a política protecionista. Na edição recente, a revista poupa o novo ministro Joaquim Levy — mas não Dilma: "Escapar desse atoleiro seria difícil mesmo para uma grande liderança política. Dilma, no entanto, é fraca. Ela ganhou a eleição por pequena margem e sua base política está se desintegrando", diz a revista.

Em editorial, a revista se refere ao Brasil como "antiga estrela da América Latina" e afirma que o país vive seu pior momento desde o início da década de 1990, período de instabilidade política, com o impeachment de Fernando Collor, e derrocada econômica, com a hiperinflação. "A economia do Brasil está uma bagunça, com problemas muito maiores do que o governo admite ou investidores parecem perceber". Além da ameaça de recessão e da alta inflação, a revista cita como grandes problemas o fraco investimento, o escândalo de corrupção na Petrobras e a desvalorização cambial que aumenta a dívida externa em real das empresas brasileiras.

Capas da revista 'Economist' em 2009 e 2013

Segundo a publicação, Dilma Rousseff "pintou um quadro cor-de-rosa" sobre o Brasil durante a campanha eleitoral. A revista critica o fato de a presidente ter usado o discurso de que a oposição iria retirar as conquistas adquiridas nos últimos anos, como o aumento da renda e os benefícios sociais. "Apenas dois meses do novo mandato e os brasileiros estão percebendo que foi vendida uma falsa promessa".

A Economist nota que boa parte dos problemas brasileiros foi gerada pelo próprio governo que adotou uma estratégia de "capitalismo de Estado" no primeiro mandato. Isso gerou fracos resultados nas contas públicas e minou a política industrial e a competitividade, diz. A revista destaca que Dilma Rousseff reconheceu parte desses erros ao convidar Joaquim Levy para o Ministério da Fazenda. "No entanto, o fracasso do Brasil em lidar rapidamente com distorções macroeconômicas deixou o senhor Levy com uma armadilha de recessão".

Entre as medidas para que o Brasil retome o caminho do crescimento sustentado, a revista diz que "pode ser muito esperar uma reforma das arcaicas leis trabalhistas". "Mas ela deve pelo menos tentar simplificar os impostos e reduzir a burocracia sem sentido", diz o texto, ao citar que há sinais de que o Brasil pode se abrir mais ao comércio exterior.

O editorial termina lembrando que o Brasil não é o único dos Brics em apuros. A Rússia está em situação pior ainda. A publicação ainda sugere que ainda é tempo para agir: "Mesmo com todos os seus problemas, o Brasil não está em uma confusão tão grande como a Rússia. O Brasil tem um grande e diversificado setor privado e instituições democráticas robustas. Mas seus problemas podem ir mais fundo do que muitos imaginam. O tempo para reagir é agora".

Na coluna Painel do jornal Folha de São Paulo. O PMDB percebeu a estratégia: vai exigir do governo que o próprio PT se comprometa em defender o ajuste fiscal. Como sempre, o PT quer posar de 'defensor' dos trabalhadores...

Ordem unida

Dois dias depois do jantar que parecia ter selado o apoio ao pacote do ajuste fiscal do governo, o PMDB recuou algumas casas e vai esperar o PT se comprometer com as medidas antes. A pressão sobre o partido de Dilma Rousseff vem também das demais siglas da base aliada. Caberá a Lula enquadrar o comando petista e exigir que o partido divulgue nota apoiando publicamente as medidas e cobrando votação favorável em bloco de seus deputados e senadores.

Aviso prévio O entorno presidencial avalia que é questão de tempo a substituição de Pepe Vargas na articulação política do governo.

Decorativo O ministro, que não integrou a comitiva da viagem de Dilma à Bahia, não vai pilotar a negociação do ajuste econômico no Congresso e deve se ocupar apenas do "varejo" e só do PT.

Filial Além do posicionamento do PT em defesa do pacote, peemedebistas querem que a CUT deixe de fazer campanha contra as medidas.

O historiador Villa vai direto ao ponto. Quem gostava de 'arrudeio' era Nenen de Dona Nazaré (quando jogava bola)...

Lula está perdido! Por trás, o que existe de fato é uma defesa preventiva: ele - e sua governanta incompetente afundou - é o grande responsável pelos problemas que o Brasil vem enfrentando. Ademais, suas bravatas e ameaças não surtem efeito. O país não tem medo do Lulla! E o dia 15 de março vem aí...


Por Reinaldo Azevedo

Então vamos lá, caros internautas. Quem lê este blog sabe desde domingo que Rodrigo Janot, procurador-geral da República, andava, digamos assim, “conversando” com José Eduardo Cadozo, ministro da Justiça. A publicação da informação me rendeu alguns ataques bucéfalos. Eu estaria, ora vejam!, fazendo carga contra o Ministério Público. Escrevi ontem um post a respeito e convidei os leitores insatisfeitos com o blog a fazer o que faço quando acho que um veículo não presta: ler outra coisa. Vamos seguir.

Às 6h21 de quarta-feira, os que acompanham esta página leram aqui um post cujo título era este: “Janot, os pedidos de abertura de inquérito e a denúncia… É preciso cuidado para que o braço político do crime não se dê bem de novo!”.


E escrevi lá o que segue:


Muito bem! Na Folha desta sexta, lê-se o que segue.



Retomo
Olhem cá, meus caros: meu interesse nessa história vai nesta ordem, de acordo com a minha profissão:
1: apegar-me aos fatos — é o trabalho de um jornalista;
2: cobrar que se faça Justiça, de acordo com as leis da democracia e do estado de direito.

Reitero: os que estiverem satisfeitos com isso continuem no blog. Os que não estiverem estão a um clique de fazer a coisa certa.


Não sou adivinho. Não sou ideólogo. Não sou Pitonisa. A pizza que se busca assar no petrolão é muito mais sofisticada, reitero, do que a que se assou no mensalão. Alguns espertos e expertos estão abusando da ignorância e do velho rancor contra os ricos — vocês sabem como eles têm as costas largas… — para transformar os empreiteiros nos grandes bandidos da República, enquanto os políticos, a exemplo do que se deu no mensalão, continuarão a saltitar por aí. É contra isso que me insurgi desde o princípio.

E pergunto de novo: o Ministério Público vai ou não fazer a delação premiada de Ricardo Pessoa?

Para encerrar
Naquele post de quarta-feira, deixei claro que Janot pedir ao STF o fim do sigilo dos procedimentos de investigação — incluindo inquéritos — é pura firula populista, tendente a ser rejeitada pelo tribunal. Estivesse realmente interessado em justiça e celeridade, ele ofereceria, em muitos casos escancarados, a denúncia, em vez pedir a simples abertura de inquérito.

Estamos diante de mais um caso de surrealismo explícito. Vejam que graça: temos pessoas que o Estado considera “corruptoras” — os empresários denunciados —, mas esse mesmo Estado tem dúvidas se existem os “corrompidos”… Ou por outra: o Estado brasileiro tem certeza de que existe o criminoso, mas não está certo de que o crime tenha existido. É uma piada!

Eu opino muito, sim. Mas a base da minha opinião são os fatos. Os incomodados que se mudem. Sobrarão muitos milhares.

A primeira página do jornal O Estado de São Paulo


Jornal Jogo/Extra: provocações entre Mengão e Fogão


Os destaques do jornal Folha de São Paulo


A capa de hoje do Jornal da Paraíba


As manchetes de jornais brasileiros nesta sexta-feira

Folha: Dilma faz novo arrocho para equilibrar contas

Globo: Ajuste pode cortar 22% do Orçamento até fim do ano
Outras chamadas no Globo: Governo suspende recursos do Minha Casa Melhor; Governo atrasa verba e bloqueia R$ 32 bilhões do PAC; MEC corta 64% das bolsas do Programa Jovens Talentos para Ciência

Extra:  Caso Eike: Juiz está endividado

ValorEconômico: Para [a revista] 'The Economist', o Brasil está em um atoleiro

Estadão: Governo limita gastos a R$ 75 bi até abril e inclui PAC nos cortes

ZeroHora: [Caminhoneiros] Governo reage a bloqueios com cobrança multas

EstadodeMinasRisco a bordo

CorreioBraziliense: Voo da alegria é tapa na cara do brasileiro

CorreiodaBahia: TRE cassa prefeito por compra de voto

- DiáriodoNordeste: Renda das famílias do Ceará é a terceira pior do país

JornaldoCommercio: STF cobra a Dilma escolha do 11º ministro

- JornaldaParaíba: Preso dava ordens para expulsar família em João Pessoa

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

A política externa do Brasil é vergonhosa. Compactua com ditaduras, critica democracias. A Câmara dos Deputados fez a sua parte, acertadamente.


A Câmara dos Deputados aprovou na tarde desta quarta, 25, uma moção de repúdio ao governo venezuelano de Nicolás Maduro por “quebra do princípio democrático, com ofensa às liberdades individuais e ao devido processo legal”. Apresentada pelo líder da oposição Bruno Araújo (‪#‎PSDB‬-PE), a moção foi aprovada por todos os partidos, exceto ‪‎PT‬, ‪‎PCdoB‬ e ‪PSOL‬.

“O Parlamento não pode ficar passivo assistindo a esses fatos. A prisão do prefeito de Caracas chocou o mundo. Ontem, as forças de segurança de Maduro mataram uma criança de 14 anos", declarou o líder do ‪DEM‬, Mendonça Filho.

A bolha da fantasia estourou...

'Financial Times' lista dez motivos por que Dilma pode sofrer impeachment
Folha.com

Um artigo publicado no site do jornal britânico "Financial Times" nesta quarta-feira (25) lista dez motivos para acreditar que a presidente Dilma Rousseff pode não terminar seu segundo mandato.

Assinado pelo editor-adjunto de mercado emergentes da publicação, Jonathan Wheatley —que foi correspondente do jornal no país entre 2005 e 2011—, o texto cita entre as razões a perda de apoio no Congresso Nacional.

Até mesmo alguns petistas, segundo o artigo, se voltaram contra a presidente. "Alguns membros [do partido] a veem [Dilma] como uma intrusa oportunista", escreve. Dilma filiou-se ao PT nos anos 1990, após começar a carreira partidária no PDT de Lionel Brizola.

A maioria dos motivos mencionados no texto são de cunho econômico (veja a lista completa no final deste texto). Apenas dois têm apenas relação indireta com a economia: a falta de água e possíveis apagões elétricos.


DEZ MOTIVOS PARA ACREDITAR QUE DILMA PODE SOFRER IMPEACHMENT, SEGUNDO O 'FINANCIAL TIMES'

Perda de apoio no Congresso
Escândalo da Petrobras
Queda na confiança do consumidor
Aumento da inflação
Aumento do desemprego
Queda na confiança do investidor
Déficit orçamentário
Problemas econômicos no geral
Falta d'água
Possíveis apagões elétricos
Justiça decreta bloqueio de R$ 106 milhões em contas de Cerveró

Ex-diretor de Abastecimento da Petrobras, Nestor Cerveró

A Justiça Federal decretou o bloqueio de R$ 106 milhões do ex-diretor de Abastecimento da Petrobras Nestor Cerveró, acusado de receber propinas na contratação de navios-sonda para uso em águas profundas no Golfo do México e na África. A medida, datada de 21 de janeiro, acolheu pedido da força-tarefa da operação Lava Jato, que investiga esquema de corrupção na estatal petrolífera.

O valor confiscado corresponde à conversão de US$ 40 milhões, pelo câmbio daquele dia, R$ 2,65, atingindo R$ 106 milhões. Cerveró está preso desde janeiro. Ele já é réu em duas ações criminais da Lava Jato, uma por corrupção passiva, a outra, instaurada nesta quarta feira, 25, por lavagem de dinheiro.

Com parte da propina, segundo a Procuradoria da República, ele adquiriu um apartamento no bairro de Ipanema, zona Sul do Rio, declaradamente por R$ 1,5 milhão - o valor de mercado do imóvel bate em R$ 7,5 milhões. A Justiça já decretou o sequestro do apartamento.

Para ocultar a compra, a Procuradoria aponta que ele usou a empresa Jolmey do Brasil Administração de Bens, filial brasileira da offshore Jolmey, aberta no Uruguai. Nos autos da Lava Jato foi anexado o documento cartorial com a compra do apartamento.

Ele agia em nome de empreiteiras do cartel que se instalou na Petrobras. Camargo afirmou que Cerveró e o lobista Fernando Falcão Soares, o Fernando Baiano - suposto operador do PMDB na estatal petrolífera - receberam os US$ 40 milhões. Depois, com base na conferência de extratos bancários, o delator refez as contas e comunicou a Justiça Federal no Paraná, base da investigação, que o montante da propina foi de US$ 30 milhões.

A decisão judicial levou em conta a primeira informação. "Quanto ao bloqueio de ativos, reputo, por ora, razoável limitar o valor no correspondente à suposta vantagem indevida repassada a Fernando Soares e a Nestor Cerveró, de US$ 40 milhões, convertendo-os pelo câmbio de R$ 2,65 como constante na denúncia o que chega a R$ 106 milhões", decidiu o juiz Sérgio Moro, que conduz todas as ações da Lava Jato.

No mesmo despacho, Moro ordenou a quebra do sigilo fiscal de Cerveró, no período de 2004 a 2014. "A quebra de sigilo fiscal abrange todos os dados disponíveis à Receita Federal." O Ministério Público Federal requereu o bloqueio de ativos no valor "suficiente à recuperação do produto do crime e reparação dos danos decorrentes do crime em relação a Nestor Cunat Cerveró".

Segundo a denúncia Cerveró, na condição de Diretor Internacional da Petrobrás, teria "recebido vantagem indevida de milhões de dólares para favorecer a contratação, em 14 de junho de 2006 e em 9 de fevereiro de 2007, pela empresa estatal da empresa Samsung Heavy Industries Co para fornecimento de navios sondas para perfuração de águas profundas".

"A vantagem indevida, de cerca de quarenta milhões de dólares, foi intermediada pelos coacusados Fernando Antônio Falcão Soares vulgo Fernando Baiano, e Júlio Gerin de Almeida Camargo, tendo ainda sido objeto de complexas transações financeiras destinadas a lavar o produto do crime", assinala o juiz Sérgio Moro.

"Entre essas transações, transferências financeiras internacionais, com emprego de contas no exterior em nome de off-shores."

O advogado Edson Ribeiro, que defende o ex-diretor de Internacional da Petrobrás, disse na quarta feira, 25, que a nova denúncia contra Cerveró, por lavagem de dinheiro, "é inepta". Ele afirmou que seu cliente não recebeu propinas e nem lavou dinheiro ilícito. Para Edson Ribeiro, o Supremo Tribunal Federal "vai anular toda a Operação Lava Jato".

É um bom sinal.Tomara que o STF também mantenha o padrão...

Sugestão de Luciano Holanda

Como uma simples mortal...

Cartão recusado

Flavia e Eike: vida dura
Flávia e Eike: vida dura
A vida não está fácil para ninguém: ontem, Flávia Sampaio, mulher de Eike Batista, teve o seu cartão de crédito recusado num supermercado da zona sul do Rio de Janeiro. Ligou para o marido imediatamente, mas nada se resolveu.
A propósito, Flavia nas últimas semanas passou a frequentar com assiduidade a sede do (que restou do) grupo X, na Praia do Flamengo.
Por Lauro Jardim

Por Reinaldo Azevedo

Coutinho, ora vejam, está se movimentando freneticamente nos bastidores, informa reportagem da Folha, para tentar impedir que se instale uma CPI para investigar contratos de financiamento do banco feitos durante a gestão petista

Segundo apurou o jornal, ele falou com pelos menos três senadores. Uma das alegações é que a investigação poderia prejudicar operações sigilosas do banco. A outra é que a instituição poderia ser colhida por uma onda de descrédito, a exemplo do que ocorreu com a Petrobras.


Eu até poderia compreender as preocupações do presidente do BNDES, não fosse a sua argumentação tão ruim. Vamos lá. É possível resguardar o sigilo de determinados documentos e operações, desde que não se trate de ilícitos e que se esteja protegendo o interesse nacional. As operações que o doutor pretende que fiquem distantes dos nossos olhos são dessa natureza? Ou o BNDES, agora, virou o braço financeiro da Abin (Agência Brasileira de Inteligência)?

E não fica bem, obviamente, acenar com o fantasma da derrocada da Petrobras para tentar impedir que uma CPI apure as operações feitas pelo BNDES. Afinal, a estatal está na lona porque se descobriu que estava entregue a uma quadrilha, que atuava em favor de um esquema político, gerenciado pelo PT, com benefícios também a outras legendas.

O temor de Coutinho certamente não está a indicar que quadrilha semelhante atue no BNDES, pois não? Eu nem sou adepto da frase “quem não deve não teme”. Em processos de investigação, marcados, muitas vezes, por vazamentos, irresponsabilidades, populismo, demagogia, quem não deve, a depender do caso, tem, sim, de temer. Coutinho que trate, então, de melhorar a sua argumentação.

O presidente do BNDES deveria ser mais prudente. Segundo o empresário Ricardo Pessoa, dono da UTC, a oito dias do segundo turno — quando a empreiteira buscava dinheiro no banco para obras no aeroporto de Viracopos, em Campinas — foi Coutinho quem anunciou que ele, Pessoa, seria procurado por Edinho Silva, tesoureiro da campanha de Dilma. O presidente do BNDES nega a conversa.
Ah, sim: o requerimento da oposição para a criação da CPI do BNDES cita empréstimos para empreendimentos, considerados sigilosos, em Cuba, na Venezuela, no Equador e em Angola. O documento pede ainda para que se apurem empréstimos no Brasil para a JBS e a Sete Brasil. Coutinho, pelo visto, acha que essas coisas não nos dizem respeito. Prefere que a gente se mantenha longe disso. Ou, prevê ele, o BNDES também vai para o buraco.

É mesmo? Tomara que não! Mas, se fosse, certamente não seria por excesso de virtudes. É bem verdade que Lula já deu a linha moral desse tipo de raciocínio, não é mesmo? Falando a seus milicianos, ele lembrou que o Iraque vivia em paz no tempo de Saddam Hussein. Uma paz de quase meio milhão de homicídios, claro! É isso! A turma do Saddam Hussein brasileiro não quer que a gente saiba o que se fez com os muitos bilhões do BNDES.

Meu amigo José Maria Moreira Convida. Reverenciemos a memória da Professora Mariá Moreira Vieira.

Convite Missa de Primeiro Aniversário.


SAUDADES DE MINHA MÃE 

Em 20/02/2015, completou 01 (um) ano que a minha querida e inesquecível mãe, MARIÁ MOREIRA VIEIRA, foi para o Céu, por DETERMINAÇÃO DIVINA.

A SAUDADE É O QUE FICA DE QUEM NÃO FICOU. Sabemos que a morte nada mais é que uma despedida inesperada que não temos o poder de contestar ou evitar. Mesmo assim tenho sentido muitas saudades desta AMIGA de todas as horas e de todos os momentos fáceis ou difíceis.

Grande parte de minha vida foi de dedicação aos meus pais e contei com o apoio de minha esposa, a médica SELMA TANIA GUERRA MOREIRA (in memoria) e de meus filhos.

Minha mãe era uma mulher simples, batalhadora, sábia, educada e paciente, que soube muito bem desempenhar as suas funções de MÃE e de EDUCADORA. Todos que a conheceram poderão endossar o este meu depoimento.

Mesmo não sendo o meu caso, deixo, aqui, uma palavra de ALERTA para todos os FILHOS que pouco dão atenção, amor e carinho a seus pais: AME O QUE VOCÊ TEM, ANTES QUE A VIDA LHE ENSINE A AMAR O QUE VOÇÊ TINHA!

Na oportunidade, gostaria de convidar todos os parentes e amigos a comparecerem às seguintes Missas de Primeiro Aniversáriom, que serão celebradas:

1) Em Cajazeiras-PB, na Catedral de Nossa Senhora da Piedade - às 19:00 horas, do dia 28/02/2015. 

2) Em Cachoeira dos Índios-PB, na Capela de Nossa Senhora de Fátima - no Distrito de Fátima - às 17;00 horas do dia 28/02/2015. 

3) Em João Pessoa-PB, na Paróquia de Santo Antonio de Lisboa - às 17:00 horas do dia 01 de março de 2015, na Avenida Olinda, S/N., em Tambaú (localizada nas proximidades do Hotel Tambaú).

A família agradece a todos que participarem.

Uma pena o que aconteceu com aquele juiz...Ele tinha dado uma entrevista excelente, antes do episódio.

o Porsche de Eike
O Porsche de Eike
Ao confiscar os carros e o piano de Eike Batista, o juiz federal Flávio de Souza ajudou a magistratura a ganhar mais um penduricalho no contracheque: consta que a partir de agora os juízes passarão a ter direito ao vale-transporsche.
Por Lauro Jardim

********************
Ainda tem os bens da casa de Luma de Oliveira, ex-mulher de Eike. Olha o que inventaram...


Zé Dirceu tem razão absoluta!

Tradução: Impeachment no cú dos outros é refresco!
Exclusivo: advogado protocola pedidos de impeachment de Dilma

Dilma Rousseff durante entrevista no Palácio da Alvorada

Nesta quarta-feira, 25 de fevereiro, foram protocolados na Câmara dos Deputados dois novos pedidos de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff.

O autor é o advogado Luís Carlos Crema. A este blog ele explicou, com exclusividade:

"O primeiro pedido de impeachment, fundamentado nas provas obtidas na Operação Lava Jato, registra o cometimento de dois crimes de responsabilidade. Um, por violação à Constituição Federal e à legislação eleitoral, vez que, conforme indicam as provas colhidas nas delações premiadas, parte do dinheiro roubado da Petrobras foi utilizado para financiar a campanha de Dilma Rousseff à Presidência da República em 2014”, afirmou o advogado, que continua:

"O outro crime denunciado, decorre do fato de que parcela do dinheiro roubado, desviado ao PMDB e PP, foi utilizado para comprar o apoio de partidos políticos à administração da presidente Dilma, evidenciando, assim, o crime de responsabilidade por atentar contra o livre exercício do Poder Legislativo'. 


"O segundo pedido de impeachment denuncia a improbidade administrativa da presidente Dilma, por negligenciar e permanecer inerte frente aos crimes cometidos na Petrobras que geraram prejuízo estimado de R$ 88,6 bilhões, conforme revelado pela presidente do Conselho de Administração, Graça Foster. A denúncia também identifica crime de responsabilidade de Dilma, pela negligência na conservação do patrimônio da Petrobras e por atentar contra a segurança interna do país, ao permitir a infração de lei federal”.

A 21 de outubro do ano passado Crema já havia protocolado junto à Câmara o pedido de impeachment da presidenta Dilma Rousseff. E também duas outras ações junto ao Tribunal Superior Eleitoral, uma, requerendo o fechamento do Partido dos Trabalhadores (PT) e, outra, o afastamento da candidata do PT à presidência da República, Dilma Rousseff, das Eleições de 2014.

A 23 de outubro, também de 2014, Crema havia ajuizado outro: sobre as provas que estão sendo obtidas pela Justiça Federal sobre o esquema para desviar recursos da Petrobras com o objetivo de financiar partidos políticos – PT, PMDB e PP – bem assim para custear a campanha à Presidência da República de 2010 da presidenta Dilma Rousseff.

Segundo Crema, as denúncias fundavam-se no fato da presidenta da República subordinar e submeter a sua administração, diga-se, a da República Federativa do Brasil, a interesses de entidade e governos estrangeiros, notadamente, ” à entidade denominada Foro de São Paulo e aos governos de países ditos ‘revolucionários’ da América Latina”.

Mas, diz ele, agora os fatos avançaram muito mais para que se ajuízem novas ações contra Dilma.

Ainda bem!